Pranchas TFG

  • View
    225

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Pranchas TFG

Text of Pranchas TFG

  • A CIDADE DE TATU HOJE

    A Tatu de hoje, tem cerca de 110 mil habitantes, os quais vivem da indstria, do comrcio, de servios e da agropecuria. A cidade localizada no centro-oeste do estado de So Paulo, tem 524,16Km, e fica a aproximadamente 140Km da capital

    paulista, fazendo divisa com as cidades de Boituva, Itapetininga, Capela do Alto e

    Cesrio Lange.

    Apesar de ser uma cidade de mdio porte, ainda apresenta ares de interior, com o comrcio bastante concentrado, a praa da Igreja Matriz e o Largo do Mercado.

    Do ponto de vista econmico, a cidade tem progredido, com a chegada de novas indstrias de grande porte, no entanto muitos tatuianos instalam-se em outras localidades em busca de melhores oportunidades de emprego. A infra-estrutura local foi ampliada, com a construo de novos postos de sade e creches. Mas, a cidade ainda bastante carente no que diz respeito a equipamentos pblicos, tais como parques, praas e reas para a prtica esportiva e o lazer.

    O PASSADO FABRIL

    A partir da dcada de 1860 chegaram cidade de Tatu as primeiras sementes do algodo herbceo, importadas dos Estados Unidos da Amrica. Estas devido a boa adaptao ao clima e a pronta aceitao por parte dos agricultores, tranformaram aquela localidade na maior produtora do chamado Ouro Branco ou ainda Algodo Tatu no sul do pas. Em consequncia desta prspera cultura surgiram em Tatu, trs importantes tecelagens: a Companhia de Fiao e Tecelagem So Martinho, a Fiao Santa Cruz- tambm conhecida como Campos Irmos- e a Fiao Santa Izabel, as quais foram, por muitos anos, responsveis pela manufatura do algodo produzido na cidade. Aps franco declnio das tecelagens da cidade, a cidade adota uma nova vocao: a msica.

    RECONHECIMENTO DO OBJETO: A CIDADE DE TATU E A COMPANHIA DE FIAO E TECELAGEM SO MARTINHO METODOLOGIA- ETAPA 01

    A CIDADE DE TATU

    A primeira indstria da cidade de Tatu, a Companhia de Fiao e Tecelagem So Martinho, 1910.

    A Fiao Campos Irmos.

    A Fiao Santa Isabel.

    O edifcio sede do Conservatrio de Tatu e seus anexos, dispersos pela regio

    central da cidade.

    Os edifcios institucionais da cidade de Tatu, com valor arquitetnico ou histri-co. Destaque para a Fiao Campos Irmos, um dos dois objetos protegidos pelos meios legais na cidade.

    Nota-se que apesar da tradio agrcola do municpio a maior fonte de renda da

    cidade hoje a indstria.Fonte:

    O CONSERVATRIO DRAMTICO E MUSICAL Dr. CARLOS DE CAMPOS

    H 56 anos, a cidade abriga o nico conservatrio pblico do pas, a maior escola de msica da Amrica Latina. O Conservatrio Dramtico e Musical Dr. Carlos de Campos, que tm hoje 2669 alunos, de vinte estados barsileiros e de vrios pases. Apesar da sua slida estrutura educacional, a estrutura fsica da escola bastante deficitria. No presente, a instituio conta com seis edifcios, entre casas e prdios, alugados para atender suas demandas fsicas. Estes, inadequados educao musical, apresentam espaos pequenos, com tratamento acstico ineficiente ou inexistente.

    RECONHECIMENTO DO OBJETO: A CIDADE E O CONJUNTO 01/13

    O PATRIMNIO NA CIDADE DE TATU

    Quanto ao patrimnio arquitetnico na cidade de Tatu, tem sido constante as demolies de construes antigas, de valor, porm ainda no reconhecidas pelos orgos pblicos. Tais edificaes, so de modo geral de particulares, sendo que as edificaes pblicas, que tanto testemunham a histria da cidade, ainda encontram-se em uso e bom estado de conservao. Hoje apenas o conjunto arquitetnico da Companhia de Fiao e Tecelagem So Martinho e a Fiao Campos Irmos so tombadas pelo orgo estadual de preservao- CONDEPHAAT.

    Praa So Martinho

    Rua J

    os B

    onif

    cio

    Rua

    Coro

    nel A

    urel

    iano

    de

    Cam

    argo

    N

    O CONJUNTO FABRIL DA COMPANHIA DE FIAO E TECELAGEM SO MARTINHO

    13

    AS DIFERENTES TIPOLOGIAS DO CONJUNTO FABRIL

    (1)(2)

    O conjunto arquitetnico da Companhia, est implantado na rea central da cidade de Tatu, ocupando cerca de 47.000m; dos quais 13000m correspondem aos galpes fabris principais. Os restantes somam 39 casas operrias, a casa de morada dos tcnicos/administrador, o casaro do proprietrio e terrenos vazios. Este um dos poucos conjuntos fabris remanescentes do apogeu industrial paulista vivido em fins do sculo XIX e incio do sculo XX ainda em razovel estado de conservao. Sob o ponto de vista formal e construtivo, as edificaes apresentam diferenas relacionadas ao programa de uso. As moradias operrias so bastante modestas, sem ornatos ou detalhes decorativos nas fachadas. J a casa de morada dos tcnicos e do administrador, alm de ser bem mais ampla e confortvel, localiza-se em um terreno de esquina, tendo um tratamento de fachada mais rebuscado, com alguns elementos decorativos. O casaro do proprietrio, de tendncia estilstica afiliada ao ecletismo, bastante imponente, apresentando uma grande riqueza de detalhes e ornamentos.Todas as construes do conjunto, incluindo-se os galpes fabris, so edificadas em alvenaria de tijolos portantes rebocados, material regional- a cidade de Tatu destaca-se ainda hoje pelo grande nmero de cermicas e olarias- caractersticas tpicas dos espaos fabris.

  • RECONHECIMENTO DO EDIFCIO- NVEL 1 METODOLOGIA- ETAPA 01

    RECONHECIMENTO DO EDIFCIO FABRIL- NVEL 1 02/13

    LEVANTAMENTO MTRICO INTERVENES PROPOSTAS NA EDIFICAO

    1 2 3 4 65

    1

    2

    3

    4

    5

    6

    REGISTRO FOTOGRFICO

  • METODOLOGIA- ETAPA 01

    RECONHECIMENTO DO EDIFCIO- NVEL 2 03/13

    RECONHECIMENTO DO EDIFCIO- NVEL 2

    7 8 9 11 1210

    REGISTRO FOTOGRFICO

    LEVANTAMENTO MTRICO INTERVENES PROPOSTAS NA EDIFICAO

    7

    12

    8

    9

    10

    11

  • RECONHECIMENTO DO EDIFCIO FABRIL- NVEL 3 METODOLOGIA- ETAPA 01

    RECONHECIMENTO DO EDIFCIO FABRIL- NVEL 2 04/1313 14 15 16 17

    REGISTRO FOTOGRFICO

    13

    14

    15

    16

    17

    LEVANTAMENTO MTRICOINTERVENES PROPOSTAS NA EDIFICAO

  • 05/13

    DIAGNSTICO DE CONSERVAO: ESTUDO DA CRONOLOGIA ARQUITETNICA

    ESTUDO SOBRE A DIVISO DO PROCESSO FABRIL NOS GALPES DA COMPANHIA Aedificaofabrilemquesto,mostra-sehojecomdescaracterizaogeraldemateriaiseelementosde

    significnciafabril,situaoqueseassemelhaaoutrosexemplarescontemporneosCompanhia.

    Destemodo,opresenteestudodacronologiaarquitetnicadaCompanhiadeFiaoeTecelagemSo

    Martinho,apoio-senacomparaode fotosdediferentespocasentresie tambmcomoestadoatualdo

    edifcio.

    Paratanto,foramobservadasosseguintesindcios:

    alteraesvolumtricasedetexturas;

    alteraesdevos.

    Ainda,afimdefacilitarocompreendimentodaevoluoconstrutivadaCompanhia,procurou-se,por

    meiodevestgiosconstrutivoseentrevistascomantigostrabalhadores,distinguirafunooriginaldosespa-

    osinternosdoedifcionoprocessodeproduofabril.

    1 PERODO 2 PERODO 3 PERODO 4 PERODO

    DATA: 1881

    CARACTERSTICAS AINDA PRESERVADAS: Merecemdestaqueacaldeira,primeirafontedeenergiamotrizdaCompanhia,aindainstaladanoedifcioeoptiointerno,quearticulaosdiversossetoresdaproduofabrileservecomopraadeencontroechegadadofuncionriosdaCompanhia.Aindapossivelafirmarqueopermetroeaarticulaodosespaossemantmcomoapocadoinciodaproduofabril.

    ALTERAES SINALIZADAS:visvelousodemateriaismaisrecentes,comolajeprotendida-compeculiartravamento(figura01)-ejanelasemferro,tipobasculante.Destaca-seaindaairregularidadenoalinhamentodospilaresemalgunsambientes,frutodeampliaesereformasaqueosedifcioforasubmetidoaolongodosanos.

    DATA:indefinida

    Esteperodo,configura-seemdoisblocos,dosquaisumencontra-sebastantealteradoeooutroapresentacaractersticasbemprximasdeumestadooriginalpr-existente.

    CARACTERSTICAS AINDA PRESERVADAS: OblocoA(figura05-07)possuicaractersticasquesinalizamumaproximidadecomumestadooriginal,taiscomo:pisoepare-desemtijolocozido,pilareseestruturadotelhadoemmadeira,trilhosfrrosquefuncionamcomovigas.

    ALTERAES SINALIZADAS:O bloco B, bastante descaracterizado, usa-se de materiais recentes, se comparados ao bloco A, e portanto a suadata de construo. O forro tipo paulistinha e as divisrias em madeira compensada evidenciam tal circunstncia.

    DATA:indefinida

    Asconstruespertencentesaesteperododivergemsignificativamentedosdemaisblocoscomponentesdatecelagem.Merecedestaqueonicograndeblocodoconjunto,decoberturacurvaemetlica,aocontrriodorestantedoconjunto,edificadoemtelhadosdeguascomtelhascermicas.

    CARACTERSTICAS AINDA PRESERVADAS: Estesblocosnoapresentamcaractersticasfabrismarcantes,noentanto,nota-sequeoconjuntosofreupoucasalteraesapssuaconstruo.

    ALTERAES SINALIZADAS:NosovisveisalteraesdescaracterizantesnesteperodoconstrutivodaCompanhia.

    DATA:indefinida

    CARACTERSTICAS AINDA PRESERVADAS: Osblocospertencentesaoterceiroperodoconstrutivodatecelagem,tmcomoprincipaiscaractersticasousodevigasepilarespr-fabricados(Figura09-10)-quepermitemummaiordistanciamentoentrepilares-eamplosespaos(Figura11-12),tpicosdosespaosfabris.

    ALTERAES SINALIZADAS:Comooblocoemquestovisvelmentemaisrecente,asalteraesencontradaslimitam-seaofechamentoouaberturadeenvasaduraseatrocadecaixilhos,adaptaesrotineiras,tantopelasexignciaseadequaesaoprocessofabrilquantopelanecessidadedemanutenonoedifcio.

    Figura 01-Grandegalpodafabrildatecelagem:peculiartravamentodalajeprotendida,sinalizaintervenesposte-rioresadatadeconstruodoedifcio.

    Figura 03-Vistainternadeumdosambientesquecorres-pondem ao primeiro perodo construtivo da Companhia.Destaqueparaairregularidadedospilares,indcioderefor-maouampliaoposterioradatadeconstruo.

    Figura 04-Ptiointernoquearticulavaareaadministrativa,aoficinadereparoseatecelagempropriamentedita.

    Figura 02-Caldeiraparageraodeenergiavapor,primeirafontedeenergiadaCompanhia.

    Figura 05 (bloco A)- Apesar deste galpo pertencer aosegundo perodo construtivo da