Click here to load reader

Material Contabilidade

  • View
    5.618

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Material Contabilidade

  • 1. Campo de Atuao da Contabilidade
    Contabilidade: cincia aplicada com metodologia
    especialmente concebida para captar, registrar,
    acumular, resumir e interpretar fenmenos que afetam
    situaes patrimoniais, financeiras e econmicas
    Pessoas fsicas;
    Entidades de finalidades no lucrativas;
    Empresas;
    Pessoa de Direito Pblico: Estado, Municpio,
    Unio, Autarquia
    Captulo 1 Noes Preliminares

2. Grupos de Interessados na Contabilidade
A contabilidade deve estar em condies de fornecer informaes a vrios grupos de pessoas cujos interesses nem sempre so coincidentes:
Scios, acionistas e proprietrios de quotas
societrias de maneira geral;
Administradores, diretores e executivos dos mais
variados escales;
Bancos, capitalistas, emprestadores de dinheiro;
Governo e economistas governamentais;
Pessoas fsicas.
Captulo 1 Noes Preliminares
3. Finalidades da Informao Contbil
Controle: Processo pelo qual a alta administrao se
certifica de que a organizao est agindo em
conformidade com seus planos e polticas
A informao contbil til como:
Meio de comunicao
Meio de motivao
Meio de verificao
Captulo 1 Noes Preliminares
4. Finalidades da Informao Contbil
Controle: Processo pelo qual a alta administrao se
certifica de que a organizao est agindo em
conformidade com seus planos e polticas
A informao contbil til como:
Meio de comunicao
Meio de motivao
Meio de verificao
Captulo 1 Noes Preliminares
5. Especializaes e Funes Contbeis
Planificao da contabilidade
Escriturao Contbil
Elaborao e Interpretao de Relatrios
Captulo 1 Noes Preliminares
6. Limitaes do Mtodo Contbil
A contabilidade no tem um fim em si mesma
Trabalha apenas com eventos mensurveis e
no aborda elementos no quantitativos
Princpios, procedimentos de avaliao e
terminologia discutveis
Captulo 1 Noes Preliminares
7. Horizontes para a Contabilidade
Horizontes mais amplos e promissores se:
A formao do contador for fortalecida;
Familiaridade dos contadores com mtodos
quantitativos e computao;
Preocupao dos rgos representativos de
classe com melhorias de princpios e padres.
Captulo 1 Noes Preliminares
8. Esttica Patrimonial: o Balano
Princpio da Entidade: a Contabilidade deve tratar a pessoa jurdica da empresa como distinta das pessoas fsicas e/ou jurdicas de seus proprietrios
Balano Patrimonial: uma das mais importantes demonstraes contbeis, por meio do qual podemos apurar a situao patrimonial e financeira da empresa
8
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
9. Esttica Patrimonial: o Balano
Ativo: compreende os bens e os direitos da entidade expressos em moeda
Exemplo: Caixa, bancos, imveis, veculos, equipamentos, mercadorias, ttulos a receber e clientes
Todos os elementos componente do Ativo acham-se discriminados no lado esquerdo do Balano Patrimonial
9
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
10. Esttica Patrimonial: o Balano
Passivo: compreende basicamente as
obrigaes a pagar da empresa
Exemplo: Ttulos a pagar, contas a pagar, fornecedores, salrios a pagar, impostos a pagar e hipotecas
Todos os elementos componente do Passivo acham-se discriminados no lado direito do Balano Patrimonial
10
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
11. Esttica Patrimonial: o Balano
Patrimnio Lquido: diferena entre o valor do Ativo e do Passivo de uma entidade, em determinado momento
Exemplo: Ativo = $ 10.000
Passivo = $ 5.300
Patrimnio Lquido= $ 4.700
O patrimnio lquido pode ser proveniente de:
Investimentos
Lucros
11
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
12. Equao fundamental do patrimnio
PATRIMNIO LQUIDO = ATIVO - PASSIVO
Se o ativo suplantar o passivo:
ATIVO = PASSIVO + PATRIMNIO LQUIDO
Se o passivo suplantar o ativo:
ATIVO + PASSIVO A DESCOBERTO = PASSIVO
12
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
13. Configuraes do estado patrimonial
1 Operao
Constituio da Alfenas S.A. com capital subscrito
e integralizado em dinheiro de $ 40.000 em 15-01:
13
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
14. Configuraes do estado patrimonial
2 Operao
Aquisio de um edifcio por $ 1.200 sendo o pagamento efetuado a vista em 10-02-Ano X:
14
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
15. Configuraes do estado patrimonial
3 Operao
Compra de materiais junto a fornecedores pelo valor de $ 2.000 em 13-02-AnoX:
15
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
16. Configuraes do estado patrimonial
4 Operao
Aquisio de um veculo a vista por $ 200 em 20-02-AnoX:
16
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
17. Configuraes do estado patrimonial
5 Operao
Venda do pavimento superior do edifcio em 23-02-Anox por $ 600 (custo) mediante nota promissria:
17
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
18. Configuraes do estado patrimonial
6 Operao
Pagamento, em 05-03-X, de $ 1.300 a fornecedores:
18
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
19. Configuraes do estado patrimonial
7 Operao
Recebimento, em 10-03-X, de $ 400 como parte da venda do edifcio:
19
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
20. Representao grfica dos estados patrimoniais
Quando o ATIVO for maior que o PASSIVO:
PASSIVO
ATIVO
PATRIMNIO LQUIDO
Revela existncia de riqueza prpria
20
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
21. Representao grfica dos estados patrimoniais
Quando o ATIVO for maior que o PASSIVO e PASSIVO = 0:
ATIVO
PATRIMNIO LQUIDO
Revela inexistncia de dvidas
21
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
22. Representao grfica dos estados patrimoniais
Quando o ATIVO for igual ao PASSIVO e PL = 0:
PASSIVO
ATIVO
Revela inexistncia de riqueza prpria
22
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
23. Representao grfica dos estados patrimoniais
Quando o PASSIVO for maior que o ATIVO:
PASSIVO
ATIVO
PATRIMNIO LQUIDO
Revela existncia de Passivo a Descoberto
23
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
24. Representao grfica dos estados patrimoniais
Quando o PASSIVO for maior que o ATIVO e ATIVO = 0:
PASSIVO
PATRIMNIO LQUIDO
Revela inexistncia de Ativo. Apenas dvida.
24
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
25. Vrias configuraes do capital
Capital nominal
Investimento inicial feito pelos proprietrios de
uma empresa
Capital prprio
Corresponde ao conceito de patrimnio lquido,
abrangendo o capital inicial e suas variaes
25
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
26. Vrias configuraes do capital
Capital de terceiros
Corresponde aos investimentos feitos na empresa
com recursos provenientes de terceiros
Capital total disposio da empresa
Conjunto de valores disponveis
pela empresa em dado momento
26
Captulo 2 Esttica Patrimonial: o Balano
27. Procedimentos Contbeis Bsicos
Na prtica empresarial existe uma dificuldade em se
preparar um Balano aps cada operao da empresa
Grande quantidade de operaes
Processo oneroso
Por isso as pessoas interessadas nos balanos
contentam-se apenas com as demonstraes peridicas
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
28. Razo
Antigamente as contas eram registradas nas pginas de um livro chamado razo...
...Depois passara a ser registradas em folhas ou fichas soltas...
... Atualmente as contas esto registradas na memria do computador
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
29. CONTASNMERO OU CDIGO
Ativo
Caixa (dinheiro)101
Contas a Receber102
Estoques103
Terrenos105
Passivo
Contas a Pagar201
Patrimnio Lquido
Capital501
Razo
Exemplo de codificao:
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
30. Dbito e crdito
O lado ESQUERDO de uma conta chamado lado do DBITO
O lado DIREITO esquerdo de uma conta chamado lado do CRDITO
Representao grfica de um razonete em T
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
31. Dbito e crdito
Ttulo da conta
Lado do CRDITO
Lado do DBITO
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
32. Dbito e crdito
A diferena entre o total de dbitos e o total de crditos feitos em uma conta denominado saldo
Se o valor dos dbitos for superior ao valor dos crditos, a conta ter um saldo devedor
Se o valor dos crditos for superior ao valor dos dbitos, a conta ter um saldo credor
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
33. Lanamentos a Dbito e a Crdito das Contas
A natureza da conta que ir determinar o lado a ser utilizado para os aumentos e o
lado para as diminuies
Contas de ativo
Contas de passivo
Contas de patrimnio lquido
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
34. Contas de Ativo
Os elementos que compem o Ativo configuram no
lado esquerdo do Balano
Em coerncia, as contas de Ativo sempre devem
apresentar saldos devedores
Para que uma conta de Ativo possua saldo
devedor, necessrio que os aumentos e as
diminuies sejam assim registrados:
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
35. Contas de Ativo
Qualquer conta de ativo
CRDITO
DBITO
$ Diminuies
$ Aumentos
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
36. Contas de Passivo
Os elementos que compem o Passivo configuram
no lado esquerdo do Balano
Em coerncia, as contas de Passivo sempre devem
apresentar saldos credores
Para que uma conta de Passivo possua saldo
credor, necessrio que os aumentos e as
diminuies sejam assim registrados:
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
37. Contas de Passivo
Qualquer conta de passivo
CRDITO
DBITO
$ Diminuies
$ Aumentos
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
38. Contas de Patrimnio Lquido
Os elementos que compem o Patrimnio Lquido
configuram no lado esquerdo do Balano
Em coerncia, as contas de Patrimnio Lquido
devem apresentar saldos credores
Para que uma conta de Patrimnio Lquido possua
saldo credor, necessrio que os aumentos e as
diminuies sejam assim registrados:
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
39. Contas de Patrimnio Lquido
Qualquer conta de PL
CRDITO
DBITO
$ Diminuies
$ Aumentos
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
40. ContasEfetua-se um lanamento a:
DbitoCrdito
deparapara
AtivoAumentar Diminuir
Passivo DiminuirAumentar
Patrimnio Lquido DiminuirAumentar
Resumo do Mecanismo de Dbito e Crdito
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
41. Mtodo das partidas dobradas
A essncia do mtodo que o registro de qualquer operao implica que um dbito numa ou mais contas deve corresponder um crdito equivalente em uma ou mais contas, de forma que a soma dos valores debitados seja sempre igual soma dos valores creditados
No h dbito(s) sem crdito(s) correspondente(s)
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
42. Mtodo das partidas dobradas
$$$
$$$
$$$
$$$
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
43. Dirio
Livro no qual so registradas todas as operaes
contabilizveis de uma entidade, em ordem
cronolgica e com a observncia de certas regras
Requisitos:
Data da operao;
Conta a ser debitada;
Conta a ser creditada;
Histrico da operao;
Valor da operao, em moeda.
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
44. Dirio
Exemplo de uma partida de dirio:
Estoque de mercadorias
a Diversos
a Caixa
N/compra, a vista, de F.
Macedo Ltda., conf. s/Nota
Fiscal n 34563.400
a Fornecedor
Idem, a prazo, de J.
Cavalcanti S.A., conf.
s/Nota Fiscal n 732.5005.900
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
45. Livros Auxiliares do Razo
Os livros auxiliares de razo funcionam como
desdobramento das contas coletivas
Por exemplo:
O livro auxiliar Duplicatas a Pagar um
desdobramento da conta Duplicatas a Pagar, e
dele constam tantas folhas ou fichas quanto
forem os credores da entidade
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
46. Cia. Braslia de Radiadores
Balancete de Verificao em 31-7-19X9
Saldos
Contas DevedoresCredores
Caixa 60.000-
Contas a receber 9.000-
Estoques 78.000-
Terrenos 31.000-
Mveis e Utenslios 50.000-
Fornecedores- 58.000
Capital-170.000
228.000 228.000
Balancete de verificao
Permite a verificao da igualdade entre os saldos devedores
e credores das contas de lanamento das operaes
Captulo 3 Procedimentos Contbeis Bsicos
47. As Variaes do Patrimnio Lquido
Despesa, Receita e Resultado
Principais causas da variao do Patrimnio Lquido:
Investimento inicial (e posteriores) de capital
Resultado do confronto entre as
receitas e despesas do perodo
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
48. As Variaes do Patrimnio Lquido
RECEITA
Entrada de elementos para o ativo, sob a forma de dinheiro ou direitos a receber
Venda de mercadorias ou prestao de servios
Juros sobre depsitos bancrios ou ttulos
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
49. As Variaes do Patrimnio Lquido
DESPESA
Consumo de bens ou servios, que, direta ou indiretamente, ajuda a produzir uma receita
Diminuindo o ativo ou
Aumentando o passivo
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
50. As Variaes do Patrimnio Lquido
RESULTADO
Se as receitas obtidas superarem as despesas incorridas
LUCRO
Se as despesas incorridas superarem as receitas obtidas
PREJUZO
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
51. As Variaes do Patrimnio Lquido
Mecanismo de dbito e crdito:
Contas de Despesa e Receita
DBITO
CRDITO
$ Diminuies
$ Aumentos
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
52. As Variaes do Patrimnio Lquido
PERODO CONTBIL
Espao de tempo escolhido para que a Contabilidade mostre a situao patrimonial e financeira na evoluo dos negcios da empresa
Normalmente um ano
(exerccio social)
Finalidades externas
Intervalos menores
(ex: ms a ms)
Finalidades internas
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
53. As Variaes do Patrimnio Lquido
ENCERRAMENTO DE CONTAS DE RECEITA E DESPESA
Conta de resultado = apura o lucro ou prejuzo do exerccio de acordo com a confrontao das contas de receita e de despesa
Contas peridicas devem possuir saldo zero no incio dos perodos
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
54. As Variaes do Patrimnio Lquido
DISTRIBUIO DE RESULTADOS
Ocorrendo ou o resultado ser transferido para a conta Lucros ou Prejuzos Acumulados
LUCRO
PREJUZO
Aps essa transferncia, o resultado do exerccio poder ser distribudo para outras contas do Patrimnio Lquido
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
55. As Variaes do Patrimnio Lquido
DEMONSTRAO DO RESULTADO DO EXERCCIO
Demonstra as constas de Receita, Despesa e o Lucro (ou Prejuzo) do Exerccio
Cabealho:
Nome da empresa;
Nome da demonstrao;
Perodo coberto.
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
56. As Variaes do Patrimnio Lquido
Demonstrao do Resultado do Exerccio
Perodo: Outubro de 19x9
Em $ mil
Receitas
Receita de servios 10.250
Despesas
Despesa de material p/ escritrio 250
Despesas de peas para reparos1.100
Despesa de salrios4.500
Despesa de aluguel 400 (6.250)
3. Lucro Lquido 4.000
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
57. Registro de Operaes Decorrentes do Regime de Competncia
REGIME DE COMPETNCIA DE EXERCCIOS
As Receitas e as Despesas so consideradas em funo do seu fato gerador e no em funo do recebimento da Receita ou pagamento da Despesa, em dinheiro
DIFERE DO REGIME DE CAIXA
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
58. Registro de Operaes Decorrentes do Regime de Competncia
DESPESA A PAGAR
O fato gerador ocorreu dento do perodo contbil, mas ainda no foi paga
RECEITA A RECEBER
Foi ganha dentro do perodo contbil, mas ainda no foi recebida
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
59. Desembolsos que se Transformaro em Despesas
Procedimento contbil:
Na data do pagamento ou da criao da
obrigao a pagar, debita-se uma conta de ativo
No final de cada perodo beneficiado pelo gasto,
transfere-se a parcela proporcional para uma
conta de despesa
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
60. Passivos que se Transformaro em Receitas
Procedimento contbil:
Na data do recebimento do valor, credita-se uma conta de Passivo a dbito de caixa
Ao final de cada perodo, a parte do valor dos
servios prestados dever ser transferida da conta
de adiantamento de cliente para a conta de resultado
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
61. Quadroresumo da despesa
DespesasA vistaA prazoDemonstraes
AtualDespesaDespesaResultado
a Caixa a Despesa a pagardo Exerccio
FuturaDesp. Antec.Desp. AntecipadaBalano
a Caixaa Despesa a pagarPatrimonial
(-) Caixa(+) Dvida
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
62. Quadroresumo da receita
ReceitasA vistaA prazoDemonstraes
Atual CaixaReceita a ReceberResultado
a Receita a Receitado Exerccio
FuturaCaixaValores a receberBalano
a Adiant. Clientea Adiant. ClientePatrimonial
(+) Caixa(+) Direitos
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
63. Quadro de ajustes
Folha de papel com colunas especiais usada para
facilitar o trabalho de apurao de resultados
peridicos e confeco de demonstraes contbeis
Meio extracontbil de se chegar ao resultado do
perodo e preparao das demonstraes
Os ajustes nele feitos devero ser escriturados no
livro Dirio e com o devido transporte para o Razo
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido
64. Seqncia dos Procedimentos Contbeis
1.
Lanamentos no Dirio e respectivos registro no Razo;
2.
Levantamento do balancete de verificao;
3.
Preenchimento total do quadro de ajustes;
Lanamentos de ajustes e de encerramento e registro no Razo (e no dirio);
4.
5.
Levantamento de balancete de verificao;
6.
Preparao das demonstraes: Balano e DRE.
Captulo 4 As Variaes do Patrimnio Lquido