Patologias macroeconômicas

  • View
    31

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Patologias macroeconômicas. Antony p. Mueller Ufs – nupec – 24 de maio de 2013. Fenomenologia das patologias macroeconômicas. Inflação monetária Deflação monetária Estagflação Depressão inflacionária Depressão deflacionária Estagnação econômica - PowerPoint PPT Presentation

Text of Patologias macroeconômicas

Patologias macroeconmicas

Patologias macroeconmicasAntony p. MuellerUfs nupec 24 de maio de 2013

Fenomenologia das patologias macroeconmicasInflao monetriaDeflao monetriaEstagflaoDepresso inflacionriaDepresso deflacionriaEstagnao econmicaCrescimento econmico insustentvel (voo da galinha)Inflao de ativosRecesso conjuntural

ModelagemMV = QP = Y = C + I + G = QC . PC + QI . PI + .....MV = LP = L/QgM + gV = gQ + = gL gQ (gL = gQ) = 0(gL > gQ) > 0(gL < gQ) < 0

Patologias MacroeconmicasgLgQ(gL gQ)ugYInflao monetria+0 -+++ -+Deflao monetria-0 -----Estagflao+0 -+++0Depresso inflacionria+-0 -++0 -Depresso deflacionria--0 --+0 -Crescimento insustentvel++ -++- ++Inflao de ativos++ -+ -+- ++Recesso conjuntural+ -+ -+ -+ -- ++ -Crescimento econmicogQ = f (N,L,Kf,Kh,Kp,Ks,T,ES,EF)Crescimento econmico (gQ) depende da quantidade e qualidade Natureza (N)Trabalho (L)Capital fsico (Kf)Capital humano Kh)Capital pblico (Kp)Capital social (Ks)Tecnologia e Organizao (T)Esprito empreendedor (ES)Liberdade econmica (EF)LiquidezMoney supply in circulation (MSC) representa a liquidez (L) no mercado financeiro e composto da massa monetria usada como meio de pagamento (M1). O MSC igual do produto entre a base monetria (BM), o multiplicador monetrio (mm) e a velocidade (V) da circulao.O multiplicador monetrio depende da taxa de reservas (r) que em sua vez composta de da taxa obrigatria (ro), precaucionaria (rp) e voluntria/estratgica (rv)A velocidade (V) depende da inflao esperada (e)Lado monetrioMV/P = QMV = L L = f (BM, mm, V)MSC = MV = L = MB . mm . Vr = ro + rp + rvVt = f (e) + +

Clculo empresarialO lucro () a diferencia entre a vendas (V) e os custos (Cu)O preo (p) multiplicado por quantidade (q) so as vendas igual a receita (R) Os custos esto compostos do fatores trabalho (L), capital (K) e tributos (T) e as respetivas taxas de salario(w) e de juros (i) Os investimentos (I) so uma funo dos lucros esperados (e)Papel da taxa de inflao () para avaliar os preos esperados, salrios esperados e a taxa de juros esperadaDficit governamental determina tamanho dos impostos esperados = R CuR = V(p x q) (wL + iK + T)I = f (e)e = f (pe, qe, we, ie, Te)Regra do output:RM = CMReceita marginal = Custos marginais

Lucro mximo determina o output timoReceita marginal = custo marginalMR = p = MC = R CCondio para lucro mximo: = 00 = R MCR = pp = MC

EscassezEscassez um fato universal da existncia humanaSem escassez no se precisaria economizarPor causa da escassez existe a lei fundamental da economia como principio de minimizao e da maximizaoMinimizaoObter um objetivo com o mnimo de recursosMaximizaoObter o mximo resultado com dados recursos

Custos marginaisCustos marginais so o derivado dos custos totaisO custo marginal significa o custo da ltima unidade no processo de produoComo os recursos esto limitado, os custos marginais vo crescer mais se aproxima o limite da capacidade da produoA lei de crescentes custos marginais reflete a lei geral da escassez

Custos e preosCustos so basicamente subjetivosEles aumentam com o esforoO esforo cresce no grau como a atividade chega perto do mximoO custo subjetivo pode ser transformado em equivalentes da compensaoCusto como preo a expresso numrica da compensao do esforo marginal

A taxa nominal e real de jurosA taxa de juros determina os custos de capital (capital externo e interno)A taxa nominal de juros (i) formada da taxa real de juros (r) incluso a taxa de inflao esperada (e).i = r + eA taxa real atual representa a taxa nominal menos a taxa de inflao atualrt = it tA taxa natural de jurosA taxa natural de juros (rn) o resultado da preferncia temporalPreferncia temporal a medida em que se valoriza o consumo atual mais que o consumo futuro Uma alta taxa de preferncia de tempo implica altos custos (subjetivos) de poupar (e vice versa)Poupar significa sacrificar o nvel atual de consumo em favor de ter mais consumo no futuro

A taxa originria de jurosA taxa originria de juros a razo entre o valor atribudo a querer a satisfao no futuro imediato e o valor atribudo a querer a satisfao em perodos mais remotos do futuro Neste sentido, a taxa originria de juro no um preo, mas uma relao de preos

A taxa monetria de jurosA taxa monetria de juros se forma no mercado de fundos emprestveis (loanable funds)As preferencias temporais dos atores econmicos estabelecem o tamanho da oferta e da demanda pelos fundos e determinam a taxa natural de jurosNo mercado livre sem intervenes forma se a taxa natural de juros como equilbrio entre popana (S) e investimentos (I)Poltica da meta de inflaoA regra de TaylorVerso originalit = t + rt* + a (t t*) + ay (yt yt*)

Verso modificado: it = i* + (t *) (ut un)Com i* = rn + *

Curva de Phillips: t = t-1 (ut un)

Taylor scorecard

Citao e contatosCitao:Os slides esto liberados para o uso acadmico com indicao da fonteMueller, Antony P., Patologias Macroeconmicas. UFS-NUPEC. 24 de Maio de 2013Contato:antonymeller@gmail.com