of 89 /89
Pdgina Web 1 de 1 Delegagâo Reg. de Lisboa e Vale do Tejo (IGE) De: esb3.pedronunes [esb3.pedronunes©escolas.min-edu.pt ] Enviado: sexta-feira, 27 de Margo de 2009 18:58 Para: Delegagão Reg. de Lisboa e Vale do Tejo (IGE) Assunto: ContraditOrio do RelatOrio da Avaliagäo Externa da Escola Secundària C/ 3° Ciclo de Pedro Nunes Exmo. Senhor Delegado Regional Dr. Pedro Teixeira Pinto Remetemos em anexo o ContraditOrio do RelatOrio da Avaliagäo Externa, bem como documentos de evidëncias. Com os melhores cumprimentos. Escola Secundària C/ 3° Ciclo de Pedro Nunes A Presidente do Conselho Executivo Ana Maria Vilarinho P2 30-03-2009

Delegagâo Reg. de Lisboa e Vale do Tejo (IGE) · 2009. 4. 22. · Pdgina Web 1 de 1 Delegagâo Reg. de Lisboa e Vale do Tejo (IGE) De: esb3.pedronunes [esb3.pedronunes©escolas.min-edu.pt]

  • Author
    others

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Delegagâo Reg. de Lisboa e Vale do Tejo (IGE) · 2009. 4. 22. · Pdgina Web 1 de 1 Delegagâo...

  • Pdgina Web 1 de 1

    Delegagâo Reg. de Lisboa e Vale do Tejo (IGE)

    De: esb3.pedronunes [esb3.pedronunes©escolas.min-edu.pt ]

    Enviado: sexta-feira, 27 de Margo de 2009 18:58

    Para: Delegagão Reg. de Lisboa e Vale do Tejo (IGE)

    Assunto: ContraditOrio do RelatOrio da Avaliagäo Externa da Escola Secundària C/ 3° Ciclo de PedroNunes

    Exmo. SenhorDelegado RegionalDr. Pedro Teixeira Pinto

    Remetemos em anexo o ContraditOrio do RelatOrio da Avaliagäo Externa, bem como documentos deevidëncias.

    Com os melhores cumprimentos.

    Escola Secundària C/ 3° Ciclo de Pedro NunesA Presidente do Conselho ExecutivoAna Maria Vilarinho

    P2

    30-03-2009

  • AVALIACAO EXTERNA

    CONTRADITORIO

    ESCOLA SECUNDARIA C/3° CICLO DO E.B.DE PEDRO NUNES

    Na sequencia do RelatOrio de Avaliacdo Externa, cumpre-nos o direito a Contradit6rio para

    repor alguns dados, que nos merecem especial atencdo, por nao estarem conformes

    documentacao enviada, assim como esclarecer aspectos equivocos descritos no referido

    RelatOrio, que nos causam alguma estranheza ao conterem afirmacOes incongruentes e

    descontextualizadas em alguns dominios, nos quais as evidéncias contraditam o afirmado.

    Assim, serdo anexos ao presente documento os ficheiros com as evidencias, parte delas ja

    enviadas na documentacao inicial, que nos parecem contraditar o RelatOrio da Avaliacdo

    Externa da Escola Secundaria C/3° Ciclo do E.B. de Pedro Nunes.

    PONTO H — CARACTERIZAC:4-0 DA ESCOLA

    Na pagina 3 do RelatOrio é afirmado o seguinte: Actualmente, o nUmero de alunos e de 1090,

    sendo 116 do 3° ciclo do Ensino Basic° (15 turmas) e 723 do Ensino Secundario (28 turmas)

    funcionando os cursos cientifico-humanisticos.

    O nUmero total de alunos é de 1097, correspondente ao somatOrio de 369 no Ensino Basic() e

    728 no Ensino Secundario, conforme documento, enviado em Novembro de 2008 para a IGE.

    PONTO 111— CONCLUSOES DA AVALIACÄO POR DOMINIO

    1.RESULTADOS

    Na pagina 3, declara-se o seguinte: no Ultimo trienio (..), as classificacOes medias nos exames

    nacionais do 12° ano, na disciplina de Portugues, para alem das classificacOes terem vindo a

    descer, s6 foram superiores a media nacional no ano lectivo de 2005/2006.

    A afirmacao, ao conter modalizadores de apreciacão negativa, para alem de e so, seguidos de

    Todavia, na disciplina de Matemótica, (...) estabelece uma analogia pela diferenca, que

    confinam os resultados da disciplina de Portugues aos de Maternatica. Trata-se de disciplinas

    diferentes, corn nUmero de alunos internos, mesmo em exame nacional, igualmente diferentes.

    Deste modo, propomos a seguinte construcdo: Os resultados de Portugues, no Ultimo trienio,

    foram iguais aos da media nacional e no ano 2005/2006 foram superiores.

    1

  • Confiamos ser esta a redaccdo correcta, numa perspectiva de melhoria, conforme o estabelecido

    na Lei n°31/2002, de 20 de Dezembro, e no ponto III — INTRODUCIO, pagina 2, do RelatOrio da

    IGE: Espera-se que o processo de avaliaccto externa fomente a auto-avaliacclo e resulte numa

    oportunidade de melhoria para a escola.

    Ainda no Ponto 1, pagina 3, RESULTADOS, escreve-se o seguinte: No ano lectivo de transacto,

    as taxas de retencilo e desistencia, quer no Ensino Basic° quer no Ensino Secundario, foram

    elevadas, tendo em conta o contexto socioeconOmico das familias, o qual aparece explicitado na

    pagina 10, existe um segmento significativo do corpo discente oriundo de familias com elevado

    estatuto social. No inicio do RelatOrio, CARACTERIZACÃO DA ESCOLA, pagina 2, é indicado que

    tem comecado a frequentar a Escola alunos oriundos de grupos sociais corn menos poder

    econOmico e menos escolarizacdo.

    Conforme os documentos em anexo, que apresentam o tratamento dos resultados, a taxa de

    retencdo e de desistencia de 8,7%, no Ensino Basic°, é insignificante; e a de 27,3%, no Ensino

    Secundario, nalo pode ser considerada elevada, pois inclui as transferencias e anulacOes, cuja

    natureza e causas se encontram em estudo, como referido nos documentos enviados para a IGE.

    Interrogamo-nos, ainda, sobre as relacOes de causa-efeito entre o nivel socioeconOmico e a

    retencão e desistencia. Mais esclarecemos que a intervencdo da Comissdo de Menores é exigua

    face ao niimero total de alunos no Basic°, 369, pois apenas foram sinalizadas duas situacOes.

    2.PRESTAC:4-0 DO SERVICO EDUCATIVO

    2.3.DIFERENCIA4ÁO E APOIOS

    No que respeita a [email protected] 37, Recursos Educativos, ponto 2.3., p.7 do referido RelatOrio,

    DIFERENCIACÃO E APOIOS: As medidas de apoio implementadas, para os alunos corn

    dificuldades de aprendizagem estilo enquadradas (...) na sala de apoios, designada pela

    [email protected] 37, onde se encontram, ao longo do dia, docentes para esclarecer dUvidas. Esta sala e

    bastante procurada pelos alunos (...)

    E evidente que existe ligeireza nesta apreciacdo, pois o trabalho desenvolvido merece particular

    atencao por se tratar de uma sala de recursos com diferentes valéncias, e, se bastante procurada

    pelos alunos, nem sequer pode ser considerada como uma simples sala de apoios. Sugerimos a

    consulta dos RelatOrios de 2005-2006, 2006-07 e 2008-09 anexos, com destaque para os

    hordrios de funcionamento, onde sdo visiveis o grande leque de actividades desenvolvidas,

    nomeadamente o apoio a Area de Projecto tanto no Ensino Basico como no 12° Ano, a adesdo

    2

  • dos alunos as mesmas e o seu impacto na comunidade escolar, comprovadas pelas respostas dos

    Inqueritos aos alunos, incluidas nestes RelatOrios.

    A evolucdo da frequencia semanal de 360 alunos, com uma media diaria de 74 alunos, em

    2006-07, para a realidade verificada no ano lectivo de 2007-08, corn 725 presencas semanais e

    uma media de 105 diarias, é um factor, entre outros, relevante para a importancia deste espaco e

    que consta nos ficheiros dos relatOrios.

    Verificamos tambem não haver qualquer referencia as actividades desenvolvidas no dmbito do

    Projecto de Geometria Descritiva, excluindo-o mesmo quando, a paginas oito, se afirma:

    existem os pianos de recuperacao e de acompanhamento que estabelecem, entre outras,

    estrategias de diferenciacao pedagOgica em sala de aula, tutorias e aulas de apoio, no caso das

    disciplinas de Matematica e Fisico-Quimicas leccionadas pelos respectivos professores, o que

    new acontece nas outras disciplinas.

    Ora, o Projecto de Geometria Descritiva, desde a sua implementacdo no ano lectivo de

    2006-2007, visa, entre outros objectivos, "esclarecer dirvidas e apoiar individualmente ou em

    pequenos grupos os alunos corn necessidade de reforco ou apoio educativo, os alunos ndo

    inscritos na disciplina de Geometria Descritiva A que pretendam realizar o exame nacional corn

    o cOdigo 708", bem como "os alunos corn aproveitamento regular que pretendam optimizar

    resultados escolares". E, pois, sublinhavel o trabalho de acompanhamento dos alunos

    desenvolvido pelos professores de Geometria Descritiva e, particularmente, dos que integram o

    Projecto de Geometria Descritiva, cujos resultados nao deverdo ser desprezados.

    Acrescentamos que, para alem do apoio prestado a alunos corn necessidades educativas

    devidamente sinalizadas em reuniCies de Conselho de Turma, em diferentes disciplinas, as

    Oficinas de Escrita e de Leitura constituem apoios de catheter estrutural de inegAvel importáncia

    para a proficiencia das competencias linguisticas em Lingua Materna e ndo Materna.

    5. CAPACIDADE DE AUTO-REGULACÃO E MELHORIA DA ESCOLA

    5.1.AUTO-AVALIAC:4-0

    A afirmacdo os resultados da implementactio do processo de auto-avaliacao nao foram

    devidamente divulgados, pAgina 5 do RelatOrio, parece-nos demasiado contundente face a um

    contexto escolar, onde é evidente a importancia concedida as aprendizagens academicas,

    conforme apontado na pagina 4. Assim, esclarecemos que, se a preocupacdo pelos resultados

    constitui urn aspecto de extrema importáncia para a comunidade educativa, logo os instrumentos

    3

  • de medida de sucesso e insucesso säo exaustivamente trabalhados na escola. Consequentemente

    ha divulgacdo. Simplesmente a formalizacdo conceptual de auto-regulacdo, atraves do modelo

    CAF, rido se tornou ainda pertenca da cultura de escola. Deste modo, esclarecemos que a

    implementacdo foi objecto de informacdo no Conselho PedagOgico e em Reunido Geral.

    Quando se refere que os niveis de integracdo e participacdo, ainda, ntio indicam viabilidade

    para uma melhoria das areas de vulnerabilidade, consideramos haver alguma inadequacdo,

    pois a accao de melhoria ObservatOrios de Qualidade Escolar (de acordo com documento

    enviado a IGE), cujos resultados foram divulgados a toda a comunidade, via reunido geral e via

    electrOnica, contou com uma participacdo bastante elevada da Comunidade, sobretudo a nivel de

    alunos e encarregados de educacdo. Outras melhorias tem vindo a ocorrer, tais como seguranca,

    instrumentos de avaliacdo, monitorizacdo do Plano Anual de Actividades e uma maior

    agilizacdo da comunicacdo face a criacdo de correio electrOnico e a publicitacdo de actividades

    na pagina oficial da Escola. Todavia, concordamos na- o haver, ainda, uma apropriacao

    terminolOgica adequada de Auto-Regulacdo e Melhoria, mas tal não veicula deficiente

    divulgacao das conclusejes do processo de auto-avaliacelo, pagina 12, ou inviabilidade de

    accOes de melhoria, pagina 5.

    CONSIDERAOES FINAIS

    Encaramos a nossa posicao critica de uma forma construtiva. Todos os pontos contraditados sdo

    para nos consideradas accOes de melhoria a desenvolver na escola, suportados por metodologias

    fundamentadas, promotoras de dinamizacdo de actividades de cardeter educativo e formativo,

    com vista ao prosseguimento de estudos, imagem de cultura da Escola Secundaria C/3° Ciclo

    E.B. de Pedro Nunes.

    Queremos agradecer a oportunidade de reflexao conjunta que esta vivencia de avaliacâo nos

    proporcionou, permitindo prosseguir de forma mais eficiente e eficaz, corn accOes concertadas

    de auto-regulacâo.

    4

  • Relatório do Observatório de Qualidade Escolar

    Equipa de Auto-avaliação:

    Aldina Lucas, Ana Maria Espinheira, Ana Maria Vilarinho, Conceição Seixeira, Elizabete Magalhães,

    Fernando Rua, Isabel Alves, José Ornelas, Maria Cândida Moreira, Maria Rosário Silva, Pedro Pimentel,

    Sérgio Miranda

    Consultoria externa:

    Melissa Marmelo Lisboa, 15 de Outubro de 2008

    RESULTADOS DOS QUESTIONÁRIOS

  • Introdução

    Objectivos doOQE

    EstruturadoOQE

  • Objectivos do OQE

    Medir o grau de satisfação da comunidade educativa,permitindo à Escola tomar decisões fundamentadas eorganizar modelos próprios de actuação.

    Avaliar, tanto quanto possível, a qualidade do processo doensino e da aprendizagem (a nível da sala de aula).

    Identificar áreas que, futuramente, necessitam de sermelhoradas.

    Avaliar a evolução do grau de satisfação dos alunos,encarregados de educação e professores, aplicandoperiodicamente o OQE.

  • Estrutura do OQE

    Pessoal Docente

    Foram realizados três questionários com a seguinte estrutura:

    � Organização e Gestão� Ensino e aprendizagem� Cultura de Escola� Aspectos positivos/negativos da Escola

    � Informação

    Alunos

    Encarregados de Educação

    � Conjunto de 10 perguntas para aferir ograu de satisfação/insatisfação doencarregado de educação

    � Informação� Organização e Gestão� Ensino e aprendizagem� Cultura de Escola� Aspectos positivos/negativos da Escola

    Nota: A estrutura do OQE do Pessoal Docente é semelhante à dos Alunos para permitir a comparabilidade.

  • Assembleia de Escola

    ConselhoPedagógico

    Outras (Clubes, CRE, Desporto

    Escolar)

    PARTICIPAÇÃONA

    VIDA DA

    Director de Turma/Conselho Directores de

    Turma

    Delegado de Turma/Conselho de Delegados de Turma

    Associação de

    Estudantes

    VIDA DA ESCOLA

  • Taxa de participaçãoOs questionários foram dirigidos a docentes, alunos e encarregados de educaçãoda Escola Secundária de Pedro Nunes (ESPN):

    Dos 30 questionários esperados do Pessoal Docente foram recebidos24, representando uma taxa de adesão de 80%;

    Dos 298 questionários esperados dos Alunos foram recebidos 293,Dos 298 questionários esperados dos Alunos foram recebidos 293,representando uma taxa de adesão de 98,3%;

    Dos 140 questionários esperados dos Encarregados de Educaçãoforam recebidos 13, representando uma taxa de adesão de 9,3%.

    Foram recebidos 468 questionários, ou seja cerca de 70,5% do total esperado, oque assegura uma boa representatividade dos resultados obtidos com o OQE eapresentados neste relatório.

  • Taxa de participaçãoO gráfico seguinte contém o número de alunos por ano que responderam aoquestionário:

    Gráfico 1 – Número de alunos por ano

    9,6%

    20,5% 7º ano11,6%

    11,6%

    25,9%

    20,8%

    20,5% 7º ano8º ano9º ano10º ano11º ano12º ano

  • Os resultados relativamente à participação dos alunos nas estruturas/iniciativas da Escolapodem ser observados na tabela seguinte:

    Tabela 1 – Participação na vida da Escola

    7º ano 8º ano 9º ano 10º ano 11º ano 12º anoSim Não Sim Não Sim Não Sim Não Sim Não Sim Não

    Delegado de Turma/Conselho de Delegados de

    Turma

    32,1% 67,9% 17,6% 82,4% 26,5% 73,5% 13,5% 86,5% 12,1% 87,9% 12,3% 87,7%

    Taxa de participação Informação de Alunos

    TurmaConselho

    Pedagógico25,9% 74,1% 2,9% 97,1% 12,1% 87,9% 4,2% 95,8% 5,2% 94,8% 3,6% 96,4%

    Assembleia de Escola

    18,5% 81,5% 5,9% 94,1% 8,8% 91,2% 5,6% 94,4% 5,2% 94,8% 0,0%100,0

    %

    Associação de Estudantes

    28,6% 71,4% 5,9% 94,1% 20,6% 79,4% 6,8% 93,2% 8,6% 91,4% 14,0% 86,0%

    Outras (Clubes, CRE, Desporto

    Escolar) 46,2% 53,8% 14,7% 85,3% 22,6% 77,4% 9,7% 90,3% 6,9% 93,1% 8,9% 91,1%

  • Organização e gestão

    As tabelas seguintes apresentamas taxas de resposta dos alunosas taxas de resposta dos alunosrelativamente à organização efuncionamento da Escola:

  • TOTAL

    Nunca

    ou

    Quase

    Nunca

    Algumas

    Vezes

    Muitas

    Vezes

    Sempre

    ou

    Quase

    Sempre

    O Conselho Executivo mostra disponibilidade para ou vir os alunos quando estes o solicitam 24,3% 46,2% 20,8% 8,7%

    A Escola apoia o desenvolvimento de projectos propo stos pelos alunos 15,5% 54,0% 26,5% 4,1%

    A circulação de informação relativa a assuntos de i nteresse

    Organização e gestão

    Tabela 2 Organização e funcionamento da Escola – Alunos - TOTAL

    Alunos

    A circulação de informação relativa a assuntos de i nteresse dos alunos é eficaz 15,5% 46,9% 29,0% 8,6%

    A comunidade escolar preocupa-se com a manutenção d a disciplina 9,8% 40,2% 38,5% 11,5%

    O Conselho Executivo é imparcial na apreciação dos problemas que lhe são apresentados 18,5% 44,4% 27,3% 9,8%

    A gestão das instalações, espaços e equipamentos é adequada às necessidades dos alunos 34,0% 44,3% 17,9% 3,8%

    A Escola garante a segurança dos alunos no estabele cimento 28,0% 41,3% 21,8% 8,9%

    Os alunos são incentivados a participar na vida da Escola 21,5% 47,1% 25,6% 5,8%

    O Director de Turma apoia os alunos na resolução do s seus problemas 6,8% 14,3% 30,0% 48,8%

  • Nunca

    ou

    Quase

    Nunca

    Algumas

    Vezes

    Muitas

    Vezes

    Sempre

    ou

    Quase

    Sempre

    O Conselho Executivo gere eficazmente os recursos humanos 4,3% 30,4% 34,8% 30,4%

    O Conselho Pedagógico apoia o desenvolvimento profissional dos docentes 20,8% 41,7% 16,7% 20,8%

    Organização e gestão

    Tabela 3 Organização e funcionamento da Escola – Pessoal Docente

    Pessoal Docente

    profissional dos docentes

    A eficácia das estratégias de ensino-aprendizagem é avaliada em Departamento 22,7% 36,4% 22,7% 18,2%

    O Conselho Executivo é imparcial na apreciação dos problemas que lhe são apresentados 4,2% 33,3% 20,8% 41,7%

    O Conselho Executivo envolve a comunidade educativa na vida da Escola 17,4% 34,8% 21,7% 26,1%

    A circulação de informação relativa a assuntos de interesse é eficaz 12,5% 45,8% 16,7% 25,0%

    (Cont.)

  • Nunca

    ou

    Quase

    Nunca

    Algumas

    Vezes

    Muitas

    Vezes

    Sempre

    ou

    Quase

    Sempre

    O Conselho Executivo desenvolve mecanismos de auscultação e negociação com a comunidade educativa em apoio à tomada de decisão

    26,1% 21,7% 26,1% 26,1%

    O Coordenador de Departamento mobiliza os

    Tabela 3 Organização e funcionamento da Escola – Pessoal Docente

    Organização e gestão Pessoal Docente (Continuação)

    O Coordenador de Departamento mobiliza os professores do departamento para o trabalho cooperativo

    12,5% 41,7% 12,5% 33,3%

    Os órgãos de gestão possuem visão estratégica 12,5% 2 5,0% 37,5% 25,0%

    Há abertura a processos de mudança e inovação 8,3% 58 ,3% 16,7% 16,7%

    Os pais são incentivados a participarem na vida da Escola 16,7% 33,3% 33,3% 16,7%

    A Escola desenvolve estratégias de aproximação à comunidade 16,7% 41,7% 29,2% 12,5%

    A gestão das instalações, espaços e equipamentos é adequada às necessidades da comunidade escolar 13,6% 45,5% 22,7% 18,2%

  • Ensino e aprendizagem

    De seguida apresentam-se as taxas de resposta do Pessoal Docente e dos Alunosrelativamente ao ensino e aprendizagem e os resultados são apresentados emconjunto para permitir a comparabilidade dos dados:

  • Nunca ou Quase

    NuncaAlgumas Vezes Muitas Vezes

    Sempre ou

    Quase

    Sempre

    PD Alunos PD Alunos PD Alunos PD Alunos

    Manuais adoptados pela Escola 0,0% 4,8% 4,2% 14,3% 33,3% 32,4% 62,5% 48,5%

    Utilização de materiais/equipamentos/recursos em salade aula

    Tabela 4 Utilização de materiais/equipamentos/recursos em sala de aula

    – Pessoal Docente e Alunos TOTAL

    Manuais adoptados pela Escola 0,0% 4,8% 4,2% 14,3% 33,3% 32,4% 62,5% 48,5%

    Outros manuais escolares 17,4% 44,3% 52,2% 39,8% 21,7% 12,5 % 8,7% 3,5%

    Suportes escritos 0,0% 9,4% 34,8% 33,7% 47,8% 41,7% 17,4% 15 ,3%

    Suportes audiovisuais (retroprojector, vídeo, televisão, videoprojector, rádio, etc.)

    17,4% 9,6% 30,4% 44,2% 26,1% 37,7% 26,1% 8,6%

    Computador da sala de aula 77,3% 64,0% 9,1% 30,5% 9,1% 4,8% 4, 5% 0,7%

    Computador portátil 45,8% 59,4% 29,2% 31,7% 16,7% 7,5% 8,3% 1,4%

    Internet 58,3% 54,9% 29,2% 30,4% 8,3% 11,6% 4,2% 3,1%

  • Nunca ou

    Quase Nunca

    Algumas

    VezesMuitas Vezes

    Sempre ou

    Quase

    Sempre

    PD Alunos PD Alunos PD Alunos PD Alunos

    Tipologia do trabalho em sala de aula

    Tabela 5 Tipologia do trabalho em sala de aula – Pessoal Docente e Alunos -TOTAL

    PD Alunos PD Alunos PD Alunos PD Alunos

    Trabalho de Grupo 8,3% 9,2% 66,7% 52,2% 16,7% 32,4% 8,3% 6,1%

    Trabalho Individual 0,0% 3,4% 12,5% 21,8% 50,0% 45,1% 37,5% 29,7%

    Trabalho de Pares 12,5% 9,9% 12,5% 50,5% 66,7% 35,5% 8,3% 4,1%

    Outra(s) 36,8% 53,6% 42,1% 37,3% 15,8% 6,7% 5,3% 2,4%

  • Trabalho em sala de aulaNunca ou

    Quase Nunca

    Algumas

    Vezes

    Muitas

    Vezes

    Sempre ou

    Quase Sempre

    PD Alunos PD Alunos PD Alunos PD Alunos

    Os professores apresentam com clareza os objectivos das tarefas

    0,0% 1,7% 0,0% 29,1% 16,7% 49,3% 83,3% 19,9%

    Os professores explicitam os critérios de avaliação da disciplina

    0,0% 1,7% 8,3% 22,5% 41,7% 34,1% 50,0% 41,6%

    Os professores diversificam estratégias de trabalho

    0,0% 15,0% 20,8% 52,6% 50,0% 27,3% 29,2% 5,1%

    Tabela 6Trabalho em sala de aula– Pessoal Docente e Alunos TOTAL

    Os professores planificam rigorosamente a apresentação dos conteúdos

    0,0%Não

    Aplicá-vel

    8,3%Não

    Aplicá-vel

    25,0%Não

    Aplicá-vel

    66,7%Não

    Aplicá-vel

    Os professores apresentam os conteúdos de forma clara

    Não Aplicá-

    vel1,4%

    Não Aplicá-

    vel36,0%

    Não Aplicá-

    vel53,4%

    Não Aplicá-

    vel9,2%

    Os professores promovem debates sobre temas relacionados com os programas

    0,0% 45,4% 45,8% 44,0% 37,5% 8,2% 16,7% 2,4%

    Os professores promovem a discussão de trabalhos/relatórios realizadas pelos alunos

    0,0% 30,5% 41,7% 52,1% 37,5% 14,4% 20,8% 3,1%

    (Cont.)

  • Trabalho em sala de aula (Continuação)

    Nunca ou

    Quase NuncaAlgumas Vezes Muitas Vezes

    Sempre ou

    Quase Sempre

    PD Alunos PD Alunos PD Alunos PD Alunos

    Os professores dão indicações de como melhorar a aprendizagem

    0,0% 12,3% 0,0% 45,2% 60,9% 33,2% 39,1% 9,2%

    Os professores atribuem tempo suficiente para a realização dos

    Não Aplicá- 7,6%

    Não Aplicá- 38,1%

    Não Aplicá- 41,6%

    Não Aplicá- 12,7%

    Tabela 6Trabalho em sala de aula– Pessoal Docente e Alunos TOTAL

    trabalhos vel vel vel velOs professores prevêem cuidadosamente o tempo para a realização dos trabalhos

    0,0%Não

    Aplicá-vel

    4,2%Não

    Aplicá-vel

    50,0%Não

    Aplicá-vel

    45,8%Não

    Aplicá-vel

    Os professores revelam igual disponibilidade para todos os alunos

    0,0% 11,3% 0,0% 34,2% 16,7% 28,1% 83,3% 26,4%

    Os professores promovem o trabalho colaborativo entre os alunos

    0,0% 5,8% 16,7% 44,5% 41,7% 43,5% 41,7% 6,2%

  • Relação Pedagógica

    Nunca ou Quase

    NuncaAlgumas Vezes Muitas Vezes

    Sempre ou

    Quase Sempre

    PD Alunos PD Alunos PD Alunos PD Alunos

    Os professores ouvem as sugestões dos alunos

    0,0%Não

    Aplicá-vel

    8,3%Não

    Aplicá-vel

    37,5%Não

    Aplicá-vel

    54,2%Não

    Aplicá-vel

    Os professores comentam com os alunos os seus progressos e dificuldades

    0,0% 13,0% 8,3% 42,5% 45,8% 33,9% 45,8% 10,6%

    Os professores esclarecem dúvidas

    Tabela 7 – Relação pedagógica –Pessoal Docente e Alunos TOTAL

    Os professores esclarecem dúvidas sobre os conteúdos abordados na aula

    0,0% 2,4% 0,0% 18,8% 20,8% 52,1% 79,2% 26,7%

    Os professores têm em consideração as críticas pertinentes dos alunos

    0,0% 12,7% 0,0% 48,1% 45,8% 30,6% 54,2% 8,6%

    Os professores estimulam a participação dos alunos

    0,0% 3,1% 0,0% 45,5% 29,2% 40,8% 70,8% 10,6%

    Os professores elogiam o trabalho realizado pelos alunos

    0,0% 12,7% 4,2% 51,2% 20,8% 26,8% 75,0% 9,3%

    Os professores promovem a entreajuda nos alunos

    0,0% 17,9% 12,5% 51,7% 41,7% 23,4% 45,8% 6,9%

    Os professores mostram disponibilidade para ouvir os problemas dos alunos

    0,0% 12,8% 0,0% 41,7% 18,2% 30,3% 81,8% 15,2%

  • CULTURADE

    ESCOLAESCOLA

    As tabelas seguintes apresentam as taxas de resposta dos alunos relativamente à cultura de Escola:

  • Cultura de Escola AlunosTOTAL

    Discordo

    Total-

    mente

    Discordo Concordo

    Concordo

    Total-

    mente

    O Projecto Educativo responde às necessidades deformação dos alunos 7,8% 33,7% 55,3% 3,2%

    Os alunos são encorajados a trabalhar com empenho 4,2% 32,9% 58,5% 4,5%Os alunos são reconhecidos quando desenvolvem bomtrabalho 2,4% 22,8% 63,3% 11,4%

    Os alunos estão à vontade para expressarem as suasdúvidas na sala de aula 3,8% 24,2% 53,3% 18,7%

    Tabela 8Cultura de Escola – Alunos - TOTAL

    dúvidas na sala de aula 3,8% 24,2% 53,3% 18,7%

    A oferta educativa (cursos gerais, tecnológicos eprofissionais) é diversificada 7,6% 37,9% 44,8% 9,7%

    Os pais são estimulados a participar nas actividades daEscola 21,6% 39,0% 35,9% 3,5%

    A Escola proporciona um ambiente de segurança 24,6% 34,3% 36 ,7% 4,5%

    A Escola é um lugar onde é agradável estar 14,2% 29,4% 50,2% 6, 2%Os alunos participam na organização, embelezamento epreservação do espaço escolar 32,6% 48,8% 16,2% 2,4%

    Os professores são exigentes no desenvolvimento dotrabalho 2,7% 13,7% 65,6% 17,9%

    Os professores são justos na avaliação 4,8% 28,5% 60,8% 5,8%A Escola faz cumprir as normas inscritas no RegulamentoInterno 9,1% 23,5% 59,3% 8,1%

  • Cultura de Escola Pessoal Docente

    Discordo

    Total-

    mente

    Discordo Concordo

    Concordo

    Total-

    mente

    O Projecto Educativo responde às necessidades dacomunidade escolar 4,3% 4,3% 82,6% 8,7%

    Os alunos são encorajados a trabalhar com empenho 0,0% 17,4% 60,9% 21,7%

    Os professores são reconhecidos quando desenvolvem bomtrabalho 8,3% 45,8% 33,3% 12,5%

    Tabela 9Cultura de Escola – Pessoal Docente

    trabalho 8,3% 45,8% 33,3% 12,5%

    Os alunos são reconhecidos quando desenvolvem bomtrabalho 4,3% 4,3% 82,6% 8,7%

    Existe uma cultura de organização aprendente 4,3% 17,4% 65, 2% 13,0%

    A oferta educativa (cursos gerais, tecnológicos eprofissionais) é diversificada 12,5% 20,8% 58,3% 8,3%

    Os pais são estimulados a participar nas actividades daEscola 4,2% 25,0% 54,2% 16,7%

    Os actores educativos envolvem-se na tomada de decisão 4,2% 29,2% 50,0% 16,7%

    A Escola proporciona um ambiente de segurança 0,0% 16,7% 62, 5% 20,8%

    (Cont.)

  • Cultura de Escola Pessoal Docente (continuação)

    Discordo

    Total-

    mente

    Discordo Concordo

    Concordo

    Total-

    mente

    A Escola proporciona um ambiente de segurança 0,0% 16,7% 62, 5% 20,8%

    A Escola é um lugar agradável 4,2% 33,3% 45,8% 16,7%

    Tabela 9Cultura de Escola – Pessoal Docente

    A Escola é um lugar agradável 4,2% 33,3% 45,8% 16,7%

    Os professores são informados, em tempo oportuno, dosassuntos de seu interesse 0,0% 50,0% 33,3% 16,7%

    Os professores são exigentes no desenvolvimento dotrabalho com os alunos 0,0% 12,5% 54,2% 33,3%

    Os professores são justos na avaliação 0,0% 4,3% 65,2% 30,4%

    As expectativas acerca dos alunos são elevadas 0,0% 20,8% 58 ,3% 20,8%

    As normas do Regulamento Interno da Escola sãoaplicadas 0,0% 26,1% 60,9% 13,0%

  • ? ?

    Aspectos positivos/negativos da Escola

    As tabelas seguintes apresentam as taxas de resposta dosalunos relativamente aos aspectos positivos/negativos daEscola:

  • Aspectos positivos/negativos da Escola

    Alunos

    Total

    Não Constitui

    Problema

    Problema

    Mínimo

    Problema

    Moderado

    Problema

    Grave

    A motivação dos professores 23,4% 41,9% 26,5% 8,2%

    A assiduidade dos professores 45,2% 37,7% 11,0% 6,2%

    A assiduidade dos funcionários 57,4% 29,9% 9,6% 3,1%

    Tabela 10Aspectos positivos/negativos da Escola – Alunos TOTAL

    A preparação dos funcionários para o exercício das funções que desempenham

    47,4% 32,9% 16,6% 3,1%

    Conflitos entre funcionários e alunos 34,4% 29,2% 23,4% 13,1%

    A motivação dos alunos 9,0% 21,4% 39,0% 30,7%

    A assiduidade dos alunos 7,9% 24,0% 43,5% 24,7%

    A indisciplina na sala de aula 10,0% 19,7% 33,6% 36,7%

    A violência na Escola 23,6% 28,8% 17,8% 29,8%

    (Cont.)

  • Aspectos positivos/negativos da Escola

    Alunos (continuação)

    Total

    Não

    Constitui

    Problema

    Problema

    Mínimo

    Problema

    Moderado

    Problema

    Grave

    A oferta de actividades de complemento curricular 32 ,0% 40,2% 18,2% 9,6%

    A informação acerca do prosseguimento de estudos 26,9% 34,8% 26,2% 12,1%

    O funcionamento dos serviços de apoio educativo aos alunos

    27,2% 38,6% 25,9% 8,3%

    Tabela 10Aspectos positivos/negativos da Escola – Alunos TOTAL

    aos alunos

    A motivação dos funcionários 31,4% 40,0% 21,0% 7,6%

    O empenho dos alunos no trabalho escolar 11,0% 25,9% 4 4,5% 18,6%

    A qualidade do trabalho dos professores 25,2% 35,2% 25 ,9% 13,8%

    A oferta de apoio pedagógico fora da sala de aula 26 ,8% 30,7% 30,3% 12,2%

    Os horários de funcionamento dos diferentes serviços (Secretaria, Centro de Recursos, Papelaria , etc.)

    17,8% 24,3% 29,8% 28,1%

    Os horários das turmas 27,8% 29,2% 19,6% 23,4%

    A acessibilidade a equipamentos informáticos 28,1% 36 ,3% 25,0% 10,6%

    (Cont.)

  • Aspectos positivos/negativos da Escola

    Alunos (continuação)

    Total

    Não Constitui

    Problema

    Problema

    Mínimo

    Problema

    Moderado

    Problema

    Grave

    O apetrechamento de materiais na biblioteca/centro de recursos

    35,8% 41,7% 14,6% 8,0%

    A qualidade das instalações e equipamentos 8,2% 27,1% 36,0% 28,8%

    Tabela 10Aspectos positivos/negativos da Escola – Alunos TOTAL

    A qualidade das instalações e equipamentos 8,2% 27,1% 36,0% 28,8%

    A disponibilidade do Conselho Executivo para tratar problemas apresentados pelos alunos

    13,1% 24,9% 32,9% 29,1%

    A disponibilidade do Director de Turma para resolver problemas apresentados pelos alunos

    53,7% 24,4% 15,3% 6,6%

    A pontualidade dos alunos 12,5% 31,5% 39,4% 16,6%

    A pontualidade dos professores 30,2% 42,4% 20,1% 7,3%

  • Aspectos positivos/negativos da Escola

    Pessoal Docente

    Não

    Constitui

    Problema

    Problema

    Mínimo

    Problema

    Moderado

    Problema

    Grave

    A motivação dos professores 16,7% 16,7% 45,8% 20,8%

    A assiduidade dos professores 45,8% 33,3% 16,7% 4,2%

    O investimento dos professores em actividades de desenvolvimento profissional 29,2% 45,8% 25,0% 0,0%

    Tabela 10Aspectos positivos/negativos da Escola – Pessoal Docente

    desenvolvimento profissional

    A preparação científica e/ou pedagógica dos professores 58,3% 29,2% 12,5% 0,0%

    A regularidade da análise e reflexão sobre os processos e resultados educativos 29,2% 33,3% 25,0% 12,5%

    A cooperação entre os professores 25,0% 33,3% 25,0% 16, 7%

    O número das ofertas de formação 12,5% 37,5% 33,3% 16,7 %

    A motivação dos alunos 8,3% 12,5% 58,3% 20,8%

    A assiduidade dos alunos 8,3% 25,0% 50,0% 16,7%

    (Cont.)

  • Aspectos positivos/negativos da Escola

    Pessoal Docente(continuação)

    Não

    Constitui

    Problema

    Problema

    Mínimo

    Problema

    Moderado

    Problem

    a Grave

    A indisciplina na sala de aula 8,3% 8,3% 62,5% 20,8%A preparação prévia dos alunos 4,2% 33,3% 29,2% 33,3%A preparação dos funcionários para o exercício das funções que desempenham 17,4% 43,5% 39,1% 0,0%

    A qualidade dos recursos disponíveis 12,5% 25,0% 58,3% 4,2%O envolvimento dos pais no percurso escolar dos seus 8,3% 20,8% 50,0% 20,8%

    Tabela 10Aspectos positivos/negativos da Escola – Pessoal Docente

    O envolvimento dos pais no percurso escolar dos seus educandos 8,3% 20,8% 50,0% 20,8%

    A liderança dos órgãos de gestão e administração da Escola 41,7% 20,8% 29,2% 8,3%

    A liderança dos órgãos de gestão intermédia da Escola 37,5% 25,0% 33,3% 4,2%

    A pontualidade dos alunos 8,3% 41,7% 29,2% 20,8%A pontualidade dos professores 54,2% 37,5% 8,3% 0,0%Os horários dos professores 33,3% 41,7% 16,7% 8,3%Os horários de funcionamento dos diversos serviços da Escola 20,8% 54,2% 25,0% 0,0%

    A acessibilidade a equipamentos informáticos 16,7% 20,8% 45,8% 16,7%O apetrechamento de materiais na biblioteca/centro de recursos 20,8% 41,7% 33,3% 4,2%

  • AGRADECEMOS A COLABORAÇÃO E

    O ENVOLVIMENTO NO PROJECTO!

    A EQUIPA DE

    AUTO-AVALIAÇÃO

  • Exma. Senhora Presidente do Conselho Executivo

    da Escola Secundária de Pedro Nunes

    Após a leitura do Relatório de Avaliação Externa da escola, não podemos deixar de manifestar

    a nossa estranheza pelo facto de não ser feita qualquer referência ao Projecto de Geometria

    Descritiva que, desde a sua implementação no ano lectivo de 2006-2007, visa, entre outros

    objectivos, “esclarecer dúvidas e apoiar individualmente ou em pequenos grupos os alunos

    com necessidade de reforço ou apoio educativo, os alunos não inscritos na disciplina de

    Geometria Descritiva que pretendam realizar o exame nacional com o código 708”, bem como

    “os alunos com aproveitamento regular que pretendam optimizar resultados escolares”.

    Sem questionar o facto registado no último parágrafo da página cinco, do ponto

    1.1 Sucesso Académico do referido relatório – “As áreas disciplinares de menor sucesso têm

    sido a História, a Geometria Descritiva e a Física e Química.” – verificamos não haver

    informação no ponto 2.3 Diferenciação e Apoios sobre as actividades desenvolvidas no âmbito

    do Projecto de Geometria Descritiva, excluindo-o mesmo quando, a páginas oito, se afirma:

    “(…) existem os planos de recuperação e de acompanhamento que estabelecem, entre outras,

    estratégias de diferenciação pedagógica em sala de aula, tutorias e aulas de apoio, no caso

    das disciplinas de Matemática e Físico-Químicas leccionadas pelos respectivos professores, o

    que não acontece nas outras disciplinas.”

    Nesta conformidade, consideramos sublinhável o trabalho de acompanhamento dos alunos

    desenvolvido pelos professores de Geometria Descritiva e, particularmente, dos que integram o

    Projecto de Geometria Descritiva – que até já produziram modelos didácticos tridimensionais e

    originais, para apoio da leccionação de alguns conteúdos programáticos – cujos resultados não

    deverão ser desprezados, embora não tenham atingido ainda os níveis de sucesso desejáveis.

    Mais julgamos pertinente anexar alguns documentos que atestam o desenvolvimento e

    avaliação das actividades do referido Projecto.

    A responsável pela dinamização e coordenação

    do Projecto de Geometria Descritiva

    _____________________________

    Ana Paula de Jesus

    Lisboa, 18 de Março de 2009

  • ESCOLA SECUNDÁRIA DE PEDRO NUNES

    RELATÓRIO DA [email protected] 37 – RECURSOS EDUCATIVOS

    2006 / 2007

    MARIA LEONOR DELGADO

    MARIA ISABEL BRANDÃO DE BRITO

  • AO CONSELHO EXECUTIVO DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE PEDRO NUNES

    Com conhecimento: À ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO

    NOTA PRÉVIA

    O conteúdo deste relatório deve ser entendido como um acto institucional,

    responsavelmente assumido pelas suas autoras perante toda a Comunidade

    Educativa e, simultaneamente, como uma oportunidade e uma abertura ao

    confronto de ideias.

    Serão, por isso, bem-vindos todos os reparos e sugestões que visem:

    Ajustar as interpretações feitas neste relatório com a realidade dos

    factos nele descritos;

    Corrigir e abrir novas orientações educativas nesta área escolar.

    Partilhando responsabilidades confiamos que o diálogo que se estimula e solicita

    seja frontal e devidamente assumido de modo a dar continuidade à reflexão.

    RELATÓRIO [email protected] 37 - RECURSOS EDUCATIVOS

    A [email protected] 37 - Recursos Educativos reiniciou as suas actividades no início de

    Outubro de 2006, continuando como espaço multifuncional, com valências

    próprias, destinada a acompanhar e apoiar os alunos nas várias actividades

    escolares e ocupar, com utilidade pedagógica os tempos livres dos alunos.

    Funcionou este ano como espaço privilegiado para apoio em Área de Projecto.

    Foram feitas reuniões com Conselho Executivo e professores responsáveis pelas

    Áreas de Projecto dos ensinos básico e secundário para planificação e

    organização dos horários de frequência das diferentes turmas nesta [email protected];

    Coordenada por duas professoras, contou com o apoio e colaboração continuada

    de cerca de 24 docentes das várias áreas disciplinares.

  • Teve um horário de funcionamento das 8.15h às 16.45h à 2ª e 4ª feira, 3ª feira

    das 8.15h às 17.45h e 5ª e 6ª feira das 8.15h às 18.30h.

    As suas actividades desenvolveram-se de acordo com o previsto no seu

    regulamento proposto em ano anterior ao Conselho Pedagógico e Assembleia de

    Escola.

    Foi criado um site na Internet com as informações consideradas mais relevantes.

    Actividades nela desenvolvidas

    Abrangeu a oferta de um conjunto de actividades planeadas, organizadas e

    acompanhadas pelos professores com:

    Apoio pontual e sempre que solicitado às actividades curriculares dos

    alunos;

    Apoio à actividade curricular não disciplinar – Área de Projecto, este ano

    alargada ao 12º ano e Formação Cívica;

    Apoio continuado a actividades curriculares – Português; Inglês; História

    para estrangeiros e História do 12º ano; Matemática; Francês e Alemão;

    Apoio na organização, reformulação e apresentação de trabalhos

    escolares;

    Reforço e visionamento de vídeo e DVD com alunos;

    Apoio e acompanhamento informático de discentes e docentes;

    Ajuda na elaboração dos trabalhos de casa;

    Uso e de exploração de tecnologias informáticas e de multimédia;

    Pesquisa bibliográfica e documental;

    Comunicação escrita e verbal;

    Apoio a trabalhos de grupo;

    Espaço para apresentação dos produtos de Área de Projecto;

    Actividades lúdicas - jogos de mesa com especial incidência do xadrez;

    Cursos de iniciação à informática para formação dos professores da

    [email protected];

  • Curso livre de Latim;

    Consultório da calculadora gráfica;

    “Oficina da Escrita”.

    Dados estatísticos relevantes

    Frequência média semanal - 360 alunos;

    Frequência média diária – 74 alunos,

    62% - Ensino básico;

    38% - Ensino secundário;

    Maio e Junho meses de maior frequência diária coincidindo com o concluir dos

    trabalhos da AP;

    Em todos os anos, as actividades da AP e a pesquisa ultrapassam largamente

    as actividades lúdicas;

    Grandes ausentes da [email protected] 37 - 10º e 11º anos.

    12º Ano só em actividades de trabalho.

    Justifica-se, como primeira nota, destacar a continuidade e o aumento da

    eficiência pedagógica deste sector de apoio escolar aos alunos.

    Para este inequívoco resultado educativo contribuiu:

    - A comprovada dedicação e profissionalismo dos professores;

    - A maior e progressiva identificação dos alunos com as finalidades e as ofertas

    da [email protected];

    - A mobilização que os professores responsáveis pelas Áreas de Projecto e

    Formação Cívica fizeram para o apoio técnico e informático aos seus alunos,

    com destaque para os 7º, 8º, 9º, e 12º anos.

    Porém, as restrições ao uso dos computadores para jogos e ao acesso aos

    programas de mensagens e de conversação, levaram a alguma diminuição de

    frequência semanal relativamente ao ano anterior, mas permitiu recentrar a

    [email protected] 37 nos seus objectivos educativos e aumentar os níveis de segurança e

    de aproveitamento escolar.

  • As limitações de espaço e a estagnação da operacionalidade dos suportes

    tecnológicas disponíveis na [email protected], situação desproporcionada com o nível de

    expectativas criadas para a área da educação, a manterem-se, poderão

    conduzir à asfixia progressiva das áreas de dinamização, de pesquisa e de

    exploração cultural, bem como às de entretenimento e às de carácter lúdico.

    Justifica-se um último apontamento para destacar a participação da Associação

    de Pais e Encarregados de Educação através da oferta à [email protected] de uma

    impressora a laser, de comprovada qualidade, que originou um valioso auxiliar

    técnico para todas as actividades com particular evidência nos trabalhos das

    Áreas de Projecto e Formação Cívica.

    Avaliação das actividades

    A avaliação do trabalho foi sendo feita de forma pontual e em 2 reuniões

    plenárias antecedidas de questionário preenchido por todos os professores e de

    questionário preenchido pelos alunos - duas turmas em cada ano de

    escolaridade.

    Concluiu-se que a [email protected] 37 se foi transformando ao longo do ano,

    aproximando-se dos objectivos para ela traçados, destacando-se:

    1. O bom ambiente de trabalho;

    2. A ocupação de forma útil de tempos dos alunos que encontravam na

    [email protected] o espaço que lhes faltava na escola;

    Pelas características das actividades realizadas na [email protected] 37 e por predominar nas

    suas finalidades educativas a integração escolar dos alunos, justifica-se cuidada

    reflexão sobre os padrões comportamentais a estabelecer para os alunos e sobre

    as respectivas consequências disciplinares.

    Na generalidade não se registaram problemas disciplinares graves, exceptuando

    um inexpressivo número de casos, cujas consequências educativas justificaram

    as preocupações transcritas no parágrafo anterior.

  • Dificuldades encontradas/Propostas de reformulação do trabalho

    Insuficiência de espaço operativo, limitando e condicionando a

    extensão e a diversidade das actividades ocupacionais, impedindo,

    muitas vezes, o acesso a alunos por a [email protected] se encontrar totalmente

    lotada;

    Incapacidade de individualizar as diversas áreas de intervenção

    pedagógica próprias da [email protected] 37 (estudo, visionamento de filmes,

    debates etc.)

    Necessidade urgente de se encontrar para os alunos, dentro da

    escola, um espaço recreativo próprio, de expressão lúdica, ou

    evasiva;

    Dificuldade de um número significativo de alunos de

    consciencializarem os novos compromissos que um espaço

    educativo diferente exige, ao confrontarem-se com uma relação com

    o professor mais individualizada,

    Dificuldades no preenchimento do horário dos intervalos e de 6ª

    feira para a [email protected] 37 se manter aberta,

    Necessidade de uma funcionária de apoio à [email protected] em horário a

    combinar com o Conselho Executivo;

    Necessidade de reestruturação, revisão e mesmo substituição de

    equipamentos - estado obsoleto em que se encontra o material

    informático que equipa a [email protected] 37, com excepção da nova

    impressora oferecida pela A.P.E.E. Os computadores não

    acompanham o desenvolvimento dos trabalhos, há perturbações no

    acesso à Internet (servidor); é urgente a verificação de software;

    Necessidade de criação de novas actividades para o próximo ano

    lectivo que deverão constar atempadamente do Plano anual de

    Escola.

  • Necessidade de reconverter em horas de actividades na [email protected] 37 as

    horas de substituição atribuídas aos professores que nela

    colaboram.

    Perspectivas estruturais

    1. Para que a [email protected] 37 não se “funcionalize”, numa existência

    rotineira e formal, urge perspectivar, sob o ponto de vista

    estrutural novos conceitos e novas ambições.

    2. O espaço, pela sua dimensão e características, tem de garantir

    maior diversidade e individualização das ofertas pedagógicas.

    3. Os meios materiais, particularmente no plano informático, têm

    de sofrer uma valorização conducente com a importância

    reconhecida ao sector da educação e com as oportunidades

    educativas que este espaço escolar pode oferecer aos alunos.

    4. A multiplicidade e a extensão das exigências pedagógicas

    colocadas aos professores, neste local de trabalho escolar,

    obriga a uma formação específica, com um investimento

    intenso e especializado na área de informática.

    5. Em consequência a distribuição dos professores para este local

    de trabalho deverá obedecer a um perfil próprio e garantir uma

    continuidade proporcional ao tempo de investigação a propor.

    6. Sob o ponto de vista institucional deveriam ser garantidas aos

    professores que participam neste trabalho, condições de

    valorização profissional em conformidade com as suas

    responsabilidades.

    7. Como fundamento das perspectivas anunciadas devem ser

    tomados em consideração os seguintes pressupostos:

    A internet constitui um instrumento formativo de

    grande alcance que obriga a exigente cuidado na sua

    utilização e controlo;

    O suporte informático a prestar pelos professores,

    obriga pela rápida evolução deste sector a uma grande

    especialização e a uma contínua actualização;

  • A tendência para o predomínio da exploração temática

    e para a organização do seu registo e comunicação

    releva para um plano de evidência a intervenção

    mediadora dos professores neste campo;

    O desenvolvimento e o aprofundamento dos objectivos

    pedagógicos nas Áreas de Projecto e os suportes

    logísticos que exigem e impõem, alargam o campo de

    formação e de intervenção dos professores em

    exercício na [email protected] 37;

    A exploração cultural, o acompanhamento do estudo

    dos alunos, eventualmente daqueles que, apresentam

    atrasos e dificuldades específicas, são, entre muitas,

    áreas de actuação técnica dos professores que

    determinam pesquisa, experimentação e formação

    cuidada.

    Prestação de contas

    Total de verbas pagas pelos alunos 570,89 €

    Verbas gastas em aquisição de material 123,89 € *

    01.02.06 Jogo de xadrez de mesa 31,04 €

    17.01.07 2 Folhas de cartolina 1,20 €

    21.01.07 Pen e acetatos 32,80 €

    01.02.07 Extensão USB 9,90 €

    04.02.07 2 Extensões USB 17,98 €

    03.02.07 Rato óptico 9,99 €

    04.02.07 2 Ratos ópticos 20,98 €

    * De todas as aquisições foram entregues facturas ao Conselho Executivo

    Verbas devolvidas ao Conselho Executivo 447,00 €

    Abril de 2007 200,00 € Junho de 2007 140,00 €

    Julho de 2007 107,00 €

  • Estimativa do número de impressões realizadas pelos alunos - 10.000

    As verbas pedidas aos alunos são, evidentemente, muito inferiores aos

    gastos de cada operação e pretendem, sobretudo, evidenciar que os

    desperdícios e os abusos de impressões injustificadas, pelo seu custo, têm

    de ser responsavelmente ponderadas.

    E.S.P.N, 4 de Julho de 2007

    As Coordenadoras da [email protected]

    Maria Leonor Delgado Maria Isabel Brandão de

    Brito

  • TRATAMENTO GRÁFICO DAS PRESENÇAS NA [email protected] 37

    PRESENÇAS MENSAIS POR ANO DE ESCOLARIDADE

    TOTAL MENSAL DE PRESENÇAS

    TOTAL MENSAL - ENSINO BÁSICO / ENSINO

    SECUNDÁRIO

    EVOLUÇÃO DA MÉDIA DAS PRESENÇAS DIÁRIAS

    ACTIVIDADES REALIZADAS PELOS ALUNOS

    Atenda-se a que os dados estatísticos relativos à

    frequência dos alunos na Sala pecam por defeito e não

    por excesso, pois, muitas vezes comprovámos, por

    envolvimento dos alunos e dos professores a

    desatenção nos registos das presenças.

    De igual modo a anotação das preferências dos alunos

    durante a sua permanência na Sala tem um

    significativo grau de incerteza quanto à exactidão das

    actividades que realizaram.

    Consequentemente, são registos a melhorar no

    próximo ano para que a representatividade das

    actividades escolares ocorridas na Sala se aproxime

    cada vez mais da realidade escolar que nela decorreu.

  • GRÁFICOS DE FREQUÊNCIA

    Presenças mensais por ano de escolaridade

    116 170 193 54 46

    301

    880

    Outubro 20 dias

    258 297 23634 106

    261

    1192

    Novembro 19 dias

    84 108 10223 59

    127

    503

    Dezembro 8 dias

  • 237 295 283

    9 62325

    1211

    Janeiro 20 dias

    382298 257

    63 71

    280

    1351Fevereiro 16 dias

    355204 193

    63 52322

    1189

    Março 16 dias

  • Por baixo de cada mês está indicado o número de dias de funcionamento da

    [email protected] 37

    359141 214 35 52

    312

    1113

    Abril 13 dias

    388 297 21768 60

    565

    1595

    Maio 18 dias

    110 114 126 52 45

    243

    690

    Junho 6 dias

  • GRÁFICOS DE FREQUÊNCIA

    Total mensal de presenças

    Total anual de presenças na [email protected] 37

    9 724

    Média diária de presenças

    74

    880

    1192

    503

    1211

    1351

    1189

    1113

    1595

    690

  • TOTAL MENSAL DE PRESENÇAS

    ENSINO BÁSICO / ENSINO SECUNDÁRIO

    EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE PRESENÇAS DIÁRIAS

    0

    100

    200

    300

    400

    500

    600

    700

    800

    900

    1000

    Out. Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun

    EB 479 791 294 815 937 752 714 902 350

    ES 401 401 209 396 414 437 399 693 340

    Out. Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun

    Presenças/ dia 44 63 63 61 84 74 86 89 115

  • TRATAMENTO GRÁFICO DE DADOS RETIRADOS DAS FOLHAS DE REGISTOS

    DE PRESENÇAS NA [email protected] 37 – Síntese anual

    ACTIVIDADES REALIZADAS PELOS ALUNOS

    7º ANO

    8º ANO

    Área Proj.35%

    Estudo/Apoio15%

    Pesquisa43%

    Entretenimento7%

    Área Proj.22%

    Estudo/Apoio21%

    Pesquisa51%

    Entretenimento6%

  • TRATAMENTO GRÁFICO DE DADOS RETIRADOS DAS FOLHAS DE REGISTOS

    DE PRESENÇAS NA [email protected] 37 – Síntese anual

    ACTIVIDADES REALIZADAS PELOS ALUNOS

    9º ANO

    10º ANO

    Área Proj.32%

    Estudo/Apoio17%

    Pesquisa40%

    Entretenimento

    11%

    Estudo/Apoio19%

    Pesquisa73%

    Entretenimento8%

  • TRATAMENTO GRÁFICO DE DADOS RETIRADOS DAS FOLHAS DE REGISTOS

    DE PRESENÇAS NA [email protected] 37 – Síntese anual

    ACTIVIDADES REALIZADAS PELOS ALUNOS

    11º ANO

    12º ANO

    Estudo/Apoio43%

    Pesquisa49%

    Entretenimento8%

  • TRATAMENTO DOS INQUÉRITO DOS ALUNOS

    INQUÉRITO

    NOTAS EXPLICATIVAS SOBRE O INQUÉRITO

    ACTIVIDADES MAIS PROCURADAS POR ANO DE

    ESCOLARIDADE

    AVALIAÇÃO DO GRAU DE SATISFAÇÃO DOS ALUNOS

    EM RELAÇÃO AO APOIO PRESTADO PELOS

    PROFESSORES

    EXPECTATIVAS DOS ALUNOS POR ANO DE

    ESCOLARIDADE

  • As Coordenadoras de [email protected] 37 – Recursos Educativos

  • NOTAS EXPLICATIVAS SOBRE O INQUÉRITO

    1. Este inquérito foi distribuído a uma média de duas

    turmas por ano de escolaridade perfazendo a totalidade

    de trezentos inquéritos tratados.

    2. Tendo em vista a preparação do próximo ano de

    actividades na [email protected] 37, recorreu-se a este meio de

    análise para avaliar:

    - as actividades mais frequentadas pelos alunos.

    - o grau de satisfação relativo às ofertas

    pedagógicas disponíveis na [email protected] 37.

    - a interpretação da resposta da equipa pedagógica

    às expectativas e dificuldades dos alunos.

    INTERPRETAÇÃO GLOBAL DOS RESULTADOS DO

    INQUÉRITO

    1. As expectativas dos alunos e os seus interesses centram-

    se predominantemente na componente lúdica, - jogos de

    computador - com referências críticas à qualidade dos

    computadores.

    2. Expresso reconhecimento da disponibilidade dos

    professores e da sua capacidade de os ajudar a superar

    as suas dificuldades.

    3. Os trabalhos escolares, com destaque para os da Área de

    Projecto, predominaram sobre todas as outras ofertas

    pedagógicas existentes na [email protected] 37 com particular

    incidência na pesquisa, organização e impressão de

    documentos solicitados pelos professores responsáveis

    por esta área.

    4. Referências, ainda que sem expressão quantitativa, à

    atenção a dar ao reforço da resposta técnica dos

    professores na área da informática.

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    ACTIVIDADES DOS ALUNOS

    7º ANO

    8º ANO

    Pesquisa por iniciativa própria

    Pesquisa a pedido dos profs.

    Estudar / fazer TPC

    Apoios disciplinares

    Entretenimento

    Elaborar trabalhos

    Imprimir trabalhos

    60%

    87%

    27%

    5%

    73%

    87%

    77%

    Pesquisa por iniciativa própria

    Pesquisa a pedido dos profs.

    Estudar / fazer TPC

    Apoios disciplinares

    Entretenimento

    Elaborar trabalhos

    Imprimir trabalhos

    37%

    98%32%

    17%

    60%

    87%

    85%

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    9º ANO

    10 º e 11º ANOS

    Pesquisa por iniciativa própria

    Pesquisa a pedido dos profs.

    Estudar / fazer TPC

    Apoios disciplinares

    Entretenimento

    Elaborar trabalhos

    Imprimir trabalhos

    4%

    92%

    24%

    17%

    48%

    56%

    76%

    Entretenimento

    Apoios disciplinares

    Estudar / fazer TPC

    83%

    66%

    67%

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    12º ANO

    Pesquisa por iniciativa própria

    Pesquisa a pedido dos profs.

    Estudar / fazer TPC

    Apoios disciplinares

    Entretenimento

    Elaborar trabalhos

    Imprimir trabalhos

    62%

    90%

    8%

    17%

    0%

    88%

    84%

  • AVALIAÇÃO DO GRAU DE SATISFAÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO AO

    APOIO PRESTADO PELOS PROFESSORES DA [email protected] 37

    Na elaboração dos trabalhos é importante a ajuda dos profs. da

    [email protected]?

    Os profs. têm demonstrado disponibilidade para ajudar?

    81

    79

    19

    21

    SIM NÃO

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    EXPECTATIVAS DOS ALUNOS

    7º ANO

    8º ANO

    Computadores mais modernos

    Maior liberdade nos computadores

    Local para jogos, DVD e playstation

    40%

    60%

    62%

    Profs com + conhecimentos de inform.

    Impressões grátis

    Computadores mais modernos

    7%

    13%

    48%

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    EXPECTATIVAS DOS ALUNOS

    9º ANO

    10º e 11º ANOS

    Profs. não serem tão autoritários

    Computadores mais modernos

    Maior liberdade nos computadores

    20%

    35%

    52%

    Computadores mais modernos

    Maior liberdade nos PCs

    Profs. menos autoritários

    Maior variedade jogos de mesa

    42%

    30%

    20%

    15%

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    EXPECTATIVAS DOS ALUNOS

    12º ANO

    Maior liberdade nos computadores

    Computadores mais modernos

    7%

    84%

  • ESCOLA SECUNDÁRIA DE PEDRO NUNES

    RELATÓRIO DA [email protected] 37 – RECURSOS EDUCATIVOS

    2007 / 2008

    MARIA LEONOR DELGADO

    MARIA ISABEL BRANDÃO DE BRITO

  • AO CONSELHO EXECUTIVO DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE PEDRO NUNES

    NOTA PRÉVIA

    Persiste em nós a vontade deste relatório se constituir como um instrumento de

    debate num espaço crítico aberto a toda a Comunidade Educativa.

    Simultaneamente, ele deve ser entendido como um registo de dados de

    princípios e de ideias que historiam as actividades realizadas nesta [email protected], os

    seus objectivos e os efeitos educativos alcançados.

    Esta preocupação contém em si não só a oportunidade de analisar e comparar os

    caminhos percorridos ao longo de um período de tempo cada vez mais

    representativo, como oportunidade de descobrir novos percursos educativos.

    RELATÓRIO [email protected] 37 - RECURSOS EDUCATIVOS

    A [email protected] 37 - Recursos Educativos reiniciou as suas actividades no início de

    Outubro de 2007, continuando como espaço multifuncional, com valências

    próprias, destinada a acompanhar e apoiar os alunos nas várias actividades

    escolares e ocupar, com utilidade pedagógica os tempos livres dos alunos.

    Funcionou este ano mais uma vez como espaço privilegiado para apoio em Área

    de Projecto e Estudo Acompanhado.

    Coordenada por duas professoras, contou com o apoio e colaboração continuada

    de 23 docentes das várias áreas disciplinares.

    Teve um horário de funcionamento das 8.15h às 16.45h de 2ª a 6ª feira.

    As suas actividades desenvolveram-se de acordo com o previsto no seu

    regulamento aprovado em Conselho Pedagógico e Assembleia de Escola.

    Foi mantido o site na página da Escola com as informações consideradas mais

    relevantes.

  • Actividades nela desenvolvidas

    Abrangeu a oferta de um conjunto de actividades planeadas, organizadas e

    acompanhadas pelos professores com:

    Apoio pontual e sempre que solicitado às actividades curriculares dos

    alunos;

    Apoio à actividade curricular não disciplinar – Área de Projecto, este ano

    alargada ao 12º ano e Estudo Acompanhado;

    Apoio continuado a actividades curriculares –História para estrangeiros e

    História do 12º ano; Matemática;

    Apoio, sempre que solicitado, nas restantes disciplinas;

    Apoio na organização, reformulação e apresentação de trabalhos

    escolares;

    Apoio e acompanhamento informático de discentes e docentes;

    Ajuda na elaboração dos trabalhos de casa;

    Uso e exploração de tecnologias informáticas e de multimédia;

    Pesquisa bibliográfica e documental;

    Comunicação escrita e verbal;

    Apoio a trabalhos de grupo;

    Actividades lúdicas - jogos de mesa com especial incidência do xadrez e

    jogos de palavras;

    Consultório da calculadora gráfica;

    “Debater o séc XX”

    Educar para a Saúde

    Notícia da semana

  • Dados estatísticos relevantes

    Frequência média semanal - 725 alunos;

    Frequência média diária – 105 alunos,

    64% - Ensino básico;

    36% - Ensino secundário;

    Março, Maio e Junho meses de maior frequência diária coincidindo com o final

    do 2º e 3º períodos e o concluir dos trabalhos de AP e outras disciplinas;

    Em todos os anos, as actividades da AP e a pesquisa ultrapassam

    largamente as actividades lúdicas;

    Grandes ausentes da [email protected] 37 - 11º anos.

    Secundário essencialmente em actividades de trabalho.

    Para este inequívoco resultado educativo contribuiu:

    - A comprovada dedicação e profissionalismo dos 25 professores da [email protected];

    - A maior e progressiva identificação dos alunos com as finalidades e as ofertas

    da [email protected];

    - A mobilização conseguida pelos professores responsáveis das Áreas de

    Projecto e Estudo Acompanhado.

    Avaliação das actividades

    A avaliação do trabalho foi sendo feita de forma pontual e por relatório de

    avaliação preenchido por todos os professores e por questionário feito aos

    alunos.

    Concluiu-se que a [email protected] 37 se foi transformando ao longo do ano,

    aproximando-se dos objectivos para ela traçados, destacando-se:

    1. O bom ambiente de trabalho;

    2. A ocupação de forma útil de tempos dos alunos que encontravam na

    [email protected] o espaço que lhes faltava na escola;

  • Não de registou qualquer problema disciplinar grave, tendo havido ao longo do

    ano apenas uma participação disciplinar que obrigou a restrições temporárias da

    presença do aluno na [email protected] em actividades lúdicas.

    Dificuldades encontradas/Propostas de reformulação do trabalho

    Manteve-se no presente ano lectivo:

    Insuficiência de espaço operativo, limitando e condicionando a

    extensão e a diversidade das actividades ocupacionais, impedindo,

    muitas vezes, o acesso a alunos por a [email protected] se encontrar totalmente

    lotada;

    Incapacidade de individualizar as diversas áreas de intervenção

    pedagógica próprias da [email protected] 37 (estudo, visionamento de filmes,

    debates etc.)

    Necessidade urgente de se encontrar para os alunos, dentro da

    escola, um espaço recreativo próprio, de expressão lúdica, ou

    evasiva;

    Prioridade de serem estudadas formas valorativas no currículo

    profissional de todos os professores em exercício nesta [email protected]

    testemunhando a sua dedicação, objectividade dos resultados

    educativos alcançados, conforme este relatório evidencia, tanto no

    plano qualitativo como estatístico;

    Dificuldades no preenchimento do horário dos intervalos;

    Necessidade de uma funcionária de apoio à [email protected] em horário a

    combinar com o Conselho Executivo;

    Necessidade de reestruturação, revisão e mesmo substituição de

    equipamentos - estado obsoleto em que se encontra o material

    informático que equipa a [email protected] 37, com excepção da nova

    impressora e dos cinco computadores oferecidos pela A.P.E.E.

  • Propostas de actividades para o próximo ano ( sujeitas a alterações até finais de Setembro)

    Oficina de escrita (em regime de apoio extra-curricular);

    Oficina de funcionamento da Língua Portuguesa (oficina de

    gramática);

    Atelier de escrita de texto dramático (montagem de uma peça de

    teatro);

    Cursos de Latim;

    Blog da [email protected];

    Dinamização de alunos monitores.

    Manter actividades iniciadas em ano anterior:

    Educar para a Saúde;

    Consultório da calculadora gráfica;

    Debater a História do sec. XX

    História do 12º ano para estrangeiros;

    Apoio disciplinar a Matemática e Francês.

    Prestação de contas

    Total de verbas pagas por alunos e professores 1.010,00 €

    Número de impressões realizadas 19.120

    (Dados fornecidos pelo programa da impressora)

    As verbas pagas são muito inferiores aos gastos de cada operação e

    pretendem, sobretudo, evidenciar que os desperdícios e os abusos de

    impressões injustificadas, pelo seu custo, têm de ser responsavelmente

    ponderadas.

    E.S.P.N, Julho de 2008

    As Coordenadoras da [email protected]

    Maria Leonor Delgado Maria Isabel Brandão de Brito

  • TRATAMENTO GRÁFICO DAS PRESENÇAS NA [email protected] 37

    PRESENÇAS MENSAIS POR ANO DE ESCOLARIDADE

    TOTAL MENSAL DE PRESENÇAS

    TOTAL MENSAL - ENSINO BÁSICO / ENSINO

    SECUNDÁRIO

    EVOLUÇÃO DA MÉDIA DAS PRESENÇAS DIÁRIAS

    ACTIVIDADES REALIZADAS PELOS ALUNOS

    Atenda-se a que os dados estatísticos relativos à

    frequência dos alunos na Sala pecam por defeito e não

    por excesso, pois, muitas vezes comprovámos, por

    envolvimento dos alunos e dos professores a

    desatenção nos registos das presenças.

    De igual modo a anotação das preferências dos alunos

    durante a sua permanência na Sala tem um

    significativo grau de incerteza quanto à exactidão das

    actividades que realizaram.

    Consequentemente, são registos a melhorar no

    próximo ano para que a representatividade das

    actividades escolares ocorridas na Sala se aproxime

    cada vez mais da realidade escolar que nela decorreu.

  • GRÁFICOS DE FREQUÊNCIA

    Presenças mensais por ano de escolaridade

  • Em cada gráfico está registado o número de dias de funcionamento da [email protected] 37

  • GRÁFICOS DE FREQUÊNCIA

    Total mensal de presenças

    Total anual de presenças na [email protected] 37 14.594

    Média diária de presenças 105

    Em cada mês está registado o número de dias de funcionamento da [email protected] 37

  • TOTAL MENSAL DE PRESENÇAS

    ENSINO BÁSICO / ENSINO SECUNDÁRIO

    EVOLUÇÃO DA MÉDIA DO NÚMERO DE PRESENÇAS DIÁRIAS

  • TRATAMENTO GRÁFICO DE DADOS RETIRADOS DAS FOLHAS DE REGISTOS

    DE PRESENÇAS NA [email protected] 37 – Síntese anual

    ACTIVIDADES REALIZADAS PELOS ALUNOS

    7º ANO

    8º ANO

  • TRATAMENTO GRÁFICO DE DADOS RETIRADOS DAS FOLHAS DE REGISTOS

    DE PRESENÇAS NA [email protected] 37 – Síntese anual

    ACTIVIDADES REALIZADAS PELOS ALUNOS

    9º ANO

    10º ANO

  • TRATAMENTO GRÁFICO DE DADOS RETIRADOS DAS FOLHAS DE REGISTOS

    DE PRESENÇAS NA [email protected] 37 – Síntese anual

    ACTIVIDADES REALIZADAS PELOS ALUNOS

    11º ANO

    12º ANO

  • TRATAMENTO DOS INQUÉRITO DOS ALUNOS

    INQUÉRITO

    NOTAS EXPLICATIVAS SOBRE O INQUÉRITO

    ACTIVIDADES MAIS PROCURADAS POR ANO DE

    ESCOLARIDADE

    AVALIAÇÃO DO GRAU DE SATISFAÇÃO DOS ALUNOS

    EM RELAÇÃO AO APOIO PRESTADO PELOS

    PROFESSORES

    EXPECTATIVAS DOS ALUNOS POR ANO DE

    ESCOLARIDADE

  • As Coordenadoras de [email protected] 37 – Recursos Educativos

  • NOTAS EXPLICATIVAS SOBRE O INQUÉRITO

    1. Este inquérito foi distribuído a uma média de duas

    turmas por ano de escolaridade perfazendo a totalidade

    de trezentos e sessenta inquéritos tratados.

    2. Recorreu-se a este meio de análise para avaliar:

    - as actividades mais frequentadas pelos alunos.

    - o grau de satisfação relativo às ofertas

    pedagógicas disponíveis na [email protected] 37.

    - a interpretação da resposta da equipa pedagógica

    às expectativas e dificuldades dos alunos.

    INTERPRETAÇÃO GLOBAL DOS RESULTADOS DO

    INQUÉRITO

    1. As expectativas dos alunos do ensino básico e os seus

    interesses centram-se predominantemente na

    componente lúdica, - jogos de computador - com

    referências críticas ao reduzido número e à qualidade dos

    computadores e à falta de liberdade na utilização dos

    mesmos.

    2. Os trabalhos escolares, com destaque para os da Área de

    Projecto, predominaram sobre todas as outras ofertas

    pedagógicas existentes na [email protected] 37 com particular

    incidência na pesquisa, organização e impressão de

    documentos solicitados pelos professores responsáveis

    por esta área.

    3. Expresso reconhecimento da importância e da

    disponibilidade dos professores e da sua capacidade de

    ajudar os alunos a superar as suas dificuldades.

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    ACTIVIDADES DOS ALUNOS

    7º ANO

    8º ANO

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    9 º ANO

    10 º ANO

  • 11º ANO

    TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    11 º ANO

    12º ANO

  • AVALIAÇÃO DO GRAU DE SATISFAÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO AO

    APOIO PRESTADO PELOS PROFESSORES DA [email protected] 37

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    EXPECTATIVAS DOS ALUNOS

    7º ANO

    8º ANO

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    EXPECTATIVAS DOS ALUNOS

    9º ANO

    10º ANO

  • TRATAMENTO DO INQUÉRITO FEITO AOS ALUNOS

    Valores apresentados em percentagem – respostas que contemplam várias opções

    EXPECTATIVAS DOS ALUNOS

    11º ANO

    12º ANO

  • ACTIVIDADES [email protected] 37 - RECURSOS EDUCATIVOS

    SEGUNDA

    TERÇA

    QUARTA

    QUINTA

    SEXTA

    08.15 09.45

    Prof. Rogério Nobre

    10.00 10.45

    Prof. António

    Ramos

    O SENTIDO DO LUGAR

    Profª. Cândida

    Ferreira

    PORTUGUÊS PARA

    ESTRANGEIROS

    Profª. Leonor

    Sardinha

    ATELIER DE

    GRAMÁTICA

    10.45 11.30

    Profª. Leonor Delgado

    HISTÓRIA PARA ESTRANGEIROS

    Profª. Leonor Sardinha

    CURSO LIVRE DE

    LATIM

    Profª Leonor Sardinha

    11.45 12.30

    Profª Teresa

    Teixeira

    Profª Leonor

    Delgado

    DEBATER O SÉC.

    XX

    13.30 14.15

    Profª Isabel

    Alves

    Profª.Manuela

    Correia

    14.15 15.00

    Prof. João Frazão

    Prof. João Frazão

    15.1516.00

    Profª Elisabete Tenente

    Profª Graça Ribeiro e Paula

    Onofre

    INGLÊS ACTIVO

    Prof. Nuno Cabral

    CLUBE DE SAÚDE Prof. José

    Cordovill

    16.00 16.45

    Page 1Page 2Page 3Page 4Page 5