Estudo Arquétipos - Arquétipos Emocionais

  • Published on
    18-Feb-2016

  • View
    30

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Estude a relao dos chamados arqutipos e

Transcript

  • 27/05/2015 Borboleta848:MarketingMapeamentoEmocional:ARQUTIPOSEMOCIONAIS

    http://borboleta848.blogspot.com.br/2011/02/marketingmapeamento.html 1/9

    ESPEROTRANSPARECERSPESSOASAAJUDAQUEOBTIVEATRAVSDOAMORDEDEUSPORMIM,FEITOPELOSENHORJESUSCRISTO.Visitemtambm:http://kisimu.blogspot.com/

    20/02/11

    MarketingMapeamentoEmocional:ARQUTIPOSEMOCIONAISRESUMO:

    Estaremosabordandonestetrabalhoarelaoemocionalqueaspessoastemaumdeterminadoprodutoeservio,usandoosArqutiposEmocionais.Osquaisdevemseranalisadoscomcuidadopelosprofissionaisdemarketing,poisconstituiumaferramenta indispensvelparaserusadaemcampanhaspublicitrias,ondeopblicoalvodevaseratingido,identificandosecomamarca.

    1.INTRODUO:

    Paraestudarmososarqutiposemocionaisesuainflunciasobreaspessoas,oprimeiropassodeixarmos de lado toda a nossa razo, iremos fazer uma viagem sobre emoes, crenas eculturas,eparaqueestaviagem tenhaxito,devemosdeixar todososprconceitosadquiridosdurantenossavida.

    Para auxiliar a identificao, descreveremos os arqutipos emocionais (que so padres oumodelos emocionais), que so utilizados inconscientemente pelas pessoas para expressar seussentimentosemrelaoaosprodutos/serviosquemaisgostamedeidentificam.

    Todo este trabalho pode ser feito atravs do uso exclusivo de imagens, porque as pessoas tmdificuldade de verbalizar suas emoes e posicionlas de forma clara e consciente diante doproduto/servioaseranunciado.

    Parapodermosentenderumpoucosobrecomonascemasimagensecomoelasnosinfluenciam,temosderecordarquecercade75%daquantidadede informaoque ingressaacada instantedentro de nosso crebro de natureza puramente visual, ou seja, cerca de trs quartos dasinformaes que iro ser processadas, interpretadas, respondidas e armazenadas na forma dememria dentro de ns ser de cunho eminentemente visual, exigindo respostas, reaes eplanejamentosquetambmterodeacontecerdentrodeumcenriovisual.

    O nosso crebro produz uma representao visual da realidade que nos cerca, que depois 'enriquecida' por elementos auditivos, tteis, olfativos, psicolgicos, emocionais, etc., gerandoaquilo que denominamos de realidade. Devemos levar em considerao, portanto, que essarealidadeumaconstruoindividual,umaopinioqueemitimossobreumdeterminadomomentoemqueexperimentamosouniversodeinformaesquenosrodeiae,apoiadosemmemriasdeexperinciasanterioresetambmsobreonossoestadopsicolgico,criamosessa'realidade'quedecunhoextremamentesubjetivo.Essa'realidade',emboratenhasempreocartersubjetivo,ircoincidiremmuitospontoscomadeoutraspessoas,eassimsecriaailusodequeoque'vemos''real'.

    Na propaganda e na publicidade, o uso dos arqutipos emocionais para criar a iluso de quepodemossempreparticipardequalquercenrioqueestejasedesenvolvendonossafrente.Essacapacidade de nos envolvermos visualmente com algo que est ocorrendo chamada deidentificaoeservedebasetantoparaaspropagandasinduziremacomprademaissapatos,ataumentar as chances de se obter uma experincia mstica, passando pelas sedues quasehipnticas do cinema e da televiso. Assim, as imagens nos afetam direta ou indiretamente,

    IncioCooperarfazadiferena!ComomontarumProjetoSocialPROJETODEPESQUISA(Monografia)paraelaboraodemonografiasEtapasderegistrodaempresaPrincipaisimpostosetaxas

    Pginas

    0 mais Prximoblog Criarumblog Login

  • 27/05/2015 Borboleta848:MarketingMapeamentoEmocional:ARQUTIPOSEMOCIONAIS

    http://borboleta848.blogspot.com.br/2011/02/marketingmapeamento.html 2/9

    estejamosconscientesounodeseuefeito.

    Antesdedarincioemqualquerprojetodecriaoelanamentodeumnovoprodutoouservioesua campanha publicitria, precisamosmapear emocionalmente omercado a ser atingido. Paraqueidentifiquemosasreasdesensibilidadeemocionalrelacionadasaonossoprodutoouservio.

    2.ARQUTIPOSEMOCIONAIS:

    Oserhumanoumanimal visual. Sua realidademoldadaem termosde cenrios e imagens,formasecontrastes,queposteriormentesopreenchidosdesignificadose interpretaes.Assimadquirimos conhecimento. A sua capacidade de gerar imagens internas, seja na fantasia ou nosonho,sejanaprofissooulazer,nacinciaouarte,nareligioounoentretenimento,tudoaoseuredor composto de imagens, formas, luzes e cores, constituindo um universo onde infinitaspossibilidadesapresentamsenossafrenteemdesdobramentoseseqnciasinimaginveis.

    OsArqutiposEmocionaissoasimagens,experincias,intuiesetodososprocessosligadossmemrias pessoais e coletivas, ligados histria da humanidade e a forma pela qual fomossensibilizados,pelosprocessosdeeducaoedemanipulaoemocionalaolongodenossavida.Isto tambm inclui as imagens e representaes de figuras histricas e/ou msticas quereconhecemoscomofazendopartedenossacultura,assimcomodoselementosmgico/religiososquefazempartedenossasfantasiaseexpectativas.Representamantigasforasqueaindaviveme atuam no nvel inconsciente e que, na maioria das vezes, sequer so reconhecidas, emboratenhamocostumedeseexpressardeformasimblicaoumstica.Comoexemplo,podemoscitar:as mitologias Grecoromanas, as figuras religiosas JudaicoCrists, os Heris, assim como asfiguras de Pai, Me, Sbio, etc. Ou seja, so as imagens que definem os nossos contatosinconscientescomessesarqutiposemocionais.

    Resumindosobreosarqutiposemocionais,podemosdizerquesopadresdeemoesusadospelas pessoas para explicar como se sentem diante de determinado anncio de produto ouservio,noqualconfiameconsomem,usandoimagens.

    Aspessoassentemdeformasdiferentesessasemoes,umasseidentificammaisfortementeemdeterminado modelo emocional que outro. So quatro tipos de arqutipos emocionais que soutilizadospornossaconscincia,eobedecemaseguintehierarquia:

    Faremos adiante uma descrio de cada nvel desta hierarquia e de como cada um destesarqutiposinfluenciamemnossadecisodecompra.

    3.INSTINTO:

    Osapelosinstintivosapresentamseemdoisnveis:umquenoestligadoarealidadedevidadoser humano, no outro nvel aparece os primeiros sinais de conscincia e de individualidade,atravsdabrincadeiraedafantasia.Osdoisnveissodotadosdeemoesfortes.

    3.1InstintosNoIntegradosRealidade:

    3.1.1FluxodeEnergia:

    Aemoodaao.Aenergiafluiindividuosembloqueios,semconflitoseaparececomovitalidadee despojamento. No existem divises hierrquicas, nemmesmo entre o homem e a natureza,tudo fluxo, a emoodomovimento, desejoe realizao.Aspessoasemaoparecemestarfazendoacoisaperfeitaemcadasituao.

    Podemosusarcomoexemplosasseguintessituaes:aforacontagiantedosorrisoespontneoo pulo no penhasco, a conquista do espao fsico com o corpo em queda livre a adrenalina, vontadeeoprazeremunidadecomotodo.

    3.1.2Ldico:

    Arqutipoemocionalmuitovivenciadonaturalmentepelascrianas,ondeabrincadeiraeafantasiaso envolventes, sem preocupao de serem inconseqentes fazendo algo divertido e criativo,ondetodossodamesmaturma,estojuntosparaencararoutrospersonagens.

    Podemos resgatar este arqutipo nos adultos tambm, atravs da quebra da formalidade eresgatandomomentosdebrincadeiras.As fantasiassemcompromissocoma realidadecriamnohomempoderesmgicos:ocabodevassouratransformasenumlindocavalobrancoepodesairvoando,osobjetosganhamatributoshumanoseoshumanos,superpoderes.

    OsestdiosDisneyutilizamoLdicoemseuspersonagens,desenhos,filmeseparquestemticos.Porexemplo:OReiLeo,Pinquio,APequenaSereia.

    3.2InstintosQueFazemPartedaRealidade:

    3.2.1Raiz:

    Encontroafetivocomarealidade.osentimentoagradveleestveldequehcoisasnavidaquecontinuarocomosempre foramo tempovaicurtindoascoisasparamelhore recriandoavidanumciclodetradio,naturalmente,comoaavpassaparaafilhaeneta.

    o clima de apego que estabelece, na atmosfera esttica de uma cidadezinha do interior, asegurana pela permanncia das coisas, o sonho de amor puro e eterno, o sentimento deingenuidade, a convivncia com seus amigos fiis que so como carne e osso, a seguranaemocional.

    Oafetoduradouroesegurodaspessoasquefazempartedesuasrazes,osceseosanimais.aemoo do reencontro que nasce ao revisitar os lugares em que j viveu, preservados pelotempo.Emcada lugar reconhecereser reconhecido, teroafetoeoacolhimentodaspessoas,odespertar das lembranas de infncia, onde brincou e teve suas experincias felizes, ser

  • 27/05/2015 Borboleta848:MarketingMapeamentoEmocional:ARQUTIPOSEMOCIONAIS

    http://borboleta848.blogspot.com.br/2011/02/marketingmapeamento.html 3/9

    identificadoequeridosocialmente.

    Existeemcadaumdensogostodedescobrirquetemosumaligaocomopassado,apoeiraque foi feita por nossos ancestrais na histria, de onde viemos e como chegamos at aqui. osentimentodoaconchegoemrelaoaoquefoiconstrudopelosantepassados.

    3.2.2Posse:

    o arqutipo onde o ser humano procuramanter tudo sob seu controle. Desperta o desejo deadquirir emanter pessoas e coisa sob seus cuidados. umestado de esprito de expansodossentimentos,ondevisualizaamatriacomonicapossibilidadederealizao.

    Omaiordesejoafortuna.Saabundnciapodedarsatisfaopessoal,estabilidade,confortoesegurana. As necessidades so plenamente conhecidas porque so fsicas. A tudo atribudovalormonetrio uma vez que h confiana no controle da satisfao, na possibilidade da troca,compraevenda.

    Habuscadeumlugarseguroeestvelparaimplantarasrazes.umestadodeespritoemquesaboretatosofacilmenteexplorveis.Osbonsrestaurantes,carrosbonitos,seucorpoatraente,as compras e as jias. Nos relacionamentos, h a procura de segurana e da estabilidade doamigofiel.Olarslido,adecoraobelaeconfortvel,aalimentaosaborosaesuculenta,estsempre de portas abertas para as pessoas amigas. Sua famlia muito importante, buscando ocontroledosmembroseaestabilidadefinanceiradetodos.

    3.2.3Guerreiro:

    o arqutipo que determina o instinto de sobrevivncia. O esprito Guerreiro surge quando necessrio o romper os obstculos da vida, enfrentar omedo com suas foras irracionais, pararestauraradignidadecontraas injustias,assituaesdeabusodepodereopresso,atingindoumpatamarmaiselevadodedignidadepessoal.

    A competio esportiva serve tambm para reviver emocionalmente o esprito do combate. aforaqueglorifica,presentenoscampees.

    3.2.4Social