Trabalho Automotiva

  • View
    38

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Trabalho Automotiva

CURSO: TECNOLOGIA EM SEGURANA DO TRABALHO

TECNOLOGIA INDUSTRIALProfa. Susana Lucena EQUIPE: ALEXANDRE GALDINO ALYSSON LEITO ANA LCIA DIAS CLUDIA MONTEIRO

DALIANE ALMEIDA FABIANA SOUTO LUCIVALDO FERREIRA

O automvel nestes ltimos cinquenta anos tem sido um bem significativo e de importncia vital para grande parte da humanidade. Caminhando na dimenso industrial, os projetos dos carros da atualidade so baseados em vises simples e compactas.

A indstria automobilstica, a indstria envolvida com o projeto, desenvolvimento, fabricao, publicidade e a venda de veculos automotores. Ela produz automveis para auxiliar no deslocamento e/ou transporte da populao, de bens ou servios. Atualmente os automveis esto entre os bens de maior necessidade, expandindo sua relevncia a diversos campos da natureza humana.

A gesto eficiente da aplicao de tintas automotivas est baseada nas normas de aplicao, na avaliao crtica da tinta acabada, na qualidade dos produtos que compe a formulao, no nvel dos contaminantes, na qualidade da gua e, finalmente, no controle e na disposio dos efluentes visando preservao ambiental.

O foco de uma empresa s era relacionado s perspectivas econmicas, diretas ou indiretas, do negcio. Em funo do novo ordenamento mundial, tm surgido outros questes que, direta ou indiretamente, acabam formando um grande problema empresarial, como os de ordem social, ocupacional, tecnolgico e ambiental.

A preocupao social de uma empresa pode ser formada pelos litgios trabalhistas e outros problemas ligados aos funcionrios; a parte ocupacional devida ao acmulo de acidentes e doenas adquiridas pelos trabalhadores no exerccio de suas atividades e a parte tecnolgica significa no s a obsolescncia tcnicas das mquinas e dos processos, mas tambm relativas instrumentao, aos controles, ao conhecimento, s adequaes de software, etc.

O ncleo ambiental, corresponde ao investimento que uma empresa deve fazer para corrigir os impactos ambientais gerados e no controlados ao longo dos anos de operao. Muitas empresas no segmento automotivo tm adotado um Sistema de Gesto Ambiental (SGA) em atendimento as legislaes ambientais vigentes visando se tornarem competitivas frente s questes relacionadas com o meio ambiente.

Este sistema possui mecanismos para garantir que as exigncias legais de regulamentaes, de contratos empresariais relativas aos impactos ambientais identificados sejam conhecidas, analisadas, documentadas e atualizadas pela organizao. Os objetivos e as metas deste sistema so mensurveis, constituindo assim uma excelente ferramenta de gesto e de melhoria contnua, possibilitando o controle e o monitoramento do processo pela alta administrao. Alm disso, este programa tem por finalidade envolver e sensibilizar todos os funcionrios da empresa na importncia da preservao ambiental, mostrando que a implantao de um programa de qualidade ambiental

A deciso empresarial de investir em tecnologias ambientais funo dos seguintes fatores: a) concorrncia entre os pares; b) presso dos clientes; c) presso da opinio pblica; d) incentivo e/ou presso dos governos.

As presses foram tomadas de decises empresariais, entretanto os prprios empresrios comeam a perceber que investir na preservao ambiental pode ser uma fonte de receita e no um fardo ou uma obrigao legal. Atualmente, existem empresas comprometidas com o meio ambiente que adotam e/ou esto dimensionadas, segundo suas metas e produo, em duas vertentes: o tratamento dos resduos no final do processo e a tecnologia produo limpa.

A gesto de pintura baseia-se nas normas do Sistema de Gesto Ambiental e tem como meta uma produo mais limpa e objetiva a minimizao do uso de gua e energia, estimula o reuso de gua nos processos de lavagem, otimiza a eliminao de produtos txicos e perigosos, reduz os riscos de incndios e exploses e desenvolve tecnologia prpria no tratamento e disposio dos resduos, visando reduo do impacto ambiental.

So alteraes da pele, mucosas e anexos, direta ou indiretamente causadas, mantidas ou agravadas pelo trabalho. O diagnstico feito a partir de anamnese ocupacional, exames fsico e laboratorial e inspeo do local de trabalho. O tratamento depende do tipo, gravidade e causa das leses. Cerca de 80% das dermatoses ocupacionais so produzidas por agentes qumicos como metais, solventes, detergentes, plsticos e resinas sintticas, borracha e seus compostos, petrleo e seus derivados, cidos, lcalis e derivados.

As reas corporais mais atingidas so: membros superiores em quase 70% dos casos; a regio da cabea e pescoo em 13% dos casos; e, membros inferiores em 8% dos casos. Em relao aos membros superiores, as mos so as mais atingidas, em cerca de 51,4% dos casos e os antebraos em 17,1% dos casos. Em relao aos membros inferiores, as coxas, as pernas e os ps so pouco atingidos.

As dermatoses mais comuns so as irritativas. Entre os provveis agentes agressores, destacaram-se os leos de corte. As condutas mdicas seguem os padres estabelecidos. E deve-se observar rgido controle quanto ao uso de equipamento de proteo individual e utilizao de equipamento de proteo coletiva como medidas de preveno.

o nome comum ou genrico de um composto formado quase totalmente de hidrocarbonetos aromticos. O xileno em determinadas concentraes na atmosfera, forma misturas explosivas e txicas, prejudicial a vida aqutica e pode contaminar o lenol fretico. Esta substncia nociva por inalao, ingesto e em contato com a pele. irritante para a pele, olhos, mucosas e sistema respiratrio superior. A ingesto e inalao dos vapores pode causar dor de cabea, nuseas, tonteira, sonolncia e confuso.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ind%C3%BAstria_automobil%C3%ADstica ALI, S.A. Dermatoses ocupacionais. So Paulo: Fundacentro, 2001. _____. Dermatoses relacionadas com o trabalho. In: MENDES, R. Patologia do trabalho. 2.ed. So Paulo: Atheneu, 2003. p.1443-1500. BERTINATO. Carolina Barreto. DERMATOSES OCUPACIONAIS EM INDSTRIA AUTOMOBILSTICA. Tese de Doutorado, UFPR - Setor de Cincias da Sade BRASIL. Ministrio da Sade. Doenas relacionadas ao trabalho. Manual de procedimentos para os servios de sade. Braslia: Ministrio da Sade do Brasil, 2001. JURAS, Ilidia da A. G. Martins Juras. Impacto a sade e ao meio ambiente do aumento irregular de solventes na gasolina. 2005. VILLAS, Marcia Regina Alves. & MAINIER, Fernando B. Processo de deposio de tintas catdicas por eletroforese e suas correlaes com a qualidade e o meio ambiente. LATEC /UFF.