Clinica medica cardio

Embed Size (px)

Text of Clinica medica cardio

  • ASSISTNCIA DE ENFERMAGEM EM AFECES DO SISTEMA CARDIOVASCULAR Tereza Prado.

  • O corao um rgo muscular oco localizado no centro do trax. Os lados direito e esquerdo do corao possuem uma cmara superior (trio), que coleta o sangue, e uma cmara inferior (ventrculo), que o ejeta. Para assegurar que o sangue flua em uma s direo, os ventrculos possuem uma vlvula de entrada e uma de sada.

  • As principais funes do corao so: O fornecimento de oxignio ao organismo e a eliminao de produtos metablicos (dixido de carbono) do organismo.

    Em resumo, o corao realiza essas funes atravs da coleta do sangue com baixa concentrao de oxignio do organismo e do seu bombeamento para os pulmes, onde ele capta oxignio e elimina o dixido de carbono. Em seguida, o corao recebe o sangue rico em oxignio dos pulmes e o bombeia para os tecidos do organismo.

  • INSUFICINCIA CARDACA CONGESTIVA - ICC uma condio grave na qual a quantidade de sangue bombeada pelo corao a cada minuto (dbito cardaco) insuficiente para suprir as demandas normais de oxignio e de nutrientes do organismo.

    Causas: Ela muito mais comum entre os idosos, pelo fato deles apresentarem maior probabilidade de apresentar alguma doena que a desencadeie. Apesar de o quadro apresentar um agravamento no decorrer do tempo, os indivduos com insuficincia cardaca podem viver muitos anos

  • Qualquer doena que afete o corao e interfira na circulao pode levar insuficincia cardaca, a exemplo da hipertenso arterial, arteriosclerose, infarto do miocrdio, miocardite, endocardite reumtica, insuficincia artica, hipervolemia, anemia, deficincia alimentar prolongada e insuficincia renal.

  • Manisfestaes Clnicas: As pessoas com insuficincia cardaca descompensada apresentam cansao e fraqueza ao compensada, a adrenalina e a noradrenalina fazem com que o corao trabalhe mais vigorosamente, ajudando-o a aumentar o dbito sangneo e, at certo ponto, compensando o problema de bombeamento. O dbito cardaco pode retornar ao normal, embora, geralmente, custa de um aumento da freqncia cardaca e de um batimento cardaco mais forte.

  • Outro mecanismo corretivo consiste na reteno de sal (sdio) pelos rins. Para manter constante a concentrao de sdio no sangue, o organismo retm gua concomitantemente. Essa gua adicional aumenta o volume sangneo circulante e, a princpio, melhora o desempenho cardaco.

  • DiagnsticoOs sintomas geralmente so suficientes para o mdico diagnosticar uma insuficincia cardaca. Os eventos a seguir podem confirmar o diagnstico inicial: pulso fraco e acelerado, hipotenso arterial, determinadas anomalias nas bulhas cardacas, aumento do corao, dilatao das veias do pescoo, acmulo de lquido nos pulmes, aumento do fgado, ganho rpido de peso e acmulo de lquido no abdome ou nos membros inferiores.

  • TratamentoMuito pode ser feito para tornar a atividade fsica mais confortvel, para melhorar a qualidade de vida e para prolongar a vida do paciente. No entanto, no existe uma cura para a maioria das pessoas com insuficincia cardaca. Os mdicos abordam a terapia atravs de trs ngulos: tratamento da causa subjacente, remoo dos fatores que contribuem para o agravamento da insuficincia cardaca e tratamento da insuficincia cardaca em si. O uso de Digitlicos uma alternativa no tratamento.

  • ANGINA PECTORIS uma dor torcica transitria ou uma sensao de presso que ocorre quando o miocrdio no recebe oxignio suficiente. As necessidades de oxignio do corao so determinadas pelo grau de intensidade de seu esforo, isto , pela rapidez e pela intensidade dos batimentos cardacos.

  • Causas Doena arterial coronariana aterosclerose (estreitamento da luz do vaso coronariano), arterite coronariana, espasmo arterial. Distrbios circulatrios - estenose artica, hipotenso (diminui retorno de sangue ao corao), espasmo arterial. Distrbios sangneos: anemia, hipoxemia e policitemia.

  • Sintoma A isquemia do miocrdio provoca ataques de DOR de gravidade varivel, desde a sensao de presso subesternal, at a dor agonizante com sensao de morte iminente. Tem as seguintes caractersticas: sensao: aperto, queimao, esmagamento, enforcamento, gases, etc. intensidade: geralmente, discreta ou moderada. Raramente, forte. localizao: retroesternal ou discretamente para a esquerda do esterno. irradiao: ombro esquerdo - brao esquerdo - cotovelo - punho - dedos. Pescoo - brao direito - mandbula -regio epigstrica - peito. durao: normalmente, dura 5 minutos (em mdia), podendo durar 15 a 20 minutos, em caso de raiva extrema. alvio: repouso e nitroglicerina

  • Diagnstico Manifestaes clnicas da dor Anamnese Teste de esforo: esteira rolante ou bicicleta. ECG Angiografia coronariana Tratamento O tratamento iniciado com medidas para se evitar a doena arterial coronariana.

  • HIPERTENSO ARTERIAL SISTMICA - HASA presso arterial alta (hipertenso) geralmente um distrbio assintomtico no qual a elevao anormal da presso nas artrias aumenta o risco de distrbios como o acidente vascular cerebral, ruptura de um aneurisma, insuficincia cardaca, infarto do miocrdio e leso renal.

    A hipertenso arterial definida pela presso sistlica mdia em repouso de 140 mmHg ou mais e/ou pela presso diastlica em repouso mdia de 90 mmHg ou mais. Nos casos de hipertenso arterial, comum tanto a presso sistlica quanto a presso diastlica estarem elevadas.

  • Classificao HAS primria ou essencial: corresponde a 90% dos casos. No h causa especfica identificvel. Caracteriza-se por uma lenta progresso na elevao da PA ao longo de um perodo de anos. HAS secundria: corresponde a 10% dos casos. Decorre de outras doenas orgnicas definidas. Este tipo de hipertenso remitente desde que afaste a causa.

  • CAUSASHAS primria: multifatorial. Hereditariedade meio ambiente (mudanas de hbito de vida e de condies gerais inerentes) influncias renais fatores hemodinmico sistema nervoso (hiperatividade substncias hormonais vasoativas condies clnicas associadas (obesidade, tabagismo, diabetes mellitus, alcoolismo, etc)

    HAS secundria: origem endcrina. origem renal origem vascular origem neurognica: ps-trauma craniano, ps-acidente vascular cerebral hemorrgico, etc. outras causas: estrgenos, doenas hipertensivas especficas da gravidez, etc.

  • Sintomas Na maioria dos indivduos, a hipertenso arterial no produz sintomas.Alteraes nas retinasComprometimento vascular cerebral com crise isqumicaSintomas cerebrais: dores de cabea (mecanismos desconhecidos), tonturas intensas, etc. falta de ar aos esforos; dores torcicas. Sangramentos nasais. Comprometimento vascular nos MMII.

  • Diagnstico A PA deve ser mensurada aps o paciente permanecer sentado ou deitado durante 5 minutos. Uma leitura igual ou superior a 140/90 mmHg considerada alta, mas no possvel basear o diagnstico apenas em uma leitura.

    TRATAMENTO

    A hipertenso arterial essencial no tem cura, mas pode ser tratada para impedir complicaes. Como a hipertenso arterial em si assintomtica, os mdicos procuram evitar tratamentos que provoquem mal-estar ou que interfiram no estilo de vida do paciente.

  • INFARTO AGUDO DO MIOCRDIO - IAMO infarto agudo do miocrdio (IAM) uma situao grave causado pelo estreitamento de uma artria coronria pela aterosclerose, ou pela obstruo total de uma coronria por mbolo ou trombo, ocasionando a necrose de reas do miocrdio.

  • SintomasEm geral, a aterosclerose no causa sintomas at haver produzido um estreitamento importante da artria ou at provocar uma obstruo sbita.

    DIAGNSTICO

    O Geralmente se baseia na histria da doena atual, no eletrocardiograma e nos nveis sricos (sangneos) das enzimas cardacas.

  • ARRITMIAS CARDACAS So distrbios da freqncia e do ritmo cardacos causados por alteraes no sistema de conduo do corao. Podem ocorrer em pessoas com o corao normal ou ainda como resposta a outras doenas, distrbios eletrolticos ou intoxicao medicamentosa.

  • Manifestaes Clnicas dor no peito, palpitaes, falta de ar, desmaio, alterao do pulso e do eletrocardiograma (ECG), hipotenso, insuficincia cardaca , choque. DiagnsticosO ECG registra a atividade eltrica do corao, permitindo diagnosticar uma vasta gama de distrbios cardacos. Eletrodos so conectados aos pulsos, tornozelos e peito. So ativados 2 eletrodos de cada vez. Cada registro representa a atividade eltrica de uma regio do corao. Quando auxiliar este procedimento, oriente a pessoa a ficar relaxada e imvel, isto poder acalm-la.

  • TRATAMENTO

    O tratamento feito com medicamentos antiarrtmicos implantao de marcapasso.

  • VARIZES, FLEBITE E TROMBOSE Varizes so vrias superfcies anormalmente dilatadas provocadas por incompetncia da circulao venosa.

    A flebite uma inflamao que ocorre na veia.

    A trombose quando se forma um cogulo de sangue no interior do vaso sanguneo. Quando as duas situaes anteriores ocorrem simultaneamente, chamamos de trombloflebite.

  • Fatores de RiscoAs veias varicosas afetam as mulheres especialmente grvidas e pessoas cujas ocupaes exijam ficar em p ou sentados por perodos prolongados.

    Ocorre com mais freqncia nos membros inferiores, porm possam acontecer em outras partes do orga-nismo ( ex: varizes esofgicas).Tambm pode ocorrer em pessoas com Cncer, obesos, mulheres que fazem uso de contraceptivo oral, em coagulopatia, cirurgias.

  • Manifestaes ClnicasQuando apenas as veias superficiais so afetadas, a pessoa pode no apresentar sintomas, mas pode ser perturbada pela aparncia das veias dilatadas. Os sintomas quando presentes podem tomar a forma de dor contnua, cimbras e fadiga muscular aumentada nas pernas, edema de tornozelo e sensao de peso. Quando ocorre obstruo venosa profunda os sinais e sintomas so edema, dor, pigmentao e ulceraes, infeco.

  • Tratament