of 2 /2
22 Março/Abril de 2012 STORE MAGAZINE Inovação Biológicos em alta Um supermercado inteiro de produtos biológicos, ou melhor, cinco supermercados. A cadeia Brio existe desde 2008 e tem lojas espalhadas por Campo de Ourique, Carnaxide, Chiado, Estoril e Alcântara. Tem uma oferta diversificada que pretende desmistificar duas ideias: a de que o mercado biológico é exclusivo da alimentação vegetariana e a de que os preços são inacessíveis à maioria dos consumidores cais de grande afluência, com uma organização baseada numa estru- tura pequena e enérgica. Além da estrutura central, comum a todas as lojas, existem estruturas locais, com gerentes de loja – todos com formação na área. Os supermer - cados têm uma zona dedicada às crianças, onde os mais pequenos podem brincar enquanto os pais fazem compras. “Queremos cres- cer por duas vias: aumentar o nú- mero de clientes e compras nas lojas actuais, e expandir a cadeia. O sector biológico português tem ainda muito por desbravar”, afirma o mesmo responsável. Para além dos espaços físicos o Brio está online: no site encon- tram-se as promoções quinzenais; podem ser feitas listas de enco- mendas (via email ou telefone, com entrega ao domicílio); glossário sobre alimentos; informação sobre produtos biológicos. A presença na web alarga-se ainda ao Twitter, Facebook e ao blogue que apre- senta novidades, notícias dos pro- dutores e edições especiais sobre vários alimentos. As cinco lojas Brio disponibilizam seis mil produtos biológicos aos 120 a 250 clientes diários que são atendidos por uma equipa de 40 colaboradores, na sua maioria, formados pelo Instituto Superior de Agronomia. André Moura, por exemplo, gerente da loja do Chia- do, formou-se em Agronomia e especializou-se em Enologia. A se- lecção de vinhos é uma das suas responsabilidades, tem já um pro- jecto “para alargar a oferta a mais fornecedores nacionais”, afirma. Outro exemplo da aposta do Brio nas competências académicas dos seus colaboradores é Rafael Brazuna. Formado em Macrobió- tica, criou uma secção exclusiva deste tipo de alimentação em to- das as lojas. “Tudo para todos a um preço jus- to” é a máxima deste espaço que aposta, em primeiro lugar, na espe- A Brio é uma cadeia de supermer- cados com produtos 100 por cen- to biológicos e certificados, que nasceu em 2008 com uma loja em Campo de Ourique, em Lisboa. Em 2010, com a entrada no capital da empresa da holding The Edge Group, focada no desenvolvimen- to de projectos imobiliários e cujos principais accionistas são Miguel Pais do Amaral e José Luís Pinto Basto, a “administração iniciou um plano de expansão regional: nesse ano, abriu uma loja em Carnaxide e outra no espaço LX Factory, em Alcântara. Em 2011 o Brio che- gou ao Chiado e ao Estoril”, refere António Alvelos, director-geral da Brio. “Estamos em fase de consoli - dação e aumento das vendas, com o acompanhamento permanente do segmento biológico. Mantemos o objectivo de crescer em número de lojas, provavelmente com mais duas a quatro aberturas”, afirma. O modelo de negócio prevê lojas com cerca de 350 a 450 m 2 , em lo- O modelo de negócio prevê lojas com cerca de 350 a 450 m 2 , em locais de grande afluência, com uma organização baseada numa estrutura pequena e enérgica Sónia Andrade jornalista

Biológicos em alta

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Biológicos em alta

Citation preview

Page 1: Biológicos em alta

22 Março/Abril de 2012 STORE MAGAZINE

inovação

Biológicos em alta Um supermercado inteiro de produtos biológicos, ou melhor, cinco supermercados. A cadeia Brio existe desde 2008 e tem lojas espalhadas por Campo de Ourique, Carnaxide, Chiado, Estoril e Alcântara. Tem uma oferta diversificada que pretende desmistificar duas ideias: a de que o mercado biológico é exclusivo da alimentação vegetariana e a de que os preços são inacessíveis à maioria dos consumidores

cais de grande afluência, com uma organização baseada numa estru-tura pequena e enérgica. Além da estrutura central, comum a todas as lojas, existem estruturas locais, com gerentes de loja – todos com formação na área. Os supermer-cados têm uma zona dedicada às crianças, onde os mais pequenos podem brincar enquanto os pais fazem compras. “Queremos cres-cer por duas vias: aumentar o nú-mero de clientes e compras nas lojas actuais, e expandir a cadeia. O sector biológico português tem ainda muito por desbravar”, afirma o mesmo responsável. Para além dos espaços físicos o Brio está online: no site encon-tram-se as promoções quinzenais; podem ser feitas listas de enco-mendas (via email ou telefone, com entrega ao domicílio); glossário sobre alimentos; informação sobre produtos biológicos. A presença na web alarga-se ainda ao Twitter, Facebook e ao blogue que apre-

senta novidades, notícias dos pro-dutores e edições especiais sobre vários alimentos.As cinco lojas Brio disponibilizam seis mil produtos biológicos aos 120 a 250 clientes diários que são atendidos por uma equipa de 40 colaboradores, na sua maioria, formados pelo Instituto Superior de Agronomia. André Moura, por exemplo, gerente da loja do Chia-do, formou-se em Agronomia e especializou-se em Enologia. A se-lecção de vinhos é uma das suas responsabilidades, tem já um pro-jecto “para alargar a oferta a mais fornecedores nacionais”, afirma. Outro exemplo da aposta do Brio nas competências académicas dos seus colaboradores é Rafael Brazuna. Formado em Macrobió-tica, criou uma secção exclusiva deste tipo de alimentação em to-das as lojas. “Tudo para todos a um preço jus-to” é a máxima deste espaço que aposta, em primeiro lugar, na espe-

A Brio é uma cadeia de supermer-cados com produtos 100 por cen-to biológicos e certificados, que nasceu em 2008 com uma loja em Campo de Ourique, em Lisboa. Em 2010, com a entrada no capital da empresa da holding The Edge Group, focada no desenvolvimen-to de projectos imobiliários e cujos principais accionistas são Miguel Pais do Amaral e José Luís Pinto Basto, a “administração iniciou um plano de expansão regional: nesse ano, abriu uma loja em Carnaxide e outra no espaço LX Factory, em Alcântara. Em 2011 o Brio che-gou ao Chiado e ao Estoril”, refere António Alvelos, director-geral da Brio. “Estamos em fase de consoli-dação e aumento das vendas, com o acompanhamento permanente do segmento biológico. Mantemos o objectivo de crescer em número de lojas, provavelmente com mais duas a quatro aberturas”, afirma. O modelo de negócio prevê lojas com cerca de 350 a 450 m2, em lo-

O modelo de negócio prevê lojas com cerca de 350 a 450 m2, em locais de grande afluência, com uma organização baseada numa estrutura pequena e enérgica

Sónia Andradejornalista

Page 2: Biológicos em alta

Março/Abril de 2012 23STORE MAGAZINE

cialização em produtos biológicos, na certificação por uma identidade independente dos mesmos e na proximidade com os clientes – dis-ponibilidade, confiança e persona-lização do serviço, desmistificando também a ideia de que o biológico é obrigatoriamente vegetariano ou para dietas específicas. “Proporcionar experiências, for-necer informação e incentivar o consumo de produtos biológicos em Portugal, alertando para a importância da preservação dos recursos naturais e respeitando o funcionamento dos ecossistemas, é um dos nossos objectivos”, su-blinha o director-geral.

Às comprasPara descobrir a gama de pro-dutos que o Brio oferece, fomos conhecer o supermercado da Baixa de Lisboa, situado no edifí-cio Chiado Plaza, na Travessa do Carmo, e fazer compras para um jantar a dois. Sofia Santos foi a gerente Brio que nos recebeu. As promoções são várias e originais, algumas sugeridas pelos colabo-radores e clientes. Neste espaço encontrámos produtos de mercea-ria fresca e seca, lacticínios e frios, carnes, pão fresco, congelados, alimentação para bebés e crian-ças, bebidas, produtos de higiene pessoal, cosmética natural, limpe-za do lar e ainda alimentos para animais. Na sua maioria são de

origem portuguesa, com exclusão de alguns estrangeiros que não existem em Portugal. À entrada deparámo-nos com uma mesa de degustação: fatias de fru-ta e pão com doce, por exemplo. Ao lado, um cesto de pacotes indi-viduais de leite de arroz (substituto do leite convencional e do de soja), sumos naturais, barras energéti-cas – algo para o cliente trincar ou beber enquanto faz compras. Abri-mos um sumo de maçã e começá-mos por escolher um pão fresco de trigo integral, entre os vários à es-

“Tudo para todos a um preço justo” é a máxima deste espaço que aposta, em primeiro lugar, na especialização em produtos biológicos, na certificação por uma identidade independente dos mesmos e na proximidade com os clientes

colha. Qualquer um deles tem uma fermentação natural, sem levedura adicional.Para o prato principal, optámos por quatro bifes de vaca (produção 100 por cento nacional), um vinho tinto alentejano e uma black-coke alemã, como alternativa ao álcool. Comprámos arroz a granel coloca-do num dos vários dispensadores expostos, ao lado dos de cerais, sementes e frutos secos. O cliente serve-se apenas da quantidade de que necessita, sem ter de comprar uma embalagem. Não resistimos

a uma mão cheia de pinhões para dar sabor ao arroz. Da secção dos frescos trouxemos nabiças frescas, com desconto, e bananas para a sobremesa. Café Delta biológico e um chá de manje-ricão e anis, que também pode ser usado para temperos, foram outras das opções. Por fim, bolachas de manteiga, uma promoção sugerida pelos clientes. No total, desembol-sámos 47 euros no jantar. O nosso cartão Brio ficou com 56 pontos. Cem pontos equivalem a um euro de desconto.