ÁFRICA DE ONTEM, ÁFRICA DE HOJE, RESQUÍCIOS DE ...· da África começaram a conquistar independência

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of ÁFRICA DE ONTEM, ÁFRICA DE HOJE, RESQUÍCIOS DE ...· da África começaram a conquistar...

FRICA DE ONTEM, FRICA DE HOJE, RESQUCIOS DE PERMANNCIA?

Fernanda Machado FerreiraLeandro Tadeu Barbosa Pimenta

Mayara Daher de PaulaOsmar Henrique Ribeiro Silva

Saulo Teruo TakamiEstudantes do curso de Geografia

Departamento de Artes e Humanidades-UFV

Resumo: Durante o perodo do neocolonialismo a frica foi dividida, em fronteiras artificiais

de acordo com os interesses europeus. Portanto, grande parte dos conflitos existentes na

frica, so originados por problemas de territrio, uma vez que as delimitaes das fronteiras

dos pases africanos foram estabelecidas por colonizadores que no levaram em considerao

a identidade e tradio tribal confrontando assim, as etnias dentro do continente.

Tribos aliadas foram separadas e tribos inimigas foram unidas. As conseqncias dessa di-

viso so as condies de fome, guerras civis e epidemias, na qual vive grande parte da popu-

lao africana. Nesse sentido, o presente artigo visa analisar o continente africano consider-

ando alguns aspectos econmicos, polticos e sociais.

Palavras Chaves: frica. Fome, AIDS, Guerras Civis e Apartheid

http://www.pdfdesk.com

I-INTRODUO

Os primeiros seres humanos surgiram na frica, os mais antigos fsseis de homin-

deos foram encontrados no continente africano e tem cerca de cinco milhes de anos.

O Egito foi provavelmente o primeiro estado a se formar no continente h cerca de

5000 anos, alm disso, os africanos foram procurados desde a antiguidade por povos de ou-

tros continentes que buscavam as suas riquezas como sal e ouro. Sua diviso territorial mui-

to recente. Realizou-se em meados do sculo XX, e resultou na descolonizao europia.

Apesar de se registrarem atualmente na frica muitos conflitos de carter poltico, a

grande maioria dos pases possui governos democraticamente eleitos. No entanto, as eleies

so frequentemente consideradas sujas devido s fraudes tanto internamente como pela

O continente africano foi dividido pelos europeus em 1884-1885.

http://www.pdfdesk.com

comunidade internacional, j que existem pases em que o presidente ou o partido governa-

mental se encontra no poder a vrios anos.

No perodo da Expanso Martima Europia, muitas reas da costa africana foram

conquistadas e o comrcio europeu foi estendido para essas regies. No continente existiam

muitas tribos primitivas, havia guerras entre tribos diferentes e aquelas que saam derrotadas

se tornavam escravas das vencedoras.

No perodo da colonizao da Amrica ocorria o trfico negreiro. Eram buscados ne-

gros na frica para trabalhar como escravos nas colnias, esses eram conseguidos pelos eu-

ropeus por negociao com as tribos vencedoras e os escravos eram trocados por mercadoria

de pouco valor na Europa como o tabaco. Aps a revoluo industrial e a independncia das

colnias americanas as potncias europias comearam o imperialismo ou neocolonialismo

em que reas da frica eram dominadas para expandir o comrcio, buscar matria primas e

mercado consumidor.

Devido ao neocolonialismo a frica foi dividida em fronteiras artificiais de acordo

com os interesses europeus, tribos aliadas foram separadas e tribos inimigas foram unidas.

Essa diviso ocorreu em 1884-1885 na Conferncia de Berlin que institui normas para a

ocupao, onde as potncias coloniais negociaram a diviso da frica, propondo a no

invadir reas ocupadas por outras potncias. No incio da I Guerra Mundial, 90% das terras j

estavam sob domnio da Europa. A partilha foi feita de maneira arbitrria, no respeitando as

caractersticas tnicas e culturais de cada povo, o que contribui para muitos dos conflitos

atuais no continente africano.Os principais pases foram: Gr-Bretanha, Frana, Espanha,

Itlia, Blgica, Holanda, Dinamarca, Sucia, Portugal. Aps a II Guerra Mundial as colnias

da frica comearam a conquistar independncia formando os atuais pases.

A frica Subsaariana ou frica negra corresponde regio sul do deserto do Saara.

Ao norte encontramos uma organizao scio-econmica muito semelhante do Oriente

Mdio formando um mundo islamizado, ao sul temos a chamada frica negra, assim

denominada pela predominncia de povos de pele escura, nesta regio encontra-se os piores

indicadores sociais.Os principais problemas so: Fome, Guerras civis, Epidemias e Questes

ambientais.

http://www.pdfdesk.com

II - ASPECTOS ECONMICOS E GEOPOLTICOS

No incio do perodo das Grandes Navegaes, portugueses e espanhis estabelece-

ram na costa ocidental africana feitorias para o comrcio de mercadorias, mais tarde, j no

sculo XIX, outros pases como Reino Unido, Frana, Alemanha, Blgica e Itlia se interes-

saram pelo colonialismo no continente, devido seu enorme potencial de recursos minerais e

energticos, por causa da disputa imperialista entre esses pases europeus, em 1884, realizou-

se a Conferncia de Berlin, nela foram delimitadas as reas coloniais j conquistadas e defi-

nidas as suas fronteiras. Alguns anos depois dessa reunio o domnio europeu chegou a 90%

do territrio africano.

A riqueza do subsolo africano foi um dos principais motivos para o conflito de inte-

resses entre os europeus, dando incio a Primeira Guerra Mundial. Em um continente que

http://www.pdfdesk.com

tem 30% das reservas mundiais de recursos minerais, seria inevitvel uma disputa acirrada

pelos territrios. Dentre as riquezas merecem destaque o ouro maior produo mundial se

encontra na frica do Sul, o diamante a Repblica Democrtica do Congo tem a maior re-

serva, a platina mais de 90% das reservas mundiais esto na frica, entre outras.

O nacionalismo foi uma das ferramentas que impulsionou a Segunda Guerra Mundial.

Os alemes ao perderam a Primeira Grande Guerra e tambm muitos de seus territrios, a a-

creditavam fielmente no Fhrer que poderiam conquistar no s a frica, mas o mundo, a

preocupao da segurana foi substituda pelo desejo de conseguir prestgio e poder.

Acaba a Segunda Guerra Mundial e aps quase quinhentos anos de expanso, o colo-

nialismo europeu entrou em colapso graas s crises que atingiram os pases dominantes da

ordem da Revoluo Industrial. A Europa estava devastada, e as naes do Velho Mundo se

empenharam na reconstruo de suas economias arrasadas pela guerra.

Logo a descolonizao foi to rpida quanto a ocupao imperialista e teve como uma

das causas principais as presses anti-colonialistas exercidas por movimentos polticos nas

principais naes europias apontando a contradio em manter os laos coloniais aps o

combate ao nazi-fascismo.

Com a Guerra Fria, desenvolveu-se na frica um forte nacionalismo caracterizado pe-

lo antiimperialismo e pela noo de busca da soberania poltica e econmica. Entre 1950 e

1980 surgiram 45 novas naes no continente africano, entretanto no trouxe pacificao,

A pobreza na frica acabaria se os recursos naturais do continente fossem administradosde maneira efetiva e sustentvel.

http://www.pdfdesk.com

pois as fronteiras impostas pelos europeus contriburam para a ecloso de lutas internas de

origem tnica, religiosa, territorial e econmica.

No final da Bipolaridade com a derrota da Unio Sovitica, eles tinham um armamen-

to blico to gigantesco, que ficaram sem saber como administr-lo, anos de investimento

militar para uma guerra que nunca aconteceu, foi o pice do trfico de armas, que eram ven-

didas principalmente para os tiranos e guerrilheiros da frica, devido s guerras civis espa-

lhadas por todo o continente. Estados Unidos, Federao Russa, Reino Unido, Frana e Chi-

na, so os paises que mais tem armas no mundo e nem sempre esto em guerra, logo possuem

uma reserva imensa. Portanto, surge a dvida se seus PIBs seriam to elevados, devido a

venda de armas.

III - QUESTES PROBLEMTICAS: AIDS, FOME E GUA

Quando se fala em frica logo pensamos na fome e na grande epidemia da AIDS, que

juntas so pioradas pela falta de gua. Esses problemas em conjunto assolam o continente a-

fricano, provocando mais pobreza e desprezo de grandes governantes do mundo, que fecham

os olhos diante da realidade existente na frica.

http://www.pdfdesk.com

III. 1 AIDS

A situao provocada pela Aids catastrfica, combinada com a pobreza e a falta de

informaes tem provocado uma tragdia de nmeros inacreditveis. A prpria agncia das

Naes Unidas para a Aids, Unaids, j considera inevitvel nos prximos dez anos a morte de

todas as pessoas hoje portadoras do vrus no continente africano. O nmero de infectados

com HIV na frica Subsaariana maior que 28 milhes.

A frica do Sul, mesmo sendo o pas mais rico do continente, no ficou fora da epi-

demia da Aids. Em pouco mais de uma dcada, a frica do Sul constatou 2,9 milhes de ca-

sos, deixando um rastro de 360 mil mortos. Atingindo principalmente a populao negra e

pobre, essa doena prejudica a economia dos pases africanos. O Produto Interno Bruto (PIB)

da frica do Sul, por exemplo, ser 17% menor em dez anos por causa da Aids. Empresas de

vrios pases calculam perder entre 6% e 8% dos lucros em gastos com funcionrios conta-

minados.

Segundo especialistas a razo pela qual o HIV se alastre de uma forma to rpida, a

falta de vontade poltica dos governantes de lidar com a doena e de tocar em assuntos tidos

como tabu para a maioria das culturas africanas, c