Almanaque de-dinamicas

  • View
    13.789

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Almanaque de-dinamicas

  • 1. Eliseu de Oliveira Cunha Almanaque de Dinmicas Verso Revista e Corrigida Dezembro de 2011 Domnio Pblico http://brincadeirasderua.zip.net/ 1

2. Apresentao Este documento denominado "Almanaque de Dinmicas" contm 500 atividades e constitui a materializao da vontade pessoal do seu autor no resgate e no incentivo de atividades recreativas e ldicas, tendo em vista a sua monstruosa importncia para o desenvolvimento fsico, cognitivo, afetivo e social da criana, alm do seu potencial como alternativa saudvel e criativa de entretenimento para adolescentes e adultos. Formar um grupo, capacit-lo e mant-lo exige muita criatividade e participao. Para facilitar esse processo podem ser utilizadas dinmicas de grupo. Dinmicas so instrumentos ou ferramentas que fazem parte de um processo de formao e organizao e que objetivam possibilitar a criao e a recriao do conhecimento dentro de uma viso participativa. Elas tambm colaboram para superar barreiras que impedem a comunicao e a interao com o grupo. Se as estruturas sociais, muitas vezes favorecem o isolamento e o individualismo, uma boa dinmica desperta para a solidariedade. Atravs da dinmica, a pessoa entra em contato, igualmente, com sua limitaes, qualidades e virtudes, ajudando a superar bloqueios e medos.1 A dinmica promove a participao A dinmica de grupo constitui um valioso instrumento educacional que pode ser utilizado para trabalhar o ensino-aprendizagem quando opta-se por uma concepo de educao que valoriza tanto a teoria como a prtica e considera todos os envolvidos neste processo como sujeitos. A opo pelo trabalho com dinmica de grupo permite que as pessoas envolvidas passem por um processo de ensino-aprendizagem onde o trabalho coletivo colocado como um caminho para se interferir na realidade, modificando-a. Isso porque a experincia do trabalho com dinmica promove o encontro de pessoas onde o saber construdo junto, em grupo. Logo, esse conhecimento deixa de ser individualizado e passa a ser de todos, coletivizado. Ainda tem a qualidade de ser um saber que ocorre quando a pessoa est envolvida integralmente (afetivamente e intelectualmente) em uma atividade, onde desafiada a analisar criticamente o grupo e a si mesma, a elaborar coletivamente um saber e tentar aplicar seus resultados. importante ressaltar que faz parte desse processo a garantia da participao constante de todos os participantes. S assim todos se sentiro donos do saber alcanado.2 Ferramenta Importante A importncia da dinmica no processo coletivo do ensino-aprendizagem no deve ser, no entanto, absolutizada ou subestimada. Sua utilizao deve responder a objetivos especficos de uma determinada estratgia educativa, no sentido de estimular a produo do conhecimento e a recriao deste conhecimento tanto no grupo/coletivo quanto no indivduo/singular, uma vez que a tcnica da dinmica no um fim, mas um meio - uma ferramenta a ser usada. Ao optar pelo uso da tcnica de dinmica de grupo voc poder, atravs de jogos, brincadeiras, dramatizaes, tcnicas participativas, oficinas vivenciais e um ambiente descontrado, discutir temas complexos, polmicos e at estimular que sejam externados conflitos (do indivduo e do grupo), buscando estimular os participantes a alcanar uma melhoria qualitativa na percepo de si mesmo e do mundo e, consequentemente, nas relaes estabelecidas consigo mesmo, com o outro e com o mundo. Enfim, Dinmica de Grupo um caminho para educar junto3 Algumas das atividades do Almanaque tm natureza especfica (religiosa, moral, recreativa, educativa...), outras no. Cabe ao coordenador das dinmicas adequar o desenvolvimento das atividades para o seu objetivo especfico, de modo que tanto possvel retirar o carter religioso de uma dinmica crist, por exemplo, quanto inclu-lo em uma dinmica neutra, assim como em outras circunstncias. Espero e desejo que esse material que rene contedos extrados de pginas da internet seja de grande utilidade e traga excelente resultados para voc, sua equipe e para todas as pessoas que tomarem conhecimento dele graas a voc. AVISO: A utilizao, cpia e distribuio deste manual esto plenamente autorizadas mediante duas ressalvas: no haver fins lucrativos e citar o nome do criador. Por se tratar de um material gratuito, tico divulg-lo, a fim de que um nmero cada vez maior de pessoas possa ser com ele beneficiado. Eliseu de Oliveira Cunha eliseudeoliveira@ig.com.br [ndice] Dinmicas Evanglicas................................................................ 3 Dinmicas para Crianas............................................................. 18 Dinmicas em Grupo...................................................................24 Dinmicas Recreativas................................................................ 44 Dinmicas Divertidas.................................................................. 57 Dinmicas para Jovens................................................................ 68 Dinmicas para Tudo e Todos..................................................... 71 2 3. Dinmica Evanglicas 4 01. Meus sentimentos Objetivo: apresentao e entrosamento Material: papel, lpis de cor. Desenvolvimento: cada um deve retratar num desenho os sentimentos, as perspectivas que tm. Dar um tempo para este trabalho individual que deve ser feito em silncio, sem nenhuma comunicao. Num segundo momento as pessoas se renem em subgrupos e se apresentam dizendo o nome, de onde vem, mostrando o seu desenho o explicado. O grupo escolhe um dos desenhos para ser o seu smbolo apresentando-o e justificando. Pode-se tambm fazer um grupo onde cada um apresenta mostrando e comentando o seu desenho. Palavra de Deus: Fl. 1,3-11 SL 6. 02. Mancha ou ponto Objetivo: orao, pedido de perdo, preces, reviso de vida... Material: uma folha branca com um ponto escuro ou mancha, bem no centro da mesa. Desenvolvimento: mostrar ao grupo a folha com o ponto ou mancha no centro. Depois de um minuto de observao silenciosa, pedir que se expressem descrevendo o que viram. Provavelmente a maioria se deter no ponto escuro. Pedir, ento, que tirem concluses prticas. Exemplo: em geral, nos apresentamos nos aspectos negativos dos acontecimentos, das pessoas, esquecendo-nos do seu lado luminoso que, quase sempre, maior. Palavra de Deus: 1 Cor 3,1-4 Sl 51 03. Identificao Pessoal com a Natureza Objetivos: Auto conhecimento e preces Material: Smbolos da natureza, papel e caneta. Desenvolvimento: 1. Contemplao da natureza. Cada um procura um elemento na natureza que mais lhe chama a ateno e reflete: Porque o escolhi? O que ele me diz?; 2. Formao de pequenos grupos para partilha; 3. Cada pequeno grupo se junta com o outro e faz uma nova partilha. O grupo escolhe um como smbolo e formula uma prece; 4. Um representante de cada grupo apresenta o smbolo ao grupo, fazendo uma prece. Palavra de Deus: Gn 1,1-25 04. Quem sou eu? Objetivo: Conhecimento Pessoal Material: papel e caneta Desenvolvimento: 1. Refletir individualmente: - A vida merece ser vivida?; - Somente a vivem os que lutam, os que querem ser algum? | 2. Escrever numa folha: - Quem sou eu? (enumerar seus valores, qualidades e defeitos); - O que eu quero ser? (escrever o que quer com a vida, os seus objetivos e iluses); - Como atuo para chegar no que quero? | 3. Terminada a reflexo pessoal, formar grupos para partilhar. | 4. Avaliao: - Como cada um se sentiu ao se comunicar?; - E depois da dinmica? Palavra de Deus: Gn 1,26-31 Sl 139 05. O outro Lado Objetivos: ver o objetivo comum do grupo. Processo de comunho e unio. Anlise da realidade. Desenvolvimento: (no dizer o objetivo da dinmica). O coordenador pede a todos que se coloquem no fundo da sala ocupando toda parede. Pede silncio absoluto, muita ateno para a ordem que vai ser dada e que sejam rigorosamente fieis a ela. Deve manter silncio durante a dinmica. A ordem a seguinte: Vocs devero procurar como grupo, atingir o outro lado da sala, da forma mais rpida possvel e mais eficiente. Repete-se a ordem vrias vezes. O coordenador dir que a ordem no foi cumprida, pede ao grupo que recomece. Repita a ordem vrias vezes, pedindo que haja silncio. Em seguida fazer comentrios sobre tudo que observaram e sentiram: - Como cada um se sentiu?; - Quem se sentiu esmagado e desrespeitado?; - Quem ais correu ou empurrou?; - De que forma as lideranas foram se manifestando?; - Houve desistncia no meio do caminho?; - Surgiram animadores? NOTA: bom que haja obstculos pelo meio da sala (cadeiras...) dificultando a passagem. Ele considerar a tarefa cumprida quando julgar que o grupo se aproximou do ideal alcanando o outro lado unido, obedecendo ao ritmo um dos outros, tendo incluindo todos na travessia. Palavra de Deus: 1 Cor. 12,12-27 Sl 133 06. Espelho Objetivo: Partilha dos sentimentos. Desenvolvimento: O ambiente deve ser silencioso. Cada um deve pensar em algum que lhe seja muito importante, aqum gostaria da ateno em todos os momentos, algum que se ama de verdade, que merece todo cuidado. Entrar em contato com essa pessoa e pensar os motivos eu os tornam to amada. (Deixar tempo para interiorizao). Agora cada um vai encontrar a pessoa que lhe tem um grande significado. Cada um, em silncio, se dirige at a caixa, olha a tampa e volta em silncio para seu lugar. Depois se faz a partilha dos prprios sentimentos, das reflexes e concluses de cada um. Palavra de Deus: Lc 12.1-3 Sl 131 07. Nmeros Objetivos: Conhecimentos Pessoais. Material: Cartes com nmeros diferentes. Desenvolvimento: Cada participante recebe um nmero que no deve ser mostrado para ningum. Dada a ordem, cada um vai procurar o nmero igual e no acha. Comentam-se as concluses tiradas (Somos nicos e irrepetveis perante o outro). Palavra de Deus: Lc 15.3-7 Sl 8. 08. Construo de uma cidade Objetivos: reflexo sobre a realidade. Material: Fichas com nomes de profisses. Desenvolvimento: Cada participante recebe uma ficha com o nome de uma profisso e deve encarn-la. Por um instante analisar a importncia daquela profisso. Depois da interiorizao deve dizer. Vamos viajar porque aqu