Agenda Cultural Novembro Dezembro

  • View
    216

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Agenda Cultural dos meses de novembro e dezembro de 2012

Text of Agenda Cultural Novembro Dezembro

  • 1AG

    EN

    DA

    CU

    LTU

    RA

    LN

    ovem

    bro

    Dez

    embr

    o20

    12

  • 2Trabalhar com a cultura e a arte estar em uma constante busca, estar em mudana, no acomodado, procurando fontes para novas sensaes.

    Durante quatro anos um grupo de tcnicos desta Universidade se props a desacomodar ideias, posturas e frmulas prontas, conseguindo desenvolver um trabalho que pode ser acompanhado por meio de nossa agenda bimensal, de nosso site, pelo nosso perfil no Facebook e, tambm pelo boca a boca de nossos sujeitos culturais. Essas so as formas utiliza-das por este grupo para fazer conhecer e difundir o que produzido, pen-sado e criado por cada um dos sete integrantes e sete bolsistas, alunos de graduao de diferentes cursos, que compem nossa equipe.

    Penso neste grupo comparando-o a uma orquestra, em que o desafio proposto o de fazer msica juntos: o talento de cada um dos integrantes e a soma de todas as qualidades que faz a msica, sua sonoridade, sua beleza. As orquestras tm seus solistas, que recebem momento de desta-que. No fazer dirio da ao cultural, nos deparamos com a mesma estru-tura: cada um dos envolvidos fazendo o seu melhor e contribuindo para a construo de uma programao que faa e tenha sentido; em determina-dos momentos o voo solo, cada um sendo solista de seu projeto, momen-to em que ele se apresenta e recebe os aplausos. Eu, como participante desse grupo, me delicio com os acordes de cada um dos integrantes, com a qumica que aparece em cada ao produzida por este Departamento, qumica esta que pode ser traduzida em uma palavra: cumplicidade por estar e fazer junto o que se gosta e se acredita.

    Este fazer continuar: nossa Pr-Reitora de Extenso convidou este grupo para permanecer nos prximos quatro anos, e contamos com todos os que participam deste processo, direta e indiretamente, para que opinem, sugiram, continuem nos procurando e construindo este projeto cultural que entende a cultura como ao, a cultura aberta ao pode ser...

    Nesta ltima agenda, escolhemos apresentar os rostos das pessoas que fazem este Departamento de Difuso Cultural para ser conhecido e reconhecido nesta universidade, na cidade de Porto Alegre e em alguns lugares deste nosso pas.

    Claudia Boettcher diretora Departamento de Difuso Cultural

    Fragmentos de um fazer interrogante

  • 3

  • 4M S I C A

    P R O J E T O VA L E D OZ E E T R I N TA 2 012

    Presidente Nero

    Formada em 2011, em Porto Alegre, a banda Presi-dente Nero se prope a criar sonoridades que fujam do convencional. Com mltiplas influncias que passam pelo rock, reggae, funk, blues e MPB , a banda est finalizando seu primeiro lbum, com pre-viso de lanamento ainda em 2012. Composta por Maurcio Lobo (vocais e guitarra), Augusto Constanti-no (teclados), Bris de Assis (guitarra), Gabriel Ama-ral (baixo) e Douglas da Vinci (bateria), a Presidente Nero, nas palavras dos msicos, objetiva pela mais pura libertao musical e da alma, independente de quaisquer preconceitos musicais.

    PRESIDENTE NEROData: 13 de novembro, tera-feiraHorrio: 12h30minLocal: Praa Central Campus Vale UFRGS Av. Bento Gonalves, 9500

    Em caso de chuva, o show ser transferido para o dia 14 de dezembro.

    Presidente Nero / divulgao

  • 5Duo in Cix

    O Duo nasceu no Festival de Inverno de 2009 da Uni-versidade Federal de Santa Maria (UFSM), em Vale Vneto, quando os msicos Gerson Tadeu (violino) e Lucas Duarte (violoncelo) participavam do evento. Nos intervalos entre estudos e concertos, criaram uma bem-humorada colagem musical, um mosaico que citava Bach, Villa-Lobos, Piazzolla, Beatles, e que, pelo tom de d maior foi chamada Tenha d, apresentado no festival daquele ano. Desde ento, eles renem-se pelo prazer de tocar e descobrir novas possibilidades de textura, expressividade e timbre para a formao do duo de cordas, criando esquetes sonoros que privilegiam liberdade formal e espao para improvisao. As influncias musicais do Duo vo desde o repertrio de tradio europeia at influncias da msica popular.

    DUO IN CIXData: 04 de dezembro, tera-feiraHorrio: 12h30minLocal: Praa Central Campus Vale UFRGS Av. Bento Gonalves, 9500

    Em caso de chuva, o show ser transferido para o dia 05 de dezembro.

    Duo in Cix / divulgao

  • 6M S I C A

    S A L A D O S S O N S

    Difuso Sonora de obras musicais eletroacsticas

    A Universidade Federal do Rio Grande do Sul inau-gurou em outubro de 2011 a Sala dos Sons, espao cultural criado especialmente para a msica ele-troacstica. Situada no segundo andar da Reitoria, a Sala dos Sons vem oferecendo h um ano uma experimentao nova aos ouvintes: ao participar de uma das programaes, somos convidados a mudar nossas ideias e conceitos. A msica eletroacsti-ca necessita de um novo critrio de percepo, j que suas estratgias composicionais, estruturais e estticas diferem das encontradas na composio da msica instrumental.

    Para os meses de novembro e dezembro, a Sala dos Sons prope uma programao em que privilegia as novas criaes com a estreia das obras musicais dos compositores Sergio Lemos e Maria Eduarda Mendes Martins, alm da homenagem ao maestro Frederico Richter pelo seu pioneirismo, que resultou na criao das primeiras obras eletroacsticas do Rio Grande do Sul.

    A pea Gros foi criada utilizando-se sons de diver-sos tipos de sementes, que foram derrubadas em diferentes recipientes e sobre instrumentos musi-cais. Os sons originais foram processados, porm a originalidade da maioria dos sons foi mantida de modo que o ouvinte perceba que so gros ou part-culas que caem. A pea tem uma estrutura contnua, marcada por eventos em que vrios gros caem ao mesmo tempo. Esses eventos representam respira-es galcticas, como se a cada exalao, milhares de estrelas fossem soltas no universo formando aglomerados de estrelas, sistemas solares, galxias e aglomerados de galxias.

    Sergio Lemos, natural de Salvador, iniciou seus estu-dos musicais com o piano ainda na infncia. Estudou violo clssico com diversos professores de Porto Alegre e atualmente aluno do curso de Bacharela-do em Composio Musical da UFRGS, sob orienta-o do Prof Antnio Carlos Borges Cunha.

    Gros (2012) Srgio Lemos

    ESTREIAS DAS OBRAS MUSICAIS

    Este ciclo consiste no projeto de graduao do curso de Composio Musical orientado pelo Prof. Dr. Celso Loureiro Chaves. O objetivo principal consiste em mesclar uma obra de tradio litrgica nos seus moldes clssicos, contando com os seis textos do ordinrio da missa cclica, nesta ordem: Kyrie, Glria, Credo, Sanctus, Benedictus e Agnus Dei. Para isso, utiliza uma linguagem musical eletroacstica que comeou a ser explorada somente a partir do sculo XX. Neste evento, sero apresentados dois movi-mentos da missa eletroacstica: Credo e Benedictus.

    Natural do Rio de Janeiro, Maria Eduarda Mendes Martins iniciou seus estudos de piano aos 16 anos. Em 2011, concluiu o curso de Graduao em Com-posio Musical na UFRGS. Iniciou os trabalhos no mbito da msica eletroacstica em 2010, estudando com o Prof. Dr. Eloy Fritsch e apresentando compo-sies em Porto Alegre (BR) e Crdoba (AR).

    Missa Eletroacstica Movimentos Credo e Benedictus (2012) Maria Eduarda Mendes Martins

    ESTREIAS DAS OBRAS MUSICAISData: 6 de novembro, tera-feira Horrio: 18hLocal:Sala dos Sons 2 andar da Reitoria da UFRGS Av. Paulo Gama, 110

    Frederico Richter compondo no Moog Modular / divulgao

  • 7Na homenagem a Frederico Richter, sero apresen-tadas trs obras realizadas entre os anos de 1979 e 1981 na McGill University no Canad: Estudo, Meta-morfoses, Sonhos e Fantasia. As verses originais foram espacializadas pelo compositor Eloy Fritsch para serem difundidas atravs da Orquestra de Alto--falantes da UFRGS.

    Frederico Richter, natural de Porto Alegre, radicou-se na cidade de Santa Maria, onde assumiu como ma-estro titular a Orquestra Sinfnica de Santa Maria, da qual foi o criador e fundador. Na universidade, exer-ceu a docncia como professor titular e regncia por 33 anos. Comeou a compor na infncia e hoje suas obras somam mais de 150, entre ttulos globais tais como Ciclos, Sinfonias, Peas Sinfnicas com coro e orquestra, cerca de 50 obras para Orquestra Sinfni-ca, Orquestra de Cmara, pera, oratrios, canes, peas instrumentais e obras eletroacsticas. Dedi-cou-se msica fractal, moderna e ps-moderna. Suas obras tm sido apresentadas em diversos

    Homenagem a Frederico Richter pases e por todo o Brasil, sendo atualmente um dos compositores mais conhecido do Rio Grande do Sul. Doutor em Msica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1962) e Ps-Doutor pela McGill University no Canad (1979-81). Adotou o cognome de Frerdio, pelo qual conhecido pelos composito-res. Tocou na Orquestra Sinfnica de Porto Alegre (OSPA) por 20 anos como 1 violino. Como maes-tro, regeu a OSPA, assim como orquestras em So Paulo, Porto Alegre e Montevidu. Ministrou cursos no exterior e atuou como conferencista, msico, docente e pesquisador na Alemanha (Universidade Siegen, Hamburgo e IPN de Kiel), ustria, Reino Unido, Universidade de Glasgow, Esccia (onde foi pesquisador Oversee, orientando doutorandos). No Canad, lecionou master classes em Msica nas Universidades Concordia e McGill.

    HOMENAGEM A FREDERICO RICHTERData: 11 de dezembro, tera-feira Horrio: 18hLocal:Sala dos Sons 2 andar da Reitoria da UFRGS Av. Paulo Gama, 110

  • 8M S I C A

    Arthur de Faria / Andrew Sykes

    N C L EO D A C A N O

    Na ltima edio de 2012 do Ncleo da Cano, con-vidamos Arthur de Faria, msico, jornalista, produtor fonogrfico e mestrando em Literatura Brasileira na UFRGS, para apresentar sua pesquisa sobre Carlos Gardel (1890-1935) publicada neste ano na Coleo Folha Grandes Vozes (v.