Crise da ucrânia 2013 2014

  • View
    1.232

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Análise da Crise da Ucrânia

Text of Crise da ucrânia 2013 2014

  • 1. 1A CRISE DA UCRNIA E SEUS REFLEXOS PARA O PODER NACIONAL DO BRASIL SOB A PERSPECTIVA DA POLTICA E ESTRATGIA DE DEFESALuiz Eduardo Rocha Paiva1RESUMO: O trabalho comea pela apresentao de dados relativos Ucrnia e Rssia, atores diretamente envolvidos na crise, visando mostrar o peso relativo do poder nacional de cada um. As relaes comerciais, investimentos bilaterais e cooperao militar do Brasil com esses atores so mostradas, para concluir sobre as consequncias de eventuais retaliaes em funo do posicionamento adotado por nosso pas na crise. A crise, um captulo da disputa entre a aliana ocidental e a Rssia na Europa Oriental e Pases Blticos, comentada sob o prisma da geopoltica no neoimperialismo que caracteriza o conflito ps-Guerra Fria. Procura-se mostrar a preeminncia do poder sobre o direito nas relaes internacionais, fazendo um paralelo entre a reao dos EUA diante da projeo da URSS sobre Cuba, na crise dos msseis em 1962, e a da Rssia, em 2014, com a possibilidade da entrada da Ucrnia na Unio Europeia, prenncio de sua incorporao OTAN. No final, so destacados alguns ensinamentos a considerar, haja vista sua relao com a defesa nacional.Palavras Chave: Crise. Relaes Internacionais. Geopoltica. Poder. Defesa.1 INTRODUOA Ucrnia vinha entabulando conversaes para estabelecer um acordo de associao Unio Europeia (UE), cujo acerto foi concludo em maro de 2014. O processo que levou a tal desfecho foi extremamente conflituoso, envolvendo os EUA e a Rssia, alm dos atores j citados. O desdobramento previsvel dessa associao a futura incorporao da Ucrnia Organizao do Tratado do Atlntico Norte (OTAN).O governo anterior da Ucrnia fora pressionado pela Rssia, ao longo de 2013, para desistir do acordo e aceitara a proposta do poderoso vizinho, mediante a promessa de compensaes. Houve forte reao do segmento da populao ucraniana de etnia no russa, que culminou com a deposio do ento presidente Yanukovich por deciso do Congresso, aps alguns meses de sria crise poltica com violentas manifestaes de rua. Ficou patente a ingerncia russa em apoio ao governo deposto e a dos aliados ocidentais EUA e UE a favor da oposio em sua escalada ao poder.Na sequncia, a Rssia no reconheceu o novo governo, promoveu a anexao da Crimeia e desestabilizou o leste da Ucrnia, apoiando veladamente grupos de etnia russa, parcela considervel da populao naquela parte do pas, em seus propsitos de1 General da Reserva, pesquisador do Ncleo de Estudos Prospectivos do Centro de Estudos Estratgicos do Exrcito e ex-Comandante da Escola de Comando e Estado-Maior do Exrcito.

2. 2separao e incorporao Rssia. O objetivo principal dessa manobra no est claro se seria anexar o leste da Ucrnia ou coagi-la, por meio dessa ameaa, a reverter a adeso UE ou, no mnimo, obter seu compromisso e dos aliados ocidentais de que ela no ir se incorporar OTAN.Este artigo pretende analisar a crise, a fim de concluir sobre o posicionamento ideal a ser adotado pelo Brasil e de identificar ensinamentos importantes para a defesa nacional, considerando a relao da defesa com interesses do Brasil nos demais campos do poder, que possam ser afetados pelo conflito.2 DADOS SOBRE A UCRNIA E A RSSIAA seguir, visando nivelar conhecimentos, so apresentados alguns dados da Ucrnia e da Rssia, entremeados por uma apreciao sobre suas foras armadas e poder militar relativo, respectivamente, para comparar e avaliar as consequncias da herana industrial militar da antiga URSS.2.1 Ucrnia2 (Figura 1)O pas se tornou independente em 1991 e tem uma populao de cerca de 46 milhes de habitantes, com 2,6 milhes na capital - Kiev. Outras cidades importantes so Kharkov, Dniepropetrovsk, Donetsk, Odessa e Lvov (circundadas em vermelho na Figura 1). Em 2012, o PIB era de US$163 bilhes, com 66% em servios, 18% em indstria e 16% em agricultura.Da populao, 73% so Ucranianos, 22% russos (concentrados ao leste, onde so maioria em Donetsk e na Crimeia) e 5% pertencem a outras etnias, incluindo a trtara. A maioria segue a religio crist ortodoxa, 10 milhes so grego-catlicos, havendo minorias protestantes, catlicas e judaicas. O idioma oficial o ucraniano, mas tambm so falados o russo e o trtaro.A superfcie de 603.700 Km2 (pouco maior que o Estado de Minas Gerais) dividida em 25 regies administrativa. A Crimeia tinha um estatuto especial com grande autonomia interna at ser incorporada Rssia. Faz fronteiras terrestres ou fluviais com a Moldvia, Romnia, Hungria, Eslovquia, Polnia, Bielorrssia e Rssia, sendo banhada ao sul pelo Mar Negro e o Mar de Azov.O relevo plano, com algumas mesetas e planaltos, destacando-se no sudoeste os Montes Crpatos (mximo de 2061 m) e no sul as montanhas da Crimeia (mximo de2 Fonte Principal: http://imigrantes.no.sapo.pt/page2ucrania.html 3. 31545 m). O clima moderado e continental e o solo se compe de terras negras, estepes e semi-estepes no sul e bosques mistos ao norte ocupando 14% da superfcie.Os recursos naturais so petrleo, gs natural, minrio de ferro, carvo, mangans, enxofre e gros em terras frteis, da ser chamada de Celeiro da Europa.Os principais compradores de seus produtos so a Rssia (35%), seguida da Europa e da sia estas ltimas com o mesmo percentual (27%). Os principais exportadores para a Ucrnia so a Rssia (30%), a China (10%) e a Alemanha (9%).2.2 As Foras Armadas da Ucrnia e da RssiaO desequilbrio de foras em favor da Rssia flagrante (Figura 1). Embora o Exrcito ucraniano seja um dos mais fortes da Europa, grande parte de seu equipamento e armamento de origem russa, vulnerabilidade agravada por no estar no estado ideal de manuteno, fruto da situao econmica do pas. O poder relativo fica ainda mais favorvel Rssia no s pela situao de aprestamento das foras, mas tambm pelo grau de fidelidade a cada governo. A falta de coeso na Ucrnia foi agravada pelo andamento da crise poltica e pela presena de um forte contingente populacional russo, principalmente, na parte oriental do pas. No deve ser descartada a possibilidade de uma guerra civil entre faces polticas que esto no poder e seus opositores, com apoio russo, havendo risco de esfacelamento da nao. 4. 4Por outro lado, existe um importante complexo industrial militar baseado na Ucrnia, herana da antiga URSS, que produz armamentos, aeronaves, navios, msseis, foguetes e componentes para uma grande variedade de equipamentos3 russos de alto valor militar. A Rssia no produz alguns equipamentos ou parte de seus componentes ou os produz em quantidade insuficiente. Assim, o aparato criou laos de mtua dependncia, pois 70% da produo vendida Rssia e no interessa OTAN, cujos equipamentos tm requisitos operacionais distintos, e a Ucrnia precisa dos recursos dessa venda para fazer face s suas graves carncias financeiras. Por outro lado, a Rssia precisar de um tempo razovel para comear a fabricar em seu territrio o que obtm com a produo do pas vizinho. Grande parte das indstrias concentram-se exatamente no leste, sudeste e sul da Ucrnia, onde se concentra o grande contingente populacional russo. A perda da Ucrnia para a UE e, futuramente, para a OTAN, levando todo esse aparato, um dos motivos das presses polticas, econmicas e militares, bem como do apoio de Moscou aos movimentos separatistas na regio oriental daquele pas, mesmo com a ameaa de sanes econmicas e outras retaliaes.A cooperao militar tem vantagens indiscutveis, mas pode ter consequncias perigosas quando for entre uma potncia muito superior e um vizinho mais fraco. Se a parceria trouxer dependncia ou comprometer a autonomia do mais poderoso na produo de equipamentos militares de valor estratgico, o mais fraco estar diante de permanente ameaa de interveno se houver um mtuo conflito por interesses importantes ou vitais.2.3 Rssia4A populao de cerca de 143 milhes de habitantes, com 11 milhes na capital - Moscou. Outras cidades importantes na regio do conflito (fronteiras oeste e sudoeste) e no ncleo de poder russo so Rostov, Volgograd, Samara, Kazan, Nizhniy Novgorod, e So Petersburgo. O PIB de cerca de US$ 2 trilhes, com 60% em servios, 36% em indstria e 04% em agricultura.3 Consultar defesanet: www.defesanet.com.br/geopolitica/noticia/15809/Ucrania---O-Indispensavel- Complexo-Industrial-Militar-para-Moscou-/4 Fontes Principais: www.brasilglobalnet.gov.br/ARQUIVOS/IndicadoresEconomicos/INDRussia.pdf (dados referentes ao perodo 2008-2013) e Como Exportar Rssia (publicao do MRE /DPCI /DIC - Coleo Estudos e Documentos de Comrcio Exterior ano de 2013) www.brasilglobalnet.gov.br/ARQUIVOS/Publicacoes/ComoExportar/CEXRussia.pdf 5. 5Da populao, 82% so de etnia russa e 18% de outras cem etnias, sendo os ucranianos e bielorrussos os grupos mais influentes. A maioria segue a religio crist ortodoxa russa (80 milhes), havendo ainda catlicos e protestantes, alm de islmicos, budistas e judeus. O idioma oficial o russo, mas so falados outros cem idiomas na imensido do pas.A superfcie de mais de 17 milhes de Km2 dividida em 08 imensos distritos federais. As fronteiras russas na regio do conflito e entorno estratgico so com a Estnia e Letnia, integrantes da OTAN, Bielorrssia, Ucrnia, Gergia e Azerbaijo. O enclave russo de Kaliningrado, no litoral do Mar Bltico, faz fronteiras com a Litunia e a Polnia. Ao sul, a regio banhada pelos Mares Negro, de Azov e Cspio.O relevo na regio plano, com vegetao baixa, sendo uma das maiores plancies do mundo Plancie do Leste Europeu. Ao sul, entre os Mares Negro e Cspio, eleva-se o Cucaso na fronteira com a Gergia e o Azerbaijo. O clima temperado na plancie e de montanha no Cucaso.Os principais recursos naturais so petrleo, gs natural, carvo, ferro e diversos minerais de alto valor estratgico, como urnio, alumnio, tungstnio, terras raras e titnio, entre outros. O pas se destaca pelo desenvolvimento cientfico- tecnolgico em setores estratgicos que lhe garantem status de potncia militar global.Os principais parceiros comerciais da Rssia sero apresentados adiante, ao se tratar de suas relaes como o Brasil.3 O POSICIONAMENTO DO