Anna Lanna - Bexiga

  • View
    10

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

bixiga

Text of Anna Lanna - Bexiga

  • 871VARIA HISTORIA, Belo Horizonte, vol.28, no 48, p.871-887: jul/dez 2012

    Aqum e alm-marimigrantes e cidades*

    Within and beyond the seaimmigrants and cities**

    ANA LUCIA DUARTE LANNAProfessora Titular do Departamento de Histria da Arquitetura

    Faculdade de Arquitetura e UrbanismoUniversidade de So Paulo (USP)

    Rua do Lago 876, Cidade Universitria CEP 05508080 So Paulo SP

    aldlanna@usp.br

    RESUMO O objetivo central deste artigo problematizar a questo da imigra-o para as cidades refletindo sobre a temtica dos deslocamentos, que arti-cula lugar de origem e acolhimento. A pesquisa se fez a partir da migrao de italianos que ocuparam e construram o bairro do Bexiga em So Paulo. Para tanto, procuramos refletir sobre as motivaes da imigrao, as condies de vida na Itlia e no Brasil e as construes de redes de sociabilidade e perten-cimento que viabilizaram o ato migratrio.

    Palavras-chave imigrao, cidade, deslocamentos

    ABSTRACT The aim of this paper is to discuss the issue of immigration to the cities reflecting on the theme of displacement, combining place of origin and host. The research was done from the migration of italians who had

    * Artigo recebido em: 20/06/2011. Aprovado em: 18/01/2012.** Esta pesquisa conta com apoio da FAPESP e CNPq e est inserida em um projeto temtico intitulado So

    Paulo: os estrangeiros e a construo da cidade que se prope a estudar esta cidade a partir de finais do sculo XIX, tendo como fio condutor as presenas estrangeiras, fundamentais nos processos de transformao fsica, demogrfica, econmica, social e cultural da cidade.

  • 872

    Ana Lucia Duarte Lanna

    occupied and built the neighborhood of Bexiga in Sao Paulo. To this end, we reflect on the motivations for immigration, living conditions in Italy and Brazil and the construction of sociability and belonging that made possible the immigration act.

    Keywords immigration, city, displacement

    Introduo

    O objetivo central deste artigo problematizar a questo da imigrao para as cidades refletindo sobre a temtica dos deslocamentos, que articu-la lugar de origem e acolhimento. A pesquisa se fez a partir da migrao de italianos que ocuparam e construram o bairro do Bexiga em So Paulo. Para tanto, procuramos refletir sobre as motivaes da imigrao, as condies de vida na Itlia e no Brasil e as construes de redes de sociabilidade e perten-cimento que viabilizaram o ato migratrio.

    A questo do deslocamento, para a compreenso dos processos migrat-rios ocorridos entre Itlia e Brasil entre finais do sculo XIX e incio do sculo XX, apresentou-se como tema a partir de pesquisa, em andamento, que trata da relao entre estrangeiros e a construo da cidade.1 No mbito deste pro-jeto de investigao coletiva a cidade de So Paulo foi tomada como recorte espacial privilegiado e o bairro como categoria analtica que permitiria recu-perar processos de expanso e transformao da base fsica da cidade articu-lada com as prticas sociais e a construo de um imaginrio metropolitano. Atravs do recorte do bairro foi possvel reconhecer as mltiplas inseres dos milhares de estrangeiros que afluram para So Paulo, em tempos, condies e motivaes diversas.

    O estudo sobre o Bexiga, um dos muitos bairros italianos de So Paulo, conduziu ao enfrentamento das questes relativas estruturao da imigra-o e da relao duradoura, que o ato imigratrio constitui, entre aqum e alm mar. Este bairro abrigar, a partir da dcada de 1890, milhares de imi-grantes italianos que chegaram em So Paulo. Apesar da presena majoritria de italianos e seus descendentes o bairro nunca foi exclusivamente italiano, nem gueto nem little italy.

    Analisando documentao integrante dos acervos do Arquivo Aguirra/Museu Paulista, Inventrios do Judicirio e Obras Particulares do Arquivo Mu-nicipal Washington Luis percebemos que a presena dos italianos, como pro-

    1 A pesquisa bibliogrfica sobre o tema especfico deste artigo foi realizada, principalmente, na biblioteca do Centro Studi Emigrazione-Roma (CSER). O acervo da biblioteca tem como recorte o tema da imigrao, com ttulos produzidos do sculo XIX ao presente.

  • 873VARIA HISTORIA, Belo Horizonte, vol.28, no 48, p.871-887: jul/dez 2012

    Aqum e alm-mar: imigrantes e cidades

    prietrios, no bairro majoritria a partir de 1905. Os dados levantados per-mitem reconhecer a presena predominante de grupos oriundos da Calbria, entendida aqui como a regio do sul da Itlia composta pela Campnia, Basi-licata e Calbria. Os originrios destas regies se concentraro neste bairro e sero cada vez mais reconhecidos e auto-identificados por calabreses. So encontrados tambm alguns imigrantes vindos da Puglia e da Sicilia. Esta concentrao de estrangeiros de mesma origem refaz um padro bastante co-mum na emigrao de italianos.2 A presena inicial de um imigrante da aldeia estimula e viabiliza um fluxo migratrio que utiliza e constri uma rede de pertencimento espacializada em bairros. Esta concentrao de estrangeiros de mesma origem produz particulares movimentos de construo de identida-des fazendo-os italianos nos lugares de fixao e transformando as referncias de origem.3

    Centenas de italianos (Credidio, Mammana, Caruso, Albanese, Chichu-chio, Savoia, Boca, Frugolino, Marchese, Caffero, Scarlato, Briganti, Capuano) povoaram as ruas do Bexiga construindo vizinhanas onde os laos de fam-lia e, sobretudo, de pertencimento a um paesi comum estabeleciam redes de sobrevivncia e sociabilidade. Esta imigrao para ambientes tnicos de acolhimento significa que estes estrangeiros vinham conhecendo, pelo menos parcialmente, as oportunidades da nova vida, e que obtinham o primeiro tra-balho atravs de relaes pessoais primrias. Siqueira, ao estudar as diversas associaes e formas de lazer dos trabalhadores paulistanos, revela fortes permanncias e vnculos decorrentes da regio de origem. Em razo de uma briga, vrios italianos foram atuados no posto policial do sul da S, em feve-reiro de 1906. Acompanhando os testemunhos pode-se perceber que todos os envolvidos moravam no Bexiga, a maior parte deles no mesmo endereo (Rua Marechal Deodoro 40), trabalhavam como vendedores de doces e balas

    2 Ver, dentre outros, MINICUCI, Maria. Qui e altrove: famiglie di Calabria e di Argentina. Milano: Franco Angeli, 1989, que estuda, em Buenos Aires, imigrantes vindos de Zaccanopoli, provincia de Cantazaro. BUENKER, John D. Lemigrazione calabrese nel midwest americano prima del 1929: il caso del Winsconsin. S. n. t., revela aspectos da cadeia migratria e a nomeia de arco eltrico sobre o Atlntico constituindo economia singular em um mundo fechado. DE CLEMENTI, Andreina. Caratteri storico-antropologici dellemigrazione italiana. In: DE ROSA, Ornella e VERRASTRO, Donato. (orgs.). Appunti di viaggio. Lemigrazione italiana tra attualit e memoria. Bologna: Il Mulino, 2007, refora a idia do familismo como elemento comum da imigrao italiana; HARVEY, Robert. Dalla frontiera alle little italies, gli italiani in Canada 1800-1945. Roma: Bonaccu, 1984, analisa a populao italiana vinda de Florena que se instala em Toronto. ROSSI, Kethy. Immigracion italiana en el Uruguay 1860-1920. Montevideo: Proyecion, 1989, analisa grupos oriundos da Basilicata mostrando como continuam italianos a partir de identidades culturais que distanciam-se da cultura original inclusive da lngua.

    3 BEVILACQUA, Piero. Emigrazione transocenica e mutamenti dellalimentazione contadina calabrese fra otto e novecento. Quaderni Storici, Roma, n.47, p.543, 1981 estuda o regime alimentar dos calabreses e mostra a existncia do que ele nomeia revoluo alimentar na Itlia com a introduo da carne e tambm do caf, ch e cerveja decorrente dos novos hbitos na Amrica.

  • 874

    Ana Lucia Duarte Lanna

    e eram todos naturais de Salerno.4 Ou ainda quando no inventrio de Jos Caruso revelam-se a existncia de vnculos pessoais com conhecidos da cidade de origem.5

    A presena destes italianos, como moradores, proprietrios de imveis e donos de pequenos negcios, contribui para problematizar a relao entre mi-sria e imigrao reforando os argumentos deste texto. Por outro lado as for-mas coletivas do morar e a ausncia de uma homogeneidade scio-econmica indicam a centralidade das organizaes familiares e dos vnculos de origem como elementos organizadores das formas de vida e do cotidiano pelo menos para a primeira gerao de imigrantes. A famlia , seja a que fica no paesi de origem, seja a que aqui se constitui, aparece em toda a documentao como referncia central, repetindo padro similar de outros pases da Amrica.

    Os italianos moradores do Bexiga, oriundos em sua maioria do sul da It-lia, pem em destaque a relevncia de uma imigrao no associada nem ao caf nem a indstria. Apesar das mltiplas fabriquetas e oficinas o bairro nun-ca se configurou como um bairro industrial. Nem subvencionados nem colo-nos, so imigrantes que vem de cidades para cidade e aqui exercem atividades relacionadas a servios. Procuramos ento compreender o ato migratrio des-tes grupos e aprofundar a leitura do bairro, considerando as redes de relaes estabelecidas que tm, na origem comum, um dado significativo. Os processos ocorridos no Bexiga so diversos em relao a outros bairros italianos em So Paulo, mas similares aos dos mesmos grupos de origem ocorridos em outras regies do Brasil e das Amricas.6

    Colocar em dilogo a vida na Amrica com a dos lugares de origem, in-cluindo a as expectativas e sonhos relacionados imigrao, fundamental para desvelar, pelo menos neste caso, um pouco dos sentidos e prticas que construram a cidade compreensvel pela articulao de sua materialidade,

    4 SIQUEIRA, Uassyr de. Entre sindicatos, clubes e botequins: identidades, associaes e lazer dos trabalhadores paulistanos (1890/1920). Campinas, UNICAMP, 2008. (Histria, Tese de doutorado).

    5 Em 1929 morreu, sem deixar testamento, o italiano Jos Caruso, industrial e