Os Ditames da Consciência: "Consciência significa sem medida" Vol. V

  • View
    219

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Os Ditames da Consciência encontra-se no seu 5º volume e, neste sentido, compartilho com o leitor a gratidão pelo cumprimento de um dever que entendo como sagrado, de todo Ser Humano, que é o de buscar favorecer reflexões voltadas para a compreensão de nós mesmos, como: o Ente Humano e sua Potência Latente – a Consciência, a partir dos seus Ditames, ou seja, daquilo que ela estabelece, a sua voz íntima, como denuncia os nossos ensinamentos.

Text of Os Ditames da Consciência: "Consciência significa sem medida" Vol. V

  • Maribel Oliveira Barreto

    Os Ditames da Conscincia

    CONSCINCIA SIGNIFICA SEM MEDIDA

    Volume 5

    Salvador, Bahia Sathyarte

    2014

  • Maribel Barreto Os Ditames da Conscincia - Vol. 5

    Projeto grfico e editorao: Sathyarte - Arte e Mdia Ltda.

    e-mail: sathyart@terra.com.br

    Capa: Ana Paula Amorim

    B26

    BARRETO, Maribel. Os ditames da conscincia: conscincia significa

    sem medida. / Maribel Barreto. Salvador: Sathyarte, 2014. 92p.

    ISBN: 85-99225-05-2

    1. Conscincia - ditames. 2. Conscincia desenvolvimento. 3. Conscincia - espiritualidade. 4. Conscincia - educao. I. Ttulo.

    CDD: 989

    1 Edio - Salvador/Bahia, 2014. Direitos desta edio reservados autora,

    que permite e estimula a reproduo de parte do livro, desde que seja citada a fonte.

  • Maribel Barreto Os Ditames da Conscincia - Vol. 5

    medida que a vida avana, a Conscincia absoluta se manifesta,

    e, ao mesmo tempo, permanece imanente a todas as direes, at que possa atingir sua natureza

    e fim, qual seja manifestar-se como esprito.

    (HENRI BERGSON)

    A Conscincia o mago do nosso ser

    e est sempre presente, fora do espao, do tempo, do corpo fsico

    ou mesmo da mente.

    (MENAS KAFATOS; THALIA KAFATOU)

    A Conscincia aquela forma sem forma que constri,

    vivifica e conduz todas as formas.

    (JAIR TRCIO COSTA)

  • AGRADECIMENTO

    Agradeo a Deus por nos fazer compreender nossa identidade com Ele; termos vindo Dele; e estarmos voltando para o Mesmo, a partir de ns mesmos.

    Agradeo Natureza por nos oferecer, concomitantemente, vestgios do paraso material e sinais precursores do paraso espiritual.

    Agradeo a todos os Seres Humanos por nos impulsionar quanto ao processo que vai das trevas Luz; da ignorncia Sabedoria; enfim, da obscuridade Iluminao.

  • Maribel Barreto Os Ditames da Conscincia - Vol. 5

    PREFCIO

    Este livro da Professora-Doutora Maribel Barreto culmina uma srie luminosa de textos essenciais para a humanidade nesse incio do Terceiro Milnio.

    Trata-se do que ela, j no incio dos Agradecimentos desse precioso livro, elucida: reconhecer de onde viemos e para onde vamos. Apesar de esse conhecimento ser bsico para os iniciados, sabe-se que a difuso desse entendimento o que deve propiciar uma mudana radical no sentido que se d a vida em nosso planeta. Os Ditames da Conscincia: Conscincia significa sem medida, uma ferramenta crucial para uma adequada difuso daquele entendimento.

    Antes de tudo, h que se ter alguma ousadia para afirmar a impossibilidade de se medir a Conscincia e mais: reconhec-la como fator de superao dos limites que a vida material nos empurra o tempo todo fazendo crer que somos

  • Maribel Barreto Os Ditames da Conscincia - Vol. 5

    apenas aquilo que a vista alcana. A autora adverte que: No temos o direito de nos limitar ao at ento conhecido. At porque o desconhecido exige ser descoberto e nada existe de desconhecido que no possa e deva se tornar conhecido.

    Todo aquele que desenvolveu algum tipo de trabalho que propulsou o verdadeiro desenvolvimento da humanidade teve que ousar. Refiro-me aqui a ir contra a corrente massacrante e totalizante que quer nos fazer desconsiderar a essncia divina da espcie humana.

    Os volumes anteriores de Os Ditames da Conscincia seguiram um ordenamento como era de se esperar de uma autora reconhecida nessa rea que partindo dos conceitos, desperta o autoconhecimento e em seguida promove a autorrealizao. Estas so fases necessrias para que se possa entender e sentir a interao do ser universal com o Todo, que esse livro propicia. A compreenso dessa interao com o Todo ilumina o ser humano, como reconhece Maribel Barreto, quando afirma que A Conscincia, compreendida como uma qualidade da matria se divinizando, , de fato, a nica chave que nos possibilita o domnio sobre ns mesmos, em todos os ramos do nosso viver.

    Esse 5 volume de Os Ditames da Conscincia uma tarefa-misso que a autora se entrega de

  • Maribel Barreto Os Ditames da Conscincia - Vol. 5

    maneira obstinada resultando at aqui numa produo que agora completa dez livros!

    Escrever um livro, na maioria das vezes, contm um ato de generosidade; de doao. Todavia, quando uma autora se entrega inteiramente, mediante uma produo consistente e permanente de um tema como esse, como faz Maribel Barreto, tem-se a completitude de uma misso de vida voltada para o bem da humanidade. Beber dessa fonte sem fim imerso necessria para se decifrar o sentido da vida, sendo til ao prximo e a si mesmo. Nesse sentido, a autora, com propriedade, explica que Nossa experincia indica que sem Conscincia, seguramente, nossa existncia seria destituda de sentido, o viver possivelmente ftil e o dia a dia das nossas relaes, banal.

    Todo o empenho da autora fazer com que o seu leitor compreenda de fato a inexorvel evoluo lei a que todos esto sujeitos do cidado universal cujo destino : ... buscar, achar e manter o que, em essncia, somos. Os dois captulos que compem esse livro do conta dessa empreitada e, convenhamos, no pouca coisa. Por isso, soa definitivo quando o texto afirma... que cabe ao Ente Humano o desafio de viver buscando, cada vez mais, saber aquilo que se sente e sentir aquilo que se sabe, para assim poder buscar e achar, a partir de si

  • Maribel Barreto Os Ditames da Conscincia - Vol. 5

    mesmo, o novo, o absoluto, o real, a essncia, o imutvel, enfim, o atemporal, o desmedido.

    Finalmente, Maribel Barreto, como uma mestra que no se satisfaz apenas ensinando, apresenta um mtodo, mediante 7 exerccios, para consolidar o aprendizado que sua obra traz.

    Caminhar sabendo que ningum est s e que a espcie humana pertence a uma famlia nica no qual todos so Um a lio sbia que essa luminosa obra nos possibilita.

    Prof. Dr. Hlio Santos Presidente do Conselho Deliberativo do Fundo Baob Fundo para Equidade Racial www.baoba.org.br

  • Maribel Barreto Os Ditames da Conscincia - Vol. 5

    SUMRIO

    APRESENTAO ................................................. 13

    1 O ENTE HUMANO ........................... 17

    1.1 SER TRINO INDIVISVEL ................ 21

    1.2 LIMITES DO CONHECIMENTO

    NA CONSTRUO DO HUMANO .................. 44

    1.3 O SER SEM MEDIDA NO TODO ..... 52

    2 CONSCINCIA SIGNIFICA SEM MEDIDA59

    2.1 A CINCIA QUER MEDIR ............... 61

    2.2 A CONSCINCIA SE PRATICANDO .. 69

    2.3 MTODO PARA DESPERTAR A CONSCINCIA ... 76

    2.3.1 A centrao atravs de 7 exerccios ........... 77

    REFERNCIAS...................................................... 87

  • 13

    O

    APRESENTAO

    s Ditames da Conscincia encontra-se no seu 5 volume e, neste sentido, compartilho com o leitor a gratido pelo

    cumprimento de um dever que entendo como sagrado, de todo Ser Humano, que o de buscar favorecer reflexes voltadas para a compreenso de ns mesmos, como: o Ente Humano e sua Potncia Latente a Conscincia, a partir dos seus Ditames, ou seja, daquilo que ela estabelece, a sua voz ntima, como denuncia os nossos ensinamentos.

    Todos os volumes tem sido dedicados ao estudo e reflexes, acerca da Conscincia, nos aspectos de (1) conceituao, que se refere ao conhecimento acerca dela, seja cientfica, filosfica e religiosamente; (2) despertamento, construo e desenvolvimento da mesma, que favorece quanto ao autoconhecimento; e (3) autoConscincia, que promove o processo de autorrealizao do Ente Humano.

    Isto porque, o Ser Humano est, de fato, fadado libertao!

  • 14

    Este volume, especificamente, versa sobre a temtica: Os Ditames da Conscincia, cujo foco trata de: Conscincia, significa sem medida. Estruturado em dois captulos, ele tem como propsito oportunizar reflexes sobre o Ente Humano como Ser Trino indivisvel, que no seu processo de evoluo voluntria transita, a partir da sua Conscincia, de Humano para Indiviso; e deste para Divino, com suas aprendizagens e sentimentos. Fase esta, a Divina, que caracteriza o Ser sem medida no Universo do qual parte integrante.

    Adentramos, em seguida, na temtica da Conscincia significa sem medida, partindo da compreenso de que a Conscincia a nica capacidade que favorece ao Ser Humano, bem lidar com as questes da existncia, buscando conhecer, at o desmedido, at conceber-se como em essncia se .

    Para tal, evidencia o valor da prtica de centrao, como meio para o despertar da Conscincia. da interiorizao que nasce aquele estado de ser, que basta em si; no qual nada mais falta; no qual nada se acrescenta e nada se retira. de tal estado que surge o nico caminho digno do nome e com ele aquela honesta espontaneidade e contentamento de se ser o que, em verdade, se , ou pode ser; enfim, comum e comungado com o Divino,

  • 15

    principalmente de si mesmo, que atemporal, absoluto, real.

    Conscincia significa sem medida, portanto, nos convida para experimentar o novo, a essncia, o imutvel, enfim, o atemporal que sem medida, existe e sempre vem; reconhecendo o conhecimento existente, mas valorando os novos meios, at porque, Ela, a Conscincia, porta; ponte; instrumento; veculo; trato; enfim, a forma que toda forma deve usar para deixar de s-lo.

  • 17

    1

    O ENTE HUMANO

    A maioria das pessoas vive, seja fsica, intelectual ou moralmente,

    num crculo deveras restrito do seu ser potencial. Elas usam uma parcela nfima da sua Conscincia possvel.

    (WILLIAM JAMES)

    Conhecer o homem ser sbio. Conhecer a si mesmo ser iluminado.

    (LAO-TS)