Evolução dos peixes

Embed Size (px)

Text of Evolução dos peixes

  • 1. Joo Evangelista Filho Laiane Fernanda Mrcia Kleyciane Michelli Ferreira Patrcia Freire Patrcia Gomes

2. Os Primeiros Vertebrados 3. CRANIATACRANIATA Evidncias fsseis: Indicam provvel evoluo no ambiente marinho Durante o Cambriano Maior avano dos Craniata: Evoluo dos processos fisiolgicos Esqueleto de fosfato de clcio Registro fssil dos primeiros Craniata: Pouco revela sobre o curso da evoluo at grupos mais avanados 4. Arandaspis Reconstruo e detalhe das escamas. Abaixo, corte transversal (Ordoviciano). 5. Sacabambaspis Acima, corte tranversal. Abaixo, reconstituio (Ordoviciano). 6. QUAL ERA A APARNCIAQUAL ERA A APARNCIA DOS PRIMEIROSDOS PRIMEIROS CRANIATA?CRANIATA? Os primeiros Craniata foram chamados de ostracodermes; Os maiores grupos de ostracodermes: Pteraspida: Ptera = asa Aspid = escudo Cephalaspida: Cephal = cabea Aspid = escudo 7. PTERASPIDAPTERASPIDA Primeiros Craniata sem mandbula; Conhecidos desde o Cambriano superior at o final do Devoniano; Variavam de tamanho: 10cm a 2m de comprimento Regio anterior do corpo: Recoberta por peas sseas articuladas Em algumas espcies, estendiam-se at o nus 8. Cauda: Curta Provavelmente mvel Recoberta por placas menores Com projees em forma de espinhos Carapaa ceflica: Placa dorsal Uma ou mais placas laterais Placas ventrais grandes No conhecida a existncia de osso formando estruturas endoesquelticas; 9. No existiam: Apndices pares verdadeiros Nadadeiras dorsal e anal bem desenvolvidas Apresentavam duas aberturas nasais separadas (Diplorhina); As aberturas para os dois olhos so laterais; Na placa mediana: Pequena abertura para o rgo pienal Boca terminal, mas abre-se ventralmente; Nadadeira caudal hipocerca. 10. Pteraspis Reconstruo. Acima, vista dorsal. Abaixo, vista ventral. 11. Drepanaspis Reconstituio. 12. CEPHALASPIDACEPHALASPIDA Apareceram no final do Devoniano; Revestidos por carapaas; Apresentavam projees mveis em forma de remo na regio peitoral; Nadadeira caudal heterocerca; Forma de alimentao: Expanso da faringe Suco do material do substrato 13. Cephalaspis Resconstituio. 14. Pharyngolepis Reconstituio. 15. Peixes Sem Mandbulas 16. PEIXES SEM MANDBULASPEIXES SEM MANDBULAS ATUAISATUAIS Dois grupos recentes: Lampreias Feiticeiras Includas no sub-filo Vertebrata: Possuem crnio Outras homologias de vertebrados Ancestralidade incerta: Pouca semelhana com os ostracodermes Hiptese no aceita: Feiticeiras e os Gnasthostoma so grupos irmos 17. Os Peixes com Carapaa 18. PLACODERMIPLACODERMI Recobertos por uma armadura ssea; Sem formas atuais anlogas; Modo de vida particularmente difcil; Primeiros indivduos desse grupo: Provavelmente bentnicos Parecidos com os Pteraspida e Cephalaspida Corpo: Geralmente achatado dorsoventralmente Superfcies ventrais planas 19. Carapaa ceflica: Numerosas placas largas Fenda estreita Vertebrados mais numerosos do Devoniano: Irradiao em grande nmero de linhagens e tipos Primariamente marinhos Adaptao para gua doce No possuam dentes: Osso drmicos recobrindo cartilagens maxilares Extino no baixo Carbonfero 20. Coccosteus Vista lateral (acima), frontal (embaixo, esquerda) e dorsal (embaixo, direita) (mdio Devoniano) 21. Bothiolepis Gemuendina Rhamphodopsis Dunkleosteus Outros Placodermi 22. Chondros = cartilagem Ichthis = peixe 23. OS PEIXESOS PEIXES CARTILAGINOSOSCARTILAGINOSOS Primeiros fsseis so do incio do Devoniano; Formas atuais: Holocephali: nica abertura branquial de cada lado da cabea. Ex.: quimera Elasmobranchii: Vrias aberturas branquiais de cada lado da cabea. Ex.: tubaro Registro fssil amplo e conservado; Mas, filognia ainda no resolvida; 24. Primeiros Elasmobranchii: Vrios hbitats e hbitos de vida Irradiao inicial a partir de um ancestral comum: Ocasionou mudanas nos dentes, nas maxilas e nas nadadeiras Aparelhos alimentares e locomotores: Aparente evoluo em diferentes graus dentro das diferentes linhagens Identificao dos primeiros Elasmobranchii: Forma dos dentes comum a maioria das espcies Tricuspidados e raiz pouco desenvolvida 25. Cladoselache Detalhe do esqueleto, da nadadeira peitoral e dos dentes. 26. Xenacanthus Acima, detalhe do esqueleto. Abaixo (esquerda), detalhe da nadadeira peitoral e detalhe do dente (direita). 27. Damocles serratus Acima, esqueleto de um macho. Abaixo, macho e fmea na provvel posio de acasalamento (Carbonfero). 28. Evoluo mais distante: Envolveu a organizao dos sistemas de alimentao e locomoo Iniciadas no baixo Carbonfero e duraram at o Carbonfero superior Incio do Trissico: Fsseis indicam incio de irradiao moderna dos Elasmobranchii Jurssico tubares com formas atuais; Cretceo gneros atuais; Chondrichthyes: Sem modificaes desde a era Mesozica 29. Hybodus Detalhes do esqueleto da cabea e dos dentes (Trissico/Cretceo). 30. Acanthodii Teleostei 31. PERODOPERODO DEVONIANODEVONIANO Era dos peixes; Linhagens extintas e atuais; gua doce e salgada; 48 milhes de anos; Teleostomi: Acanthodii Teleostei 32. Acanthi = espinho 33. ACANTHODIIACANTHODII Espcies Extintas; Primeiros peixes mandibulados no registro fssil: Espinhos isolados do baixo Siluriano Depsitos marinhos litorneos do Siluriano: Espinhos Escamas Dentes 34. Vista lateral e ventral (baixo Devoniano). Climatus 35. Geralmente 20cm de comprimento; Algumas espcies com 2m; Freqentemente: Escamas pequenas Cabea larga e arredondada Olhos muitos grandes Boca grande Em muitas espcies maxilas revestidas por dentes 36. Dentes: Diferente dos outros Gnasthostoma No eram substitudos regularmente Sem esmalte Bons nadadores: Nadadeira caudal heterocerca bem desenvolvida Corpo fusiforme Arranjo das nadadeiras Algumas formas possuam espinhos robustos fixos s nadadeiras peitoral e plvica; 37. Entre estes espinhos: Outros aos pares Vrios tamanhos No se fixavam profundamente no corpo Espinhos peitorais: Associao com placas drmicas ventrais Suporte para as nadadeiras Outras espcies: Perda do esqueleto drmico Espinhos remanescentes fixavam-se no corpo 38. Mudanas no aparelho respiratrio Dentes perdidos em mais de uma linhagem; Abundantes nos mares do Devoniano; Inicio do Permiano ltimos Acanthodii desaparecem Espao para o clado mais rico de espcies que estava se difernciando: Peixes sseos 39. Vista ventral e detalhe da nadadeira peitoral (baixo Devoniano). Ischnacanthus 40. Osteo = osso Ichthys = peixe 41. OS PEIXES SSEOSOS PEIXES SSEOS Registros fragmentados de peixes do final do Siluriano; Mais fragmentos apenas no Devoniano; Detalhes cranianos semelhantes aos dos Acanthodii; Possvel ancestral comum no incio do Siluriano; Grande expanso no mdio Devoniano 42. Os dois maiores grupos de Osteichthyes: Caracteres locomotores e alimentares Algumas especializaes desenvolveram patas para os vertebrados terrestres A maioria manteve as caracteristicas Maior grupo de vertebrados viventes Osso verdadeiro: No exclusivo desse grupo Agnata, Placodermi e Acanthodii Duas classes: Actinopterygii nadadeiras raiadas Sarcopterygii nadadeiras lobadas 43. ACTINOPTERYGIIACTINOPTERYGII Actin = raio; pterygium = nadadeira; Fragmentos do fim do Siluriano; Fsseis completos a partir do mdio/alto Devoniano; Os primeiros Actinopterygii: Eram pequenos (5 a 25cm) nica nadadeira dorsal Nadadeira caudal heterocerca 44. Nadadeiras pareadas com bases largas eram comuns; Mas muitos txons apresentavam nadadeira peitoral lobada; Escamas: Imbricadas To grossas quanto as dos Sacopterygii Mas diferente na estrutura e padro de crescimento Maior nmero de espcies atuais. 45. Actinopterygii primitivo tpico (alto Devoniano). Moythomasia 46. SARCOPTERYGIISARCOPTERYGII Sarcos = carnosa, pterygium = nadadeira; Abundantes no Devoniano; Diminuio no alto Paleozico e Mesozico; Evoluo resultou em uma irradiao significativa nas guas doces e salgadas; 7 espcies viventes; 4 gneros; Dois grupos: Dipnoi peixes pulmonados Actinistia celacantos 47. Dipnoi Distinguem-se por: Perda da articulao entre os ossos premaxilar e maxilar Fuso do paltoqadrado ao crnio Persistncia do aparato triturar durofgico: Captura de alimento rgido Desenvolvimento da forma corprea caracterstica Devoniano; Perda da nadadeira dorsal anterior; Fuso das nadadeiras impares; Cauda heterocerca simtrica. 48. Actinistia (Crossopterygii) So desconhecidos antes do mdio Devoniano; Primeira nadadeira dorsal no carnosa; nica nadadeira caudal: Simtrica Trs lobos Eixo central carnoso Bordo terminando em uma franja raiada Provveis ancestrais dos tetrpodes. 49. Rhabdoderma Celacanto do Carbonfero 50. Latimeria chalumnae Celacanto atual. 51. Cladograma dos peixes 52. Por que a gua do mar azul? Porque os peixes fazem: Blue, blue, blue... 53. Referncia Bibliogrfica: POUGH, F. Harvey et al. A vida dos vertebrados. 2 ed. So Paulo: Atheneu Editora, 1999.