of 49 /49
Bullying Acadêmicos: Guilherme Machado Rowena Harrison

Bullying cyberbullying

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Bullying cyberbullying

  • Bullying

    Acadmicos: Guilherme Machado

    Rowena Harrison

  • Histrico Na dcada de 80, o tema violncia na escola

    era abordado a partir de manifestaes relativas segurana pblica: atos juvenis de depredaes e pichaes;

    Na dcada de 90, as relaes interpessoais passaram a tornar-se centrais no fenmeno violento;

    Aps isso um novo conceito, denominado Bullying, passa a ser considerado no campo de estudos sobre a violncia entre pares.

  • Conceituao

    Bullying uma expresso inglesa sem traduo exata para o portugus. Para fins de estudo podemos defin-lo como:

    Atitudes agressivas praticadas intencional e repetidamente que ocorrem sem motivao e so

    adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angstia.

  • Conceituao

    Essa expresso surgiu do ator principal das atitudes agressivas do Bullying conhecido como Bully.

    Bully = valento, brigo

  • Atores do Bullying

    Agressores

    Ambiente Escolar

  • Atores do Bullying

    Vtimas

    Agressores

    Ambiente Escolar

  • Atores do Bullying

    Vtimas

    Espectadores

    Agressores

    Ambiente Escolar

  • Atores do Bullying

    Vtimas

    Espectadores

    LIMITES FSIC

    OS

    Agressores

    Ambiente Escolar

  • Agressores

    No aceitam bem regras e possuem grande poder de liderana legitimado pela fora fsica ou por realizarem intenso assdio psicolgico nas vtimas de sua escolha

    Atores do Bullying

  • - Vtimas tpicas: normalmente tem alguma caracterstica que a diferencia do resto do grupo. Pode ter outra religio, caractersticas fsicas distintas, necessidades especiais, vir de outra escola, ser tmida, mais fraca, etc;

    - Vtimas provocadoras: que provocam seus colegas contra si mesmas sem essa inteno. Como alunos com distrbio de ateno;

    - Vtimas agressoras: buscam revidar as agresses sofridas em outros alunos mais fracos, tornando-se tambm um agressor.

    Atores do Bullying

  • Atores do BullyingEspectadores so as testemunhas das aes dos agressores contra as vtimas, podem ser classificados como:

    - Passivos: assumem essa postura por medo de se tornar a prxima vtima; - Ativos: no agridem a vtima porm oferecem apoio moral aos agressores, com risadas e palavras de incentivo;- Neutros: no demonstram sensibilidade pela situao de bullying, parecem que esto anestesiados emocionalmente.

  • Sinonmia

    Apelidar Gozar Sacanear HumilharOfender Encarnar Discriminar ExcluirTiranizar Bater Chutar IsolarDominar Empurrar Perseguir RoubarAgredir Ferir Assediar Aterrorizar

  • Onde ocorre?

    O Bullying um problema mundial, sendo encontrado em toda e qualquer escola, no estando restrito a nenhum tipo especfico de instituio: pblica ou privada, rural ou urbana.

    Escolas que no admitem a ocorrncia de Bullying entre seus alunos, ou desconhecem o problema, ou se negam a enfrent-lo.

  • Vtimas

    Dirio de Vijay Singh (13 anos)

    2 feira: Tiraram meu dinheiro; 3 feira: Me xingaram;

    4 feira: Rasgaram meu uniforme; 5 feira: Meu corpo est coberto de sangue; 6 feira: Terminou; Sbado: Liberdade.

    Sbado foi o dia em que Vijay foi encontrado enforcado em sua casa (1997).

  • Vtimas

  • Vtimas

    Leandro Filipe (12 anos) frequentava o 6 ano em Portugal e era frequentemente ameaado e agredido por colegas mais velhos. Leandro no aguentou mais, saiu a chorar da escola e nem o irmo gmeo nem os trs primos conseguiram impedi-lo de se atirar no rio. Morreu afogado na frente de seus familiares.

  • Vtimas

  • Vtimas

    Um aluno do 6 ano de uma escola do Rio de Janeiro foi espancado a golpes de porrete por outro estudante 8 ano.

    O espancamento ocorreu a 150 metros do colgio e se algumas pessoas no tivessem interferido a vtima de Bullying teria morrido naquele local.

    A Secretaria Municipal de Educao divulgou uma nota informando que o fato ocorreu fora das dependncias da escola.

  • Vtimas

    Desabafo do Rafael

    http://br.video.yahoo.com/network/101360413?v=5260527

    Trecho do filme 'Bang, bang, voc morreu'

    http://www.youtube.com/watch?v=EuqstnDYDR4

  • Sintomas da vtima- Falta de vontade de ir escola;- Pedir para trocar de escola;- Revelar medo de ir/voltar da escola;- Mudar muito o trajeto entre a casa e a escola;- Apresentar baixo rendimento escolar;- Voltar da escola com roupas/livros rasgados;- Voltar com machucados inexplicveis;- Tornar-se uma pessoa fechada, deprimida;- Apresentar baixa autoestima;- Apresentar pesadelos frequentes;- "Perder" vrias vezes pertences ou dinheiro;- Tentar ou cometer suicdio. Por Ceres Araujo

    Psicloga

  • Preveno

    PROFESSORES

    Observar o comportamento dos alunos e perceber quedas de desempenho escolar; Incentivar a solidariedade e o respeito s diferenas; Possibilitar uma sala de aula com ambiente favorvel comunicao; Denncias devem ser encaminhadas direo.

    Por Clo Fante e Jos Augusto Autores do livro Bullying Escolar

  • Preveno

    PAIS

    Abertura para o dilogo com seus filhos; Observar mudanas de comportamento; Criar um ambiente de confiana para fazerem denncias sem julgamentos prvios; Explicar o que o bullying, orientar como identificar tais casos e como procurar ajuda; Entrar em contato com a direo da escola e procurar profissionais especializados nestes casos. Por Clo Fante e Jos Augusto

    Autores do livro Bullying Escolar

  • Preveno

    ESCOLA

    Sensibilizar a comunidade escolar atravs de palestras e treinamentos periodicamente; Criar um canal de comunicao para possveis denncias; Estabelecer procedimentos padronizados e claros para casos de bullying; Deixar claro que a responsabilidade deve ser compartilhada entre escola e famlia.

  • PENSEPEsquisa Nacional de Sade Escolar

    Essa pesquisa feita em pelo IBGE em mais de 6.700 escolas pblicas e privadas e teve a seguinte pergunta relacionada ao Bullying:

    Nos ltimos 30 dias, com que frequncia algum dos seus colegas de escola te esculacharam, zoaram, intimidaram ou caoaram tanto, a ponto de ficar magoado / incomodado / aborrecido?

    2009

  • PENSEPEsquisa Nacional de Sade Escolar

    Resultado 1 (quanto ao bullying)69,2% no sofrem bullying;

    25,4% sofrem s vezes;5,4% sofrem com frequncia;

    Resultado 2 (quanto as escolas):35,9% nas escolas particulares;

    29,5% nas escolas pblicas;

    http://ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/pense/pense.pdf

    2009

  • PENSEPEsquisa Nacional de Sade Escolar

    Resultado 3 (quanto ao sexo)32,6% sexo masculino;28,3% sexo feminino;

    Resultado 4 (quanto as regies)35,6% Distrito Federal;35,3% Belo Horizonte;

    35,2% Curitiba;

    2009

  • Pesquisa PLANBullying no Ambiente Escolar

    Resultado 1 (quanto aos espectadores)70% presenciaram cenas de agresses;

    Resultado 2 (maior incidncia)Na faixa de 11 a 15 anos;

    Em especial no 7o ano.

    http://www.aprendersemmedo.org.br/?p=download-pesquisa-bullying

    2009

  • Pesquisa PLANBullying no Ambiente Escolar

    Resultado 3 (quanto aos motivos)Popularidade junto aos colegas;Os diferentes merecem sofrer;

    Resultado 4 (quanto a preveno)As escolas no esto preparadas.

    2009

  • Consequncias (1)

    A Justia de Ribeiro Preto condenou 22 adolescentes(1) de classe mdia, de 15 e 16 anos, a prestar servios comunitrios por 6 meses devido ato de bullying contra uma colega.

    A vtima, de 15 anos, disse que os xingamentos comearam h 3 anos quando colocaram-lhe o apelido de bode mas afirma tambm era chamada de "fedida", "retardada", "idiota", "monga" e "esterco".

  • A Justia de Ribeiro Preto condenou 2 adolescentes de classe mdia, de 15 e 16 anos, a prestar servios comunitrios por 6 meses devido ato de bullying contra uma colega.

    A vtima, de 15 anos, disse que os xingamentos comearam h 3 anos quando colocaram-lhe o apelido de bode mas afirma tambm era chamada de "fedida", "retardada", "idiota", "monga" e "esterco".

    Consequncias (1)

    Para a me de um dos agressores:

    () apelido uma coisa normal, s levar na brincadeira...

    Folha de So Paulo 17.10.08

  • Consequncias (2)

    A Justia de Minas Gerais condenou os pais( 2 ) de um aluno da 7a srie a pagar indenizao de R$8.000,00 por danos morais a uma colega de sala.

    Apesar do acusado ser um adolescente na fase de formao fsica e moral, h um limite que no

    deve ser excedido. As brincadeiras de mau gosto do estudante geraram problemas colega

    e seus pais devem ser responsabilizados.

    Juiz Luiz Artur Rocha

  • Recentemente o Tribunal de Justia (DF) aplicou o cdigo de defesa do consumidor e condenou uma escola(3) a indenizar a famlia de uma vtima de bullying no valor de R$ 3.000,00 a ttulo de danos morais.

    A vtima sofreu agresses fsicas e verbais de alguns colegas de turma que iam muito alm de pequenos atritos entre crianas daquela idade, no interior do estabelecimento de ensino, durante todo o ano letivo de 2005.

    Consequncias (3)

  • Violao de direitos constitucionais

    Todo ato de bullying um ato ilcito que viola a dignidade das vtimas; Podem provocar a responsabilidade dos causadores em diversas esferas; A Justia poder condenar o autor de bullying (ou seu responsvel legal) a uma indenizao por danos materiais, morais e estticos; Atos de bullying podem levar a priso dos autores nos casos mais graves (como o cyberbullying).

    Por Llio Braga CalhauPromotor de Justia

  • Todo ato de bullying um ato ilcito que viola a dignidade das vtimas; Podem provocar a responsabilidade dos causadores em diversas esferas; A Justia poder condenar o autor de bullying (ou seu responsvel legal) a uma indenizao por danos materiais, morais e estticos; Atos de bullying podem levar a priso dos autores nos casos mais graves (como o cyberbullying).

    Violao de direitos constitucionais

    Todo ato de bullying lesa a dignidade da pessoa humana, direito amplamente protegido pela Constituio Brasileira.

    Por Llio Braga CalhauPromotor de Justia

  • Legislao

    Rio Grande do Sul aprovou a lei que obriga as escolas pblicas e privadas a desenvolverem sua prpria poltica antibullying;

    Mato Grosso do Sul aprovou a lei que obrigar as escolas pblicas e privadas a inclurem no projeto pedaggico o programa contendo medidas de conscientizao, preveno e combate ao bullying escolar;

    No Reino Unido, a poltica

    antibullying nas escolas

    obrigatria desde 1999.

  • Cyberbullying

  • Conceituao

    Cyberbullying a expresso inglesa sem traduo exata para o portugus. Para fins de estudo podemos defin-lo como:

    Atitudes agressivas praticadas intencional e repetidamente em ambiente virtual sem motivao e adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angstia.

  • Conceituao

    Para agredir suas vtimas so utilizadas modernas ferramentas da internet e de outras tecnologias (fixa ou mvel) com intuito de constranger ou maltratar suas vtimas.

    O cyberbullying permite que os agressores ganhem o anonimato pois criam apelidos e falsos nomes para no serem descobertos.

  • Ferramentas

  • Atores do Cyberbullying

    Agressores

  • Atores do Cyberbullying

    Vtimas

    Agressores

  • Atores do Cyberbullying

    Vtimas

    Espectadores

    Agressores

  • Atores do Cyberbullying

    Espectadores

    AM

    BIEN

    TE VIRTU

    AL

    Agressores

    Vtimas

  • Diferenas

    - Crescimento exponencial de espectadores;

    - Crescimento do nmero de agressores;

    - Agresses virtuais podem ficar disponveis na rede por anos;

    - Novas vtimas como como professores e diretores;

    - Agressores podem ficar no anonimato.

  • Novas vtimas

  • Consequncias

    O professor Felipe de Arruda, da cidade de Erechim, ajuizou uma ao na justia do RS envolvendo prtica de cyberbullying. Um de seus alunos criou um Fotolog (flog) com finalidade de ofende-lo, atrelando fatos e imagens de carter exclusivamente pejorativo.A Justia condenou Solange Ftima Ferrari, me Solange Ftima Ferrari, me do adolescente, a pagar a indenizao no valor do adolescente, a pagar a indenizao no valor de de R$5.000,00R$5.000,00 por danos morais. por danos morais.

    07/2010

  • Sugestes

    Filmes

    1. Bang, bang, voc morreu;2. Bully;3. Elefante;4. Kes;5. Klass;6. Meu nome Drillbit Taylor.

  • Finalizando

    Todas as crianas e adolescentes tm direito de estudar em uma escola onde, alm de um

    bom aprendizado, possam conviver em um ambiente sadio, onde exista amizade,

    solidariedade e respeito as caractersticas pessoais

    de cada um

  • OBRIGADO

    Slide 1Slide 2Slide 3Slide 4Slide 5Slide 6Slide 7Slide 8Slide 9Slide 10Slide 11Slide 12Slide 13Slide 14Slide 15Slide 16Slide 17Slide 18Slide 19Slide 20Slide 21Slide 22Slide 23Slide 24Slide 25Slide 26Slide 27Slide 28Slide 29Slide 30Slide 31Slide 32Slide 33Slide 34Slide 35Slide 36Slide 37Slide 38Slide 39Slide 40Slide 41Slide 42Slide 43Slide 44Slide 45Slide 46Slide 47Slide 48Slide 49