Click here to load reader

Jovens jornalistas na escola

  • View
    215

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Jovens jornalistas na escola

  • JOVENS NA ESCOLA 8 A Trabalho orientado pela professora Arinda Oliveira

  • 2

    ENTREVISTA AO PROFESSOR CARLOS CAMPOS.3 ENTREVISTA AO PROFESSOR RENATO DIAS..5 ENTREVISTA AO PROFESSOR REGINA ALMEIDA.9 ENTREVISTA DIRETORA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SALVATERRA DE MAGOS.13 ENTREVISTA PSICLOGA ISABEL TRAVASOS.17

  • 3

    ENTREVISTA AO PROFESSOR CARLOS CAMPOS

    Chama-se Carlos Campos, tem 49 anos, professor de Artes na Escola Bsica e Secundria de Salvaterra de Magos e o professor mais carismtico da escola. tambm conhecido pela alcunha Jesus Christ Superstar devido sua figura peculiar. Fomos ao encontro dele em plena atividade, no Bloco B. Isabel: Pode dizer-nos que idade tem?

    Prof. Carlos Campos: 49 anos.

    Isabel: Em que faculdade tirou o curso?

    Prof. C.C.: Universidade de Belas Artes, em Lisboa.

    Rita: H quanto tempo d aulas?

    Prof. C.C: H 21 anos.

    Rita: Ser professor a profisso com que sempre sonhou?

    Prof. C.C: Na altura no pensava ser, mas depois a nica opo era dar

    aulas e escolhi esse caminho.

    Andreia: Andmos a investigar e soubemos que, para alm de dar aulas,

    tambm gosta de pintar quadros. O que faz aos quadros que pinta?

    Prof. C.C: Vendo-os, por 100 ou 200, mas h quatro anos que no pinto.

    Andreia: Alguma vez pensou em fazer uma carreira artstica como pintor?

    Prof.C.C: Sim, mas o pior que no d para passar tempo com a famlia.

    Isabel: Gosta do que faz?

    Prof.C.C: Sim, adoro!

    Isabel: Acha que a nossa escola tem bons alunos na rea do desenho?

    Prof.C.C: Tem alguns muito bons.

    Rita: Qual o trabalho realizado pelos alunos que mais apreciou?

  • 4

    Prof.C.C: Eu gosto de tudo o que os meus alunos fazem, porque fazem-no

    com gosto e vontade.

    Rita: O seu estilo hippie a sua imagem de marca. Sempre foi assim?

    Prof.C.C: Imagem de marca no digo, mas j o tenho desde os 19 anos e

    tambm era chamado de Jesus Christ Superstar

    Andreia: Obrigada pela sua colaborao.

    Prof.C.C: Obrigado eu.

  • 5

  • 6

  • 7

  • 8

  • 9

    Entrevista

    O seu nome Regina Almeida, tem 45 anos e professora h 24. Licenciou-se na Faculdade de Cincias e Tecnologias, na Universidade Nova, em Lisboa e disponiblizou algum com seu tempo para conversar connosco.

    Filipa: Ser professora a profisso com que sempre sonhou? Porqu?

    Professora: No, tive vrios sonhos. Quando era pequenina queria ser bailarina, por isso no foi sempre a profisso com que eu sempre sonhei, surgiu de um curso que eu fiz. Agora, se me perguntares se eu gosto de ser professora e se o tempo voltasse para trs, eu no queria ser professora. Mas agora mesmo a profisso de que eu gosto,apesar das dificuldades.

    Filipa: H quantos anos professora?

    Professora: Sou professora desde os 21 anos, portanto sou professora h 24 anos.

    Filipa: Em que faculdade tirou a sua licenciatura?

    Professora: Tirei a licenciatura na Faculdade de Cincias e Tecnologias, na Universidade Nova, em Lisboa.

    Filipa:O que a levou a ser professora de Fsico-Qumica?

    Professora: Porque o curso que eu tirei estava ligado s cincias,

  • 10

    qumica e cincia aplicada e assim foi essa a disciplina que eu tirei habilitao para lecionar.

    Filipa: Alguma vez pensou sonhar mais alto e enverdar pela investigao cientfica?

    Professora: J fiz investigao, alis eu j estive no ramo da investigao, mas a rea de investigao em que eu estava no me agradava, naquela altura, ento decidi regressar de novo ao ensino. Agora gostaria que entedesses duas coisas, ser professora no ensino superior no a mesma coisa que se professora no ensino secundrio e no 3 ciclo, porque a relao interpessoal que se cria com os alunos no tem nada a ver, ou seja, o ensino universitrio uma coisa muito mais seca, muito menos emotiva, enquanto a formao no 3 ciclo e no secundrio d-nos o outro lado que o ensino tem (e que o ensino universitrio no d), o lado relacional, que tambm pesa, neste meu gosto pelo ensino.

    Filipa: D aulas num grande Agrupamento. Se pudesse mudar alguma coisa o que que mudava na nossa escola?

    Professora: Se pudesse mudar alguma coisa na escola? Mudava! Considero que um professor, hoje, tem demasiadas funes e corre o risco de perder o objetivo principal que ensinar. Se eu pudesse, estaria a dar aulas e estaria, com certeza, a usufruir de muito mais tempo para preparar as minhas aulas, para desenvolver trabalhos de investigao aqui com vocs. Eu acho que isso seria o ideal, portanto o que eu pretendia, como professora, na escola era poder trabalhar com os alunos na rea que eu leciono e poder fazer investigao com os alunos ao nvel da educao na rea da cincia.

    Filipa: J "acusou" a nossa turma de ser demasiado passiva. Que sugesto daria para melhorarmos o nosso empenho?

    Professora: A sugesto que eu dou que vocs tm que dormir muito tempo acordados sobre a vossa almofada e tentarem encontrar

  • 11

    um objetivo, porque eu acho que a vossa passividade se prende com a falta de objetivos, portanto est na altura de vocs pensarem em: "Eu quero fazer isto, para isso eu preciso de fazer isto, para conseguir isto e aquilo". Portanto passa muito por vocs, verdadeiramente interiorizarem, aquilo que querem fazer mesmo, aquilo que vocs tm, de facto, vontade de fazer e lutar por isso, porque sem objetivos a coisa fica, assim, esquisita.

    Filipa: Se pudesse trocava de turma? Porqu?

    Professora: No. Porque a vossa turma foi um desafio que me foi colocado, porque h dois anos que trabalho com vocs e porque eu gosto muito de ver a evoluo dos alunos, portanto, eu pego numa turma e trabalho com ela. fantstico poder crescer com vocs e por isso que eu gosto de ser professora, porque vocs mudam muito num ano, em dois, em trs e sentir que fao parte desse vosso crescimento uma espcie de alimento, como se eu estivesse a crescer ao mesmo tempo que vocs, eternamente jovem.

    Filipa: E acha que melhormos do ano passado para este?

    Professora: Eu acho que vocs esto a comear a melhorar...Eu espero... no... eu acredito... eu tenho esperana que estejamos no incio de uma alterao, embora ainda haja muita coisa para alterar. Eu acho que h coisas que vocs ainda no perceberam e tm que perceber, seno as coisas no vo mudar e desejo que vocs, de facto, se dediquem a este novo plano de atividades que foi desenhado especificamente para a turma, que deixem de olhar pra vocs prprios e achar que a razo est sempre do vosso lado e que nos ajudem a ser professores.

  • 12

    Entevistadoras:

    Carina Viegas n4, 8A

    Filipa Santa Brbara n9, 8 A

    Jssica Fernandes n14, 8A

    Entevistada:

    Prof Regina Almeira (Docente de Fsico-Qumica e Diretora de Turma do 8A)

  • 13

    Entrevista Diretora do Agrupamento de

    Escolas de Salvaterra de Magos

    Estamos aqui presentes para entrevistar a professora

    Manuela Esmnio, Diretora do Agrupamento de Escolas de

    Salvaterra de Magos. Fomos encontr-la no seu gabinete de

    trabalho situado no 1 andar do bloco D.

    Ana Rita: H quanto tempo dirige esta escola?

    Prof Manuela Esmnio: Desde 2008, portanto por volta de 6 anos e

    qualquer coisa.

    Ana Rita: Como o seu dia-a-dia como Diretora da Escola?

    Prof Manuela Esmnio: um dia com muito, muito trabalho. Chego

    escola por volta das 9h30, pois h sempre muita coisa para fazer. Por volta

    da 13h30 vou almoar, s 14h30 estou de regresso e fico, s vezes, at s

    20h ou 21h, dependendo do trabalho que houver.

    Ana Rita: Gosta do cargo que desempenha? Porqu?

    Prof. Manuela: Gosto muito. Fui professora durante muitos anos e continuo

    a gostar de ser professora. Mas eu acho que tenho jeito para organizar e

    para planear e, portanto, na funo de Diretora tenho de fazer isso, logo

    sinto-me confortvel e vontade neste cargo.

    Ana Rita: Antes de assumir o cargo de Diretora qual era a sua rea de

    ensino como professora?

    Prof. Manuela: (risos) Sou professora de Matemtica do 3 Ciclo e do

    Ensino Secundrio. Mas, basicamente, eu lecionei quase sempre no Ensino

    Secundrio.

  • 14

    Ana Rita: Como que se dirige um Agrupamento to grande e com tantos

    alunos? Faz tudo sozinha ou tem uma equipa que a ajuda?

    Prof. Manuela: S possvel com a ajuda de uma equipa, uma equipa

    motivada e que trabalha no mesmo sentido, que o que acontece com a

    minha equipa. Portanto, no estou sozinha aqui na Direo. Tenho a

    trabalhar comigo uma subdiretora e mais trs adjuntos.

    Ana Rita: A equipa est bem coordenada, ento

    Prof. Manuela: Eu no sei se bem coordenada, mas resulta.

    Ana Rita: O Cdigo de Conduta foi bastante divulgado logo no incio do

    ano letivo. Como avalia a sua aplicao dois meses depois?

    Prof. Manuela: A avaliao que possamos fazer sempre um pouco

    subjetiva, porque no sabemos como estaramos se no existisse o Cdigo de

    Conduta, o que sabemos como estvamos o ano passado sem ele e havia

    muita indisciplina. Mas eu penso que houve ganhos em termos de controlo da

    indisciplina. Penso que para isso tambm contribuiu o facto de este ano, no

    incio do ano, termos implementado os sumrios eletrnicos e, portanto,

    estou a ver uma maior preocupao por parte dos alunos em serem pontuais

    relativamente entrada nas aulas, por exemplo. Penso que a conjugao do

    Cdigo de Conduta, a sua divulgao e a implementao dos sumrios

    eletrnicos contribuiu para uma reduo dos problemas de indisciplina.

    Alis, estamos a elaborar o Projeto Educativ