Tribunal de Contas .Através do presente Relatório de Actividades, o Tribunal de Contas presta contas

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Tribunal de Contas .Através do presente Relatório de Actividades, o Tribunal de Contas presta...

  • Tribunal de Contas

    RELATRIO DE ACTIVIDADES E

    CONTAS DE 2010

    MAIO DE 2011

  • Participao das vrias reas:

    Tribunal

    Conselheiro Vice-Presidente Carlos Alberto Loureno Morais Antunes

    Juzes Conselheiros (por ordem de precedncia de 2011)

    Joo Manuel Ferreira Dias Joo Alexandre Gonalves de Figueiredo Alberto Fernandes Brs Jos Manuel Monteiro da Silva Jos Lus Pinto Almeida Antnio Jos Avrous Mira Crespo Antnio Augusto Santos Carvalho Antnio Manuel Fonseca da Silva Eurico Manuel Pereira Lopes Helena Maria Abreu Lopes Manuel Roberto Mota Botelho Nuno Manuel Lobo Ferreira Helena Maria Ferreira Lopes Joo Francisco Aveiro Pereira Antnio Manuel dos Santos Soares Jos de Castro de Mira Mendes

    MINISTRIO PBLICO

    Procuradores-Gerais-Adjuntos Antnio Lima Cluny Maria Joana Marques Vidal Jorge da Cruz Leal

    Ficha Tcnica

    Direco

    Guilherme dOliveira Martins

    Presidente do

    Tribunal de Contas

    Coordenao Geral

    Jos F. F. Tavares Director-Geral

    Coordenao Tcnica

    Eleonora Pais de Almeida Auditora-Coordenadora (DCP)

    Equipa Tcnica

    Estrela Leito Tcnica Superior (DCP)

    Henrique Tavares

    Auditor (DCP)

    Paulo Andrez Tcnico Superior (DCP)

    Apoio Informtico

    Joo Carlos Cardoso Director de Servios (DSTI)

    Encadernao

    Augusto Santos Assistente Tcnico (DCP)

    Servios de Apoio

    Subdirectores-Gerais Mrcia da Conceio Cardoso Vala Fernando Flor de Lima Ana Mafalda Morbey Affonso

    Auditores-Coordenadores/Directores de Servio/ Auditores-Chefes/Chefes de Diviso e outros res-ponsveis

    Alberto Miguel Pestana Alexandra Rocha Pinto

    Ana Lusa Fraga Ana Lusa Nunes Ana Maria Bento

    Ana Paula Valente Anabela Gonalves Santos

    Antnio Afonso Arruda Antnio Botelho Sousa Antnio Costa e Silva

    Antnio de Freitas Cardoso Antnio Manuel Garcia Antnio Marques Marta

    Antnio Marques Rosrio Antnio Sousa e Menezes

    Carlos Augusto Cabral Carlos Maurcio Bedo

    Cristina Maria Cardoso Francisco Jos Albuquerque Francisco Bianchi Moledo

    Fernando Morais Fraga Fernando Prego

    Helena Cristina Santos Helena Cruz Fernandes Isabel Cacheira Relvas Jaime Gamboa Cabral Joo Carlos Cardoso Joo Jos Medeiros

    Joo Oliveira Camilo Jos Alves Carpinteiro Judite Cavaleiro Paixo

    Jlia Maria Serrano Leonor Corte-Real Amaral

    Luis Filipe Paixo Luis Filipe Simes Lus Manuel Rosa

    Maria Clara Lopes Albino Maria Conceio Antunes Maria Fernanda Martins

    Maria da Luz Faria Maria Lusa Bispo

    Maria Gabriela Ramos Maria Isabel Viegas Maria Joo Caldas

    Maria Jos Paulouro Maria Jos Sobral

    Maria Susana Ferreira da Silva Nuno Zibaia da Conceio

    Patricia Ferreira Silva Rogrio Vieira Lus

    Rui Fernandes Rodrigues Telmo Mendes

    Vitor Rodrigues Braz

  • T r i b u n a l d e C o n t a s

    3

    Re

    lat

    rio

    de

    Ac

    tiv

    ida

    de

    s 2

    01

    0

    NOTA DE APRESENTAO

    Atravs do presente Relatrio de Actividades, o Tribunal de Contas presta contas da actividade desenvolvida em 2010, no enquadramento da sua misso de rgo de controlo externo das finanas pblicas e na prossecuo dos Objectivos Estratgicos definidos para o Trinio 2008-2010:

    Reforar a qualidade, a actualidade e a eficcia do controlo financeiro tcnico e jurisdicional do Tribunal;

    Intensificar o controlo financeiro centrando-o nos grandes fluxos, domnios de maior risco e reas de inovao da gesto pblica, e reforar a aco pedaggica e a efectivao de res-ponsabilidades financeiras;

    Promover, de forma sistemtica e gradual, a avaliao do impacto das aces de controlo do Tribunal.

    Considerando as necessidades decorrentes da actual conjuntura econmico-financeira, o Tribunal de Contas continuou a efectuar o acompanhamento das medidas oramentais tomadas pelo Governo portugus, nomeadamente as relativas ao sistema financeiro nacional e as que visaram promover o financiamento das empresas. Tambm na sequncia da aprovao, em 2009, do Plano de preveno de riscos de gesto, corrup-o e infraces conexas, a Direco-Geral do Tribunal de Contas desenvolveu em 2010 um proces-so de tratamento da respectiva informao, com vista a proporcionar um funcionamento mais eficiente dos servios, garantir uma maior eficcia dos controlos internos e alcanar um melhor nvel de desempenho da Instituio. Das aces desenvolvidas em 2010, ltimo ano de vigncia do Plano Trienal 2008-2010, para alm das auditorias realizadas, cujos relatrios esto disponveis na pgina do Tribunal na Internet, desta-ca-se a apreciao da execuo do Oramento do Estado de 2009 na sua globalidade, concretizada no Parecer sobre a Conta Geral do Estado, incluindo a da Segurana Social, bem como nos Parece-res sobre as contas da Regio Autnoma dos Aores e da Regio Autnoma da Madeira. Atravs destas aces e tambm das realizadas no mbito do controlo prvio, da verificao interna de contas e da efectivao de responsabilidades financeiras, foram objecto de controlo pelo Tribunal mais de 1700 entidades, no ano em apreo. Com o objectivo de melhorar o prprio desempenho do Tribunal, deu-se ainda continuidade ao refor-o do acompanhamento da execuo das suas recomendaes bem como avaliao do impacto das suas aces de controlo.

  • 4

    Cabe, finalmente, referir que, de Julho de 2009 a Julho de 2010, o Tribunal comemorou o seu 160. Aniversrio e o 620. Aniversrio da Casa dos Contos, Instituio que origina-riamente o precedeu. No mbito dessas Comemoraes, em 2010, foram planea-das e levadas a cabo as seguintes conferncias:

    . 28 de Abril de 2010, no Auditrio do Tribunal, Confern-cia sobre o tema A Administrao Pblica, apresentada pelo Professor Doutor Joo Caupers, da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa;

    . 20 de Maio, no Auditrio do Tribunal, conferncia subor-dinada ao tema Contratao pblica proferida pela Professora Doutora Maria Joo Estorninho, da Faculda-de de Direito da Universidade de Lisboa.

    O presente Relatrio foi aprovado pelo Plenrio Geral do Tribunal de Contas em sesso de 11 de Maio de 2011, con-forme previsto no n. 2 do art. 43. e na al. b) do art. 75. da Lei n. 98/97, e nos termos da Lei, vai ser publicado na II Srie do Dirio da Repblica (art. 9. da Lei n. 98/97), estando, tambm, disponvel na INTERNET, no stio do Tribunal (www.tcontas.pt), agregando as contas do Tribunal e o parecer do Auditor externo.

    O Conselheiro Presidente

    (Guilherme d Oliveira Martins)

  • T r i b u n a l d e C o n t a s

    5

    Re

    lat

    rio

    de

    Ac

    tiv

    ida

    de

    s 2

    01

    0

    NDICE

    PRINCIPAIS RESULTADOS 6 1. O TRIBUNAL DE CONTAS 8

    1.1. COMEMORAES, EM 2009, DO 160. ANIVERSRIO DO TRIBUNAL DE CONTAS E DO 620. ANIVERSRIO DA CASA DOS CONTOS 8

    1.2. JURISDIO E COMPETNCIA 8 1.3. ESTRUTURA 9 1.4. PRINCIPAIS DESTINATRIOS DOS SEUS ACTOS 10

    2. RESULTADOS DA ACTIVIDADE DESENVOLVIDA 11 2.1. DELIBERAES E DECISES 13 2.2. CONTROLO FINANCEIRO PRVIO 14 2.3. CONTROLO FINANCEIRO CONCOMITANTE 25 2.4. CONTROLO FINANCEIRO SUCESSIVO 30 2.5. EFECTIVAO DE RESPONSABILIDADES FINANCEIRAS 55

    3. ACTIVIDADE DO MINISTRIO PBLICO JUNTO DO TC 60

    4. RELAES COM OUTROS RGOS E INSTITUIES NACIONAIS 62 4.1. PRESIDENTE DA REPBLICA, ASSEMBLEIA DA REPBLICA, GOVERNO, ASSEMBLEIAS LEGISLATI-

    VAS DAS REGIES AUTNOMAS E GOVERNOS REGIONAIS 62 4.2. RGOS DE CONTROLO INTERNO 63 4.3. OUTRAS INSTITUIES 64 4.4. COMUNICAO SOCIAL 64

    5. RELAES EXTERNAS 66

    5.1. RELAES NO MBITO DA UNIO EUROPEIA 66 5.2. RELAES INTERNACIONAIS 68

    6. RECURSOS UTILIZADOS 73

    6.1. RECURSOS HUMANOS 73 6.2. RECURSOS FINANCEIROS 76 6.3. SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAO 79

    ANEXOS ANEXO I: LISTA DAS AUDITORIAS DE CONTROLO CONCOMITANTE E PRINCIPAIS OBSERVAES E RECOMENDAES 80 ANEXO II: LISTA DAS AUDITORIAS DE CONTROLO SUCESSIVO E PRINCIPAIS OBSERVAES E RECO-MENDAES 83 ANEXO III: CONTA CONSOLIDADA E PARECERES DO AUDITOR EXTERNO 97

    SIGLAS 109

  • 6

    PRINCIPAIS RESULTADOS Salientam-se como principais resultados obtidos em 2010, os seguintes: No mbito do controlo prvio e concomitante Controlo prvio de 1906 actos, contratos e outros instrumentos geradores de encargos

    remetidos por 833 entidades, envolvendo uma despesa de 10,1 mil milhes de euros; Maior transparncia contratual que, nalguns casos, foi acompanhada de uma reduo dos

    encargos assumidos pelas respectivas entidades, em resultado da devoluo, pelo Tribunal, dos respectivos contratos para complemento de instruo e/ou esclarecimento de dvidas (2655 devolues);

    Impedida a realizao de despesa pblica em desconformidade com as leis em vigor, sem

    cabimento oramental ou ultrapassando os limites legais de endividamento, correspondente a 53 actos e contratos aos quais foi recusado o Visto, no montante de 131,1 milhes. Esta aco do Tribunal tem ainda um efeito dissuasor de se cometerem semelhantes ilegalida-des em futuros actos e contratos;

    Concluso de 27 auditorias de fiscalizao concomitante, no mbito das quais foi detec-

    tada despesa irregular no montante de cerca de 45 milhes. O Tribunal recomendou a correco das irregularidades detectadas;

    Anlise de 828 contratos adicionais entrados no Tribunal cujo volume financeiro ascendeu

    a 9 978,7 milhes de euros, e que equivalente a 146 vezes o volume financeiros dos entrados em 2009 (735 contratos adicionais, no valor de 68,1 milhes de euros);

    No mbito do controlo sucessivo Emisso do Parecer sobre a Conta Geral do Estado de 2009, incluindo a da Segurana

    Social, e dos Pareceres sobre as Contas da Regio Autnoma dos A