Resumo microbiologia-clinica

  • View
    48.130

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Diagnostico diferencial das bacterias

Text of Resumo microbiologia-clinica

  • 1. Microbiologia 1Cocos gram positivos As bactrias podem ser encontradas na forma isolada ou em colnias. Podem viver na presena de ar (aerbias), na ausncia de ar (anaerbias) ou, ainda, ser anaerbias facultativas (com ou sem oxignio). Gram-positivas: bactrias que possuem parede celular com uma nica e espessa camada de peptidoglicanos. Pelo emprego da colorao de Gram, tingem-se na cor prpura ou azul quando fixadas com cristal violeta, porque retm esse corante mesmo sendo expostas a lcool. Cocos aerbios gram + : Staphylococcus e streptococcus. Bacilos aerbios gram + formadores de esporos: Bacillus. No formadores de esporos: Listeria eCorunebacterium.Identificao simplificada dos cocos Gram positivo de importncia clnica

2. Microbiologia 2Staphylococcus (estafilococos)Os estafilococos tm forma esfrica (so cocos), cerca de 1 micrmetro de dimetro, e formam grupos com aspectode cachos de uvas. Os estafilococos so anaerbicos facultativos, podendo viver em meios aerbios,usando oxignio, ou anaerbios atravs de fermentao, mas possuem crescimento mais rpido em aerobiose.*Os nomes em azul so as abordadas em sala, faltou o S. haemolyticusEpidemiologia 3. Microbiologia 3Existem em todo o mundo.Os estafilococos existem na pele de todas as pessoas (microbiota normal via respiratria, pele e tratogastrointestinal), geralmente estirpes pouco virulentas (coagulase-negativas), embora freqentemente existamtambm Staphylococcus aureus sem causar doena. Por vezes tambm existem no intestino e trato urinrio.So destrudos por desinfetantes, sabo e altas temperaturas. Resistem bem desidratao, durante perodosalargados. Passam de pessoa para pessoa pelo contacto direto ou com objetos. As feridas e outras aberturas napele, estados de debilidade, operaes cirrgicas e doenas podem levar a um organismo at a inofensivo setransformar em invasor.Os estafilococos so divididos em dois grandes grupos, com base na habilidade de coagular o plasmaCoagulase +: S. aureus (patgeno mais encontrado em infeces)Coagulase - : mais de 30 espcies descritas ate hoje.Caractersticas de crescimento Os estafilococos so produtores de catalase (diferenciando os dos estreptococos) Fermentam carboidrato produzindo acido ltico. So resistentes ao ressecamento e ao calor. Apresentam sensibilidade varivel a mtos agentes antimicrobianos.Fatores de virulnciaOs fatores de virulncia so todos os mecanismos que permitem a invaso do hspede, ou a evaso da bactria aosistema imune. Cada estirpe tem geralmente apenas alguns destes fatores.1. Tm cpsula que protege muitas estirpes contra fagocitose e o sistema imunitrio.2. Pptidoglicano, na parede celular: tem alguma atividade de endotoxina, estimulando a febre e vasodilataoexcessivas, devido produo pelas clulas imunitrias de citocinas como a IL-1..3. Protena A: especifica dos S.aureus. Neutraliza imunoglobulinas (anticorpos).4. cidos teicicos: so fibrilhas como o polissacardeo A que servem para ancorar a bactria, impedindo-a deser arrastada (pelo sangue, urina, suor ou outros fluidos) da sua rea de colonizao.5. Toxina alfa: produzida pelo Staphylococcus aureus, destroi vrios tipos de clulas.6. Toxina beta: produzida apenas pelo Staphylococcus aureus, destroi vrios tipos de clulas.7. Toxina delta: produzida pela maioria dos estafilococos. um surfactante que desestabiliza com a membranacelular Destroi, por lise celular (exploso dos contedos), eritrcitos e muitos outros tipos de clulas.8. Toxina gama e leucocidina P-V: grupo de at seis toxinas que formam poros na membrana celularde leuccitos, destruindo-os por lise.9. Coagulase: esta enzima coagula o sangue ao transformar o fibrinognio em fibrina, da mesma forma quea trombina humana. A formao de cogulos volta das bactrias dificulta o seu reconhecimentoe fagocitose pelas clulas do sistema imunitrio. Diferencial para Staphylococcus aureus10. Fibrolisina ou estafilocinase: produzido pelo Staphylococcus aureus. Dissolve os cogulos de fibrina, o que til se forem to grandes que impeam a sua multiplicao e invaso.11. Hialuronidase: degrada a matriz extra-celular humana, composta de cido hialurnico, facilitando a invasodos tecidos. 4. Microbiologia 412. Catalase: protege as bactrias dos ataques com superoxidantes produzidos como defesa pelos leuccitos. Aenzima catalase transforma o perxido de oxignio(presente na "gua oxigenada" usada como assptico)em gua e oxignio inofensivos.13. Lipase: todos os Staphylococcus aureus e 30% dos outros produzem-nas. Dissiolvem lpidos neutralizandodefesas lpidicas (que repelem gua e causam desidratao das bactrias) como o sebo da pele e mucosas.14. Penicilinase: produzida pelas estirpes resistentes ao antibitico penicilina. Ela degrada o antibitico. espalhada por troca de plasmdeos contendo o gene nastrocas sexuais bacterianas.15. Enterotoxinas: produzidas em alimentos durante a fase de crescimento. So peptdeos de pequeno pesomolecular. So resistentes s enzimas digestivas e ao calor, no sendo destrudas pelos processos decoco e esterilizao. Agem na parede do estmago, nos receptores do nervo vago. So produzidasdiversas toxinas, designadas por letras: A, B, C (C1 e C2), C, D, E, F e G.Toxinas e enzimas1- Betalactamases (-lactamases) so enzimas produzidas por algumas bactrias e so responsveis por sua resistncia aantibiticos beta-lactmicos como as penicilinas, cefalosporinas, cefamicinas e carbapenemas.2- Exotoxina uma substncia qumica solvel que incluem enzimas citolticas e as protenas que se ligam a receptores, alterando a funo da clula e acarretando a sua morte. excretada por microorganismos (bactrias. o tipo de toxina liberada por bactrias para a corrente sangunea. A exotoxina liberada com o metabolismo e crescimento da bactria, tm efeitos gerais, no causa febre. Mas causa efeitos que variam desde diarria, perda da funo neuronal e morte. necessrio pouca quantidade para causar um dano grande porque muito txica (1 mg suficiente para matar um milho de cobaias). Proteina capaz de lisar eritrcitos e plaquetas, ao sobre a musculatura lisa e vascular.3- Lipases so enzimas que atuam sobre lipdeos, catalizando alguma reao qumica que estas molculas possam sofrer (CAUSAM NECROSE NA PELE).4- Proteases (protenases, peptidases ou enzimas proteolticas) so enzimas que quebram ligaes peptdicas entre os aminocidos das protenas. O processo chamado de clivagem proteoltica, um mecanismo comum de ativao ou inativao de enzimas envolvido principalmente na digesto e na coagulao sangunea.Diagnstico Provas Principio ProcedimentoResultadosInterpretao bioqumicasCatalase Detectar a presena daEste teste realizado adicionando- Observar a formaoBolhas- liberao de O2= enzima catalase produzida se uma gota de agua oxigenada a de bolhas. produo de catalase. pela bactria 3% em uma lamina de vidro e, em POSITIVO-bolhasAusncia de bolhas- no seguida, acresenta-se uma colnialiberao de O2, NO do crescimento bacteriano com NEGATIVO- Ausnciaproduo de catalase. auxilio da ala bacteriolgica. de bolhas.Prova de Formao de umSuspender a bacteria em tubo, add Positivo - coagulado Positivo enzima que ativa acascata de coagulao estcoagulase (emcomplexo enzimtico que 0,5 ml de plasma de coelho a aprox presente (S. aureus -Colonias Negativo NOtubo)reage com o fibrinognio35C. Verificar de hora em hora se so acinzentadas a amarelo coaguladodourado intenso). para formar a fribrinah formao de coaguloNegativo- ausncia de (disparo enzimtico dacoagulase coagulase)Prova de Detectar a atividade da Semeadura em spot em Agar Observar a formaoPositivo- formao de haloDNAseenzimaDNAse; incubar a placa 24h ede halos envoltos da transparente, devido a desorirribonuclease acrescentar HCL 1 N (em qt para colnia (pos), degradao do DNA pela produzida por diferentescobrir a placa).precipitado por toda enzima DNAse. 5. Microbiologia 5espcies de bactrias.cultura (neg) Negativo- precipitadoperolado, DNA integro.Prova deBaseado na disco difuso, Teste realizado utilizando disco de Observar e medir aSensvel (halo) gruposensibilidade a a novabiocina inibe o novabiocina 5Ug. Semear a bactriaproduo de halos.epidermides (colnias cinza enovobiocina crescimento bacteriano. em placa de Agar sangue debranca).Positivo- formao decarneiro 5%, colocar o disco sobre ahaloResistente (s/ halo) gruporea semeada, incubar emsaprofticos.aerobiose por 18 a 24h a 35C-2C.Negativo- ausncia de(Agar com espessura de 3mm e 10 halo.a oitava cels)Estafilococos de interesse clinicoStaphylococcus aureusDe todas as espcies do gnero, S. aureus o mais importante. responsvel pelo segundo maior nmero de infeces em seres humanos.S.aureus est presente no trato respiratrio superior (narinas e pele 30-50% populao geral), especialmente nas narinas, de aproximadamente 60% da populao em geral, e assim permanece sem causar doena em condies normais.Infeces na comunidade em ambiente hospitalarPrincipal causa das infeces supurativas de pele e dos tecidos (foliculite, furnculos)2. lugar como agente causador de bacteremia ou sepse intra-hospitalar (interveno cirrgica) TIPOS DE DOENAS CAUSADAS POR S. aureus 6. Microbiologia 6 INFECES TXICAS- SNDROME DO CHOQUE TXICOProduo de toxinas TSST (Toxic Shock Syndrome Toxin) SNDROME DA PELE ESCALDADADescolamento de extensas reas da epidermeDestruio da desmogleina pela esfoliatina (produzida pelo S. aureus em foco distante e levada at a pelepela corrente sangunea) INTOXICAO ALIMENTARUma das intoxicaes + freqentesIngesto de toxinas (enterotoxinas) pr-formadas no alimento contaminado pela bactriaTransmisso por indivduos que manuseiam o alimento (portadores assintomticos).Caractersticas gerais de S.aureus 7. Microbiologia 7Podem ser encontrados no trato gastrointestinal, genito-urinrio e respiratrio superiorExtremamente resistentes secagem disseminao: mos, equipamentos, roupasPadro de hemlise BetaMecanismos de patogenicidade dos Staphylococcus aureus - Componentes da parede celular eprodutos secretadosFisiologia do S.aureusMesfilos (Tolerantes: 2 a 55 C)Tolerantes NaCl (7,5%)Denominao aureus relacionad