Inteligencia Naturalista e Ed. Ambiental

  • View
    22

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Inteligencia Naturalista e Ed. Ambiental

  • A INTELIGNCIA NATURALISTA: um novo caminho para a educao ambiental

    Valerie Nicollier Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade

    Estadual de Santa Cruz (UESC) E-mail: valerienicollier@yahoo.com.br

    Fermin Garcia C. Velasco

    Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) Departamento de Cincias Exatas e Tecnolgicas

    Doutor em Fsica Del Ncleo Atmico pelo CEADEN, Cuba E-mail: fermin@uesc.br

    RESUMO A presente pesquisa prope uma nova abordagem para a aprendizagem das questes ecolgicas na infncia, a partir de uma anlise da cognio humana. Fundamenta-se na Teoria das Inteligncias Mltiplas de Howard Gardner (1994), que preconiza a existncia de oito inteligncias no ser humano, inclusive uma Inteligncia Naturalista. Os princpios da Educao para a Sustentabilidade formaram o alicerce filosfico e pedaggico para definir o Saber Ambiental. O estudo partiu da pergunta de como a Inteligncia Naturalista se manifesta na interao com as demais inteligncias e qual a sua relao com o Saber Ambiental. A investigao quanti-qualitativa foi realizada ao longo de dois anos (2002/2004) numa escola de Ensino Fundamental de Ilhus, Bahia, Brasil, envolvendo 45 crianas de 1 a 4 sries. Os resultados sugerem que o desenvolvimento da Inteligncia Naturalista pressuposto para o desenvolvimento de um Saber Ambiental na segunda infncia. Palavras-chaves: cincias cognitivas, Teoria das Inteligncias Mltiplas, inteligncia naturalista, educao para a sustentabilidade ABSTRACT The present research proposes a new approach to understand the development of Environmental Knowledge in middle childhood. It interprets human cognition according to the Theory of Multiple Intelligences of Howard Gardner (1994) that defends the existence of eight types of human intelligence, including a Naturalist Intelligence. The principles of Education for Sustainability formed the foundations for a definition of Environmental Knowledge in its philosophical and pedagogical aspects. The research investigated the manifestation of Naturalist Intelligence joint to other intelligences and its relationship with Environmental Knowledge. This quantitative and qualitative study has been carried out along two years (2002/2004) in an Elementary School in Ilhus, Bahia, Brazil, including 45 children through 1st to 4th graders. Research results suggest that the development of the Naturalist Intelligence is a condition to expand the Environmental Knowledge in childhood. Key words: cognitive sciences, Theory of Multiple Intelligences, naturalist intelligence, education for sustainability

    ISSN 1982-5528

  • P g i n a | 20

    REDE Revista Eletrnica do Prodema, Fortaleza, v. 2, n.1, p. 19-44, jun. 2008. ISSN 1982-5528.

    1 INTRODUO

    Assistimos, atualmente, a uma das mais graves crises ecolgicas de toda histria do nosso Planeta. Os impactos causados pela presena humana na Terra levam os cientistas a comparar o surgimento da espcie humana s grandes catstrofes da escala do tempo geolgico, que transformaram radicalmente, em sua composio e em seu equilbrio, a flora e a fauna do mundo inteiro.

    Ao mesmo tempo em que o conhecimento da Natureza tornou-se cada vez mais importante para a sua preservao, a biologia popular vem sofrendo uma crescente involuo como demonstram as pesquisas de Wolff, Medin & Pankratz (1999). Os estudos revelam o brusco declnio quantitativo e qualitativo do conhecimento popular sobre as plantas e os animais que marcou o sculo XX, enquanto mostram que houve um forte crescimento dos termos referentes a outras categorias, como livros, roupas e mveis.

    Portanto, de suma importncia para a humanidade a construo de uma nova racionalidade, fundamentada em uma conscincia ecolgica que no s deve guiar as aes dos poderes pblico e privado, mas, especialmente, deve inspirar o modo de vida da populao em geral (LEFF, 2002). Nesse sentido, a Constituio da Repblica Federativa do Brasil de 1988 dedica um captulo inteiro questo ambiental e define que cabe ao Poder Pblico promover a Educao Ambiental em todos os nveis de ensino e a conscientizao pblica para a preservao do Meio Ambiente (CF art. 225, VI). Os Parmetros Curriculares Nacionais (PCNs) formulados pelo Ministrio de Educao e do Desporto representam mais um esforo direcionado implantao definitiva da Educao Ambiental na educao formal no Brasil. Os PCNs consideram que a Educao Ambiental deve estar presente no currculo como tema transversal, desde as primeiras sries de Ensino Fundamental, devendo ser interessante e prazerosa para que a criana estabelea, em primeiro lugar, uma ligao afetiva com o tema Meio Ambiente (BRASIL, 1998).

    No entanto, ainda so poucas as propostas pedaggicas sistematizadas para a Educao Ambiental no Ensino Bsico. Diversas teorias e metodologias de fundamentao scio-construtivista foram absorvidas por educadores que propem abordagens educativas para as questes ambientais na escola (MEDINA; SANTOS, 2000; DIAS, 1992), no entanto, apesar de todas as iniciativas importantes, nota-se que os esforos ainda no lograram o desejado resultado. No se constata, na populao em geral, uma modificao significativa do estilo de vida e dos valores e atitudes que determinam a relao do homem com a Natureza (CRESPO, 2003).

    Podemos afirmar que a Educao Ambiental ainda no contempla as mais recentes descobertas sobre o ser humano na rea das cincias cognitivas. Ao estabelecerem um dilogo entre as cincias naturais e as cincias humanas, essas abriram caminhos para uma nova compreenso do funcionamento da mente. Um dos produtos dessa rica discusso entre representantes de diferentes reas do conhecimento a Teoria das Inteligncias Mltiplas de Howard Gardner (1983/1994) que reformulou o conceito tradicional de inteligncia. Seguindo os novos critrios cientficos estabelecidos para definir uma inteligncia, Gardner e sua equipe identificaram a existncia de sete inteligncias no ser humano: as inteligncias lingstica, lgico-matemtica, musical, visuo-espacial, cinestsico-corporal, inter- e intrapessoal. Cada inteligncia, enquanto potencial bio-psicolgico, corresponde a uma forma especfica de compreender o mundo, sendo que todo ser humano possui todas as inteligncias que, interagindo entre si, formam o perfil cognitivo individual de cada pessoa. Recentemente, Gardner (2000) props a existncia de uma oitava

  • P g i n a | 21

    REDE Revista Eletrnica do Prodema, Fortaleza, v. 2, n.1, p. 19-44, jun. 2008. ISSN 1982-5528.

    inteligncia, a Inteligncia Naturalista, que corresponde capacidade humana de conhecer a Natureza.

    Conforme os novos princpios da educao, que preconizam a formao integral e o desenvolvimento pleno do ser humano, os educadores vm buscando, nas cincias cognitivas, modelos que ampliam a compreenso do ser humano na sua totalidade. Nesse contexto, a Teoria das Inteligncias Mltiplas vem se destacando pelas suas inmeras possibilidades de aplicao prtica na formao de pessoas (GARDNER; KORNHABER; WAKE, 1998; CAMPBELL; CAMPBELL; DICKINSON, 2000; ARMSTRONG, 2001).

    No intuito de aprimorar a qualidade do ensino, diversos estudiosos realizaram pesquisas que avaliam e propem metodologias para investigar as mltiplas inteligncias dos alunos (TEELE, 1992; SHEARER, 1997; MCMAHON; ROSE; PARKS, 2004), ao passo que discutem os resultados da aplicao da Teoria das Inteligncias Mltiplas na sala de aula, propondo formas de mensurar essa relao entre a teoria, a prtica e o desempenho manifesto dos alunos em diferentes reas de conhecimento (ARMSTRONG, 2001; MCMAHON; ROSE; PARKS, 2004; DECLAN & TANGNEY, 2006). As escolas que adotam a Teoria das Inteligncias Mltiplas, oferecendo um espao e um currculo que estimulam as diferentes inteligncias dos seus alunos, esto se multiplicando nos Estados Unidos como relata o Project Zero of Harvard Graduate School of Education (PROJECT ZERO, 2007) e em outros pases como, por exemplo, na China, cujo sistema educacional foi redesenhado em funo da Teoria das Inteligncias Mltiplas (JIE-QI CHEN, 2006). Quanto aplicao bem sucedida dessa teoria, temos relatos tambm na rea das artes (KUZNIEWSKI et al. 1998; GEIMER et. al. 2000), no aprimoramento das capacidades de leitura (GENS et al. 1998) e na ampliao da compreenso de conceitos em cincia (ZDEMIR; GNEYSU; TEKKAYA, 2006).

    Numa crtica s propostas educativas tradicionais e construtivistas, Gardner (1994a) esclarece que estas do uma nfase maior ao desenvolvimento das inteligncias lgico-matemtica e lingstica, ao fundamentar-se em uma viso unitria da inteligncia. A Teoria das Inteligncias Mltiplas mostra que possumos tambm outras inteligncias, inclusive uma Inteligncia Naturalista. O presente trabalho sugere que a aplicao da Teoria das Inteligncias Mltiplas na escola abre possibilidades inditas de ensino-aprendizagem para as questes ecolgicas na infncia.

    2 FUNDAMENTOS METODOLGICOS

    A presente pesquisa buscou, de um lado, a verificao da hiptese de que existe um elo entre as inteligncias e o Saber Ambiental. Neste sentido, configurou-se como uma pesquisa bsica, que visa extenso do conhecimento cientfico. De outro lado, a nossa pesquisa pretendeu oferecer uma resposta prtica a um problema concreto e imediato: a falta de um conjunto sistematizado de metodologias atraentes e eficientes em Educao Ambiental. Neste aspecto, a pesquisa apresentou-se como uma pesquisa aplicada. Considerando, pois, as vrias dimenses envolvidas nesse estudo, foi necessria uma combinao de diferentes tipos de metodologias para a integrao do nosso Research Design (WIERSMA, 2000).

  • P g i n a | 22

    REDE Revista Eletrnica do Prodema, Fortaleza, v. 2, n.1, p. 19-44, jun. 2008. ISSN 1982-5528.

    Apresentamos, a seguir, o esquema geral da pesquisa, na Figura 1:

    PBLICO Participantes: 45 Crianas de 1 a 4 srie do Ensino Fundamental, educadores e pais. Caracterizao: Populao urbana de class