Cartilha Patologias

  • View
    40

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Cartilha Patologias

Universidade Federal de Alagoas Campus do Serto Eixo das Tecnologias

Levantamento das Patologias em Residncias de Delmiro Gouveia e Regio Causas e Solues

LAJE

PAREDESREVESTIMENTO

FUNDAO

Delmiro Gouveia, outubro de 2012

Esta apostila uma publicao sem fins lucrativos, resultado do projeto Levantamento de patologias de estruturas em residncias de Delmiro Gouveia e regio Causas e Solues, da Universidade Federal de Alagoas, vinculado ao Programa AES* Aperfeioando Cursos e Originando Elos Socioambientais, do Campus do Serto. Equipe Tcnica Professor Coordenador: Alexandre Nascimento de Lima Aluna bolsista: Rasa Oliveira de Melo Aluno bolsista: Rodrigo Janurio de Melo Aluna colaboradora: Kerolaynh Pereira Santos (membro do PET Engenharias) Aluna colaboradora: Paula Caroline Lisboa dos Santos

* O Programa de Extenso AES tem por objetivo atender eminentes demandas socioambientais do semirido alagoano, atravs da promoo de atividades extensionistas que aprimorem o ensino das Engenharias Civil e de Produo do Campus do Serto da UFAL, bem como estabeleam elos com a sociedade sertaneja para melhorar sua qualidade de vida. Ele foi criado em junho de 2010, mediante aprovao na Chamada para Apoio aos Programas de Extenso Institucionalizados das Unidades Acadmicas n 01/2010 da PROEX/PROGRAD/PROPEP/PROEST. Em dois anos de atuao, j realizou 19 cursos, 10 eventos, 32 projetos de pesquisa-ao e 96 publicaes. No mais, envolveu 11 turmas inteiras de disciplinas em projetos de pesquisa-ao e impactou cerca de 6500 pessoas (nmero auditvel) do Serto alagoano.

Levantamento das Patologias em Residncias de Delmiro Gouveia e Regio Causas e Solues

INTRODUO Patologia pode ser entendida como a parte da Engenharia que estuda os sintomas, os mecanismos, as causas e as origens dos defeitos das construes civis, ou seja, o estudo das partes que compem o diagnstico do problema. (HELENE, 1992). Muitas so as possveis causas para ocorrncia de patologias em residncias. Em sua maioria, atribui-se essa ocorrncia a falhas de projeto, de execuo ou falta de manuteno, o que acaba comprometendo o desempenho das construes. As manutenes na construo so de suma importncia, pois podem diagnosticar pequenas manifestaes patolgicas, que, se cuidadas, diminuiriam consideravelmente sua evoluo para uma situao insatisfatria, o que comprometeria o ambiente esttica e funcionalmente, sem mencionar o alto custo para recuperao da patologia em estado mais avanado. Para deteco de manifestaes patolgicas e estabelecimento das solues, duas etapas bsicas devem ser seguidas, uma primeira etapa de levantamento dos problemas existentes e outra de investigao das possveis causas. Para o levantamento das manifestaes patolgicas faz-se necessria uma vistoria no local para determinao da existncia e da gravidade da patologia, conhecendo os elementos que esto sendo afetados e o comprometimento dos mesmos. Na sequencia, necessria uma anlise mais especfica atravs de ensaios laboratoriais, ou mesmo in loco, dos elementos afetados. As manifestaes patolgicas numa edificao podem se apresentar nas fundaes e paredes, no concreto armado, nas obras de madeira, nas pinturas e em funo da umidade. De forma ampla, podem ser classificadas conforme IOSHIMOTO (1994) em umidade, fissuras e trincas, e descolamento de revestimento.

Neste contexto, esta cartilha apresenta as principais patologias existentes em paredes e elementos de concreto armado, em consonncia com um estudo feito na regio do serto alagoano, mais precisamente em Delmiro Gouveia e cidades circunvizinhas. Levanta as principais manifestaes patolgicas, suas possveis causas e a proposta de algumas solues para as mesmas. As etapas de construo de um edifcio podem ser divididas da seguinte maneira: planejamento, projeto, execuo e utilizao, podendo surgir manifestaes patolgicas como consequncia de qualquer uma dessas etapas. Baseando-se no exposto, evidencia-se a importncia de profissionais habilitados e mode-obra qualificada para desenvolver as primeiras etapas supracitadas. Tendo em vista que, na maioria dos casos, o cumprimento s normas tcnicas poderia evitar ou desacelerar consideravelmente os mecanismos de degradao de estruturas

(AZEVEDO, 2011). Quanto utilizao, a etapa onde as responsabilidades ficam por parte do usurio, que deve realizar reparos, seguir as orientaes e utilizar a edificao somente para os fins planejados desde o projeto. E no caso de reformas, realiz-las com a orientao de um profissional qualificado, evitando danos estrutura existente.

DADOS OBTIDOS Nesta sesso sero expostos os dados obtidos a partir das observaes feitas in loco e das entrevistas feitas aos moradores da cidade de Delmiro Gouveia. Configurao das Residncias Atravs da observao direta, nota-se que no municpio de Delmiro Gouveia predominam as residncias de apenas um pavimento (figura 1), as quais possuem entre 4 e 7 (30%) ou de 8 a 11 (70%) cmodos. Consequentemente, do ponto de vista dos moradores, o uso de elementos de concreto armado em residncias da regio bastante reduzido.

Figura 1 Fotos de residncias analisadas.

Segundo o Cdigo de Obras do municpio (DELMIRO GOUVEIA, 2005), a aprovao de Projetos de Arquitetura e concesso de Licena de Construo so de responsabilidade da Secretaria de Infraestrutura, Urbanismo, Transportes e Habitao, de modo a atender as exigncias do referido documento, que garante a segurana e legalidade da obra. No entanto, essa fiscalizao no realizada de maneira adequada, visto que na maioria das residncias no foi verificado a existncia de projeto ou acompanhamento de um profissional devidamente registrado no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA). A figura 2 mostra essa deficincia de projetos e falta de acompanhamento de um profissional.

(a)

(b)

Figura 2 Representao percentual de a) casas que possuem projeto e b) tiveram acompanhamento de um profissional.

Alm desta deficincia relacionada falta de projetos e acompanhamento de profissionais qualificados, ainda identificou-se que apenas 25% dos moradores sabem a

procedncia dos materiais utilizados na construo de suas casas, o que vem a ser um grande problema, visto que materiais de m qualidade podem contribuir para o surgimento de anomalias nas construes e reduzir a as vida til.

PATOLOGIAS EM PAREDES As patologias mais frequentes em paredes so as fissuras, manifestaes de problemas associados gua, bem como a degradao dos revestimentos e acabamentos. Algumas das principais causas que propiciam o surgimento destas patologias relacionam-se a causas humanas e/ou causas naturais. As causas humanas incluem ausncia de projetos, inadequao ao ambiente, informao insuficiente no projeto e m execuo do mesmo, dimensionamentos incorretos, m qualidade dos materiais empregados e mo de obra desqualificada, ausncia de manutenes, entre outros; para as causas naturais podem-se associar as variaes bruscas de temperatura do ambiente, presena de gua e de sais, vento, vegetais ou animais que possam danificar a construo, entre outros. Para IANSSEN e TORRESCASANA (2003), quaisquer erros ou imperfeies no projeto e na execuo das diversas etapas da construo exigem, como consequncia, adaptaes no previstas no oramento, consertos com custos complementares e at necessidade de reconstrues completas, muito dispendiosas, e mesmo prejuzos que aparecem bem mais tarde.

Coleta de dados Foi aplicado um questionrio previamente elaborado aos moradores de cada residncia visitada, juntamente com a coleta de amostras dos elementos que possuam alguma manifestao patolgica e de fotos dos mesmos. A anlise dos questionrios indicou que quanto configurao da residncia 96% delas so trreas e apenas 27% tiveram sua construo acompanhada pelo morador. A avaliao das caractersticas regionais apresentou em sua totalidade que a residncia no

est localizada em uma regio propcia a chuvas constantes, alagamentos ou mudanas bruscas de temperatura, sendo a regio caracterizada por um clima quente e seco, o que limita a hiptese das patologias serem ocasionadas por causa de chuvas. Com relao s caractersticas construtivas, 79% das residncias no possuem projetos arquitetnicos ou complementares e sua construo no foi acompanhada por um profissional em 74% das casas; alm do tempo da construo que, em sua maioria, elevado e sem apresentar manuteno peridica. A falta de manuteno aliada aos erros previamente cometidos na execuo ou escolha dos materiais a serem empregados acarretam o aumento das manifestaes patolgicas que surgem e, consequentemente, o encarecimento das correes necessrias.

PRINCIPAIS PATOLOGIAS EM PAREDES Fissuras As fissuras, alm de causarem desconforto aos usurios de residncias em que esto manifestadas, ainda reduzem a durabilidade dos revestimentos e da prpria parede, e diminuem a vida til das edificaes. As fissuras podem ser isoladas (figura 3), atingindo tanto os blocos constituintes da parede quanto s juntas de assentamento, podendo estar dispostas na vertical, inclinadas ou na horizontal. As fissuras disseminadas (figura 4) formam-se pela retrao da argamassa de revestimento, em funo do excesso de componentes finos no trao.

Figura 3 Fissuras isoladas.

Figura 4 Fissuras disseminadas (SAHADE, 2005).

As principais causas de fissurao, mencionadas por SAHADE (2005) so recalques de fundao, atuao de sobrecargas, variaes de temperatura e de umidade, ataques qumicos, etc. Estas causas comprometem diretamente a parede, bem como seu revestimento (chapisco e emboo/reboco). Qualquer deformao numa dessas camadas resultar no aparecimento de tenses em todo o conjunto, proliferando as fissuras, podendo ser agravada se no for feita a interveno e recuperao logo aps o diagnstico das mesmas.

Umidade Entre todos os problemas de patologias existentes dentro da construo civil, a umidade um dos mais difceis de serem corrigidos. Alguns dos pri