#08 - GUIA CURITIBA APRESENTA - FEVEREIRO/2008

  • View
    225

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

FEVEREIRO 2008 Veja aqui toda a programação da cidade. CURITIBA APRESENTA - nº08 - fevereiro de 2008 | Distribuição Gratuita

Text of #08 - GUIA CURITIBA APRESENTA - FEVEREIRO/2008

  • CU

    RIT

    IBA

    APR

    ESEN

    TA -

    n0

    8 -

    feve

    reir

    o de

    200

    8 |

    Dis

    trib

    ui

    o G

    ratu

    ita

    FEVEREIRO2008

    Carnaval no s samb

    a no p.

    Veja aqui toda a program

    ao da cidade.

  • EXPEDIENTE

    Prefeito Municipal de CuritibaBeto RichaPresidente da Fundao Cultural de CuritibaPaulino ViapianaDiretor Administrativo-FinanceiroNilton Cordoni Jr.Diretor de Ao CulturalJos Roberto LanaDiretora de Incentivo CulturaAna Maria HladczukDiretor de MarketingMarcelo Simas do Amaral CattaniDiretora do Patrimnio CulturalChristine Vianna BaptistaPresidente do Instituto Curitiba de Arte e CulturaLoismary PacheAssessora de ImprensaFabiana FernandesJornalista ResponsvelJuliana Ceccatto MTB 5788ColaboradoresAparecido Casemiro de Oliveira, Jayne Sfair Suny, Josiany Vieira, Mayra Pedroso, Miguel ngelo Gubert, Thiago Incio, Vivian Siedel SchroederFotografiaAlice Rodrigues, Luclia Guimares, Luiz CequinelIlustraesAntnio EderLogsticaSrgio Serena e Izabel TaschiniDepartamento de Imprensa(41) 3213-7590 agendacultural@fcc.curitiba.pr.gov.brDepartamento Comercial(41) 3213-7514 | comercial@icac.org.br Projeto GrficoAliens DesignCapaFoto de Luclia GuimaresEndereoRua Eng. Rebouas, 1732 | Cep 80230-040 | Curitiba-PR

    Se voc quiser ser um Colaborador escreva para a gente!

    Esta uma publicao do Instituto Curitiba de Arte e Cultura. Todos os direitos reservados.

    No suje a cidade, recicle.

    n d i c e

    Entrev ista Escr i to res Paranaenses no Cenr io Nac iona l 04

    Uma Semana O melhor de Cur i t iba 06

    Teatro e C i rco Quando a Ms ica d a de ixa pa ra o Teat ro (Ou se r i a o cont r r i o? ) 09

    Dana Samba no P 13 Msica Quem no gosta de Samba . . . Gosta de Rock 16

    Cinema A Romnt i ca Par i s 27

    Artes V isuais Os Traos da Natu reza de L iane Br iand 30

    Infant i l Eco log ia em Espetcu lo Mu l t im d ia 39

    Arte Por Onde Voc Anda Carnava l 2008.Fo l i a na Aven ida . 42Carnava l no Ba i r ro Novo 43

    Div i r ta -seQue lugar este? 44Palavras Cruzadas 45

    Endereos e Contatos 46

    L inha Tur ismo 50

  • Entr

    evis

    ta

    Wilson Bueno

    Como Curitiba inspira sua literatura? O que a ci-dade tem de especial?Bueno - Curitiba a minha geografia ntima. Cheg-uei aqui, com a minha famlia, migrado do norte paranaense, aos sete anos, e com o intervalo de pouco mais de uma dcada, em que vivi as areias ferventes da Ipanema dos anos loucos, tudo o mais sempre foi Curitiba. doce, te confesso tambm, amadurecer em Curitiba, testemunha ocular de meus contemporneos, muitos deles j daqui idos. Como diz o Solda, para Alhures do Sul, ou qualquer Alhures... A cidade mora em mim como um vcio e talvez proceda desta obsesso geogrfica o que ela tem para mim de especial e insubstituvel. Afinal de contas, Curitiba a cidade de Dalton Trevisan e de Paulo Leminski, de Jamil Snege e Helena Kolody... Quer mais?

    Que dica/orientao daria a um jovem escritor que deseja seguir carreira?Bueno - Leia, leia e leia; escreva, escreva e esc-reva. Este caminho tem duas sadas apenas: ou

    Curitiba a minha geografia ntima.

    Wilson Bueno

    o escritor se convence de que no nasceu para o ofcio ou o ofcio demonstra ao escritor que ele tem tudo a ver com a carreira pela qual acabou de optar. E, ento, seguir para sempre o seu corao.

    Assim como o CD, o livro um produto de divulga-o do trabalho do autor. Como voc v o mercado editorial hoje em dia?Bueno - A vida editorial brasileira vai muito bem, obrigado. Essa histria de autor sem editor, feliz-mente, no existe mais no Brasil. Outra coisa digna de nota uma quase profissionalizao que obser-vamos, hoje em dia, entre os criadores literrios. Os escritores que contam recebem at mesmo adi-antamentos financeiros. So levados s tradues, por meio de agentes literrios os mais diversos e ganham os melhores espaos da mdia nacional.

    Escritores Paranaenses no Cenrio Nacional

    Uma das premiaes mais respeitadas do pas, o Prmio

    APCA (Associao Paulista dos Crticos de Arte), condecora

    todo ano os principais artistas do pas nas seguintes catego-

    rias: Artes Visuais, Cinema, Dana, Literatura, Msica Popu-

    lar, Rdio, Teatro, Teatro Infantil e Televiso.

    Na sua ltima edio, O Filho Eterno, de Cristvo Tezza e

    A Copista de Kafka, de Wilson Bueno, ganharam respectiva-

    mente os prmios de Melhor Fico e Melhor Conto. Votaram

    os crticos Deonsio da Silva (doutor em Letras - USP), Dirce

    Lorimier Fernandes (doutora em Histria da Cultura - USP) e

    Nelly Novaes Coelho (ps-doutora - Universidade de Lisboa).

    A cerimnia de premiao acontecer em 25 de maro deste

    ano, no Teatro Srgio Cardoso, em So Paulo. Cristovo Tezza

    A literatura paranaense tem poucos, porm bons, representantes. Como fazer literatura em nosso Estado?Tezza - O Paran sofre um certo isolamento com relao ao eixo Rio-So Paulo e mesmo com rela-o ao Rio Grande do Sul, que um plo forte de produo artstica. Mas, para quem escreve, acho que esse isolamento no de todo mau, porque a literatura mesmo de certa forma a arte de ficar sozinho. Falando por Curitiba, acho que a cidade nos protege da exposio permanente, que nessa rea pode ser danosa.

    Qual o papel da escola e da formao acadmica na sua carreira?Tezza - Como escritor, a maior influncia que recebi foi a das duas bibliotecas que freqentei pratica-mente todos os dias, at meus 18 anos: a Biblio-teca Pblica e a Biblioteca do Colgio Estadual, durante os sete anos em que estudei l. Duas bibliotecas maravilhosas. A formao acadmica foi tima na minha formao de professor, mas s comecei a dar aulas depois dos 30 anos, quando o escritor j estava praticamente formado.

    Assim como o cd, o livro um produto de divul-gao do trabalho do autor. Como voc v o mer-cado editorial hoje em dia?Tezza - O mercado editorial brasileiro cresceu muitssimo desde os anos 1980, quando comecei a publicar. Hoje praticamente h editora para to-dos os gneros, gostos e nichos de mercado, e nunca foi to fcil publicar. O que existe agora outro problema, a distribuio do livro, e a prpria comercializao do livro est mudando de per-fil; as livrarias de rua, por assim dizer, esto desaparecendo, em favor dos grandes grupos, com presena em shoppings, e que tambm so distribuidores. Alm disso, o advento da internet outra varivel muito importante. Pela internet, voc encontra tudo, rapidamente - uma espcie de biblioteca universal. Enfim, acho que est hav-endo uma mudana estrutural muito grande na cir-culao do livro, centralizadora, na venda fsica, e descentralizadora, via internet. De modo geral, no sou pessimista - acho que h mais livros che-gando a mais gente, hoje, do que havia 30 anos atrs, ao contrrio do que parece. Mas assunto de estatstica e de especialista - no tenho esses dados.

    ...a literatura mesmo de certa forma a arte de

    ficar sozinho.Cristovo Tezza

    foto

    : Wal

    ter C

    arne

    iro

    foto

    : div

    ulga

    o

    04

    Curit

    iba

    Apre

    sent

    a /

    Feve

    reiro

    200

    8

    05

    Curit

    iba

    Apre

    sent

    a /

    Feve

    reiro

    200

    8

  • Dia 18 de fevereiroO Boulevard do Crime - Direo: Marcel Carn (Frana, 1945)Este clssico do cinema mundial conta a histria de um tringulo amoroso vivido em 1830. O filme reconstitui o ambiente artstico do Boulevard du Temple, lugar onde reunia os cabars e a bomia de Paris.Horrio: 19h | Local: Cinemateca | Ingresso: R$5, R$2,50 (estu-dantes), R$1 (domingo) e gratuito (idosos)

    Uma semanao melhor de Cur i t iba

    Uma semanao melhor de Cur i t iba

    Dia 20 de fevereiroPolarides (In)Visveis - Auto-Retratos Se voc fosse tirar uma foto sua neste exato momento, que cena estaria por trs? Esta ex-posio rene polarides tiradas por artistas convidados e annimos que fizeram este exerc-cio e esto participando de uma das mais insti-gantes intervenes urbanas da cidade. Hoje, o artista recebe os visitantes num bate-papo que comea s 19h30.Horrio: 9h s 21h | Local: Sesc gua Verde | Ingresso: Gratuito

    Dia 19 de fevereiroColetiva de EscultoresA exposio exibe obras de 17 artistas brasileiros, que fazem parte do acervo da Casa Joo Turin. Muitas delas ganharam prmios em Mostras de Arte realizadas pelo museu e outras foram doaes dos prprios escultores. Alguns deles so peas em madeira, cermica e objetos reciclveis concebidos por artistas como Elvo Benito Damo, Expedito Rocha, Tita Stremlow, Lgia Borba e Car-los Roberto Arantes.Horrio: 9h s 18h | Local: Casa Joo Turin | Ingresso: Gratuito

    Dia 20 de fevereiroLa Terrazza House Num ambiente moderno e descontrado, o dj Diego Silva comanda a noite de msica eletrnica tocando muito House e Deep House. A deco-rao temtica foi inspirada numa regio da Espanha conhecida como Costa Dourada. Alm de msica, o espao tambm oferece um delicioso cardpio com paellas, tortillas e bocadillos.Horrio: a partir das 18h | Local: La Terrazza Santillana del Mar | In-gresso: R$6 (masculino) e R$4 (feminino) Dia 23 de fevereiro Deep Purple

    Os amantes do rock no podem perder este show histrico. So 40 anos de sucesso com 19 cds gra-vados. Na turn brasileira, a banda faz uma nica apresentao do seu ltimo lbum Live At Montreux 2006 com Don Airey (teclado), Ian Gillan (vocal), Roger Glover (baixo), Steve Morse (guitarra) e Ian Paice (bateria).Horrio: 22h | Local: Helooch | In-gresso: R$200 e R$100 (estudantes e 1kg de alimento no-perecvel)

    Dia 21 de fevereiroJesus vem de HannoverDireo: Henrique SaidelAs r