#45 - GUIA CURITIBA APRESENTA - MARÇO/2011

  • View
    258

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Curitiba está em festa. Confira a programação de aniversário março C U R I T I B A A P R E S E N T A - n º 4 5 - m a r ç o d e 2 0 1 1 | D is t r ib u iç ã o G r a t u it a Pág xx Pág xx

Text of #45 - GUIA CURITIBA APRESENTA - MARÇO/2011

  • maro2011

    CURI

    TIBA

    APR

    ESEN

    TA -

    n4

    5 -

    mar

    o d

    e 20

    11 |

    Dist

    ribui

    o

    Gra

    tuita

    Pg xxCuritiba est em festa.Confira a programao de aniversrio

    Pg xxFestival de Curitiba abre as cortinas este ms

  • Conselho Editorial - Maria Christina de Andrade Vieira, Janine Malanski, Jos Roberto Lana, Luci Daros, Mariana Leodoro, Mrcia Kersten, Nilton Cordoni. Jornalista Responsvel - Fernanda Brun MTB 8022. Colaboradores Alice Rodrigues, Ana Luzia Palka, Aparecido Casemiro de Oliveira, Bianca Sobieray, Carla Anete Berwig, Doris Teixeira, Fernando Augusto, Izabel Taschini, Jayne Sfair Suny, Layra Olsen, Luciano Jos Antunes, Luiz Cequinel, Karen Monteiro, Marceline Quadros Achcar, Marcelo Sutil, Roberto Alves, Maria Luiza Baracho, Mayra Pedroso, Miguel ngelo Gubert, Roberson Nunes, Srgio Serena, Vivian Schroeder. Capa - Tom Lisboa. Contatos - Departamento de Imprensa (41) 3213-7513 - agendacultural@fcc.curitiba.pr.gov.br. Departamento Comercial - (41) 3213-7590 - comercial@fcc.curitiba.pr.gov.br. Projeto Grfico - Aliens Design. Endereo - Rua Eng. Rebouas, 1732 Cep: 80230-040 Curitiba-PR. Esta uma publicao do Instituto Curitiba de Arte e Cultura. Todos os direitos reservados. www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br | www.twitter.com/ctbaapresenta

    * As programaes e os valores esto sujeitos alterao sem aviso prvio

    A cidade que conhecemos - tramas de edificaes e de caminhos - forma-se por labirintos de construes, esquinas, ruas, praas, viadutos, runas e demolies, espaos livres, espaos sem dono... Seus habitantes so os protagonistas de sua criao e transformao.Gentes. Cheiros. Cores. Sons. Patrimnio dos curitibanos. Ao celebrar seus 318 anos, Curitiba Apresenta sua riqueza peculiar focada nas diferentes atividades promovidas por toda a cidade: a diversidade das expresses de arte e de cultura que conformam sua gente e suas personagens caractersticas.E para comemorar o aniversrio, o Guia convida voc a viver a cultura da cidade e celebrar com ela os pedaos que aproximam as pessoas nesta multifacetada Curitiba de hoje. Confira a programao e aproveite.

    Em comemorao ao aniversrio da cidade, este ms a capa do Guia foi escolhida em um concurso aberto ao pblico, divulgado no twitter (e outros meios), incentivando curitibanos - de nascimento ou corao - a revelarem em uma ima-gem o que ser curitibano. Entre todos os trabalhos enviados, o conselho editorial escolheu esta imagem, de autoria de Tom Lisboa, que artista visual com projetos nas reas de fotografia, interveno urbana, pintura e videoarte. Obrigado a todos que participaram!

    Parabns, Curitiba

    n d i c e

    Na Plateia 04

    Espao do Leitor 05

    Entrevista 06Curitiba como eu vejo

    Imperdvel 08Luiz Carlos Rettamozo

    Teatro e Circo 10A cidade do teatro

    Literatura 17Blitz da poesia

    foto: Thais Stoklos Kignel

    Dana 21Luz, dana e interpretao

    Msica 24A casa do rock

    Cinema 34Histria em movimento

    Artes Visuais 41Arte mvel

    Infantil 50Mais que fantasia

    Patrimnio Cultural 56O que ser curitibano?

    Outras reas 60Nos dias de folia...

    Divirta-se 65

    Endereos e Contatos 66

    03Curitiba Apresenta | Maro 2011

  • Para a prxima edio: O que ser curitibano?Envie sua mensagem, crticas e sugestes para agendacultural@fcc.curitiba.pr.gov.br ou via twitter (twitter.com/ctbaapresenta)

    Um autor de alto nvel e um elenco do mesmo nvel.

    Oswaldo Euclydes Aranha

    Uma pea de teatro inesquecvel aquela que nos emociona, nos prende pela sua origi-nalidade, pelo desempenho de seus atores e, sobretudo, aquela que nos perturba e nos faz questionar, trazendo para a nossa vida os verdadeiros valores nela existentes.

    Consolao Sorano Buzelin

    Tudo. Um espetculo considerado pelo todo. Texto, atuao, figurino, direo e luz. Nenhuma pea considerada inesquecvel se no tiver conjunto.

    Elaine Albino

    O teatro talvez a manifestao artstica mais complexa de todas. Quando uma pea de teatro fraca, uma experincia terrvel, parece uma tortura medieval: voc ali, no escuro, ouvindo aquela coisa interminvel, o tempo at parece andar para trs. Em contra-partida, quando o espetculo pega na veia, a sim o teatro mostra todo seu poder revo-lucionrio, que nenhuma outra arte possui. Um grande espetculo teatral muda nossas vidas, refaz nossos conceitos e nos trans-forma em pessoas melhores, mais maduras e conscientes. O teatro sim, a mais difcil, maravilhosa e arrebatadora das artes. Mas como dizia o mestre Hugo Mengarelli: Hay que trabajar! Odilon Merlin

    Foi a algum evento divulgado pelo Guia? Envie sua foto para agendacultural@fcc.curitiba.pr.gov.br e mostre que voc esteve na plateia.

    Es

    pa

    o

    do

    Le

    ito

    r

    N a P l a t e i a

    O que faz de uma pea de teatro inesquecvel?

    Newton Cesar lana seu livro Um Minuto, na FNAC.

    Mayara Silvestrin, Natasha Mello e Cristina Suelen, no Matriz & Filial, conferindo o som dos Milagrosos Decompositores.

    Plateia enche a Sociedade Treze de Maio no show de Lemoskine e Apanhador S.

    Ana Paula Coelho e a pequena Alice no pr-carnaval do Garibaldis e Sacis.

    1

    23

    4 foto: Kauana Becthloff/ Altos Agitos 1

    Quando a pea nos leva reflexo e acrescenta algo bom em nossas vidas!

    Rodrigo DOliveira

    Os poros do ator e da atriz. A pausa e o siln-cio. A visceralidade do texto. A comunho palco e plateia.

    Fatima Ortiz

    A que te faz viajar, sonhar, acreditar, deixar ela te levar onde te faa sorrir ou chorar, amar e voltar desta viagem inesquecvel.

    Franklin Waldorf

    Uma pea inesquecvel pra mim quando eu saio do teatro querendo substituir a realidade pela fico.

    Francielle Costa

    Aquela em que eu possa me surpreender ao ver, sentir ou pensar em algo que jamais tenha feito e, ao mesmo tempo, fique com a certeza da familiaridade daquilo com que entrei em contato.

    Mrcio Zanardini Vegas

    O conjunto de fatores: histria e enredo da pea mais atuao dos artistas. Quando se entregam de corpo e alma a isso, torna-se inesquecvel.

    Marcelo Muzzillo

    foto: Felipe Cruz 2

    foto: Bruno Stock 3 foto: Maringas Maciel 4

    04 Curitiba Apresenta | Maro 2011 05Curitiba Apresenta | Maro 2011

  • memria dos curitibanos. Na diversidade de sua gente, de sua msica, suas cores, sua culinria, sua arquitetura, seus sons, cheiros e tons, a Curitiba de hoje, sob todos os aspectos, se diversificou.

    E os curitibanos? Voc acha que eles mudaram muito?Os curitibanos, como toda a cidade, tm dinamismo, mudam, transformam-se, modificam-se. Principalmente com a fora das alteraes da contemporaneidade, dos avanos e acmulo das informaes. Das trocas simblicas entre grupos tnicos, econmicos, culturais.

    Tem gente que pensa em Curitiba e lembra de petit pav, de pinho, de chuva... Do que voc lembra?De tudo isso, do amarelo das pequenas flores que inundavam os campos ao redor da cidade. Do sotaque carregado, dos jar-dins floridos... Cada curitibano constri sua lembrana a partir de sua experincia, de seus referenciais e, sobretudo, de seus desejos.

    E a cultura de Curitiba?Falar sobre cultura no singular meio com-plicado, pelo menos para quem veio da aca-demia. Mas vamos l: a cultura curitibana, dinmica, sempre se transforma. Curitiba recebeu muita gente que ajudou a alterar sua imagem fsica e tambm simblica. Quem somos no sculo XXI? Somos muitos e imaginamos a cidade que queremos e so-mos extremamente crticos quanto cidade que temos.

    Mrcia Scholz de Andrade Kersten curitibana, apesar de no ter nascido aqui. Natural de Wenceslau Braz, conheceu a cidade dos pinheiros j cri-ana quando passava frias com a famlia, mas somente aos 18 anos veio morar na Curitiba que adotou como sua. Com uma vasta lista de estudos sobre Antropologia, consultora, professora, e hoje responde pela direto-ria do Patrimnio Cultural da Fundao Cultural de Curitiba. No ms em que a cidade querida comemora seu 318 aniversrio, Mrcia revela suas impresses sobre o lugar que a conquistou.

    Voc que viu Curitiba passar por tantas modificaes, como a v hoje?Tenho recordaes saudosas quando me refiro nossa cidade. A ela , sobretudo, a cidade imaginada, a la talo Calvino. L, bem no fundo de nosso ser, no queremos que ela se modifique. A cidade do passado sempre melhor, j que nela esquecemos de fragilidades e valorizamos as boas memrias. Mas, a gente esquece que as cidades vivem em constante transformao, so uma realidade fsica composta por edi-ficaes e equipamentos, por elementos da natureza e por espaos livres e vazios entre construes. Os centros urbanos, continu-adamente reinventados, sofrem reformas, destruies, mudanas, construes.... E o agente principal destas transformaes so as pessoas que vivem nela, pois a cidade um cenrio de cultura moldada pela socia-bilidade estabelecida pela vivncia cotidi-ana de gentes annimas, celebridades, o pobre, o rico... Por isso a diversidade uma de suas caractersticas mais marcantes.

    Curitiba como eu vejo

    Que transformaes voc destacaria?No desenho urbano da Curitiba de 1950 dava pra perceber pouco da pacata cidade do incio do sculo. Novas ruas foram tra-adas e bairros surgiram. A gente sabe que a cada gerao uma nova cidade construda sobre a anterior. Isso normal no processo urbano, j que no queremos cidades museificadas, mas que os centros histricos, as paisagens e as referncias afetivas da populao se integrem a essa dinmica como partes naturais do proces-so, e no como ilhas. A modernizao e a industrializao de alguns dos bairros de Curitiba destruram edificaes, espaos e tradies, e trouxeram a implementao de polticas munici