Click here to load reader

Olhares 42

  • View
    262

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Olhar(ES) nº 42 de junho de 2014 da Escola Secundária Dr. João Manuel da Costa Delgado

Text of Olhares 42

  • Nesta edio Biblioteca - brevssimas

    Oferta Formativa

    O AEL na festa da ADL

    Ex-Alunos da Secundria

    Ex- aluno lana livro

    Prmio Empreendedorismo

    OesteCIM

    A Derrota de Kid Labaredas

    Campeo Nacional de Xa-

    drez na Secundria

    JI dana com A.Infncia

    Liberdade

    Selfies

    Eurodeputados em debate

    Universidades na Secund-

    ria

    Regional de Desp. E. na E.S.

    2

    2,3

    3

    4

    4

    5

    5

    6

    6

    7

    7

    8

    8

    8

    ESCOLA SECUNDRIA Dr. JOO MANUEL DA COSTA DELGADO

    Resultado de um trabalho conjunto das turmas de Animao Sociocultu-ral e de Turismo Rural e Ambiental, a pea de teatro A Derrota de Kid Labare-das veiculou uma importante mensagem para os mais pequenos e mostrou comunidade o que o empenho dos alunos, apoiados pelos seus professores, consegue fazer. Parabns! p. 5

    A DERROTA DE KID LABAREDAS

    A aluna Luciana Dionsio, do 12 ano

    (Curso Profissional de Tcnico de Turismo), da Escola

    Secundria Dr. Joo Manuel da Costa Delgado, Lourinh,

    classificou-se no 4 lugar, na categoria do Ensino Secun-

    drio, do projeto Empreendedorismo nas Escolas da Oes-

    teCIM, com a sua brilhante apresentao do projeto Cen-

    tro de Acolhimento da Aguardente DOC Lourinh.

    O concurso teve mais de 90 participaes, individuais e

    de grupo, propostos por alunos das escolas da Regio

    Oeste. p. 5

    PRMIO EMPREENDEDORISMO NAS ESCOLAS - PARABNS, LUCIANA!

    Olhar(es) digital : www.aelourinha.pt

    junho de 2014 Publicao trimestral

    N. 42

    Coordenao: Isabel Vaz Ana Ribeiro

  • tando tambm os valores ecolgicos a ele inerentes. A receo dos manuais usados continuar a ser feita pelas bibli-otecas escolares, pelas juntas de fregue-sia, mas a troca (e tambm a receo) passar a ser processada nas novas instalaes da Biblioteca Municipal. A 3 Edio do festival Livros a Oeste j se realizou e trouxe-nos, mais uma vez, um grupo de grandes nomes no campo das letras e das artes, para alm de alguns espectculos imperd-veis. No dia 12 de junho, o polo da Bibli-oteca Escolar em Atalaia ter a sua inau-gurao. Numa cerimnia simples, os alunos apresentaro diversas atividades que prepararam para o efeito, de forma a assinalar o incio em funcionamento ple-no da sua biblioteca, fruto do empenho da Biblioteca Escolar, em parceria com os docentes, a Direo, a Junta de Fre-guesia e a Associao de Pais. No queremos terminar estas mensagens sem vos oferecer para frias as boas leituras de que dispomos. Visi-tem-nos e levem um bom livro.

    Neste perodo final, marcam a vida da Bibliote-ca alguns aspectos relevan-tes: a aquisio de novas leituras, o reinvestimento no banco de Manuais Esco-lares, a realizao do festi-val Livros a Oeste e, final-mente, a inaugurao do polo da Biblioteca Escolar de Atalaia. Chegaram h dias Biblioteca vrios ttulos no-vos, de edies recentssi-mas, e que vo ao encontro de diversos gostos de leitu-ra. Identificamos aqui ao lado alguns desses livros para vos cativar. Inicimos um novo perodo de divulgao do Banco de Manuais Escola-res. Com algumas altera-es, nomeadamente, com uma nova imagem, criada pela prof. Ana Sanches, a quem agradecemos, esta-mos na expectativa de que o BME possa servir cada vez mais famlias, fomen-

    EDITORIAL

    To depressa chegou mais um final de ano, agora que olhamos para trs e parece que Setembro foi ainda ontem. Nesta poca de tantos cansaos, com orgulho que apreciamos o tanto que se fez na Escola e no Agrupamento, e de que o Olhar(ES) deu, em parte, conheci-mento. Este ltimo boletim de 2013/14 apresenta uma multiplicidade de activi-dades, que testemunham uma escola ativa e que investe na formao e na ori-entao dos seus alunos. Mostra ainda que o esforo e o empenho conduzem ao sucesso, comprovando a lio camonia-na sobre o verdadeiro valor da glria. Resta-nos, para alm de vos acon-selhar a leitura do vosso boletim, desejar, aos alunos que vo realizar exames, que as classificaes correspondam ao trabalho desenvolvido e que consigam alcanar os objetivos a que se propuse-ram. Sigam o vosso caminho e que ele seja de sucesso. Como o bom filho sem-pre torna a casa, voltem escola fazer- -nos uma visita e dar-nos notcias vos-sas. Aos alunos que continuaro connos-co no prximo ano, que as frias sejam devidamente retemperadoras e que re-gressem em Setembro com novo flego. Para toda a comunidade educativa, o nosso reconhecimento pelo trabalho e pelo esforo ao longo de mais um ano.

    BIBLIOTECA - brevssimas

    2

  • O Agrupamento de Escolas da Lourinh esteve representado na exposi-o e festa da Associao para o Desen-volvimento da Lourinh, que decorreu no fim de semana de 17 e 18 de maio. O espao do Agrupamento procu-rou mostrar um pouco do trabalho que se faz nas suas escolas, com particular inci-dncia nos percursos de formao do 3Ciclo CEF - e do Secundrio. Atravs de objetos construdos pelos alunos, ilus-trativos de parte da sua atividade acad-mica, e de imagens que registaram mo-mentos significativos dos percursos e dos mltiplos projetos e atividades, a comunidade pode apreciar o bom traba-lho desenvolvido pelo Agrupamento, nas suas diversas valncias. Trabalhos do CEF de Marcenaria, dos CP de Animador Sociocultural, de Tcnico de Eletrnica, Automao e Computao e de Tcnico de Gesto e Programao de Sistemas Informticos, do CCH de Artes Visuais e ainda uma apresentao digital do Agrupamento e dos seus projectos coloriram um espao que, sem dvida, representou uma das instituies que mais contribui para o desenvolvimento do concelho. A apontar como ponto fraco a lo-catizao do espao do AEL numa sala de exposies insuficientemente sinaliza-

    OFERTA FORMATIVA 2014/15

    da, que inviabilizou a apre-ciao do mesmo por in-meros visitantes. O pblico que nos visitou foi amavelmente recebido pelos alunos dos Cursos Profissionais de Tcnico de Turismo e de Turismo Rural e Ambiental, e muitas crianas procura-ram contentes as pinturas faciais e os bales modela-dos pelas alunas do C.P. de Tcnico de Animao Sociocultural. Nesta ocasio, foram ainda divulgadas, atravs de folhetos, as ofertas for-mativas para o prximo ano de 2014/15, que sero apresentadas mais abaixo. A todos os alunos, funcionrios e professores que prescindiram do seu fim de semana para repre-sentar a sua escola, muito obrigado. A todos os alunos e professores que se empe-nharam na construo do espao, muito obrigado tambm.

    O AEL na Festa da ADL

    A oferta formativa para o ano letivo de 2014/15 a seguinte:

    2 Ciclo: Ensino Vocacional de Jardinagem / Apoio Comunidade / Informtica

    3 Ciclo: Ensino Vocacional de Informtica / Marcenaria / Hotelaria

    Ensino Secundrio: Cursos Cientfico-Humansticos Curso de Cincias e Tecnologias Curso de Cincias Socioeconmicas Curso de Artes Visuais Curso de Lnguas e Humanidades

    Ensino Secundrio: Cursos Profissionais (1 ano - 10 ano) Tcnico de Turismo Ambiental e Rural Tcnico de Comrcio Tcnico de de Gesto e Programao de Sistemas Informticos

    Cursos Profissionais (cont. - 11 ano) Tcnico de Turismo Tcnico de Apoio Infncia Tcnico de Comunicao: Marketing, Relaes Pblicas e Publicidade Tcnico de Eletrnica, Automao e Computao

    Cursos Profissionais (cont. - 12 ano) Tcnico de Turismo Ambi-ental e Rural Tcnico de Animao Sociocultural Tcnico de Gesto e Pro-gramao de Sistemas Informticos

    ESCOLA SECUNDRIA Dr. JOO MANUEL DA COSTA DELGADO

  • 4

    AEL - Ex- Alunos com Sucesso

    retamente Fisioterapia e no era um manual, eram 3 e 4 livros gigantes para cada tema. Como que eu vou estudar isto tudo!? E depois comeam os est-gios, as conversas, as histrias de vida, as lies, as noites sem dormir, as olhei-ras at ao cho, as noites passadas a beber caf, a estudar j sem posio, os dissabores e a recompensa! A recom-pensa por todo o trabalho chega quando vemos os nossos pacientes a melhorar de dia para dia, quando algum nos diz obrigada por tudo! Sinto-me muito me-lhor!, quando vemos um atleta a voltar competio, quando algum deixa de ter dores e recomea a viver!

    Terminam agora quatro anos de licenciatura, de trabalho duro, de sacrif-cios, de muitas borgas com os amigos, de muitas noitadas e sadas e aquilo que penso ainda ontem eu entrei pelos portes da ESL decidida a ser mdica e hoje sou Fisioterapeuta! No podia ter mais orgulho em tudo o que consegui, no meu trabalho, na minha profisso! Hoje, agradeo o rumo que a minha vida levou porque no me imagino a viver sem a minha mozinha azul! Sou uma nova pessoa agora e trago comigo todas as histrias que me contaram e que vivi e jamais me vou esquecer da frase de uma senhora de 93 anos: Menina quando eu era nova era levada da breca e danava de saia chuva, por isso viva agora!

    Tnia Patrcio

    Corria o ms de Setembro de 2006 quando entrei pela primeira vez no recinto da ESL. Entrei pelos portes da escola com uma firme convico: Eu vou sair daqui e vou estudar Medicina! E assim come-ou uma guerra de 3 anos. Chegou o final do 10 ano e a minha mdia era apenas 16 e alguns pontinhos! Tnia no ests a aplicar-te o suficiente... Ou estudas ou no vai dar! E comecei, ento, o 11 ano a lutar com tudo o que podia para ter melhores notas e o mes-mo sucedeu no 12 ano. Exames nacionais candi-datura ao ensino superi-or.espera, muitas unhas

    comidas.e chegou o email! NO CO-LOCADA! Ento e agora!? Uma aluna que nunca tinha deixado um objetivo por atingir v-se confrontada com um futuro incerto! No sabia o que fazer, o meu mundo tinha desabado, mas quem pode-ria ter o controlo da situao era eu e apenas eu. No estava colocada, mas no problem, no ano seguinte repetia exames nacionais e Medicina estaria l, no mes-mo lugar, minha espera. Iniciou-se uma nova saga de estudos, explicaes, as-sistir a aulas e os dias temidos, exames nacionais. Voltei a no ser colocada em Medicina, mas tinha sido colocada em Fisioterapia, a minha ltima e msera escolha! Pensei que era temporrio, no final do primeiro ano, iria repetir o pro-cesso, candidatar-me e finalmente in-gressar no curso que eu verdadeiramen-te queria.

    Entrei na minha escola, o primei-ro ano de licenciatura foi passando e a minha deciso continuava ali por tomar! Mas havia uma vozinha, um sussurro que me dizia que eu no devia desistir, que eu tinha alguma coisa para dar Fisioterapia e que a Fisioterapia tinha alguma coisa para me dar a mim! E fi-quei, mas, se ia ficar, ia ser boa no meu trabalho e ia entregar-me com paixo a esta profisso que tinha entrado neste jogo de seduo comigo! Mas era agora que as coisas se complicavam! Comea-ram a aparecer disciplinas aplicadas di-

    Rben Leito foi aluno do AEL, tendo frequentado a EB Dr. Afonso R. Pereira e a Escola Secundria entre 1997 e 2005. Um percurso acadmico rico e uma vida intensa-mente vivida e refletida conduziram-no descoberta da escrita e, finalmente, estreia no mundo editorial com uma obra integralmente sua. No dia 28 de junho, teremos o pra-zer e o orgulho de assistir ao lanamento do primeiro livro deste nosso estimado ex- -aluno, no auditrio da Associao Musical - AMAL. Para o Rben, aluno exemplar em todos os aspetos, os nossos parabns e os votos de muito sucesso. Deixamos, de se-guida, as suas palavras, num breve auto-retrato, que acompanha o seu livro: Nasci Rben Leito, em Lisboa, em 1987, com o sonho de tocar as estrelas. Foi na Escola Primria que a sensibilidade pelas letras e o sentimento que cada palavra poderia transmitir comearam a manifestar-se. Durante os quatro anos da aprendiza-gem bsica, a professora que acompanhou o grupo de alunos procedia colectnea das primeiras experincias com o mundo da escrita. Em prosa, em poesia. 01 de Junho de 1997 revelou-se o Dia em que seria lanado o livro de turma, Jogar com as Palavras, amadrinhado por Maria Barroso. Percorrendo o estudo da Cincia, finalizo o 12 ano e inicio o primeiro contacto

    com a Engenharia Fsica, na Faculdade de Cincias da Universidade de Lisboa. A linguagem Fsica e Matemtica inspirava a urgncia em recuperar as palavras deixadas em aberto. Em 2006, nasce o blog http://momentosperdidos.blogspot. com o qual nomeei A Verdade no aqui e tu sabers v-la, em reconhecimento minha Professora de Portugus. Envelhecido dois anos na universidade clssica, o cansao intelectual levou-me a optar por outra realidade. Senti-me motivado a inscrever-me em Cincias da Comunicao, na Faculdade de Ci-ncias Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, licenciatura concluda em 2010. No ano seguinte, completo a Ps-Graduao em Cincias Policiais, na especializao de Criminologia e Investigao Criminal, no Instituto Superior de Cincias Policiais e Segurana Interna. A aprendizagem acadmica tende a amadurecer. O rumo profissional acompanha a volubilidade da socieda-de. No obstante as circunstncias, so Le Petit Prince, Paul Simon e Back to the Future trs dos grandes smbo-los, cujas mensagens se revelam ao longo do meu caminho.

    EX-ALUNO DO AEL LANA LIVRO

  • ESCOLA SECUNDRIA Dr. JOO MANUEL DA COSTA DELGADO

    AEL - Alunos com Sucesso

    Decorreu no dia 24 de maio de 2014, com incio s 14h15, na sede da OesteCIM, nas Caldas da Rainha, a Ce-rimnia de entrega de prmios do Con-curso Empreendedorismo nas Escolas, no mbito da ROE Rede Oeste Empre-endedor. O projeto Empreendedorismo nas Escolas, promovido pela Comunidade Intermunicipal do Oeste (OesteCIM), com o apoio tcnico da Associao Em-presarial da Regio Oeste (AIRO), tem como objetivo a implementao de aes suportadas em rede de parceria, na Re-gio Oeste Portugal, com vista promo-o e implementao de aes no mbi-to do Empreendedorismo. Pretende-se, assim, promover a criao de um ecos-sistema empreendedor, apoiado na es-truturao e coordenao de uma rede regional que contribua para favorecer a criao de sinergias e de condies de

    eficcia e eficincia no domnio do apoio ao empreendedorismo de base local. Na cerimnia, foram apresentados os projetos dos alunos finalistas, decor-rentes das iniciativas realizadas nas insti-tuies de ensino, no mbito da promo-o do empreendedorismo, nomeada-mente: Iniciativa O meu 1 Euro" desti-nada ao 2 ciclo; Iniciativa O meu 1 Milhar" des-tinada ao 3 ciclo; Iniciativa "O meu 1 Milho" des-tinada ao Ensino Secundrio. O concurso teve mais de 90 proje-tos participantes, individuais e de grupo, propostos por alunos das escolas da Re-gio Oeste. A aluna Luciana Dionsio, do 12 ano (Curso Profissional de Tcnico de Turismo), da Escola Secundria Dr. Joo Manuel da Costa Delgado, Lourinh,

    classificou-se no 4 lugar na categoria do Ensino Se-cundrio, com a sua bri-lhante apresentao do projeto Centro de Acolhi-mento da Aguardente DOC Lourinh.

    Prof. Ricardo Monteiro

    Luciana Dionsio, aluna da Escola Secundria premiada no

    concurso REO Empreendedorismo nas Escolas

    A DERROTA DE KID LABAREDAS ALUNOS DE ANIMAO E TURISMO NO LIVROS A OESTE

    A Derrota de Kid Labaredas uma histria que sensibiliza o ser humano para o respeito e preser-vao do patrimnio florestal. A sua aco decorre na floresta, onde se encontram os membros da quadri-lha do Kid Labaredas, um malfeitor que rene os seus membros para colocar fogo nas florestas. No entan-to, os amigos da floresta iro ajudar no combate a este terrvel crime e a malvada quadrilha ter uma gran-de lio!

    Este o tema de uma histria que reuniu no palco, num encontro feliz, os alunos dos Cursos Profissionais de Animao Sociocultural e de Turismo Ambiental e Rural.

    Ensaiados pela prof. Daniela Amorim, estes alunos passaram a mensagem aos mais pequenos em qua-tro sesses que realizaram no festival Livros a Oeste. Nos dias 29 e 30, para o Pr-escolar e 1 ciclo, e no dia 31, para a comunidade em geral, a atividade foi um sucesso e todos esto de parabns.

    Para alm das tropelias de Kid Labaredas, as alunas de Animao ainda realizaram um nmero musical em luz negra, onde as protagonistas eram animadas galinhas, e uma passagem de modelos inspirados nas perso-nagens da Disney, elaborados com materiais reciclados, com o apoio da prof. Cristina Siopa.

    Ficou provado que a unio e o empenho s podem ter como consequncia o sucesso. Ficamos a aguardar com expectativa mais projetos desta natureza.

  • 6

    JI de Atalaia dana com Apoio Infncia No dia 24 de maro

    de 2014, ns, alunos da tur-ma G1 do 10 ano - Curso Profissional de Tcnico de Apoio Infncia, realizmos uma visita ao Jardim de In-fncia da Atalaia, no mbito da disciplina de ECDM - Expresso Corporal, Dram-tica e Musical, acompanha-da pela professora Ana Ca-rolina Ferreira da Cruz.

    O principal objetivo era a dinamizao de uma dana barroca, com crian-as de 5 anos, acompanha-da da msica Minuete, de Luigi Boccherini, a apresen-tar no dia de abertura do Projeto Escola de Pais, a 8 de maio de 2014. Teramos assim oportunidade de apli-car os contedos desenvol-vidos ao longo deste ano letivo e iniciaramos tambm a interao com crianas.

    Durante a desloca-o at ao jardim de infn-cia, numa das carrinhas do agrupamento, um pouco nervosas, tentvamos des-contrair ouvindo msica e conversando.

    Quando chegmos ao local, fomos recebidas pela Educadora Ana Paula e pelas Auxiliares. Depois de aguardarmos alguns minu-tos, pois as crianas no tinham ainda acabado de lanchar, deslocmo-nos pa-ra o espao onde os meni-nos se encontravam j reu-

    nidos. Solicitmos-lhes que se sentassem em crculo, e fizemos uma breve apresen-tao:

    - Bom dia, somos alunas da Esco-la Secundria da Lourinh e viemos reali-zar uma dana de prncipes e princesas da poca Barroca.- disse a Ana Rita (porta-voz do grupo).

    A atividade era constituda por cinco partes, cabendo a diferentes alunas explicar cada uma delas.

    Na primeira parte, as crianas sentaram-se, ouviram com muita ateno a msica e depois identificaram as dife-rentes seces que nela existiam, de acordo com a estrutura A A B A B A.

    Na segunda parte, juntmos as crianas aos pares, menino com menina, com as mos dadas altura dos ombros, uns frente dos outros, com uma peque-na distncia entre si, e, comeando com o p direito, deram onze passos para a fren-te, de acordo com o ritmo marcado por uma aluna, atravs de uma fonte sonora. Depois de conseguirem efetuar os peque-nos passos, danaram pela primeira vez ao som da pea musical (marcando-se ainda a pulsao com uma fonte sonora). Avanmos para as terceira, quarta, quinta partes, e as crianas corresponde-ram. Como no foi possvel ensinar nesse dia todas as partes da pea musical, ne-cessitmos de mais idas ao Jardim de Infncia, o que permitiu tambm que as crianas fossem aperfeioando a dana.

    Na opinio das alunas e da pro-fessora de Expresso Corporal, Dramti-ca e Musical, a atividade decorreu muito bem, apesar dos nervos. Foi bem concre-tizada, pudemos aperfeioar as tcnicas aprendidas e tivemos oportunidade de interagir com crianas e com o ambiente de um jardim de infncia, ganhando assim

    alguma experincia. As crianas foram fantsticas, aprendendo rapidamente o que lhes fomos transmitindo.

    No dia 8 de maio de 2014, pelas 21 horas, no trio da escola frente ao PBX, na presena do senhor diretor da Escola Secundria Dr. Joo Manuel da Costa Delgado, Dr. Bruno Santos, e Sub-diretor, Dr. Ricardo Monteiro, pais, alunos da escola e diversos membros da comuni-dade educativa, as crianas do Jardim de Infncia da Atalaia com que trabalhmos executaram um lindo minuete. Foi um xi-to! Jssica Sade, Laura Maarico e Mrcia Silvestre, 10G1

    Teve lugar nos dias 16, 17 e 18 de maio de 2014, na Es-cola Secundria Rainha Dona Leonor, em Lisboa, o Campeona-to Nacional Escolar de Xadrez, envolvendo a participao de 58 atletas, provenientes das Direes Regionais de Educao do Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo e Alentejo. Sob a Direo do Coordenador Nacional, a PROVA INDI-VIDUAL disputou-se em nove sesses, em que cada jogador dispunha de 20 minutos por partida. Lus Ferreira, aluno da Es-cola Secundria Dr. Joo Manuel Costa Delgado, Lourinh, foi o grande vencedor com uma performance invicta de 7 vitrias e 2 empates. Ivo Dias (E. Cooperativa Vale S. Cosme), atual Cam-peo Distrital Escolar, sagrou-se Vice-Campeo Nacional Esco-lar a meio ponto da liderana: 7 vitrias, 1 empate e 1 derrota. A fechar o pdio absoluto, Bruno Ribeiro (E. Cooperativa Vale S. Cosme) classificou-se em 3 lugar.

    No Regional, que decorreu no dia 5 de abril, em Torres Novas, para alm do Lus Pedro que ficou apurado para o Nacional, o Pedro Silva e Leonardo Martins conseguiram, no ano de estreia em competio no xadrez, respetivamente, o 44 lugar nos Juvenis e o 19 lugar nos Iniciados.

    Parabns aos jogadores que foram representar a nossa escola e, em particular, ao grande vencedor. Prof. Ricardo Monteiro

    Lus Ferreira - Campeo Nacional de Xadrez

  • A PROPSITO DE LIBERDADE

    ESCOLA SECUNDRIA Dr. JOO MANUEL DA COSTA DELGADO

    O que significa a liber-dade?

    Primeiramente, podemos, de facto,

    referir que o significado da palavra liber-

    dade se prende com dois aspetos funda-

    mentais, sendo o primeiro deles o respei-

    to que, necessariamente, temos de nutrir

    pelos outros e que os outros, de igual

    forma, tm de ter por ns e que, alis,

    nos devem, de acordo com os nossos

    direitos, enquanto cidados. J o segun-

    do consiste no facto de a liberdade ser a

    combinao entre os direitos e os deve-

    res dos cidados, na sua convivncia

    com outros indivduos, no contexto soci-

    al, sem que seja posto em causa o espa-

    o privado, que pertence a todos os ele-

    mentos de uma sociedade, em conso-

    nncia com os seus direitos.

    Por conseguinte, podemos afirmar

    que o conceito propriamente dito de li-

    berdade se encontra assente em trs

    pilares fundamentais - o respeito, os di-

    reitos e os deveres -, sendo que uma

    sociedade onde uma parte considervel

    dos indivduos no respeitada, e/ou

    onde, pelo menos, parte dos seus direi-

    tos lhes so negados, parcialmente obs-

    trudos ou violados e/ou, por fim, onde os

    prprios sujeitos no cumprem os seus

    deveres cvicos enquanto membros da

    esfera social, nunca pode ser considera-

    da livre, ou seja, uma sociedade onde a

    liberdade seja um fator de unio coletiva,

    familiar e pessoal.

    Podemos, ento, referir que, quan-

    do o respeito entre diferentes culturas,

    povos, etnias, religies e/ou pases no

    existe, mas sobretudo quando da resul-

    tam ocorrncias de violao dos direitos

    humanos e de extremismos, nomeada-

    mente de tendncias racistas, xenfobas

    e/ou excessivamente nacionalistas, a

    liberdade, sobretudo de algumas minori-

    as, colocada em causa.

    Por exemplo, aquando do regime

    nazi, milhes de judeus foram extermina-

    dos pela pertena sua religio e raa,

    por um regime extremamente nacionalis-

    ta e fascista, o que constituiu uma das

    maiores violaes da liberdade e dos

    direitos humanos na histria da Humani-

    dade.

    Para alm disso, quando o espao

    privado de cada um de ns

    invadido quer atravs da

    exposio da nossa vida

    privada, em termos fsicos,

    quer, ainda, atravs da

    apropriao indevida dos

    nossos dados pessoais, por

    via digital, de certa forma, a

    nossa liberdade individual e

    o direito privacidade so

    postos em xeque.

    Um dos exemplos

    mais conhecidos, na atuali-

    dade, tm sido as informa-

    es reveladas sobre o fac-

    to de o governo dos EUA

    se encontrar a espiar no

    s os cidados norte-

    americanos, mas tambm

    vrios pases e governos a

    nvel mundial.

    Em resumo, apesar

    de a liberdade ter vindo a

    ser cada vez mais um dado

    considerado adquirido, es-

    ta, na actualidade, encontra

    -se, de certa forma, em

    causa.

    Selfie, a nova (velha) tendncia das redes sociais Selfie um neologismo que provm da palavra inglesa self-portrait,

    que significa auto-retrato, e uma foto tirada e compartilhada na inter-

    net. Normalmente, uma selfie tirada pela prpria pessoa que aparece na

    foto, com qualquer tipo de aparelho que possua uma cmara incorporada,

    sendo mais comum o uso do smartphone para esse efeito. Tambm pode

    ser tirada com uma cmara digital ou webcam.

    O particular da selfie que ela tirada com o objetivo de ser com-

    partilhada numa qualquer rede social como o Facebook ou o Instagram, por

    exemplo. Esta pode ser tirada com apenas uma pessoa, com um grupo de

    amigos ou mesmo com celebridades. A prtica de tirar selfies ganhou popu-

    laridade a nvel global, e algumas tiveram milhes de visualizaes. Alguns

    exemplos desses so a selfie tirada por um grupo de jovens com o Papa Francisco e a selfie tirada nos scares,

    onde aparecem vrias estrelas de Hollywood, como Ellen DeGeneres, Meryl Streep, Julia Roberts, Brad Pitt, Angeli-

    na Jolie,Jared Letto , Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Channing Tatum, Kevin Spacey, Lupita Nyongo e o seu

    irmo Peter Nyongo. Ellen desceu plateia e reuniu assim sua volta algumas das maiores estrelas da indstria

    cinematogrfica para uma selfie, que deveria ultrapassar os mais de 781 mil retweets alcanados pela fotografia de

    Barack e Michelle Obama, abraados, a comemorar a reeleio do Presidente dos Estados Unidos, a 7 de Novem-

    bro de 2012. E isso valeu-lhe, em poucos minutos, meio milho de retweets , que passaram a dois milhes at ao

    final da cerimnia, cerca de duas horas mais tarde, e ultrapassam agora os 2,8 milhes de retweets. Uma selfie

    tambm pode estar no centro de uma polmica, como o caso da selfie tirada no funeral de Nelson Mandela, onde

    aparecem Barack Obama, David Cameron e Helle Thorning Schmdt. Em 2013, os responsveis pelos dicionrios da

    Oxford elegeram selfie como a palavra do ano. Um dos motivos para esta escolha foi o facto de esta palavra ter

    sido uma das mais procuradas no durante o ano. Beatriz Ferreira, 11 A

  • Escola Secundria recebe instituies de Ensino Superior

    Ao longo do 2 e 3 perodos, com a finalidade de proporcionar aos alunos uma viso abrangente em termos de vias de prosseguimento de estudos ao nvel do Ensino Superior, o Agrupamento de Escolas da Lourinh recebeu vrias instituies, entre Uni-versidades e Institutos Politcnicos. Depois de, no 2 perodo, terem estado presentes na Escola Secundria Dr. Joo Manuel da Costa Delgado o Instituto Superior de Estatstica e Gesto de Informao da Universidade Nova de Lisboa, a Universidade Lusfona, o Exrcito Portugus, a Universidade de Coimbra e o Instituto Politcnico de Santarm, a iniciativa continuou no 3 perodo. No dia 23 de abril de 2014, quarta-feira, os representantes do Instituto Politcnico de Leiria (IPL) divulgaram a oferta formativa das suas vrias Escolas Superiores, assim como dos servios ao dispor dos alunos. No dia 16 de maio de 2014, o Instituto Superior Tcnico Universidade Tcnica de Lisboa marcou tambm presena na Escola onde foi feita uma apresentao centrada nos futuros caminhos de formao oferecidos por esta instituio. Tambm a Universidade Europeia passou pela Escola divulgando e sua atividade. A 19 de maio, a ESTM, Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar do Institu-to Politcnico de Leiria (IPL), com as suas instalaes em Peniche, contribuiu tambm para a mostra de ensino superior. No dia 22 de maio de 2014, a Escola Secundria Dr. Joo Manuel da Costa Delga-do recebeu a Faculdade de Cincias da Universidade de Lisboa e a 30 de maio a Facul-dade de Cincias e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC). Esta ltima fez-se representar na Escola por quatro Professores, de diferentes reas, que procederam a uma apresentao da oferta formativa desta instituio, seguida de uma palestra onde foi abordada uma rea de estudo da FCTUC, na rea da Biologia, proferida pelo Professor Doutor Paulo Oliveira, intitulada Contos assombrosos sobre a mitocndria do choque eltrico doena. GAPA

    ESCOLA SECUNDRIA Dr. JOO MANUEL DA COSTA DELGADO 8

    DEBATE ELEIES EUROPEIAS Decorreu no auditrio da Escola Secundria Dr. Joo Manuel da Costa Delgado, no dia 21 de maio, uma sesso/debate que teve como tema principal as eleies para o Parlamento Europeu do prximo dia 25. Esta atividade enquadra-se num projeto Comenius entre escolas de Portugal, Espanha, Itlia e Chipre e tem como tema A crise europeia propaga-se. O que fazer? Foram convidados todos os partidos com assento parlamentar na atual

    Assembleia da Repblica. Estiveram presentes os seguintes convidados: pelo Partido Comunista Portugus, Jos Soeiro, membro da Coli-gao Democrtica Unitria na Assembleia Municipal da Lourinh; pelo Partido Social Democrata, Teresa Faria, candi-data ao Parlamento Europeu pela Aliana Portugal; pelo Partido Ecologista Os Verdes, Helosa Apolnia, deputada da Assembleia da Repblica; pelo Partido Socialista, Maria da Luz Lopes, candidata ao Parlamento Europeu e pelo Bloco de Esquerda, Mariana Mortgua, deputada da Assembleia da Repblica. Houve uma pequena interveno, de 5 a 10 minutos, de cada convidado, a que se seguiu um perodo de pergun-tas/respostas onde os alunos estiveram em especial destaque. Durante 90 minutos, foram apresentadas as vrias propostas dos diferentes partidos que concorrem s eleies e debatidas algumas ideias sobre a Unio Europeia e a importncia do Parlamento Europeu na construo dessa mesma unio. Foi ainda realada a importncia destas eleies por parte de todos os convidados. Para terminar o debate, foram colocadas questes pelos alunos a que os diferentes candidatos responderam de forma objetiva e esclarecedora. A sesso foi moderada pelo Diretor do Agrupamento de Escolas da Lourinh, Bruno Santos. Perante um auditrio cheio, destacaram-se as presenas do Presidente da Cmara da Lourinh, Joo Duarte Carvalho e do Vereador Fernando Oliveira. Prof. Antnio Srgio

    Decorreu o campeonato do Desporto Escolar, Regionais DSR Lisboa e Vale Tejo de Futsal (iniciados masculinos), nos dias 13 de maio e 1 de junho 2014, na Escola Secundria Dr. Joo Ma-nuel da Costa Delgado. No mbito da organizao da CLDE Oeste

    e da Escola Secundria, estiveram presentes seis equipas masculi-nas das CLDEs: Oeste, Lezria e Mdio Tejo, Pennsula de Setbal, Lisboa, Amadora-Cascais e Oeiras e Sintra, no total de 135 partici-pantes. Os prmios foram entregues pelo Diretor do Agrupamento de Escolas da Lourinh, Dr. Bruno Santos, e pelo Vereador da Cmara Municipal da Lourinh, Dr. Fernando Oliveira. Felicitamos todas as equipas participantes, pelo seu empenho des-

    portivo e formativo e pelo seu esprito desportivo, demonstrados no torneio do Desporto escolar. Prof. Jacinta Cardoso

    REGIONAIS DO DESPORTO ESCOLAR NA ES