Diário do Arnaldo

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Diário do vereador Arnaldo Godoy de Belo Horizonte. Publicação virtual que o vereador enviar para seus apoiadores para contar de uma forma descontraída como tem sido seus dias de parlamentar.

Text of Diário do Arnaldo

  • Ningum me d iga: vem por aqui / A minha vida um vendava l que se soltou,/ uma onda que se a levantou,/ um tomo a mais que se animou.../ No sei por

    onde vou,/ No sei para onde vou/ Sei que no vou por a!, Jos Rgio

    21 de novembro tarde, estive em uma atividade no SESI/Cira (Centro de Integrao e Apoio a Pessoa com Deficincia) para reforar o apoio e investimento na formao de atletas com deficincia. O movimento paraolmpico brasileiro est mais forte do que nunca: no ms passado, em Guada lajara, ao fina l do 4 Parapan, o Brasil foi campeonssimo com 12 meda lhas nas 13 moda lidades d isputadas, faturando o ouro em nove delas. Um resultado excelente.

    22 de novembro Na Funarte, o Secretrio de Assuntos Institu-ciona is do MinC, Roberto Peixe, conduziu os debates em mais um encontro temtico sobre o Sistema Naciona l de Cultura. preciso agora, aps um longo e tenebroso inverno, que BH emposse os conselheiros de cultura eleitos no processo democrtico do qua l fomos protagonistas, para ingressarmos de forma definitiva nesse sistema. Enquanto eu estava l, a camarada Cida representou o

    a

  • gabinete no debate sobre educao in fantil que se rea lizava na Pucminas, evento promovido pelo Conselho Municipa l de Educao. No fim da tarde, estive com trs secretrios de governo para me inteirar da Parceria Pblico-Privada que a PBH prope para a educao. Entend i como uma iniciativa positiva, j que no ameaa o plano pedaggico, a adminis-trao escolar e nem os professores. Isso tudo va i continuar a cargo da SMED. A PPP trata somente da construo (num prazo de trs anos) e da manuteno de 32 UMEIs que atendero 22 mil crianas da cidade. Nosso dficit, no entanto, de 45 mil a lunos. Depois, compareci ao Museu de Artes e Ofcios para apreciar a saborosa prosa de Ariano Suassuna, que continua a contar seus casos e tratar nossa cultura, nosso folclore e nossas razes de uma maneira incorrigivelmente peculiar.

    23 de novembro Como presidente da Comisso de Educao, Esporte e Cultura da Cmara, conduzi uma aud incia pblica que tratou dos campos de vrzea e futebol amador na cidade. Uma iniciativa importante, pois BH tem perd ido, ao longo dos anos, esses espaos de lazer, entretenimento e de convivncia dos jovens e

  • crianas. Essas coisas que o esporte e o futebol sempre propiciam.

    24 de novembro Pela manh, no plenrio Helvcio Arantes, participei de uma aud incia pblica que tratou do decreto legislativo que proto-colei para corrigir o decreto do prefeito, que reduz a substituio das sacolas plsticas convenciona is a apenas uma a lternativa ecolgica. Foi um

    debate muito rico e no perd i a oportunidade de cravar um prego nos argumen-tos da Plastivida, d izendo que o lobby que fizeram em BH no surtiu resultados e que a lei pegou, conforme os dados que todos ns conhecemos os supermercados deixaram de d istribuir 9 7% de sacolas plsticas e a cidade est mais limpa. Alm disso, houve um efeito domin na questo ambienta l: a crianada est preocupada com a coleta seletiva e com o desperdcio de gua na cidade. No fina l da tarde, sa correndo da Cmara para um debate no aud itrio da FAE/UFMG, entre a secretria municipa l de Educao, Maca Evaristo, e a d iretora da Faculdade de Edu-cao, Samira Zaidan. Na pauta desse seminrio Pensar a Educao. Pensar o Brasil, o legado e as perspectivas da Escola Plura l. Tenho sempre acom-

  • panhado esses encontros promovidos pela FaE, uma oportunidade rica de d iscutir o processo de educao. Aproveitei para d istribuir exemplares da Revista Outro Olhar/Ensino Mdio, publicada pelo meu mandato. Tenho recebido elogios pelos artigos de nossos colaboradores.

    25 de novembro Na TV Cmara, mais uma vez me posicionei contra a poltica de crimina lizao dos pic hadores da cidade, colocados em penitencirias ao lado de margina is perigosos. H uma lei que j prev a limpeza dos loca is pic hados, que at pode ser estend ida varrio e ao traba lho comu-nitrio em asilos, por exemplo. Mas o que no se admite so essas penas rigorosas, que at estimulam o pessoa l a pic har mais a cidade, como um desafio e um trofu.

    28 de novembro Durante toda a manh, conversei com os petistas que integram a administrao municipa l, secretrios e lideranas nas regiona is, para captar a percepo de cada um sobre a sucesso de BH e o momento poltico atua l. tarde, fiquei muito feliz no lanamento da Encircopd ia, um dicionrio de circo lanado pela camarada Sula Mavrud is em que consta um verbete com o meu

  • nome. Foi uma homenagem dos circenses pela autoria da lei que classifica o circo como uma atividade cultura l e, assim, desbu-rocratiza seu funcionamento em BH. Eles d izem que com isso, a vida deles melhorou, tanto que a lei vem sendo replicada em outras cidades do pas. Foram momentos deliciosos entre pa l-

    haos e malabaristas, com sabor de in fncia as coisas simples que tocam fundo nossa a lma. Sa de l correndo para o Pa llad ium, acompanhar a premiao do Sesc/Sated aos melhores atores, atrizes e tcnicos de artes cnicas neste ano. Esses heris da arte merecem essa homenagem, pois no fcil viver de teatro em BH nem em lugar a lgum do Brasil.

    29 de novembro No Teatro Marlia, convidado pelo Bloco do Maiora l, pessoa l vivido da 3 Idade, entreguei o prmio que ganharam no concurso de marchinhas para o Carnava l/2012. Cantei, dancei e foliei. S no furei a sandlia porque estava de tnis. A moada est animadssima porque va i abrir a folia do ano que vem e estamos vendo se conseguimos uns carros antigos para reviver o corso.

    o

  • 30 de novembro Mais uma vez, como presidente da Comisso de Educao da Cmara, conduzi a aud incia pblica sobre a Conspirao Mineira pela Educao. A pa lavra sempre remete a coisas feitas socapa, como d iria Machado de Assis: um golpe militar, o ataque da OTAN contra a Lbia ou os EUA bombardeando o Iraque. Mas essa conspirao do bem uma ao transparente para trazer setores de Minas para a educao de nossos jovens e adolescentes. Iniciativa importante, que se soma ao Comit de Mobilizao Socia l pela Educao, do qua l participo. Por fa lta de pernas, no pude comparecer estria do documentrio Ba lana Mas No Cai O Edifcio Tupis, iniciativa de Teodomiro Diniz Camargos, propri-etrio da construtora que reforma o prd io de 17 andares, referncia importante na histria de BH. Sua revita lizao revigora o Centro da cidade.

    Fotos: Marcos Moreira/CMBH

  • 1 de dezembro Aps a sesso plenria, dei uma chegada ao Hotel Ouro Minas, onde o Diretrio Naciona l do PT rea lizava sua reunio ord inria. Conversei com lideranas de todo o pas, entre outros assuntos, a sucesso em BH, assunto que no sa i de nosso pensamento e de nossas preocupaes.De l, fui ao Ga lpo Cine Horto, onde assisti estria de Eclipse, nova montagem do Grupo Ga lpo que sintetiza vrios textos de Chcov. Muito bacana e recomendo a todos vocs.

    2 de dezembro - Estava marcado para visitar a Escola Alcinda Torres, mas no pude fa ltar a reunio com o Diretrio Naciona l do PT. Registro aqui minhas desculpas. tarde, durante sesso na Cmara, defend i a aprovao de uma emenda que fiz para que a suplementao oramentria de 2012 (va lores que a PBH pode remanejar sem autorizao prvia da Cmara) se mantivesse como nos anos ante-riores, em 15% do oramento. Fui derrotado e, agora, os vereadores no podero controlar os gastos da Prefeitura, estaro sem seu principa l papel que fisca lizar o Executivo. Lamentvel essa subservincia da Cmara PBH.

  • P. S. 1 Dia 22/11 foi aniversrio do Noca, velho amigo e companheiro. Passei em sua casa, depois da prosa de Suassuna, para um violo e ouvir o cavaquinho do Noca e a flauta do Bareta. Tudo regado pela saborosa cerveja que o genro do Noca produz.

    P. S. 2 No d ia 27/11, um caf da manh gostoso na casa da Mada lena para marcar o pr-nata l dos Ferrari: Boca, Tenente, Beth, Mada lena, Rita, Cac, Ada, Nato, enfim, a outra banda da minha famlia. Manh a legre que teve o Davi e a Amanda como atores principa is e o Iuri, caulin ha do Boca, como coadjuvante.

    P. S. 3 Numa manh dessas, como sempre que posso, dei uma fugida das atividades corriqueiras ao Parque Municipa l. O Davi e a Amanda, ao invs de jogarem rao aos peixes, resolveram a limentar os pombos, que juntaram de com fora pertinho da gente. Dava para sentir a ventania do bater das asas e uma das pombas at trombou na vov Beth ao levantar voo. A Amanda e o Davi ficaram encantados, claro!

    P. S. 4 O prefeito Mrcio Lacerda recebeu o prmio Hugo Werneck de sustentabilidade ambienta l pela lei que baniu as sacolas plsticas, mas no teve a gentileza de citar a autoria da lei. Mais que isso, na matria que sa iu no Dirio Oficia l do Municpio (DOM) ficou parecendo que ele que sancionou uma lei aprovada a inda na gesto Fernando Pimentel.

  • Dirio do Arnaldo GodoyChefe de Gabiente: Ivani Ferreira

    Assessoria Poltica: Clio Cruz

    Assessoria Parlamentar: ngela Mouro, Aparecida Delavy, Juliana

    Gontijo, Kleberth Mendes, Roberto Raimundo e Vilmar Oliveira

    Assessoria de Imprensa: Fernando Righi Marco - MG 05004

    Comunicao Visual: Rafael Andrade

    Administrao: Maurcio de Jesus, Thaiz Santana e Vivaldo Cardoso.

    Endereo: Av. dos Andradas, 3.100 - Gab. 305b - Santa Efignia - Belo

    Horizonte - 30260-070 - Fones: 3555-1164 e 3555-1165

    Stio na internet: www.arnaldogodoy.com.br

    Endereo eletrnico: arnaldogodoy@cmbh.mg.gov.br