Iatrogenias mais frequentes em dentística: por que não evitá-las?

Embed Size (px)

Text of Iatrogenias mais frequentes em dentística: por que não evitá-las?

  • RESUMO

    Iatrogenias consistem em erros causados pelo profissional ao paciente, na tentativa de sanar um problema, podendo ocasionar, na maioria das vezes, o desencadeamento de processos patognicos. Assim sendo, o presente trabalho apresenta como propsito abordar, a partir de uma reviso bibliogrfica, os fatores iatrognicos mais comuns em Dentstica, decorrentes de procedimentos clnicos restauradores; os danos causados pelos mesmos na cavidade bucal; bem como a maneira mais apropriada de evit-los. Um dos aspectos que deve ser considerado refere-se quantidade, cada vez mais crescente, de aes judiciais movidas contra cirurgies-dentistas, sendo necessrio maior zelo e presteza desses profissionais, quando da execuo de seus trabalhos. Portanto, torna-se prudente salientar que o profissional tenha domnio sobre as tcnicas de restauraes e sobre os materiais odontolgicos utilizados, conhecendo suas propriedades e limitaes, para que as mesmas possam ser superadas e, ainda, sigam rigorosamente as instrues de seus fabricantes, permitindo que as propriedades mximas oferecidas por tais produtos sejam ento alcanadas.

    Termos de indexao: Doena iatrognica. Falha de restaurao dentria. Traumatismo dentrio.

    ABSTRACT

    The term iatrogenic concerns any disorder caused to the patient by inappropriate practice, which intends to solve some kind of problem and, as a consequence may lead to some pathogens. This paper presents, through a literature review, the most common iatrogenic factors in Dentistry, due to clinical restorative procedures. It also presents the damages caused by those factors in the oral cavity, as well as the most appropriate ways of avoid them. One of the aspects to be considered is the increasing number of prosecutions against dental surgeons, which makes necessary to be very careful when doing that kind of job. The knowledge of restorative techniques and materials together with the appropriate clinical practice provide satisfactory results, thus avoiding injury in patients.

    Indexing terms: Dental restoration failure. Iatrogenic disease. Tooth injuries.

    RGO - Rev Gacha Odontol., Porto Alegre, v.59, suplemento 0, p. 19-24, jan./jun., 2011

    1UniversidadeFederaldosValesdoJequitinhonhaeMucuri,FaculdadedeOdontologia.RuadaGlria,187,Centro,39100-000,Caixapostal38, Diamantina,MG,Brasil.Correspondnciapara/Correspondence to:KTATAVANO.E-mail:.

    Iatrogenias mais frequentes em dentstica: por que no evit-las?

    REVISO | REVIEW

    Most frequent iatrogenies in dentistry: why not avoiding them?

    Adriana Maria BOTELHO1

    Karine Tas Aguiar TAVANO1

    Dbora Morais de AZEVEDO1

    Miriam Cristina GOMES1

    INTRODUO

    Durante o atendimento odontolgico, o cirurgio--dentista deve se preocupar com a tcnica correta e a seleo de material adequado para a evoluo de seu trabalho, o que resulta em um percentual de sucesso nos procedimentos restauradores. Todavia, alguns profissionais que no tomam o devido cuidado devem ficar atentos, j que todos esto susceptveis a erros ou iatrogenias.

    De acordo com Gusmo et al.1 e Manieri et al.2, iatrogenia consiste em um erro de trabalho do profissional na tentativa de sanar um problema, resultante de uma sim-ples restaurao ou mesmo da confeco de uma prtese. Assim sendo, em qualquer procedimento realizado, em

    que as condutas no estejam de acordo com os preceitos estabelecidos, o paciente estar sujeito a possveis patoge-nias como, por exemplo, a doena periodontal.

    Independente do tipo de restaurao e do material a ser utilizado pelo cirurgio-dentista, este dever se preocupar, em qualquer interveno, com o rgo dentrio para que o mesmo se reintegre de maneira harmnica ao sistema estomatogntico1.

    Existe evidncia clnica de que a Dentstica Res-tauradora quando praticada de maneira inadequada pro-voca danos aos tecidos periodontais, polpa dentria e at mesmo distrbios oclusais e/ou temporomandibulares. As iatrogenias restauradoras so consideradas fatores contri-buintes na etiopatogenia das doenas que acometem o periodonto, uma vez que propiciam a reteno e proliferao

  • 20

    de uma flora bacteriana muito mais periodontopatognica1. Maior zelo e presteza do cirurgio-dentista quando da execuo de seu trabalho torna-se necessrio, j que cada vez mais crescente a quantidade de aes judiciais de reparao de danos movidas contra profissionais liberais. Com o advento do Cdigo de Defesa do Consumidor, torna-se necessrio uma maior responsabilidade do profissional na obteno de resultados satisfatrios3.

    Este trabalho objetiva abordar, a partir de uma reviso bibliogrfica, os fatores iatrognicos mais comuns em Dentstica, decorrentes de procedimentos clnicos restauradores; os danos causados pelos mesmos na cavidade bucal; bem como a maneira mais apropriada de evit-los.

    Iatrogenias segundo a literatura

    Para Mainieri et al.2, as iatrogenias so erros causa-dos pelo prprio profissional ao paciente na tentativa de sa-nar um problema e quando o dentista torna-se o respon-svel direto pelo desencadeamento de um processo patog-nico. Os problemas iatrognicos podem ser classificados em dois grandes grupos: os causados por m operatria dental, e os consequentes de prteses malfeitas ou mal-adaptadas. As iatrogenias causadas por m operatria dental englobam erros na tcnica de tratamento e na utilizao inadequada de materiais. Esses autores2, em seus trabalhos, observa-ram os seguintes detalhes causadores de placa e gengivites considerados como fatores iatrognicos: extenso excessiva dos bordos das restauraes dentrias; extenso insuficiente dos bordos das restauraes dentrias; reteno de cimento dental abaixo da gengiva; penetrao do bordo cervical de coroas abaixo da gengiva; restauraes imprprias quanto anatomia das coroas na regio de cristas marginais, bem como a inadequao das zonas de escoamento de alimen-to, reas de contatos, espaos interproximais, contorno das faces palatino-linguais e vestibulares. Mainieri et al.2 salien-taram tambm que as restauraes que apresentam desa-justes oclusais ocasionam desarmonias funcionais e leses aos tecidos periodontais subjacentes. Mais comumente, as restauraes indiretas causam frequentes transtornos ao periodonto por relao anormal interoclusal e grande parte dos casos de atrofia difusa circunscrita tem como causa a m distribuio de esforos.

    Assim como relatado por Lssio et al.4, verifica-se que parte dos cirurgies-dentistas desconhecem os prin-cpios bsicos de realizao das tcnicas restauradoras utilizadas e como consequncia, no realizam a pres-tao de seu servio com eficcia, podendo ser citado como exemplo o uso das resinas compostas em que o desconhecimento de suas propriedades e da alta sensibilidade da tcnica, bem como dos

    princpios bsicos de adeso, facilita a ocorrncia de infiltrao marginal, levando consequentemente reincidncia de crie. Quando da utilizao de uma tcnica restauradora adesiva direta, o profissional deve ter conscincia do tipo de agente adesivo dentinrio a ser utilizado e sua composio, pois os resultados obtidos variam, tanto com relao fora de adeso, quanto sensibilidade ps-operatria, sensibilidade esta, menor quando se aplicam os seus componentes de forma apropriada. Os materiais como a resina e o amlgama esto sujeitos a erros desde sua fabricao at o acabamento final da restaurao. Lssio et al.4 ainda consideram que o tipo de isolamento utilizado tambm poder interferir no resultado final de uma restaurao. O isolamento absoluto considerado o mais adequado, ficando o campo operatrio livre de contaminao, o que possibilita uma maior adeso do material restaurador aos tecidos dentrios, principalmente quando o profissional no dispe de sugadores de alta potncia. Com relao polimerizao, importante no somente a tcnica e o tempo utilizado, mas tambm o tipo de fotopolimerizador empregado. Sabe-se, por exemplo, que para se polimerizar 2mm de resina necessrio que uma luz, com intensidade de pelo menos 280mW/cm2, incida sobre aquele material por pelo menos 60 segundos.

    Com relao s iatrogenias restauradoras, Gusmo et al.1, Mainieri et al.2, Medeiros & Seddon5 e Moraes et al.6 consideram que as restauraes de amlgama do tipo classe II, normalmente, apresentam-se com um grande nmero de falhas e, dentre estas, destacam-se a ausncia de contato proximal e excesso de material restaurador na regio cervical, sendo que as restauraes dentais com excesso so mais comuns e mais prejudiciais que aquelas com extenses insuficientes.

    Segundo Moraes et al.6, os defeitos na adaptao marginal das restauraes classe II podem ser os responsveis pelo desenvolvimento de cries recidivantes, assim como pelas cries primrias nos dentes adjacentes ou at mesmo pelo desencadeamento de problemas periodontais. As inflamaes da papila gengival so causadas pela dificuldade de higienizao das margens das restauraes com defeitos, facilitando a reteno de placa, dando origem s gengivites. Os espaos interproximais devem ser, no entanto, alvo de cuidado e ateno por parte dos cirurgies-dentistas, pois apresentam um alto ndice de defeitos na adaptao marginal das restauraes.

    Mainieri et al.2, Moraes et al.6 e Gusmo et al.1 salientaram que procedimentos odontolgicos como o uso de grampos para dique de borracha, de discos e tiras de lixa mal utilizados, de modo a lacerar a gengiva, produzem diversos graus de inflamao, ainda que, geralmente, essas leses transitrias sejam reparadas, podem ocasionar ao paciente desconforto desnecessrio.

    AM BOTELHO ET AL.

    RGO - Rev Gacha Odontol., Porto Alegre, v.59, suplemento 0, p. 19-24, jan./jun., 2011

  • 21

    Martn et al.7 observaram que durante a confeco de restauraes de amlgama pode ocorrer um tipo comum de leso iatrognica: so as tatuagens de amlgama que aparecem quando pequenas partculas do material so implantadas nos tecidos da mucosa bucal durante os procedimentos tcnicos. Clinicamente, aparecem como mculas azuis, pret