FICHA PARA CATLOGO - .observa§£o da linguagem oral e escrita. Ao ouvir e contar hist³rias que

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of FICHA PARA CATLOGO - .observa§£o da linguagem oral e escrita. Ao ouvir e contar...

  • FICHA PARA CATLOGO PRODUO DIDTICO PEDAGGICA

    Ttulo: O ldico no ensino-aprendizagem de lngua portuguesa

    Autor Cleide Terezinha Amianti

    Escola de Atuao Colgio Estadual Presidente Kennedy Ensino Fundamental e

    Mdio

    Municpio da escola Rolndia

    Ncleo Regional de Educao Londrina

    Orientador Prof Dr Maria Beatriz Pacca

    Instituio de Ensino Superior Universidade Estadual de Londrina

    Disciplina/rea Lngua Portuguesa

    Produo Didtico-pedaggica Unidade didtica

    Pblico Alvo Alunos do Ensino Fundamental 6 srie/7 ano

    Localizao Colgio Est. Pres. Kennedy Ensino Fundamental e Mdio

    Rua Santa Catarina, 1513

    Apresentao:

    Esta unidade didtica visa oferecer sugestes terico-prticas, que oportunizem a reviso de

    conceitos e procedimentos metodolgicos. Ela contempla os eixos leitura, produo e anlise

    lingustica, privilegiando o desenvolvimento da competncia escrita atravs do gnero textual

    conto de terror e mistrio, que muito apreciado pelos alunos. destinada a alunos de 6 srie7/

    ano do Ensino Fundamental, visto que muitos tm dificuldade em expor suas ideias, ler um livro

    e compreend-lo, e de atender s exigncias formais de um texto escrito. muito comum a

    insatisfao dos alunos em frequentar a escola, em participar das aulas. Por este motivo, com a

    abordagem atravs do ldico, pretende-se envolver o aluno, oportunizando-lhe o

    desenvolvimento de atividades que estimulem a reflexo, que lhe permitam o contato com a

    oralidade e escrita tanto na linguagem formal quanto na informal, possibilitando a anlise das

    variaes da lngua, compreendendo sua formao e aplicao. O ldico tem sido muito utilizado

    como ferramenta auxiliar da aprendizagem, pois incentiva a explorao e construo do

    conhecimento e, a partir dele, o aluno desenvolve a socializao e a escrita de forma prazerosa,

    dinmica e autnoma.

    Palavras-chave Leitura; produo de texto; ldico

  • CLEIDE TEREZINHA AMIANTI

    PRODUO DIDTICO-PEDAGGICA

    UNIDADE DIDTICA

    O ldico no ensino-aprendizagem de Lngua Portuguesa

    LONDRINA

    2011

  • 3

    DADOS DE IDENTIFICAO

    Ttulo: O ldico no ensino-aprendizagem de Lngua Portuguesa

    Professor PDE: Cleide Terezinha Amianti

    rea: Lngua Portuguesa

    Professor Orientador: Prof Dr Maria Beatriz Pacca

    IES vinculada: Universidade Estadual de Londrina

    Escola de implementao: Colgio Estadual Pres. Kennedy Ensino Fundamental e Mdio

    Pblico alvo da interveno: Alunos da 6 srie/7 ano do Ensino Fundamental

    Natureza da produo didtico-pedaggica: Unidade didtica

    INTRODUO

    Esta unidade didtica tem como objetivo oferecer sugestes terico-prticas, que

    oportunizem a reviso de conceitos e procedimentos metodolgicos, buscando desenvolver no

    aluno, habilidades e comportamentos de escrita, que permitam fazer o maior, e mais eficiente

    uso possvel das capacidades tcnicas de ler e escrever.

    Ela contempla os eixos leitura, produo e anlise lingustica, privilegiando o

    desenvolvimento da competncia escrita atravs do gnero textual conto de terror e mistrio,

    que muito apreciado pelos alunos.

    Os Parmetros Curriculares Nacionais - PCNs de Lngua Portuguesa para o Ensino

    Fundamental propem que o ensino seja estruturado a partir de textos pertencentes a

    diferentes gneros textuais, descentralizando o ensino voltado mais ao estudo da

    nomenclatura gramatical que ao uso da lngua.

    Fundamentado em Bakhtin (2003), gnero pensado como um evento recorrente de

    comunicao em que uma determinada atividade humana, envolvendo papeis e relaes

  • 4

    sociais, mediada pela linguagem. responsabilidade central do ensino formal o

    desenvolvimento da conscincia sobre como a linguagem se articula em ao humana sobre o

    mundo atravs do discurso ou, como preferimos chamar, em gneros textuais.

    Uma proposta de ensino/aprendizagem organizada a partir dos gneros textuais

    permite ao professor a observao e a avaliao das capacidades de linguagem dos alunos,

    antes e durante sua realizao, fornecendo-lhes orientaes mais precisas para sua

    interveno. Para os alunos, o trabalho com gneros constitui uma forma de vivenciar

    situaes de produo e leitura de textos e de domin-los progressivamente.

    muito comum a insatisfao dos alunos em frequentar a escola, em participar das

    aulas. Por este motivo, com a abordagem atravs do ldico, pretende-se envolv-los,

    oportunizando-lhes o desenvolvimento de atividades que estimulem a reflexo, que lhes

    permitam o contato com a oralidade e escrita tanto na linguagem formal quanto na informal,

    possibilitando a anlise das variaes da lngua, compreendendo sua formao e aplicao.

    Atualmente, o jogo, como uma ferramenta auxiliar da aprendizagem, vem sendo mais

    desenvolvido por tericos e pedagogos, especialmente por se tratar de algo dinmico, que

    exige certo cuidado e conhecimento no planejamento e execuo. O ldico tem ocupado cada

    vez mais espao nos projetos pedaggicos e nas salas de aula. Grandes tericos tm abordado

    o assunto, evidenciando-se assim, a sua importncia para o ensino-aprendizagem.

    MOYLES (2002, p.41) declara: Acima de tudo, o brincar motiva. por isso que ele

    proporciona um clima especial para a aprendizagem, sejam os aprendizes crianas ou

    adultos. Ele afirma ainda: Em todas as idades, o brincar realizado por puro prazer e

    diverso e cria uma atitude alegre em relao vida e aprendizagem. Isso certamente uma

    razo suficiente para valorizar o brincar. (idem, p.21).

    Assim, o jogo adquire grande importncia como ferramenta para a aprendizagem na

    medida em que estimula o interesse do aluno, pois O jogo ajuda-o a construir suas novas

    descobertas, desenvolve e enriquece sua personalidade e simboliza um instrumento

    pedaggico que leva ao professor a condio de condutor, estimulador e avaliador da

    aprendizagem. (ANTUNES, 2003, p. 36). O ldico incentiva a explorao e construo do

    conhecimento e, a partir dele, o aluno desenvolve a socializao e a escrita de forma

    prazerosa, dinmica e autnoma.

  • 5

    importante destacar na avaliao a observao individual do aluno, suas dificuldades

    e ressaltar seus avanos. Faz-se necessrio verificar o nvel de compreenso dos textos lidos, a

    evoluo das produes e suas refaces.

    Baseado em Almeida (2003), aps realizadas as leituras, as discusses, as produes

    orais e escritas, parciais ou completas, reestruturao em grupo e individual, os alunos j

    possuem argumentos suficientes para abordar o assunto, desenvolvendo assim, sua

    competncia escrita.

    AULA 1

    QUEM CONTA UM CONTO... EMBARCA NUMA GRANDE AVENTURA

    Os PCNs de lngua portuguesa (1998, p.67) destacam a importncia que o domnio da

    palavra pblica tem no exerccio da cidadania, que a escola deve possibilitar acesso a usos da

    linguagem mais formalizados e convencionais.

    O ato de ouvir e contar histrias auxilia no processo de aquisio da linguagem. o

    primeiro passo para estimular a competncia da leitura e desenvolver a escrita atravs da

    organizao de ideias. Desperta o prazer e o interesse pela leitura, a imaginao e a

    observao da linguagem oral e escrita.

    Ao ouvir e contar histrias que envolvem perdas, solido, morte entre outras, as

    crianas enfrentam suas angstias e manifestam sentimentos importantes para o seu

    desenvolvimento emocional, podendo extravasar raiva, tristeza, medo, insegurana e

    descobrir formas de lidar com seus prprios problemas.

    Para que a aprendizagem ocorra de forma significativa e dinmica foi escolhido o jogo

    Magia negra como motivao e abordagem porque, alm do seu carter ldico, est

    diretamente ligado ao gnero textual proposto.

  • 6

    Para a familiarizao com o gnero, faz-se necessrio entrar no imaginrio do grupo,

    saber o que eles gostam de ler e escrever. Para tal, associou-se o gnero conto de terror e

    mistrio a filmes assistidos, partindo para a reproduo de histrias j conhecidas, que podem

    ter sido contadas por familiares ou lidas em livros diversos.

    ROTEIRO

    1. Texto:

    Relatos orais

    2. Assunto:

    Apresentao oral do gnero textual conto de terror e mistrio

    3. Objetivos:

    Estabelecer um vnculo prazeroso com a leitura de contos.

    Estimular o saber ouvir.

    Ampliar a expresso oral.

    4. Motivao:

    Jogo MAGIA NEGRA

    Elege-se um aluno para ser o colaborador e a ele explica-se o funcionamento do jogo.

    Os demais alunos selecionam um objeto sem que o lder saiba qual .

    A seguir o lder dir acertadamente qual foi o objeto escolhido a partir da senha

    combinada anteriormente com o colaborador.

    Os alunos tero que prestar ateno para descobrir qual a senha que faz com que o

    lder acerte sempre.

  • 7

    No caso, como o jogo foi denominado Magia Negra, a senha : o colaborador dever

    mostrar um objeto de cor preta antes daquele que foi escolhido pelos alunos. Diante dessa

    pista, o lder saber que o objeto a seguir foi o selecionado.

    5. Desenvolvimento:

    Apresentao da proposta de trabalho.

    Utilizao da estratgia jogo Magia Negra como motivao.

    Estabelecimento de conexo entre o jogo realizado e o gnero textual conto de terror e

    mistrio.

    Conversa com os alunos sobre contos de terror e mistrio em suas diferentes

    linguagens, como por exemplo, relatando filmes de terror e mistrio que tenham assistido,