Click here to load reader

N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015 2015 BOLETIM INFORMATIVO … · 2020. 6. 6. · N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015 2015 BOLETIM INFORMATIVO DA SOCIEDADE UCRANIANA DO BRASIL Al. Augusto Stellfeld,

  • View
    2

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015 2015 BOLETIM INFORMATIVO … · 2020. 6. 6. · N.o 491 (3936)...

  • ГРУДЕНЬ 2015N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015BOLETIM INFORMATIVO DA SOCIEDADE UCRANIANA DO BRASIL

    Інформативний бюлетень Українського Товариства БразиліїAl. Augusto Stellfeld, 795 - CEP 80410-140 Curitiba - Paraná - Brasil - Fone/Fax: (41) 3224-5597 - e-mail: [email protected]

    A Sociedade Ucraniana do Brasil saúda todas as pessoas que neste 2015 tanto trabalharam nos seus mais diversos Departamentos. Desejamos a vocês, valorosos Diretores, um Natal com muita luz e que o menino Jesus derrame sobre todos a paz, a alegria e a saúde que todos tanto precisamos. Que o novo ano que se aproxima seja igual a este que termina nas boas coisas que

    ele nos trouxe e que seja bem mais relevante em outros aspectos que ficamos carentes.Também saudamos pelo Natal de Cristo e Ano Novo toda a comunidade ucraniana e transmitimos

    aos nossos irmãos ucranianos que vivem além do Brasil e todos os leitores do “O Lavrador” osmais sinceros desejos de prosperidade, felicidade e saúde.

    Roberto André OrestenPresidente da SUBRAS

    ХРИСТОС РОДИВСЯ! СЛАВІТЕ ЙОГО! Тими радісними словами Українське

    Товариство Бразилії вітає свої департаменти з їхнім членством та

    посилає найкраще побажання з нагоди нового 2016 року. Також вітаємо з Різдвом Христовим і Новим Роком усе українське громадянство і пересилаємо до наших українських братів поза Бразилію та всім читачам “ Хлібороба” найщиріші

    побажання усього добра, щастя і здоров’я.

    Роберто Андрій ОрищинГолова

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 N.o 491 (3936) DEZEMBRO 20152

    NATAL UCRANIANO

    Grande parte do costumes natalinos do povo ucraniano tiveram origem na era pagã quando os festejos da época homenageavam Korchuma (Khors), o deus do sol. Com a conversão ao Cristianismo (988), os costumes foram adaptados aos festejos do Natal do Senhor. O período que antecede o Natal é chamado de “Pelepivka” (a quaresma de São Felipe), que dura até a véspera do Natal (Sviatey Vétchir). Durante o período, é comum abster-se de carnes e festas. As pessoas trabalhavam nos preparativos para o Natal, especialmente na decoração das casas, fazendo os chamados "pavuk" (espécie de móbile de palha de trigo), "diduch" (em formatos diversos), veras de cera de abelha etc. Na véspera de Natal, a dona da casa trabalha no preparo dos doze pratos que serão servidos na ceia, os quais na época do paganismo simbolizavam os doze meses do ano, hoje, representam os doze apóstolos. Enquanto a mãe prepara a refeição, o dono da casa procura deixar toda a propriedade limpa e os animais bem alimentados (reza a lenda que na noite Santa, o próprio menino Jesus conversava com os animais para saber como estavam sendo tratados por seus donos). O chão da casa (especialmente da sala) era todo coberto com feno, bem como a mesa onde é servida a ceia, como no local onde Cristo nasceu. Em alguma regiões, as ferramentas de trabalho são deixadas debaixo da mesa. A ceia do Natal começa quando o chefe da casa, ao aparecer da primeira estrela no céu, traz consigo um feixe de trigo chamado “Diduch”, que simboliza os antepassados da família, e o coloca em um local de destaque na sala. Em seguida, acende-se uma vela de cera de abelha e o chefe da casa oferece a todos um pedaço de pão embebido em mel, desejando-lhes que a vida seja doce e que nada lhes falte. A seguir, a família faz uma oração (ou canta uma Kóliada tradicional), e o anfitrião, na soleira da porta, convida as tempestades, as nevascas e o granizo para tomarem parte da celebração. Como não obtém resposta, deseja que estas desgraças não apareçam durante o ano, pois quando convidadas, não compareceram. Em seguida, inicia-se a ceia, composta, geralmente por doze pratos. Não existe uma regra específica acerca dos doze pratos, a tradição varia de uma região para outra ou de uma família para outra. Entre os pratos mais comuns estão:- KUTIÁ: um preparado de grão de trigo cozido, misturado com sementes de papoula, mel, nozes, e raízes. É o primeiro prato servido. O anfitrião costuma erguer a primeira colherada do preparado de trigo relembrando os falecidos da família.

    - KAPUSNIAK: espécie de sopa de repolho e óleo de girassol.- PÊRAS SECAS- BORSTCH: sopa de beterraba, legumes, cogumelos.- PEIXES- VARENEKE (Perohê) : pastel cozido, com diversos recheios: batatinha, requeijão, repolho, ameixas secas, cerejas.- KASHA: cereais cozidos (trigo sarraceno ou milho)- PERYSHKY: pasteizinhos assados, recheados com ameixa , cereja, repolho, etc.- UZVAR: caldo de frutas cristalizadas.- HOLUBSTSY: espécie de charuto feito de repolho ou couve e recheado com sementes de trigo sarraceno.- KOLACH: pão tradicional.- PALEANESTSE: espécie de torta.- MEDEVNEK: bolo de mel- NALESNEKY: panquecas- OHIRKY e KREJALKY - pepino e repolho azedo. Os pratos servidos na ceia devem permanecer na mesa durante toda a noite, pois acredita-se que os ausentes virão tomar parte da celebração. Após a refeição, “Koliadas” (canções de natal tradicionais ucranianas) são entoadas por todos os membros da família. Para alguns estudiosos, o nome provém de uma antiga divindade da era pagã ucraniana chamada "Koliada" (responsável por trazer luz aos homens) que era celebrada entre 06 e 14 de janeiro. Ao final da noite, a família reunida vai à Igreja para a Liturgia do Natal, onde ,além das “Koliadas”, o povo canta: “Z name Bohr !” – Deus Conosco! No dia do Natal, e nos dias seguintes, diversos grupos de pessoas, chamadas de “koliadnekê”, visitam as casas cantando as famosas “Koliadas”, anunciando o nascimento de Jesus. Existe ainda a tradição do Vertép ou Tchopka, o presépio ambulante.O Natal é comemorado por mais dois dias (26 e 27 de dezembro), mas as celebrações religiosas continuam por quase quarenta dias. Na Ucrânia e em algumas comunidades espalhadas pelo mundo, o Natal é celebrado em 07 de janeiro, pois a Igreja na Ucrânia segue o calendário Juliano, com treze dias de atraso em relação ao calendário civil (tem uma postagem aqui na página explicando a diferença). Existem outras manifestações culturais, lendas e tradições relacionadas ao Natal Ucraniano. Variam de região para região e de família para família.

    Andreiv ChomaAdvogado, dançarino do Folclore Ucraniano

    BARVINOK

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 3N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015

    NOTÍCIAS DO BARVINOK

    Entre os dias 22 e 28 Novembro, o maestro do Folclore Ucraniano Barvinok, Felipe Melnyk Oresten, participou na Ucrânia do “Seminário e Master-Class para Diretores, Coreógrafos e Maestros de Grupos Folclóricos Ucranianos”.

    O convite partiu da Associação para Contato com os Ucranianos da Diáspora e do Ministério da Cultura da Ucrânia através da senhora Alla Kendzera, Presidente desta associação. O seminário aconteceu nas sedes dos renomados grupos Virsky e Veryovka onde os participantes puderam acompanhar os trabalhos destes grupos além de participar na prática dos ensaios como forma de aprimoramento de seus conhecimentos.

    Fora dos horários de ensaios, o seminário ainda promoveu visitas ao grupo Kalyna, coral Dornytchanka e coro dos deputados e funcionários da Verkhovna Rada.

    A viagem do maestro do Folclore Ucraniano Barvinok durou pouco mais tempo do que o seminário, tempo em que esteve em contato com o diretor do Virsky, Myroslav Vantukh

    Grupo VIRSKY

    Na noite do dia 9, o Barvinok se fez representar por alguns de seus Diretores na solenidade de entrega das Medalhas de Honra da Emigração a D. Saturnino Hernando Gordo e ao Centro Espanhol do Paraná, na pessoa de D.ª Blanca Hernando Barco. As Medalhas foram concedidas pelo Ministério do Trabalho e Seguridade Social da Espanha. Fica aqui nosso registro de congratulações pela honraria!

    Foto: Vera Piaceski e Solange Oresten - Barvinok, Blanca Hernando Barco - Centro Espanhol, e Sula Kotzias - Grego Neoléa. Na noite do dia 12, O Barvinok com o coral, participou do ” Encontro de corais- Святий Вечір” na Catedral de São João Batista. Foi uma noite onde lindas canções natalinas foram apresentadas pelos corais que ali se fizeram representar, levando aos que ali

    e do diretor do Veryovka, Anatoliy Avdievskyij tratando de projetos futuros e apresentando um pouco do trabalho do Folclore Ucraniano Barvinok e falando sobre os trabalhos da nossa comunidade no Brasil para a manutenção da cultura ucraniana.

    Representaram a comunidade ucraniana neste seminário também os dançarinos João Zazula, do Folclore Ucraniano Sonhachnek de Cascavel - PR e a coreografa Daiany Furmann, do Grupo Vesselka de Prudentópolis - PR. Além dos Brasileiros, estavam presentes folcloristas de diversos países como Polônia, Alemanha, Romênia e Moldavia.

    Grupo VERYOVKA

    Coral VERKHOVNA RADA

    Anatoliy Avdievskyij Myroslav Vantukh

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 N.o 491 (3936) DEZEMBRO 20154

    poderíamos deixar de participar, fomos prestigiar o encerramento dos trabalhos deste ano,que Graças a Deus foi espetacular, com muitas apresentações, no Bar do Alemão.

    O Evento é organizado por esta Associação e os proprietários do Bar que reservaram um espaço para esta maravilhosa confraternização. Gostaríamos de aproveitar e parabenizar o Sr Rogério Flor, Presidente desta Associação e toda sua equipe, pelo belíssimo trabalho realizado à frente dos grupos folclóricos filiados. Parabenizamos também o belíssimo e emocionante espetáculo “The Sound of Music”da Orquestra Suzuki Curitiba. Show esse beneficente ao Hospital Erasto Gaertner . À convite da Sra Edna Ritzmann Savytzky, os jovens Uliana Sysak e Thiago Zakalugne, ambos componentes e coreógrafos do Barvinok,fizeram uma participação, onde lindamente dançaram uma valsa Austríaca.Também aproveitamos o momento para agradecer ao Grupo Folclórico Alte Heimat pelo empréstimo das roupas de seu acervo para compor o espetáculo!

    No dia 17 fizemos uma pequena confraternização entre os componentes para

    estavam, as tradiçõesque a nossa Ucrânia nos mostra neste período do ano.

    Após as apresentações, também participamos do jantar, com as comidas típicas da Ceia de Natal como: varének, holoptsi,pepino, peixe, borchtch e claro, o kutia que como um dos pratos principais não pode faltar de maneira alguma. Agradecemos ao Sr Leonardo Davebida e sua equipe,pela acolhida aos nossos coralistas a parabéns pela organização. Na tarde do dia 13, estivemos no Memorial da Imigração Polonesa- Bosque São João Paulo II, para participar do “Natal das Etnias”. Lá, com mais nove grupos folclóricos, levamos ao público um pouco das nossas danças.

    No dia 16, todos os folcloristas,dos grupos filiados à AINTEPAR e claro,não

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 5N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015

    brindar e comemorar um ano com muito trabalho.

    No dia 18-19 e 20 de dezembro o Barvinok como grupo filiado à AINTEPAR participou da 5ª Conferência Municipal de Cultura, promovido pela Fundação Cultural de Curitiba onde o Folclore Étnico agora é uma linguagem cultural reconhecida e respeitada no Plano Municipal de Cultura.

    Temos trabalhado e muito por este

    AGENDA 2016E já estamos nos organizando para 2016!!

    Esta agenda pode sofrer alterações. Mas vocês serão sempre informados!

    20/3 – Almoço de Domingo de Ramos

    10/4 – Participação da “Hailka”. Evento este realizado pela RCUB

    08/5 – Almoço do” Dia das Mães”- Vocês já terão uma opção para reunir sua família!!

    04/6 – festa de “Ivana Kupala”

    21/8 – Festa da Independência no Memorial Ucraniano. Evento promovido pela RCUB.

    08/10 – VETCHORNETSI – “Um dia da Ucrânia em Curitiba”.

    Iniciaremos nossos trabalhos com o

    Folclore (coral, dança adulto e juvenil) a partir do dia 14 de Fevereiro de 2016.

    Maiores informações na Edição de Janeiro.

    Solange Maria Melnyk Oresten Diretora do BARVINOK

    reconhecimento importante na busca de aprovação de projetos, bem como o próprio fortalecimento do trabalho, da preservação da cultura trazida por nossos pais e avós. Em nome do Barvinok, agradeço a cada um de vocês componentes, que estiveram conosco no trabalho de preservação e divulgação da cultura ucraniana. Sabemos o quanto é difícil o convívio e o acerto entre tantos que somos. Mas, chegamosao final de 2015. Nos veremos em 2016 pois nossa programação já está em regime de engorda. Precisamos e queremos todos juntos novamente.

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 N.o 491 (3936) DEZEMBRO 20156

    Фестиваль "Спалах Різдвяної звізди"

    Січень 2016

    Дата проведення: 7-8 січня 2016 рокуТрадиційне вертепне дійство на Різдво у Львові розпочинається у Музеї народної архітектури та побуту. Тут зможете потрапити в атмосферу давнього села, де хатки сповнені сімейним затишком, де у колі рідних по духу людей звучить дзвінка коляда у сяйві різдвяних звізд. 7 січня у рамках фестивалю у Музеї народної архітектури і побуту «Шевченківський гай» відбуватиметься програма «У родинному колі». Охочих запрошують стати учасниками Різдвяного дійства, долучитися до продовження традицій і відсвяткувати Різдво у «Шевченківському гаю». На відвідувачів чекають колядування творчих колективів міста, виступи вертепів, представлення українських Різдвяних звізд, зимові ігри, конкурси, та для всіх любителів снігу – гірка для катання на санчатах та ковзанка, українські забави та традиційні народні танці, смачні пампухи та теплий чай від господаря та господині.8 січня відбуватиметься святкова хода звіздарів, колядників, учасників вертепного дійства вулицями старого міста. 8 січня традиційно відбудеться «Святкова хода звіздарів» центральними вулицями Львова. Хода рухатиметься площею Ринок і завершиться на ярмарковій площі біля Оперного театру. А на сцені біля оперидіятиме різдвяна програма – колядування від фольклорних колективів міста, виступи вертепів, естрадних виконавців,презентація звізд від майстрів, нагородження звіздарів.

    (Colaboração: Mirna Slava Kirylowicz Voloschen)

    IX Міське Свято Пампуха Січень 2016 Дата проведення: 7-10 січня 2016 рокуМісце проведення:площа Ринок (північна сторона) Сайт: www.pampuh.lviv.ua Тел.: (032) 235 77 88

    Різдво у Львові важко уявити без коляди та пампухів. Саме тому у розпал святкової містерії у центрі міста 7 січня стартує вже IX Міське Свято Пампуха. Впродовж п’яти днів на площі Ринок витатиме атмосфера виняткової духовності, відвідувачі Свята Пампуха матимуть нагоду поколядувати, скуштувати найрізноманітніші види пампушків та пізнати давні українські традиції.

    «Кожного року на Святі Пампуха дедалі зростає асортимент пампушків. Цьогоріч знову запрацює Велика Пампухова хата, де можна буде спробувати пампухи за рецептурою не тільки українською, а й інших країн. Ми також маємо приємну новину для тих відвідувачів, що не мають нагоди потрапити на Свято у зв’язку з тим, що їдуть за межі міста до своїх родин. Ми спеціально продовжили Свято ще на два дні, щоб ви могли якнайдовше насолоджуватись колоритом Різдвяного Львова», - зазначив директор Міського Свята Пампуха Андрій Сидор. Традиційно на Святі кожен охочий зможе долучитись до різноманітних

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 7N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015

    пампухових забав, серед яких: «Конкурс на найкращий вертеп», «Конкурс господинь», «Конкурс пампухоїдів» та «Конкурс чортів та ангелів».

    У Святі Пампуха найголовніше – традиція. Нам дуже важливо донести інформацію до вертепів, які можуть взяти участь, і обов’язково до господинь, які щороку дивують нас незвичними, смачними пампушками і новою рецептурою. Для них усіх ми готуємо великі гарні різдвяні сюрпризи. Звичайно, не забудемо і про тих, хто просто прийде до нас на Свято, на площу Ринок. У цьому колі, біля Пані Пампухової, провести свято – це все одно, що піти на Святу вечерю до своєї мами», - повідомила Пані Пампухова, офіційне обличчя Міського Свята Пампуха. Цьогоріч на Святі Пампуха знову працюватиме Львівська Різдвяна пошта. Усі охочі зможуть відправити ексклюзивну

    Pіздвяну art-листівку у будь-який куточок світу, і таким чином подарувати частинку львівських святкувань. Свято Пампуха продовжує art-проект «Зі Львова з любов'ю»! Організатор: компанія «ДікАрт» Сайт Свята: www.pampuh.lviv.ua.

    НОВИЙ РІК НА СОФІЇ Новий рік на Софії 2016, Київ 1618 Невпинно наближаються новорічні свята,

    тому організатори «Folk Ukraine» вже встигли приготувати для киян та гостей столиці цікаву святкову програму, що проходитиме у стилі домашнього затишку. У Новий рік на Софії у Києві для гостей відбудеться святковий концерт з хітами популярних українських виконавців. За традицією святкування Нового року у вишуканому європейському стилі організатори збираються провести вокальний конкурс кращих тенорів країни. Взяти участь у конкурсі мають можливість і закордонні учасники. Фінал пройде 31 грудня на Софійській площі. Зустріч Нового року у Києві на площі почнеться увечері 31 грудня, близько 20:00, та завершиться 1 січня далеко після опівночі. Традиційно кульмінацією свята стає феєрверк, однак цього разу міська влада вирішила відмовитися від салюту, оскільки в країні ще тривають військові дії. Місце проведення: святкування проходитиме на Софійський площі у Києві. Дата проведення: відкриття свята на Софії – 19 грудня, фінал припадає на закриття ярмарку 16 січня.

    http://ua.igotoworld.com/ua/eventPage/1180_novyy-god-na-sofii-2015-kiev.htm#

    (Colaboração: Mirna Slava Kirylowicz Voloschen)

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 N.o 491 (3936) DEZEMBRO 20158

    NOTÍCIAS

    Cida Borghetti recebe comitiva ucraniana interessada em parceria na

    área da saúde

    A vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti, recebeu nesta quarta-feira (9), o embaixador da Ucrânia no Brasil, Rostyslav Tronenko, e uma comitiva diplomática e empresarial daquele país, interessada em parcerias na área da saúde. O encontro, no Palácio Iguaçu, teve a presença da embaixatriz Fabiana Tronenko, do gerente para a América Latina da empresa farmacêutica Yuria-Pharm, Kirill Paulikhin, e o diretor-presidente do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), Júlio Felix. “O Paraná vem se destacando cada vez mais com esses acordos e apoios internacionais. Com a Ucrânia poderemos trabalhar uma ampla plataforma de produtos e transferir tecnologia ao país”, afirmou Cida Borghetti.

    Recentemente a vice-governadora e o embaixador da Ucrânia estiveram no Ministério

    da Saúde apresentando o potencial fármaco e uma possível parceria para abastecer o Sistema Único Brasileiro (SUS). “O Paraná vem discutindo esta parceria há algum tempo. O governador Beto Richa já visitou empresas ucranianas com potencial para cooperar com o estado e hoje demos mais um passo importante e firme nas negociações”, explicou o diretor-presidente do Tecpar, Júlio Felix. O embaixador Rostyslav Tronenko afirmou que o país tem interesse de ampliar as parcerias das empresas ucranianas com o Estado. “São projetos estratégicos para os dois países em áreas de alta tecnologia. O Paraná é inovador e buscamos essa sinergia”, disse ele. Já o gerente da Yuria-Pharm, adiantou que a intenção da empresa é de entrar no mercado brasileiro já em 2016, quando a companhia obtiver os registros de medicamentos para tuberculose na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Temos quatro produtos com registro em processo na agência e buscamos no Tecpar um parceiro para a produção brasileira”, disse. INCUBADORA - A relação do país do Leste Europeu com Governo do Paraná na área de saúde foi intensificada a partir deste ano, quando a Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec) formalizou a entrada no processo de incubação da empresa ucraniana LOT Group, especializada em sistemas de gestão de transporte público, sistemas de pagamento e controle de acesso.

    Pela manhã, a comitiva, que também conta o cônsul honorário da Ucrânia em Paranaguá, Mariano Czaikowski, visitaram as instalações do Tecpar e conheceram o Parque

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 9N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015

    Tecnológico da Saúde. UCRÂNIA - O Brasil abriga hoje a maior comunidade ucraniana na América Latina, cerca de 1 milhão de pessoas, das quais 80% vivem no Paraná, segundo a Embaixada. Eles formam o segundo maior contingente eslavo a emigrar para o País, atrás apenas dos poloneses. “A Ucrânia faz parte de um momento histórico do Paraná especialmente a Região Metropolitana de Curitiba, que recebeu imigrantes ucranianos e que hoje somam cerca de 600 mil pessoas, que vivem aqui e puderam colaborar para o progresso do estado”, destacou Cida Borghetti.

    (Fonte: Agência de Notícias do Paraná / http://www.aen.pr.gov.br/)

    Campanha internacional na Internet #MyUkraineIs (Minha Ucrânia é)

    Para desenvolver a diplomacia pública o Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia está lançando a campanha internacional na Internet #MyUkraineIs destinada a promover o nosso país no exterior.

    www.myukraineis.org foi criado como resultado da cooperação entre o Ministério das Relações Exteriores (MRE), Ministério da Política de Informação e StratCom.UA. O site é uma plataforma para informar ao mundo sobre a Ucrânia e sua história. #MyUkraineIs é a hashtag da campanha. O site é uma versão na Internet do livreto "A Ucrânia: a Liberdade, a Dignidade, a Criatividade", apresentado no MRE no dia 30 de novembro, mas o site vai mais longe, permitindo que os usuários adicionem conteúdo por si mesmos. Qualquer ucraniano ou estrangeiro pode compartilhar informações sobre a Ucrânia e ucranianos famosos usando o botão "Adicionar a sua história". As melhores sugestões serão

    consideradas por especialistas e, se for aprovadas, adicionadas ao site para contar ao mundo sobre a Ucrânia em uma maneira emocionante. A ideia central do projeto consiste em escapar de clichês e estereótipos existentes sobre a Ucrânia. Missões diplomáticas da Ucrânia no exterior, comunidades ucranianas no estrangeiro e os nossos parceiros internacionais estarão envolvidos na campanha #MyUkraineIs. Siga a campanha nas páginas oficiais do Ministério das Relações Exteriores e das Embaixadas no Twitter, Facebook, VKontakte e Google+. O Ministério das Relações Exteriores convida a todos para promover o sitewww.myukrianeis.org e oferecer seus próprios fatos sobre a Ucrânia.

    A imagem internacional da Ucrânia é a nossa responsabilidade conjunta!

    (Embaixada da Ucrânia no Brasil)

    Idosas vivem na zona de exclusão de Chernobyl, evacuada em 1986

    GEORGE JOHNSONdo "NEW YORK TIMES"

    Enquanto caminhávamos pelas casas vazias, a última coisa que eu esperava ver era alguém morando por lá. Mas, de repente lá estava ela. Saindo de seu chalé com botas e um lenço amarrado na sua cabeça, Rosalia nos cumprimentou em ucraniano e mostrou

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 N.o 491 (3936) DEZEMBRO 201510

    orgulhosa sua plantação de batatas. Ela é uma dos cerca de cem idosos, em sua maioria mulheres, que continuam a viver na zona de exclusão de Chernobyl —uma área de mais de 1.500 quilômetros quadrados que foi evacuada em 1986 depois do catastrófico acidente na usina nuclear. Em 2011, a área foi oficialmente aberta aos visitantes e, no ano passado, me uni a um grupo de turistas para um passeio de dois dias pela zona. Em outro vilarejo, nosso guia nos apresentou Maria, que contou que comemoraria 86 anos em julho. "Venha me visitar no dia 16", afirmou com um sorriso banguela. "Nós vamos dançar." O Prêmio Nobel da Literatura deste ano foi para Svetlana Alexievich, que ficou conhecida pelo livro "Vozes de Chernobyl", um comovente relato da história das milhares de famílias que foram obrigadas a sair de casa em decorrência do desastre. Mas o novo documentário americano "As Babushkas de Chernobyl", dirigido por Holly Morris e Anne Bogart, conta uma história diferente: das mulheres destemidas que insistiram em voltar para casa —e conseguiram, por sua conta e risco, convencer o governo a deixá-las em paz por lá. “Elas comem legumes e verduras plantadas no quintal, além de frutas e cogumelos que crescem nas florestas”. Yuli Solsken/The New York Times

    A idosa Nadiya Gorbachenko, que vive na área de exclusão de Chernobyl, evacuada em 1986. "O que me dá mais medo é a fome, não a radiação", Hanna Zavorotnya, de 83 anos, afirmou para a câmera, sentada em frente de casa enquanto descasca os cogumelos que vai refogar com cebola. Ela tira água do poço para beber e dar para as galinhas no quintal. Assim como muitas outras babushkas, ela era criança durante a grande fome de Stalin e estava na escola quando os nazistas passaram pela Ucrânia. Elas sobreviveram aos maridos e, em alguns casos, ao câncer de tiroide. A maioria delas morre em decorrência de AVCs e de outras complicações típicas da idade. "A zona de exclusão não é uma prisão", afirmou Valentyna Ivanivna, de 75 anos, enquanto é filmada pescando no rio Pripyat, que

    passa ao lado da antiga usina nuclear. "Em Kiev, eu já teria morrido há muito tempo, já teria morrido cinco vezes. Todos os carros lançam a tabela periódica inteira no ar e você coloca tudo aquilo para dentro do pulmão", afirma. Mais tarde acompanhamos uma de suas visitas ao médico, sentada na cadeira do espectrômetro de radiação para conferir os níveis de césio no corpo. "Você está bem", garante o técnico do laboratório. Ele repete aquilo que ela já sabe —que a radiação é perigosa. Os cogumelos, que retiram nutrientes do solo, são especialmente complicados.

    JAPÃO Enquanto eu assistia ao filme, pensava nas cerca de 1.600 pessoas que morreram em decorrência da evacuação da área afetada pelo desastre de Fukushima em 2011. Desde que escrevi sobre as consequências do acidente, há cerca de um mês, o primeiro caso de câncer foi atribuído à radiação no Japão. O paciente é um dos trabalhadores responsáveis pela limpeza da região. Não há como saber se a leucemia foi de fato causada pela radiação — ao concordar em assegurar o tratamento médico, o governo japonês deu a ele o benefício da dúvida. No caso de Chernobyl, tão resistentes quanto as babushkas são os animais selvagens daquela região. Um estudo publicado no mês passado na revista "Current Biology" revelou que as populações de alces, veados, javalis e lobos não estão apenas sobrevivendo, mas prosperando. "A despeito dos possíveis efeitos da radiação sobre os animais, a zona de exclusão de Chernobyl comporta uma comunidade abundante de mamíferos mesmo depois de quase três décadas de exposição constante à radiação", concluíram os pesquisadores. Obviamente, o acidente trouxe muitos efeitos nocivos. No início, cerca de 30 bombeiros morreram ao se exporem à radiação excessiva, e cerca de 6.000 pessoas que foram expostas durante a infância mais tarde tiveram câncer na tiroide. A Organização Mundial da Saúde previu que a radiação poderá causar cerca de 4.000 mortes prematuras por câncer. Mas a verdade é

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 11N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015

    que ninguém sabe ao certo. Estudos epidemiológicos são sempre incertos, algo que Mary Mycio, autora do livro "Wormwood Forest: A Natural History of Chernobyl" afirma durante o documentário. "Qualquer estudo médico tem falhas e isso significa que as pessoas podem usar a mesma pesquisa como argumento a favor ou contra o retorno para a região. Ninguém tem respostas inequívocas", afirma.

    (Fonte: Jornal FOLHA DE SÃO PAULO)

    Da "Companhia de Mulheres" ao "Batalhão Invisível": como lutam as

    ucranianas!

    “As mulheres são capazes de lutar muito melhor que alguns generais-homens” (autores da pesquisa).

    Em Kyiv apresentaram o primeiro estudo sociológico sobre a participação das mulheres na guerra do Donbas. Seu nome - "Batalhão Invisível" - metafórica, porque a experiência das mulheres no exército ucraniano é, em grande parte invisível para o público, e para a legislação. Sim, as mulheres militares não podem abraçar uma lista significativa de postos, têm pior segurança e precisam, constantemente, refutar os estereótipos em relação a suas próprias habilidades. Mas os autores da pesquisa estão convencidos: as mulheres tem capacidade de luta melhor do que alguns generais - homens, que lhes estabelecem limites.

    Mulheres combatentes na posição dos exércitos ucranianos na aldeia Pisky. Janeiro 2015.

    A base do estudo do "batalhão invisível" foram cerca de 50 entrevistas com homens e mulheres que servem na zona de combate. Uma seção separada e dedicada à participação das mulheres no Euromaidan, especialmente a "Companhia de Mulheres", porque logo após a revolução muitas mulheres que dela participaram, tornaram-se soldados. Primeiramente, os sociólogos explicaram a motivação das mulheres-voluntárias. Todas elas vieram à frente por razões patrióticas e planejaram permanecer lá até o final da guerra. Estas mulheres, dizem os pesquisadores, geralmente são mais motivadas que os homens: para chegar à guerra, elas precisam superar estereótipos, provar o direito de lutar e aceitar o fato de que com a proteção social não poderão contar. A legislação ucraniana reconhece um rol de posições, que não estão abertas ao sexo feminino. Trata-se não apenas das profissões de franco-atiradores ou olheiros. Elas também não podem ser, entre outros, motoristas, fotógrafas, projecionistas, instrutoras ou tradutoras.Todos os cargos que contém a palavra "chefe" ou "comandante", não são disponíveis para mulheres, diz um coordenador de pesquisa e diretor do Centro da exploração aérea Maria Berlinska, a exceção do chefe da casa de banhos. "Chefe da cozinha" também não pode ser mulher. No entanto, cozinheira - sim, pode", - disse ela.

    Mulher-soldado na zona ATO, na localidade próxima a Luhansk. “As mulheres recebem lesões e contusões. E também são - “cozinheiras”.

    Estas regras são definidas em dois documentos: "Lista provisória de cargos de sargentos e sub-oficiais", de maio de 2014 e

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 N.o 491 (3936) DEZEMBRO 201512

    a maioria respondeu afirmativamente. As mulheres, frequentemente são melhores franco-atiradoras ou médicas devido a serem melhor desenvolvidas nas habilidades motoras finas, além disso, são mais disciplinadas e menos propensas ao alcoolismo. Finalmente, alguns homens reconhecem que possuem exemplos positivos da participação de mulheres nas ações militares mas, ainda assim acreditam, que a guerra não é assunto de mulher. Os estereótipos são comuns entre as próprias mulheres: muitas consideram, que realizam tarefas menores em comparação com as executadas pelos homens. Sociólogo e autor do estudo Tamara Martsenyuk: na sociedade moderna, as próprias mulheres têm o direito da escolha: preparar a sopa ou morrer nas barricadas. "O paternalismo estatal é bastante desatualizado. Muitos documentos internacionais declaram mudança do papel da mulher não apenas como vítimas de conflitos, mas como membro partícipe de plenos direitos, na resolução de conflitos, no nível dos homens", - diz ela.

    Mulheres combatentes do “Setor Direito” durante exercícios militares próximo a cidade de Khust no Zakarphatia.

    "No exército, o condutor não apenas dirige o carro. Uma mulher pode não dar conta". Tamara Martsnyuk diz, que a razão da proibição às mulheres de uma ampla gama de posições é devido ao ato que, as Forças Armadas fazem parte do mercado de trabalho. Portanto, os direitos das mulheres lá são definidos com a legislação trabalhista. Lá, desde o período soviético estão prescritas certas regras, que regulamentam o trabalho das mulheres: por exemplo, limite de peso que a mulher pode

    "Ordem do Ministro da Defesa para posições oficiais às quais podem nomear mulheres, alistadas para serviço militar nos termos de contrato". No entanto, as mulheres executam, de fato, as mesmas tarefas que os homens, mas não são registradas ou, oficialmente, ocupam outras posições. Por conseguinte, não tem direito aos benefícios sociais, diz Maria Berlinska. Antes da guerra esta situação era silenciada. Sabiam, talvez, a história de Nadia Savchenko, que por dias guardava o Ministério da Defesa, para encontrar-se com o ministro e obter permissão para fazer o curso de piloto. Mas isto foi antes da guerra. Agora a história é outra. Já muitas mulheres passaram pela frente, receberam lesões, concussões, e experiência. E, juntamente com isso, elas são "cozinheiras", - observa Berlinska. "As mulheres não são vítimas, elas tem plenos direitos de participação da solução de conflitos." A pesquisa "Batalhão invisível" divulgou uma série de problemas, sobre os quais, como dizem os sociólogos, geralmente não mencionam na mídia. Por exemplo, a alta de tamanho adequado do uniforme e produtos ginecológicos, síndrome pós-traumático e problemas de reintegração. Algumas mulheres contaram, que os serviços sociais tentavam pegar seus filhos, enquanto elas permaneciam na zona de combate.

    Mulheres-soldados ucranianas durante o

    ensaio da parada militar no Dia da Independência da Ukraina.

    À pergunta "Se o exército se tornará mais efetivo com a participação das mulheres?"

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 13N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015

    levantar, ou a proibição de dirigir certos veículos. O coronel Vitaly Golota, chefe do departamento social-militar do Departamento Pessoal das Forças Armadas explica: as vagas seniores, as mulheres não podem ocupar porque elas têm menos possibilidades de estudo para especialidades militares. No entanto, posições proibidas é problema da legislação. Muitas proposições para expansão das Forças Armadas foram rejeitadas pelo Ministério dos Assuntos Sociais, diz Vitaly Golota. No entanto, que esta lista é discriminatória, o coronel não considera. E acrescenta, que, por exemplo, a posição do motorista no exército não implica apenas na condução. "Às responsabilidades do condutor - e isto não é compreensível para um civil - estão incluídos o disfarce, a reparação do veículo, etc. A mulher, com todo o respeito, poderá não ter capacidade física" - diz Golota. Hoje, nas Forças Armadas da Ucrânia servem 14.500 mulheres, quase 2.000 delas - oficiais, 35 ocupam cargos seniores no Ministério da Defesa, no Estado-Maior, nos diferentes tipos de Forças Armadas da Ucrânia. 938 mulheres têm o estatuto de combatentes.

    Durante a cerimônia de premiação presidencial aos oficiais das Forças Armadas. Radio Svoboda (Rádio Liberdade, 04.12.2015

    Eugenia Oleinik

    ONU pede retorno de agências humanitárias ao leste da Ucrânia

    A ONU defendeu nesta sexta-feira(11) o retorno de todas as organizações humanitárias ao leste da Ucrânia, estimando que sua ausência teve um "impacto devastador" sobre a

    população. Ao retornar de uma visita a esta região, o diretor de operações humanitárias da ONU, John Ging, celebrou a suspensão da proibição para o envio de ajuda humanitária imposto entre julho e outubro pelos separatistas na região de Lugansk, mas lamentou que "os programas humanitários da ONU sigam suspensos" na zona separatista de Donetsk, também no leste da Ucrânia, e que "apenas duas organizações humanitárias foram autorizadas a retomar suas atividades". Nesta região, 37 trabalhadores locais e 12 internacionais da ONU "estão no terreno e prontos para trabalhar, mas carecem de autorização", disse Ging. Ao falar ao Conselho de Segurança, que debatia a situação da Ucrânia, o responsável da ONU pediu "o apoio dos membros do Conselho para garantir o retorno de todas as agências humanitárias a estas zonas". "Agora o inverno se aproxima e apelo às autoridades de fato para que autorizem o regresso imediato de todas as organizações humanitárias" às zonas controladas por separatistas pró-Rússia. A ausência "inaceitável" das agências durante quatro meses "teve um impacto devastador na população já vulnerável e sofrendo". Os rebeldes pró-Rússia aumentaram progressivamente o controle sobre o trabalho das ONGs estrangeiras no leste da Ucrânia, onde o conflito já deixou mais de 9 mil mortos desde abril de 2014.

    (Fonte: Jornal ZERO HORA)

    Rússia admite manter pessoal com “tarefas militares” na Ucrânia

    “Nunca dissemos que não havia pessoas realizando certas tarefas. Mas isso não significa que haja tropas russas lá. Veja a diferença.”(Presidente russo, Vladimir Putin, em sua conferência de fim de ano, em Moscou)

    O presidente russo, Vladimir Putin, admitiu que manteve pessoal no leste da Ucrânia realizando “certas tarefas militares”, mas negou

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 N.o 491 (3936) DEZEMBRO 201514

    I BAIKACONCURSO NACIONAL DE CONTOS DA

    CULTURA ESLAVA

    O NÚCLEO DE ESTUDOS ESLAVOS/NEES, da UNICENTRO, Campus Universitário de Irati, torna público o I BAIKA - CONCURSO NACIONAL DE CONTOS DA CULTURA ESLAVA, importante espaço de visibilidade e divulgação da cultura polonesa e ucraniana no Brasil. 1. O Concurso se destina a todas as pessoas interessadas. Cada concorrente poderá participar com apenas um trabalho que ainda não tenha sido premiado em outro concurso ou já publicado em livros, coletâneas ou revistas. 2. A inscrição é gratuita e pode ser efetivada no período de 6 de novembro de 2015 a 6 de maio de 2016 por meio de uma das três formas disponíveis: a) pelo endereço

    eletrônico eventos.unicentro.br/ibaika2015; b) pessoalmente, no NÚCLEO DE ESTUDOS ESLAVOS/NEES, Campus Universitário de Irati, UNICENTRO; c) pelo correio, remetendo a inscrição ao endereço: UNICENTRO, Campus de Irati, Núcleo de Estudos Eslavos/NEES, BR 153 – Km 7 – Bairro Riozinho, Caixa Postal 21, CEP: 84500-000, Irati – Paraná. 3. No ato da inscrição é obrigatório entregar a FICHA DE INSCRIÇÃO, uma (1) cópia impressa e outra digital do conto, gravada em CD, Formato Word, escrito em língua portuguesa, ucraniana ou polonesa, digitado em espaço 1,5 (um e meio), com fonte Arial, tamanho 11 (onze). 4. O tema obrigatoriamente deverá versar acerca da cultura polonesa ou ucraniana, podendo narrar elementos da história, lendas, mitos, rituais, brincadeiras, saberes ou qualquer outro aspecto dessas culturas. 5. A Comissão Julgadora será composta por até cinco membros da comunidade acadêmica e/ou eslava, sendo sua decisão soberana e irrecorrível. 6. Serão premiados com troféu e medalha os três melhores contos da cultura polonesa e os três melhores contos da cultura ucraniana. 7. Os contos inscritos consideram-se propriedade do Núcleo de Estudos Eslavos/ NEES, com finalidade de publicação. 8. O resultado do concurso será divulgado durante o IV SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS ESLAVOS, em junho de 2016, na UNICENTRO. Na ocasião os contos premiados serão apresentados também de forma oral. 9. O encaminhamento dos trabalhos na forma prevista neste regulamento implica na concordância com as disposições nele consignada.

    NÚCLEO DE ESTUDOS ESLAVOS/NEES

    DOAÇÃO PARA O JORNAL

    WIRA SELANSKI .............................. R$ 100,00

    que sejam tropas regulares. Putin disse que está disposto a convencer os separatistas de que é necessário um acordo a fim de alcançar uma solução para o conflito na região.

    (Fonte: Jornal GAZETA DO POVO)

  • ХЛІБОРОБ – ГРУДЕНЬ 2015 15N.o 491 (3936) DEZEMBRO 2015

    ANUNCIANTES