Pergunt£o IPI - .aproveitado a qualquer tempo, respeitado o prazo prescricional de cinco anos, assim

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Pergunt£o IPI - .aproveitado a qualquer tempo, respeitado o prazo prescricional de cinco anos,...

  • 1

    ARQUIVO ATUALIZADO AT 07/02/2014

    Captulo XX - IPI 2014

    001 Esto sujeitos ao IPI os produtos resultantes de operaes caracterizadas como industrializao,

    quando essas so tambm consideradas servios

    sujeitos ao ISS, relacionados na lista anexa

    Lei Complementar n 116, de 2003?

    Sim. O fato de operaes caracterizadas como industrializao, pela legislao do IPI, se

    identificarem com quaisquer dos servios relacionados na lista anexa LC n 116, de 2003, sujeitos

    ao ISS, no impede a incidncia do IPI sobre os produtos resultantes dessas industrializaes.

    Normativo: Lei Complementar n 116, de 2003 (Lista Anexa); e Ripi/2010 - Decreto n 7.212, de 2010, art.4.

    002 Quando der sada a produtos tributados alquota zero, isentos ou imunes, pode o estabelecimento industrial que

    adquire matrias-primas (MP), produtos intermedirios

    (PI) e material de embalagem (ME) de comerciante

    atacadista no-contribuinte do IPI creditar-se do imposto a

    eles relativo, calculado mediante aplicao da alquota a

    que estiver sujeito o produto, sobre cinqenta por cento do

    seu valor, constante da respectiva nota fiscal de aquisio

    (art. 227, do Ripi/2010)?

    Sim. O direito ao crdito de IPI na hiptese de que se trata existe, ainda que as MP, PI e ME tenham

    sido utilizados em produtos isentos ou que tenham sua alquota reduzida a zero. Nesse aspecto, o

    art. 11 da Lei n 9.779, de 1999, no interferiu na aplicao do art. 227 do Ripi/2010.

    Quanto aos produtos imunes, no h direito de crdito de MP, PI e ME que tenham sido neles

    utilizados, exceto na hiptese de produtos tributados que tenham sido destinados exportao

  • 2

    para o exterior.

    Normativo: Lei n 9.779, de 1999, art. 11; e Ripi/2010 - Decreto n 7.212, de 2010, art. 227, art. 238 e art.256,

    2.

    ADI SRF n 5, de 2006.

    003 Tendo um estabelecimento saldo credor acumulado ao final de um trimestre pode transferir este saldo para outro

    estabelecimento filial? Se admitida a transferncia, como

    efetuar a operao?

    Os saldos credores do IPI, apurados na escrita fiscal, no podem ser transferidos, salvo

    determinao especfica. As quatro hipteses de transferncia atualmente em vigor, todas entre

    estabelecimentos da mesma empresa, esto enumeradas no 1 do art. 21 da IN RFB n 1.300,

    de 2012, devendo a operao de transferncia ser efetuada de acordo com o disposto no art. 24 da

    mesma Instruo Normativa.

    Veja ainda: Saldo credor: Pergunta 004 deste Captulo.

    Normativo: Ripi/2010 - Decreto n 7.212, de 2010, art. 407, inciso XIV; e IN RFB n 1.300, de 2012, art. 21, 1, e art. 24.

    004 A utilizao dos crditos do IPI para abatimento dos dbitos desse impostopode ser considerado pagamento?

    Sim. Segundo o regulamento, a deduo dos dbitos pelos crditos do imposto considerado

    pagamento, mesmo que no haja saldo devedor a recolher.

  • 3

    Veja ainda: Transferncia de saldo credor: Pergunta 003 deste Captulo.

    Normativo: Ripi/2010 - Decreto n 7.212, de 2010, art. 183, pargrafo nico, inciso III.

    005 Estabelecimento industrial ou equiparado a industrial que mudar de endereo, ao transferir todo o estoque de

    produtos existentes para o novo local, estar obrigado ao

    destaque e recolhimento do IPI sobre todo o estoque

    transferido?

    No. A transferncia de todo o estoque de produtos, juntamente com o estabelecimento, por motivo

    de mudana de endereo, no constitui fato gerador do IPI.

    Normativo: Ripi/2010 - Decreto n 7.212, de 2010, art. 38, inciso IV.

    006 No desmembramento de estabelecimento industrial, com a criao de um novo estabelecimento industrial,

    necessria a emisso de nota fiscal, na transferncia de

    propriedade de bens (ativos, estoques de insumos etc)?

    Se os bens no forem movimentados fisicamente, permanecendo no mesmo local, desnecessria a

    emisso de nota fiscal para documentar a referida transferncia, uma vez que no ocorrer fato

    gerador do imposto. Caso haja movimentao fsica, dever ser emitida nota fiscal correspondente

    operao.

    Veja ainda: Nota fiscal: Pergunta 035 deste Captulo.

    Normativo: Ripi/2010 - Decreto n 7.212, de 2010, art. 35, inciso II, e art. 407.

  • 4

    007 Para fins de clculo do crdito presumido do IPI como ressarcimento do PIS/Pasep e Cofins, a empresa produtora

    e exportadora deve emitir nota fiscal para registrar a

    variao cambial ocorrida entre a data de sada dos

    produtos do estabelecimento industrial e a data do efetivo

    embarque do produto? Esta variao cambial compe a

    receita de exportao para efeito de clculo do referido

    crdito?

    No para ambas as questes. O valor da nota fiscal em reais o preo da operao no momento da

    ocorrncia do fato gerador, no devendo compor a receita de exportao a eventual variao

    cambial.

    Veja ainda: Variao cambial:

    Pergunta 008 deste Captulo.

    Receita de exportao:

    Perguntas 008 e 009 deste Captulo.

    Apurao do crdito presumido:

    Perguntas 008, 009 e 014 a 017 deste Captulo.

    008 Empresa considera, para fins de registro contbil, como valor de receita de exportao o apurado na data de efetivo

    embarque do produto. Nesta situao, por estar levando

    em conta a variao cambial, haver divergncia entre o

    valor de receita de exportao, registrado contabilmente, e

    o registrado com base nas notas fiscais emitidas na sada

    dos produtos do estabelecimento. Qual o valor de

    exportao que dever ser utilizado para clculo do crdito

    presumido?

    O valor em Reais registrado nas notas fiscais emitidas nas sadas dos produtos do estabelecimento

    industrial. A receita de exportao ser o correspondente ao somatrio anual dos valores

    escriturados no Livro Registro de Apurao do IPI, cdigo 7.101, excludas as sadas para

    exportao que no foram efetivamente realizadas e acrescido das sadas para comercial

  • 5

    exportadora com o fim especfico de exportao.

    Notas:

    No cdigo 7.101 do Livro Registro de Apurao do IPI escrituram-se as vendas para o exterior de produtos industrializados no estabelecimento.

    Veja ainda: Variao cambial:

    Pergunta 007 deste Captulo.

    Receita de exportao:

    Perguntas 007 e 009 deste Captulo.

    Apurao do crdito presumido:

    Perguntas 007, 009 e 014 a 017 deste Captulo.

    Normativo: IN SRF n 419, de 2004, art.17; e IN SRF n 420, de 2004, art. 21.

    009 No caso de a empresa exportar produtos tributados e produtos no tributados NT, dever ser excludo da

    receita de exportao o valor referente s exportaes de

    produtos NT, para fins de apurao do crdito presumido

    do IPI ?

    Sim, os produtos NT, estando fora do campo de incidncia do tributo, no geram direito ao crdito

    presumido. Porm, no caso de exportaes de produtos isentos ou tributados alquota zero, os

    produtos, permanecendo no campo de incidncia, do imposto geram direito ao crdito presumido

    do IPI.

  • 6

    Veja ainda: Receita de exportao:

    Perguntas 007 e 008 deste Captulo.

    Apurao do crdito presumido:

    Perguntas 007, 008 e 014 a 017 deste Captulo.

    Normativo: Ripi/2010 - Decreto n 7.212, de 2010, art. 2, pargrafo nico; IN SRF n 419, de 2004, art. 17, 1; e

    IN SRF n 420, de 2004, art. 21, 1.

    010 assegurado ao produtor/exportador o direito utilizao do crdito presumido do IPI como ressarcimento do

    PIS/Pasep e Cofins, quando os insumos empregados na

    industrializao de produtos exportados forem adquiridos

    de no contribuintes daquelas contribuies?

    No. S far jus ao crdito presumido o produtor/exportador que adquirir insumos de fornecedores

    que efetivamente pagarem as contribuies do PIS/Pasep e da Cofins.

    Veja ainda: Direito utilizao do crdito presumido: Perguntas 011 e 013 deste Captulo.

    Normativo: IN SRF n 419, de 2004, art. 3; e IN SRF n 420, de 2004, art. 6.

    Parecer PGFN/CAT n 3.092, de 2002, item 46.

    011 Empresa produtora/exportadora de produtos industrializados, que adquire matrias-primas, produtos

    intermedirios e material de embalagem de empresas

    optantes pelo Simples, tem direito ao crdito presumido

    do IPI como ressarcimento do PIS/Pasep e da Cofins?

    Sim. No h vedao na legislao do Crdito Presumido de IPI para o aproveitamento do benefcio

    com relao s aquisies de insumos de empresas inscritas no Simples.

  • 7

    Veja ainda: Direito utilizao do crdito presumido: Perguntas 010 e 013 deste Captulo.

    Optantes pelo Simples:

    Perguntas 021 a 023 deste Captulo.

    Normativo: Lei Complementar n 123, de 14 de dezembro de 2006.

    012

    Empresa que apura crdito presumido do IPI, com base na

    Lei n 9.363, de 1996, pode, durante o ano-calendrio,

    alterar a forma de apurao a fim de adotar o regime

    alternativo previsto na Lei n 10.276, de 2001, atravs de

    retificao do DCP (Demonstrativo do Crdito

    Presumido)?

    No. A opo pelo regime de apurao do crdito presumido do IPI anual e definitiva para cada

    ano-calendrio, no se admitindo retificao do demonstrativo em que se tenha sido formalizada a

    opo com objetivo de alterao do regime de apurao.

    Normativo: IN SRF n 419, de 2004, art. 12; e IN SRF n 420, de 2004, art. 16.

    Notas:

    A Ficha Novo Demonstrativo do Programa DCP, verso 1.2, nas Instrues de Preenchimento, esclarece que no ser admitida mudana

    de opo durante o ano-calendrio.

  • 8

    013 Empresa que no utilizou na poca prpria o crdito presumido a que f