Informativo Mensal da Cooperativa dos Suinocultores de ...· Informativo Mensal da Cooperativa dos

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Informativo Mensal da Cooperativa dos Suinocultores de ...· Informativo Mensal da Cooperativa dos

  • Informativo Mensal da Cooperativa dos Suinocultores de Encantado Ltda. - ano 39 - edio n 04 - Abril de 2015 - distribuio gratuita

    FATURAMENTO ULTRAPASSAR$ 1 BILHO

    AGO e AGE foram realizadas com aprovao de contas no ms de maro

    PGs. 10 e 11

    Fotos: Carina Marques

    FORMATODIFERENCIADO

    Dlia produz feno em lavoura de Palmas, Arroio do Meio, proxi-

    mo ao Complexo Industrial Lcteo. Confira na orien-

    tao tcnica

    PG. 12

    CRIANA DLIA

    Projeto, que agora conta com um fundo, entrega equipamentos e

    moblia para hospitais de Progres-so, Boqueiro do Leo e Marques

    de Souza

    PG. 03 e 11

    REPORTAGEM COMO ASSOCIADO

    Leite: Jovem casal d exem-plo em Venncio Aires

    PG. 14

    DLIA SETE DCADAS

    Projeto de pesquisa avana mais uma etapa

    PG. 06

    Sunos: Em Roca Sales, organizao a palavra

    de ordem

    PG. 15

    FUNCIONRIO DO MS

    Conhea o assessor jurdico Reinaldo Cornelli

    PG. 17

  • EDITORIAL

    DLIA EM NOTCIAS - Abril de 20152

    1 edio em 1976

    SETOR SOCIAL:social@dalia.com.br

    Assessoria de Imprensa e Editorao:

    Jornalista: Carina Marquesimprensa@dalia.com.br

    (51) 3751.9009 / Ramal 271

    Reviso:Ledi T. Giongo

    Impresso:Indstria Grfica BT

    Encantado-RSEdio mensal

    Tiragem: 4.200 exemplaresDistribuio gratuita

    COOPERATIVA DOS SUINOCULTORESDE ENCANTADO LTDA.(COSUEL)

    Fundada em 15 de junho de 1947

    Rua Guerino Lucca, 320Caixa Postal 14CEP: 95960-000Encantado-RS-BrasilTELEFONE: (51) 3751.9000FAX: (51) 3751.3030

    cosuel@dalia.com.brwww.dalia.com.br

    CNPJ: 89.305.239/0001-83I.E.: 037/0001605

    CONSELHO DE ADMINISTRAO

    PRESIDENTE: Gilberto Antnio Piccinini

    Vice-presidente: Pasqual Bertoldi

    CONSELHEIROS DE ADMINISTRAO: Regio de Anta Gorda: Silvano Bert

    Regio de Arroio do Meio: Rubino Rahmeier Regio de Candelria: Eusbio Morsch Regio de Encantado: Pasqual Bertoldi

    Regio de Guapor: Gensio Buffon Regio de Jlio de Castilhos: Belquer U. S. Lopes

    Regio de Progresso: Idalmir Nicolini regio de serafina corra: Lidenor Giliotto

    CONSELHO FISCALEFETIVOS: Adriano Feronatto, Moiss Formentini e

    Jos Carlos Fabris

    SUPLENTES: Eloir Lohmann, Antnio Salva e Fio-rentino Moresco

    PRESIDENTE EXECUTIVO:Carlos Alberto de Figueiredo Freitas

    GERENTES: diviso produtos Lcteos (dpL)

    Antonio Maria Salazar Leivas diviso produo Agropecuria (dpA)

    Igor Estevan Weingartner diviso controle da Qualidade (dcQ)

    Ivane Giacobbo diviso com. e Marketing-prod. sunos

    Paulo Roberto Weingartner diviso Administrativo Financeira (dAF)

    Rene Luiza C. Gianisella diviso produtos sunos (dps)

    Roberto Luiz Crippa diviso com. e Marketing-prod. Lcteos

    Rudimar Piccinini diviso Varejo (dV)

    Daniel Martin Weingartner

    Encerrado o primeiro trimestre de 2015 e com ele tambm encerrado um importante captulo do planejamento da Dlia Alimentos: o processo as-semblar, com a realizao da assembleia geral or-dinria, que ratificou as contas e o balano relati-vos ao exerccio 2014. Esse, certamente, foi um ano histrico, porque a Dlia Alimentos cruzou a linha divisria de um bilho de reais em faturamento.

    H, ainda, um tpico relativo a 2014 para ser apresentado e avaliado: os trabalhos dos Grupos de Controle da Qua-lidade, formados por profissionais da empresa, que se renem mensal-mente e, de forma organizada, utilizando as ferramentas adequadas, estudam e resolvem os problemas existentes em suas reas de traba-lho. Esses Grupos, atualmente em nmero de 27, envolvendo 152 com-ponentes, indiscutivelmente, elevam o nvel de desempenho e atuao das equipes de trabalho, tanto nas indstrias quanto na administrao.

    Afora isso, h que se manter ateno especial com o mercado do leite, cujo incio do perodo da entressafra sempre ocasiona uma majorao nos preos. Porm, a excessiva alta pode representar, a curto prazo, uma pequena queda, para uma posterior retomada de crescimento mais lento.

    Quanto ao mercado de sunos, as dificuldades podem ser temporrias, j que no perodo que antecede a Pscoa a preferncia se concentra no consu-mo de peixes. Porm, a retrao do mercado, que j atingiu a comercializa-o de bens durveis, poder estender-se aos itens da alimentao, sinali-zado pela estabilizao do preo do suno vivo durante todo o ms de maro.

    Contudo, ao longo dos anos, a Dlia Alimentos conquistou uma estabi-lidade econmico-financeira que nos permite estabelecer um controle, se no sobre as aes e influncias externas, pelo menos sobre as alternativas que permitem adaptar as estratgicas ao novo cenrio. Mas em nenhum momento, as dificuldades representam empecilhos para a busca de nos-sos objetivos. Pelo contrrio, nosso Planejamento Estratgico o instru-mento que nos norteia para o crescimento contnuo e organizado e que nos fornece o embasamento seguro para o cumprimento de nossa misso.

    Assim, o cenrio que se nos apresenta para este ano exigir maior ateno para a busca da rentabilidade necessria aos nossos neg-cios, conduzindo-nos para a transformao desses obstculos em oportunidades, munidos das condies bsicas para tal: nossas cren-as e nossos valores, que nos permitiro superar os desafios globais, com atualizao tecnolgica e crescimentos rentvel e sustentvel.

    Carlos Alberto de Figueiredo Freitas

    * Presidente Executivo

    Como enxergar alm das incertezas que o momento nos impe para traar no-vas estratgias e novas oportunidades?

    Vivemos um momento onde tudo parece estar errado, equivocado, fora do eixo, o que nos transporta para uma realidade repleta de dilemas e dvidas. Convivemos com um per-odo de crise poltica, que interfere no mbi-to econmico, com instabilidade no pas, em funo da apurao de muitos problemas e

    sucessivos escndalos e nos deparamos com situaes de muitas in-certezas. Enfim, chegamos a um perodo em que j no sabemos a quem creditar nossos anseios, sonhos e projetos e temos a desagra-dvel sensao de que o mundo do mal interferiu no mundo do bem.

    Na verdade nosso pas, que por longos anos viveu sob o dom-nio da ditadura militar, enfrenta uma crise justamente em um pero-do de franca democracia. Sentimos o sabor do crescimento e do ele-vado consumo interno e, agora, precisamos dar um salto tanto em capacidade quanto em qualidade. Porm, no podemos ficar na de-pendncia s de nossas lideranas polticas, para conquistarmos a to almejada estabilidade econmica, que nos proporcionar melhores condies socioeconmicas. Precisamos buscar alternativas e oportu-nidades, embasadas em uma infraestrutura slida de competitivida-de e ganhos de produtividade. E nisso a Dlia Alimentos tem atuao forte e relevante, porque tem bem definidas aes e estratgicas que visam melhoria da produtividade e da escala de produo vivel.

    Ao longo dos anos, passamos por inmeras transformaes: re-formas estatutrias, introduo de novas culturas e novas tecno-logias no campo e na indstria. Por isso, situaes como estas, de insegurana e de crise, conclumos serem passageiras, mas im-portantes para tomarmos as decises que iro interferir, em m-dio e longo prazos, nas estratgias a serem implementadas.

    Prova disso so os produtores associados que h dez anos toma-ram a deciso de investir em suas propriedades, aumentaram a es-cala de produo e, por extenso, sua renda; hoje esto usufruindo os resultados positivos dessas decises. O mesmo vale para as empresas, pois as que no se atualizaram, no se prepararam e no buscaram novos horizontes, deixaram de existir ou esto em srias dificuldades.

    A lio que fica que todos faamos deste perodo transit-rio, quando vigora a insegurana poltico-econmico, um tem-po para, mais uma vez, afirmar convices, planejar, ajustar custos de produo, aumentar a produtividade e obter maior competiti-vidade. Enfim, estabelecer as diretrizes da continuidade da organizao.

    Gilberto Antnio Piccinini

    * Presidente do Conselho de Administrao

  • 3DLIA EM NOTCIAS - Abril de 2015

    PARA OS HOSPITAIS

    projeto Criana Dlia fazdoao a hospital de Progresso

    Equipamento no valor de R$ 6.389,00 foi adquirido com recursos do projeto mantido pela cooperativa e pelos associados

    O Hospital Santa Isa-bel de Progresso conta, agora, com um bero hospitalar com fototerapia. O equipamen-to, no valor de R$ 6.389,00, foi doado casa de sade pelo Projeto Criana Dlia, com recursos oriundos da contribuio dos associa-dos da regio de Progresso e da prpria cooperativa.

    A entrega foi realizada no dia 5 de maro pelo presi-dente do Conselho de Admi-nistrao da Dlia Alimentos, Gilberto Antnio Piccinini, pelo presidente Executivo, Carlos Alberto de Figuei-redo Freitas, e pelo conse-lheiro da regio, Idalmir Ni-colini, diretora da casa de sade, Maria Ins Brancher Schmitt, ao diretor tcnico,

    Vito Iorra e ao enfermei-ro, Guilherme Mantovani. Tambm participaram da entrega o delegado da coo-perativa Andr Guaragni, o conselheiro fiscal Adriano Feronatto, alm de associa-dos e filhos de associados do municpio e da regio.

    O bero est sendo uti-lizado para o tratamento de ictercia neonatal, que

    d aparncia amarelada ao beb. Conforme Maria Ins, o equipamento atende a uma das demandas do hospital. Estamos muito contentes e agradecemos Dlia pela doao, que foi de extrema importncia para a nossa comunidade, tendo em vis-ta que j estava em nossos planos fazer a aquisio do bero, coloca, informando

    que o hospital conta com 50 leitos e registra uma mdia de dez nascimentos por ms.

    Freitas reitera o foco do Projeto Criana Dlia, que visa beneficiar crianas de todos os municpios onde a cooperativa est presen-te. A Dlia e suas famlias de produtores associados, atravs do projeto, sente-se realizada em poder con-tribuir com a sade, com o bem-estar e com a qualidade de vida das crianas que so beneficiadas p