Click here to load reader

Informativo do SINDIPETRO AL/SE - Nº 503 - 03 a 09/06/2009 · PDF file 2012. 6. 29. · Informativo do SINDIPETRO AL/SE - Nº 503 - 03 a 09/06/2009 Sindicato Unificado dos Trabalhadores

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Informativo do SINDIPETRO AL/SE - Nº 503 - 03 a 09/06/2009 · PDF file 2012. 6....

  • Informativo do SINDIPETRO AL/SE - Nº 503 - 03 a 09/06/2009 Sindicato Unificado dos Trabalhadores Petroleiros, Petroquímicos, Químicos e Plásticos nos Estados de Alagoas e Sergipe

    I M P

    R E

    S S

    O

    Nos dias 19, 20 e 21 de junho, acontece o XVIII Congresso Regional do Sindipetro AL/SE. O congresso é a instância máxima de deliberação da categoria. Pode participar do congresso todo e qualquer trabalhador filiado ao Sindicato. Aquele que não for filiado e queira ser delegado precisa fazer sua filiação. Os delegados serão eleitos nos fóruns da categoria (reuniões setoriais, reuniões das comissões de bases, as- sembléias,...). Você, também, pode fazer sua inscrição pela internet ([email protected]) ou pelo telefone (Aracaju: 4009 -1866; Carmópolis: 3277-1068; Maceió: 3221-0735) e seu nome será reafirmado nos fóruns deliberativos. Data do Congresso: 19, 20 e 21 de junho, em Aracaju/SE. Prazo de eleição e inscrição de delegados: 15 de junho. Prazo para entrega de textos e propostas de resoluções para o caderno de teses: 15 de junho.

    Pauta do Congresso: • Conjuntura e plano de ação; • Reorganização do movimento sindical e a reorganização em petroleiros; • Construção de uma ferramenta unitária (unificação CONLUTAS e Intersindical); • Campanhas Salariais; • Campanhas: O Petróleo Tem Quer Ser Nosso; Petrobras 100% estatal; Combate ao Desemprego; Reestatização da Embraer; Pelo banimento do amianto; Defesa do Sindipetro AL/SE; • Alterações e atualizações do estatuto do Sindicato; • Debater e deliberar sobre a vacância de diretores por renuncia e ausências; • Debater e deliberar sobre a relação com os diretores que furaram a greve nacional e com diretor que tem empresa de prestação de serviços de transporte com a Petrobras; • Debater e deliberar a relação de Luiz Pinto e Carlos Antonio com o Sindicato; • Eleição complementar para a Direção, Conselho Fiscal e ABCP; • Eleição dos delegados sindicais de base; • Eleição da delegação para o III Congresso Nacional de FNP.

    SINDIPETRO AL/SE

    Congresso RegionalCongresso Regional

    AMS Faça seu recadastramento Todos os beneficiários da AMS devem fazer seu recadastramento. Na UN-SEAL são em torno de 16 mil. Em Aracaju, você pode fazer na Sede da Petrobras (Rua Acre), CEPE (Rua Acre) e na ASPENE (Rua Própria). Na Sede da Petrobras e no CEPE o atendimento acontece nos seguintes horários: 07h às 11h e das 13h às 17h. Na ASPENE a partir das 08h. Tanto os titulares como os adicionais, devem fazer agendamento ligando para o número 0800 287 2264. Não deixem de fazer o recadastramento, pois os prejuízos são grandes. É o atendimento a sua saúde e a de seus familiares que está em jogo. Precisa-se dos seguintes documentos (originais ou cópias autenticadas) no ato do recadastramento: Titulares: RG, CPF e caso esteja na ativa o Cartão do PIS (aceitam a anotação da Carteira Profissional ou FRE); Conjugue: RG, CPF, Certidão de Casamento. Caso não sejam casados deverão apresentar RG, CPF e de- claração de união estável ou conta conjunta ou comprovante de residência (com nome de ambos); Filhos: RG e CPF, quanto a menores de idade basta a Certidão de Nascimento. Crianças com menos de 5 (cinco) anos não precisarão comparecer, porém, o titular deverá apresentar a Certidão de Nascimento; Pais: RG, CPF e RG do titular.

    O Sindicato solicitou à Petrobras que funcionasse um ponto de recadastramento na Sede do Sindicato. Mas, até o momento a empresa não respondeu ao nosso pedido. - Informações baseadas em texto do site do Sindipetro LP

    Sindipetro ganha repre- sentatividade dos traba-

    lhadores da Transurh Depois de muita batalha, a justiça concede parecer favorável ao Sindi- petro como representante legal dos trabalhadores da Transurh. A empre- sa negava-se a reconhecer o Sindi- petro como representante dos tra- balhadores, mesmo quando quase 100% dos empregados eram filiados ao Sindipetro. A empresa fazia o des- conto mensal dos trabalhadores, mas não repassava esse dinheiro para o Sindipetro e insistia em querer dizer que o Sindicese representava os tra- balhadores, um sindicato fantasma que os trabalhadores nunca viram se quer a cara do tal presidente da entidade. A Transurh não queria re- conhecer o Sindipetro por que sabe que somos diferentes, pois somos um sindicato comprometido com as lutas e a defesa dos direitos dos tra- balhadores. Os petroleiros terceiriza- dos da Transurh sempre mantiveram a confiança no Sindipetro. Mesmo a empresa não reconhecendo o Sindi- cato, sempre estivemos juntos aos trabalhadores em suas greves e mo- bilizações. A vitória obtida na justiça nos coloca em uma situação muito melhor. A empresa está sendo obri- gada a pagar todas as mensalidades atrasadas ao Sindipetro com juros percentual de 10% e agora, em ple- na campanha salarial, vamos à luta por um acordo coletivo de trabalho muito melhor. Mãos à obra.

    Empercom reintegra cipeiro

    Em audiência na Justiça do Traba- lho, Empercom reintegra cipeiro de- mitido no mês de janeiro deste ano. O trabalhador ainda em mandato de Cipa foi demitido, contrariando a lei que impede a demissão sem justa causa de qualquer trabalhador mem- bro da Cipa e, este trabalhador tem estabilidade de 01 ano após o termi- no de seu mandato. Esse é mais um exemplo de como os trabalhadores são tratados pelas empresas terceiri- zadas. O Sindicato entrou com ação na justiça e conseguiu a reintegra- ção do trabalhador. Neste ano, esse é o segundo caso que acontece e o Sindicato consegue a reintegração, o primeiro caso foi com um trabalha- dor da Multitek.

  • A campanha “O petróleo tem que ser nosso. Por uma Petrobras 100% estatal” está na ordem do dia. As empresas multinacionais apoderam- se nossas riquezas. Os leilões de nossas reservas permitem esse tipo de roubo. Nossas riquezas continuam sendo levadas da mesma forma como há 509 anos atrás. Essa semana foi noticia nos grandes veículos de noticias que a Shell e Chevron estão reforçando a aposta na busca por reservas do pré- sal no norte da Bacia de Campos, onde a Petrobras tem descobertas com até 2 bilhões de barris no complexo Parque das Baleias. De acordo com os noticiários, as empresas iniciarão suas explorações no segundo semestre. O potencial das reservas, no norte da Bacia de Campos, é o segundo pólo de exploração do pré-sal no país, atrás da província descoberta na Bacia de Santos. A Shell já produz petróleo no Brasil, no campo de Bijupirá-Salema, na Bacia de Campos e sócia de uma descoberta do pré-sal em Santos, a Bem-te-vi. Defender as nossas riquezas frente ai avanço das multinacionais é nosso compromisso. Defendemos uma Petrobras 100% estatal. Fim dos leilões de nossas reservas. O petróleo tem que ser nosso. - Dados retirados da Agência Estado.

    2

    Campanha em Defesa do Sindicato

    e-mail: [email protected]

    Zé do Óleo Trabalhadores da Sondagem fazem denúncia Prepotência, autoritarismo, assédio moral e imposição

    Mais uma vez a gerência da UN-SE/AL quer descumprir o ACT Queremos relatar alguns fatos que vêm ocorrendo no ST/SE/SE-SEAL. No dia 1º de maio os tra- balhadores dessa atividade foram surpreendidos com uma medida arbitrária da Gerência Setorial

    (Francisco Cavalcante), juntamente com a Supervisão (Gilvan Teixeira), que sem nenhum argumento plausí- vel, desrespeitando o ACT e a legislação vigente, tentaram impor o regime de sobreaviso, em substituição ao regime de Turno Ininterrupto de Revezamento (TIR). Isso que é uma homenagem ao “Dia do Trabalhador”. Problemas ocasionados por esta medida arbitrária: • Desrespeito ao horário mínimo de repouso, conforme a CLT, de 11 horas entre jornadas de trabalho; • Os trabalhadores estão sendo coagidos a dividir o grupo em duas equipes, se revezando, o que configura Turno de Revezamento; • Essa medida provoca um desgaste mental e físico dos empregados, aumentando consideravelmente o ris- co de acidentes de trabalho, ignorando as próprias normas de SMS da empresa; • Recentemente, houve a paralisação de uma operação por motivo de exaustão da equipe, acarretando pre- juízos para todos, inclusive à empresa; • Não pagamento das horas excedentes às 12 horas e aplicação de banco de horas, outra medida que fere o ACT; • Despreparo da Supervisão no que toca ao relacionamento com os empregados, pois o mesmo (Supervisor), ao ser questionado, ameaça seus subordinados, por não ter argumentos para sustentar suas posições, usan- do de assédio moral, inclusive ameaçando o desemplante do turno passando para o regime administrativo; • Os trabalhadores não foram consultados com antecedência, nem sua entidade representativa (Sindipetro AL/SE), da mudança de regime de trabalho, causando grande impacto financeiro e emocional; Isso tudo, demonstra a tendência de ataque aos trabalhadores, em nome da “CRISE” tentaram no mar e ten- tam estender essa medida a todas as atividades do ST/SE-SEAL, lesando todos os empregados que hoje se enquadram no regime de turno. Evitamos esse tipo de abuso no mar e jamais iremos permitir que absurdos como esses se tornem reais.

    Foi dada a largada da campanha nacional em defesa do nosso Sindicato. No final de semana passado, o tema foi debatido na reunião nacional da CONLUTAS, que aconteceu em Ouro Negro/MG. Nessa reunião foi apresentado um dossiê que reúne todos os ataques sofridos pelo nosso sindicato, um total de 17 processos, entre multas e in- terditos proibitórios. Somente um interdito proibitório imposto pela Petrobras já está R$900 mil por ter o Sindicato

Search related