Bibliografia introdução tc

  • View
    117

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Bibliografia introdução tc

  1. 1. ARQ01021 Trabalho Final de Graduao 2008/2 2 SUMRIO 1. Aspectos relativos ao tema 1.1. Justificativa da temtica escolhida 1.2. Anlise das relaes entre programa, stio e tecido urbano de suporte 1.3. Objetivos da proposta 2. Aspectos relativos ao desenvolvimento do projeto 2.1. Definio dos nveis e padres de desenvolvimento pretendidos 2.2. Metodologia e instrumentos de trabalho 3. Aspectos relativos s definies gerais 3.1. Agentes de interveno e seus objetivos 3.2. Caracterizao da populao alvo 3.3. Aspectos temporais 3.4. Aspectos econmicos 4. Aspectos relativos definio do programa 4.1. Descrio das atividades 4.2. Definio da populao fixa e varivel por atividade e unidade espacial 4.3. Tabulao dos requerimentos funcionais, ambientais e dimensionais 4.4. Organizao dos diferentes fluxos de pessoas, veculos e materiais 5. Levantamento da rea de interveno 5.1. Potenciais e limitaes da rea 5.2. Morfologia urbana e relaes funcionais locais, urbanas e regionais 5.3. Uso do solo e atividades existentes 5.4. Caractersticas de edificaes, espaos abertos e vegetao existentes 5.5. Sistema de circulao veicular e peatonal 5.6. Redes de infra-estrutura 5.7. Aspectos qualitativos e quantitativos da populao residente e usuria 5.8. Levantamento fotogrfico 5.9. Levantamentos diversos 5.10. Estrutura de drenagem do solo 5.11. Micro-clima 6. Condicionantes legais 6.1. Cdigo de edificaes e plano diretor municipal 6.2. Normas de proteo contra incndio 6.3. Normas de acessibilidade universal aos espaos de uso 6.4. Normas de proteo do ambiente natural e patrimnio histrico e cultural 6.5. Normas de provedores de servios 6.6. Normas de uso do espao 7. Bibliografia 8. Portflio Acadmico 9. Histrico Escolar
  2. 2. ARQ01021 Trabalho Final de Graduao 2008/2 3 1. ASPECTOS RELATIVOS AO TEMA 1.1.JUSTIFICATIVA DA TEMTICA ESCOLHIDA O crescimento econmico no ramo da construo civil em que o pas presencia atualmente est cada vez mais necessitando de trabalhadores de mo-de-obra especializada. Conforme recente afirmao do Ministrio do Trabalho, a no existncia de um forte investimento nos setores de mo-de-obra qualificada cria a possibilidade de um colapso no desempenho econmico em mdio prazo. Para isso os recursos do governo federal so indispensveis para que a gerao de empregos, inclusive os de carteira assinada, permanea no mnimo, estvel. Um dos maiores problemas que est ocorrendo nas obras surge da necessidade de treinamentos relmpagos realizadas pelas prprias construtoras e empreiteiras a sua equipe de campo, para a execuo de determinada tarefa que exija um grau de complexidade maior. Com a entrada de novas tecnologias construtivas nas obras de grandes empreendimentos, muitas empresas esto terceirizando servios de consultoria tcnica de profissionais para ministrar estes treinamentos aos operrios na prpria obra e durante o perodo de trabalho, fazendo com que o cronograma de execuo, cada vez mais exigente no cumprimento de prazos de entrega das edificaes, se atrase por motivos como o que est sendo abordado-a falta de qualificao na produo. Outra questo relevante no que diz respeito aos operrios da construo civil, a de acidentes de trabalho que frequentemente ocorrem nas obras. Mesmo que somente algumas empresas que atuam no setor possuam um eficaz programa de segurana do trabalho, a maioria dos acidentes so causados pela falta de conhecimento do operrio nos riscos em que est submetido sem o uso adequado de equipamentos de proteo individual e coletiva. Com base nas constataes acima, a proposta para o trabalho final de graduao consiste no anteprojeto de uma escola tcnica para a realizao de cursos de aprendizagem industrial, profissionalizantes e tcnicos, todos direcionados ao setor da construo civil. Para isso, esta instituio de ensino estaria diretamente ligada ao Servio Nacional de Aprendizagem Industrial (sistema SESI-SENAI), que por sua grande atuao para com o cenrio econmico do pas, possuiria todos os requisitos necessrios para a viabilidade de concretizao do tema. Cabe ressaltar que o SENAI atualmente disponibiliza cursos voltados para a construo, mas que, no entanto, no foi implantado em nenhuma sede na regio sul do Brasil, existindo estes cursos somente em escolas dos estados de Minas Gerais, Gois, Esprito Santo, Cear, Bahia, Maranho, Alagoas, Amap e Amazonas. 1.2.ANLISE DAS RELAES ENTRE PROGRAMA, STIO E TECIDO URBANO DE SUPORTE A proposta da nova unidade SENAI Construo Civil tem no terreno selecionado, situado no Bairro Jardim Carvalho em Porto Alegre, o espao necessrio para sua efetivao. Uma das maiores justificativas na escolha deste local est no fato de atualmente ser um ponto da cidade onde a figura sociedade est muito pouco presente, e de assim fazer com que a nova atividade seja um elemento ncora na regio, atendendo, de certa forma, a comunidade local e at mesmo promovendo a mobilizao de mais pessoas para um bairro tipicamente residencial pertencente s classes mais populares. H de lembrar tambm que se trata de uma rea da cidade em que investidores esto direcionando mais os seus olhos e proporcionando a gerao de empregos. 1.3. OBJETIVOS DA PROPOSTA A proposta tem como objetivo a formao de uma unidade da rede SENAI de ensino no segmento tecnolgico em Construo Civil e tambm na rea de Meio Ambiente focado no tratamento de resduos de obra, a fim de contribuir de forma decisiva para a melhoria da qualidade dos servios prestados pelas indstrias do setor atravs de cursos, palestras, seminrios, assessorias e consultorias especializadas, aumentando s demandas das empresas e sua competitividade. Alm de competncia tcnica, os cursos fornecidos pela escola abordariam conceitos como sobre direitos e deveres do cidado, utilizao de normas e procedimentos de qualidade, higiene e segurana no trabalho, princpios bsicos de trabalho em equipe, empreendedorismo e criatividade. Estaria dividida em trs ncleos: aprendizagem industrial, cursos profissionalizantes e cursos tcnicos.
  3. 3. ARQ01021 Trabalho Final de Graduao 2008/2 4 2. ASPECTOS RELATIVOS AO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO 2.1. DEFINIO DOS NVEIS E PADRES DE DESENVOLVIMENTO PRETENDIDOS Para o painel intermedirio estaro representados todos os elementos mnimos necessrios para a correta explicao da proposta. Considerando que ser uma primeira apresentao do anteprojeto de arquitetura, os elementos que constituiro o painel sero os seguintes: Mapa geogrfico do municpio com localizao da rea de interveno escala 1/5000 Planta de Situao da rea de interveno com localizao do terreno escala 1/1000 Implantao da edificao com relao ao terreno escala 1/250 Plantas Baixas de todos os pavimentos da edificao escala 1/125 ou 1/100 Planta de Cobertura da edificao escala 1/125 ou 1/100 Cortes de todas as diferentes situaes de configurao da edificao escala 1/125 ou 1/100 Elevaes de todas as diferentes situaes de configurao da edificao escala 1/125 ou 1/100 Axonomtrica da edificao representando sistema construtivo escala 1/250 ou 1/200 Perspectivas cnicas externas representando edificao inserida no contexto s/ escala Diagramas de zoneamento, modulao espacial e sistema construtivo s/ escala Planilha de reas Maquete escala 1/500 Para o painel final estaro representados os mesmos elementos do painel intermedirio com o acrscimo de mais estes abaixo: Detalhes construtivos da edificao escalas 1/25 ou 1/20 e 1/10 Perspectivas cnicas internas representando os principais espaos funcionais da edificao s/ escala Maquete escala 1/250 Obs.: a escala para a maquete no painel final ser ampliada de 1/500 para 1/250, pois como muito provavelmente sero definidos maiores detalhes do projeto, ser vivel uma representao mais fiel possvel aos desenhos no modelo tridimensional fsico. 2.2. METODOLOGIA E INSTRUMENTOS DE TRABALHO A metodologia de trabalho iniciar, aps a escolha do tema e terreno e suas respectivas justificativas, com os levantamentos fsicos, legislao pertinente e pesquisa da rea de interveno. Levantamentos fsicos abrange a reunio dos dados referentes morfologia urbana, edificaes e vegetaes existentes, sistema virio, infra-estrutura existente, planialtimetria do terreno, orientao solar, direo dos ventos, condies higrotrmicas e caractersticas do solo. Por legislao pertinente implica em estudo de viabilidade urbanstica em todos os condicionantes no nvel de plano diretor do municpio para o terreno escolhido a fim de se seguir as corretas imposies do regime urbanstico tais como, ndice de aproveitamento, alinhamentos e altura mxima; cdigo de edificaes, normas tcnicas de acessibilidade e preveno contra incndio; e preservao de vegetao nativa. Uma pesquisa da rea de interveno est vinculada ao repertrio histrico da regio, caractersticas da populao residente e usuria. Complementando os itens anteriormente citados est uma pesquisa aprofundada sobre a temtica escolhida para a realizao de um programa de necessidades completo. Estudo de tipologias, materiais de construo, equipamentos e mobilirio sero de fundamental importncia para a efetivao da proposta. Uma anlise de exemplares arquitetnicos existentes congneres ser auxiliar no desenvolvimento do anteprojeto. Preliminarmente realizao dos elementos mnimos necessrios - plantas gerais, cortes e elevaes; a utilizao de diagramas ser um instrumento indispensvel para o trabalho. Como ferramentas de trabalho sero utilizados softwares grficos para a produo de desenhos em duas e trs dimenses. Imagens fotorrealsticas a partir do modelo tridimensional eletrnico sero realizadas para a compreenso da utilizao dos materiais e os efeitos de luz e sombra sobre os mesmos. Maquetes fsicas volumtricas sero importantes para a verificao da edificao inserida em seu contexto, no decorrer do semestre.
  4. 4. ARQ01021 Trabalho Final de Graduao 2008/2 5 3. ASPECTOS RELATIVOS S DEFINIES GERAIS 3.1. AGENTES DE INTERVENO E SEUS OBJETIVOS O SENAI como principal atuante no projeto de abertura de uma nova unidade, seria a responsvel direta pela administrao da escola, manu