Click here to load reader

Design gráfico

  • View
    1.135

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

1a aula da Disciplina: Teorias e Técnicas da ComunicaçãoData 18/08/2010Curso: Design Gráfico

Text of Design gráfico

  • Disciplina: Teorias e Tcnicas da ComunicaoProfa: Mara Baroni1a aula- 18/08/2010

  • Conceitos Bsicos:Comunicao Comunicao de massa Mass media Cultura Cultura Popular Cultura de massa Sociedade de massa Contracultura Cibercultura / Interatividade / Virtualidade

  • Comunicao 1. Conceito EtimolgicoConceitos Fonte: Liliane Cristina Andrade do Rgo sobre texto de Jos Marques de Melo Comunicao vem do latim communis, comum, dando idia de comunidade.De acordo com o Padre Augusto Magne, comunicar significa participao, troca de informaes, tornar comum aos outros idias, volies e estados dalma.Esse conceito preza o fato das pessoas poderem entender umas s outras, expressando pensamentos e at mesmo unindo o que est isolado, o que est longe da comunidade.

  • 2. Conceito Biolgico

    Nesse conceito, a comunicao relacionada com a atividade sensorial e nervosa do ser humano. atravs da linguagem que expresso o que se passa em seu sistema nervoso.

  • 3. Conceito Pedaggico

    A comunicao uma atividade educativa que envolve troca de experincias entre pessoas de geraes diferentes, evitando-se assim que grupos sociais retornem ao primitivismo.Entre os que se comunicam, h uma transmisso de ensinamentos, onde modifica-se a disposio mental das partes envolvidas.

  • 4. Conceito SociolgicoO papel da comunicao de transmisso de significados entre pessoas para a sua integrao na organizao social.

    Os homens tm necessidade de estar em constante relao com o mundo, e para isso usam a comunicao como mediadora na interao social, pois compreensvel enquanto cdigo para todos que dela participam.

    Alm desse aspecto, os socilogos entendem a comunicao como fundamental nos dias de hoje para o bom entendimento da sociedade e na construo social do mundo.

  • 5. Conceito Histrico

    Baseada na cooperao, a comunicao no conceito histrico funciona como instrumento de equilbrio entre a humanidade, neutralizando foras contraditrias. Desse ponto de vista, o conceito propicia o resgate diacrnico imprescindvel ao avano do homem em direo ao futuro.No fossem os meios de comunicao, ampliando as possibilidades de coexistncia mais pacfica entre os homens, estes j estariam extintos em meio s disputas por poder.

  • 6. Conceito AntropolgicoA tendncia predominante em alguns estudos da Antropologia a de analisar a comunicao como veculo de transmisso de cultura ou como formador da bagagem cultural de cada indivduo.Esse um assunto de grande importncia, haja vista o surgimento da cultura de massa neste sculo XX, transformando as formas de convivncia do homem moderno. Tanto que, dentre as principais teorias da comunicao de massa, encontramos a Teoria Culturolgica, desenvolvida por Edgar Morin.

  • Comunicao de massa:

    A comunicao de massa a comunicao feita de forma industrial, ou seja, em srie para atingir um grande nmero de indivduos, a sociedade de massa. Numa viso apocalptica, ela uma converso da cultura em mercadoria, utilizada pelas classes dominantes de forma vertical para homogeneizar as massas. Para definir esta converso, os frankfurtianos Adorno e Horkheimer criaram o termo Indstria Cultural, citado pela primeira vez em Dialtica do Iluminismo.

    No podemos separar a Comunicao de Massa da Indstria Cultural, j que por sua vez elas so dependentes uma da outra, pelo fato de existirem diversos meios de comunicao que so capazes de atingir atravs de uma mensagem um grande nmero de indivduos.

  • .

    Meios de comunicao de massa e cultura de massa. A inveno dos tipos mveis de imprensa, feitas por Gutenberg no sec. XV, marca o surgimento dos meios de comunicao de massa, ou os primeiros modelos destes. No incio os textos eram para o consumo da elite de letrados.

    A indstria cultural aparecer com os primeiros jornais. E a cultura de massa passa a existir, com o romance de folhetim, pois destilava episdios, que servia para traar a vida naquela poca

  • ( semelhante as novelas de TV de hoje). Este seria, sim, um produto tpico da cultura de massa, uma vez que apontaria outro caracterizador desta: no era produzido por aqueles que o consumiam. No se pode falar em indstria cultural num perodo anterior ao da Revoluo Industrial, no sculo XVIII. Nessa poca, a economia de mercado, isto , uma economia baseada no consumo de bens; necessrio, para a ocorrncia de uma sociedade de consumo.

  • Mass Media Os Mass Media so sistemas organizados de produo, difuso e recepo de informao. Estes sistemas so geridos, por empresas especializadas na comunicao de massas e exploradas nos regimes concorrenciais, monopolsticas ou mistos. As empresas podem ser privadas, pblicas ou estatais.

    Os Mass Media acentam em diferentes suportes ou tipos de transmisso da informao:

  • Por difuso - Scriptovisual (imprensa escrita)- Audio (rdio)- Audiovisual (televiso e cinema)Por edio - Scripto (livro)- Audio (disco)- Scriptovisual (cartaz e poster)- Audiovisual (documento audio visual)Os vrios meios de expresso social: a imprensa, a televiso, a rdio e o cinema, so orientados para um pblico que se pretende o mais abrangente possvel, produzindo um produto especfico de mensagens polticas, ideolgicas, comerciais, recreativas e culturais etc. Fonte:Texto transcrito do livro "A era de EMEREC " de Jean Cloutier, Ministrio da Educao e Investigao Cientfica - Instituto de tecnologia Educativa, 1975

  • CulturaCultura . A palavra cultura vem da raiz semntica colore, que originou o termo em latim cultura, de significados diversos como habitar, cultivar, proteger, honrar com venerao (Williams, 2007, p.117).Cultura so todas as manifestaes artsticas e expresses coletivas, hbitos e costumes de um povo. Tudo aquilo que identifica "uma gente" com podo de uma terra, o que peculiar a determinado grupo.

  • A definio mais simples de cultura que composta de tudo o que simblico que aprendemos. Toda a cultura aprendida, mas nem tudo o que aprendido cultura. Inclui todas as nossas aes e crenas que no so transmitidas pelos genes, mas so transmitidas (e armazenadas) por smbolos. Smbolos no tm sentido por eles prprios (intrinsecamente) a no ser que lhes sejam dados significados pelos seres humanos.

  • Cultura popularSoma de valores tradicionais de um povo, expressos de forma artstica, como danas e objetos, ou nas crendices e costumes gerais.Abrange todas as verdades e valores positivos, particularmente porque produzida por aqueles mesmos que a consomem, ( ex: carnaval) ao contrrio dos produtos produzidos pela indstria cultural.

  • A cultura popular marcada pela tendncia ao no questionamento de normas e valores estabelecidos.

  • Cultura de massa

    Segundo os tericos, a cultura de massa, aliena, forando o indivduo a perder ou a no formar uma imagem de si mesmo diante da sociedade, uma das primeiras funes por ela exercida seria a narcotizante, obtida atravs da nfase ao divertimento em seus produtos.

  • Procurando a diverso, a indstria cultural estaria mascarando realidades intolerveis e fornecendo momentos de fuga da realidade.

    Os produtos da indstria cultural ajudam no reforo das normas sociais, repetidas muitas vezes e sem discusso.( Ex: novelas de tv)

  • Consequentemente, mais uma funo cumpre a indstria cultural, exercida pela cultura de massa:

    a de promover o conformismo social.

  • Pode-se dizer, com base na dialtica de Engels, que o acmulo de informao acaba por transformar-se em formao; a quantidade provoca alteraes na qualidade. Ou que a indstria cultural pode acabar por unificar no apenas as nacionalidades mas, tambm, as prprias classes sociais.

  • Teixeira Coelho, prope, que ao invs de cultura de massa, essa cultura fosse designada por expresses como: cultura industrial ou industrializada.

  • Sociedade de massaA presena do conceito de sociedade d massa fundamental para a compreenso da teoria hipodrmica.De acordo com o pensamento poltico oitocentista de aspecto conservador a sociedade de massa sobretudo a consequncia da industrializao progressiva, da revoluo dos trasportes e do comcio. Da difusao de valores abstratos de liberdade e igualdade.

  • Esses processos sociais provocam a perda da exclusividade por parte das elites que se vem expostas s massas.Atualmente, o enfraquecimento dos laos tradicionais (de famla, comunidade, associaes de ofcios, religio, etc.) contribui, para afrouxar a conexo dos laos sociais e conduzem alienao das massas e ao isolamento.

  • A massa subverte tudo que diferente, singular, individual, tudo o que classificado e seleccionado. Orttega y Gasset, 1930.

    As acoes da massa apontam directamente para o objectivo e procuram ating-lo pelo caminho mais curto, o que faz com que exista sempre uma nica ideia dominante, a mais simples possvel. Simmel, 1917.*

  • Contracultura um movimento que teve seu auge na dcada de 1960, quando teve lugar um estilo de mobilizao e contestao social e utilizando novos meios de comunicao em massa. Jovens inovando estilos, voltando-se mais para o anti-social aos olhos das famlias mais conservadoras, com um esprito mais libertrio, resumido como uma cultura underground, cultura alternativa ou cultura

  • marginal, focada principalmente nas transformaes da conscincia, dos valores e do comportamento, na busca de outros espaos e novos canais de expresso para o indivduo e pequenas realidades do cotidiano, embora o movimento Hippie, que representa esse auge, almejasse a transformao da sociedade como um todo, atravs da tomada de conscincia, da mudana de atitude e do protesto poltico.

  • A contracultura pode ser definida como um iderio alternativo que questiona valores centrais vigentes e institudos na cultura ocidental. Com o vultoso crescimen

Search related