PROVA24 CLINICAMEDICA CE MAI18 - .diferenciam insuficiência renal aguda de insuficiência renal

Embed Size (px)

Text of PROVA24 CLINICAMEDICA CE MAI18 - .diferenciam insuficiência renal aguda de insuficiência renal

PROVA24_CLINICAMEDICA_CE_MAI18

CONHECIMENTOS ESPECFICOS

PROVA24_CLINICAMEDICA_CE_MAI18 5

Questo 17

Em relao ao tratamento da insuficincia cardaca, podemos afirmar:

A) A associao valsartana-sacubitril melhora a sobrevida de pacientes portadores de insuficincia cardaca com frao de ejeo reduzida.

B) A furosemida pode ser utilizada para controle do edema e melhora da sobrevida de pacientes com insuficincia cardaca com frao de ejeo reduzida.

C) A valsartana isoladamente no melhora a mortalidade de pacientes com insuficincia cardaca com frao de ejeo reduzida.

D) O uso de beta bloqueadores, como carvedilol ou bisoprolol, melhora os sintomas mas no impacta na sobrevida do paciente.

E) Todas as alternativas esto corretas

Questo 18

Paciente de 52 anos procura servio mdico para acompanhamento. Refere que h 6 meses apresenta quadros recorrentes de palpitao sendo documentado fibrilao atrial paroxstica no valvar. No momento encontra-se assintomtico em ritmo sinusal e no h evidncia de doena cardaca subjacente. Em relao anticoagulao desse paciente, podemos afirmar:

A) Warfarina deve ser utilizada em todos os pacientes com fibrilao atrial paroxstica no valvar.

B) Warfarina ou os novos anticoagulantes devem ser utilizados em todos os pacientes com fibrilao atrial paroxstica no valvar.

C) O que determinar o uso da anticoagulao a frequncia de recorrncia da fibrilao atrial.

D) O escore de CHADsVASc utilizado apenas na fibrilao atrial persistente ou permanente.

E) O que determinar o uso da anticoagulao o perfil de risco do paciente avaliado pelo escore de CHADsVASc

Questo 19

Uma paciente de 18 anos, queixa-se de dor abdominal de forte intensidade h 12 horas. Ao exame fsico, desidratada (++/4+), descorada (+/4+), com T = 36,2C, FC = 134bpm, FR = 32irpm, oximetria de pulso = 96% (ar ambiente) e PA = 96x64mmHg. As auscultas cardaca e pulmonar esto normais. Abdome: levemente distendido com dor difusa palpao profunda; punho-percusso lombar: negativa; rigidez de nuca: ausente; extremidades: frias; e glicemia capilar: 342mg/dL. A conduta inicial consiste em:

A) tomografia de abdome

B) administrao de insulina

C) hidratao e dosagem de potssio

D) dosagem de amilase e lipase

E) Iniciar gluconato de clcio

Questo 20

Uma paciente chega ao pronto-socorro, letrgica e edemaciada trazida pela filha. Ela relata a piora no estado geral nas ltimas 24 horas e relaciona a piora ausncia na sesso de hemodilise que deveria ter sido realizada h 48 horas, quando a famlia estava viajando. Ela conta que a me hipertensa e que faz hemodilise h 3 anos. Ela usa, entre outras medicaes, o Sorcal (poliestirenossulfonato de clcio). O exame fsico est normal, exceto pelo edema e por leve taquicardia. Solicitada a anlise bioqumica (eletrlitos, funo renal, gasometria) e um eletrocardiograma (ECG). O ECG mostra ritmo sinusal, com QRS alargado e onda T apiculada em todas as derivaes. A presso arterial 130 x 80 mmHg. Frente a esse quadro, assinale a alternativa que apresenta a conduta imediata mais adequada:

A) Administrar, imediatamente, gluconato de clcio.

B) Administrar uma soluo com insulina e glicose, porm antes checar os nveis sricos de potssio.

C) Iniciar bicarbonato e aguardar o resultado da bioqumica solicitada para tomar uma conduta dirigida.

D) Administrar insulina regular endovenosa e Sorcal via retal, alm de acionar equipe de hemodilise.

E) Solicitar hemodilise de emergncia.

Questo 21

Um jovem com transtorno bipolar e usurio de carbonato de ltio internado com hipernatremia. Foi feito o diagnstico de diabetes insipidus nefrognico. Assinale a alternativa que contm apenas medicamentos recomendados para o atual quadro:

A) Hidroclorotiazida, furosemida e amilorida.

B) Hidroclorotiazida, furosemida e indometacina.

C) Furosemida, amilorida e indometacina.

D) Hidroclorotiazida, amilorida e indometacina.

E) Hidroclorotiazida, acetato de desmopressina e indometacina.

Questo 22

Uma mulher de 65 anos, com antecedente de diabetes e hipertenso arterial, foi internada por pielonefrite e est em tratamento com amicacina. Exames laboratoriais: ureia srica = 125mg/dL e creatinina srica = 3,3mg/dL. Os exames que diferenciam insuficincia renal aguda de insuficincia renal crnica so:

A) Clcio srico e cintilografia renal.

B) Fosfato srico e ultrassonografia de rins e vias urinrias.

C) Frao de excreo de sdio e cintilografia renal.

D) Paratormnio (PTH) srico e ultrassonografia de rins e vias urinrias.

E) Frao de excreo de sdio e fosfato srico.

CONHECIMENTOS ESPECFICOS

PROVA24_CLINICAMEDICA_CE_MAI18 6

Questo 23

Uma mulher de 44 anos, obesa, afrodescendente, procura o pronto-socorro com queixa de disria h 1 dia. Apresenta ao exame, PA = 200x124mmHg, confirmada 2 vezes aps repouso, sem hipotenso postural. mantida em repouso, e so realizados fundo de olho com cruzamentos A-V patolgicos, glicemia = 130mg/dL, ureia = 30mg/dL, creatinina = 0,8mg/dL, sedimento urinrio com 36.000 leuccitos/mm3, sem hematria, proteinria ou cilindros, e o ECG a seguir:

Dentre as seguintes, a conduta mais adequada :

A) Repouso, furosemida oral, dose baixa de captopril oral, visando reduzir a presso em algumas horas e observao.

B) Nitroglicerina intravenosa e atenolol oral visando diminuir a presso e o trabalho cardaco e iniciar procedimentos para sndrome coronariana aguda.

C) Administrar nitroglicerina intravenosa, visando reduzir rapidamente a presso at nveis abaixo de 140x90mmHg.

D) Nitroprussiato de sdio e furosemida intravenosa, visando a diminuio rpida da presso at nveis seguros e ento iniciar atenolol e Aspirina oral.

E) Manter em repouso em ambiente calmo e administrar furosemida intravenosa e nifedipina sublingual, visando a diminuio relativamente rpida da presso.

Questo 24

Um homem de 33 anos, sem comorbidades prvias, vem ao pronto-socorro com queixa de batedeira e angstia no peito. O paciente nega dor, dispneia ou perda de conscincia. Ao exame fsico, est estvel hemodinamicamente, com ausculta pulmonar limpa e pulso de 162bpm. Aps a realizao do eletrocardiograma (Figura), qual a prxima conduta?

A) Adenosina 6mg em bolus.

B) Amiodarona 150mg em 20 minutos.

C) Cardioverso eltrica sincronizada com sedao.

D) Manobra vagal.

E) Controle de frequncia com verapamil, diltiazem ou metoprolol.

Questo 25

Um paciente de 21 anos, jogador de basquete, refere queixas recorrentes de palpitaes taquicrdicas h 8 anos. Durante o treino apresentou mal-estar geral associado a palpitaes. Foi levado para o pronto-socorro mais prximo e avaliado pelo clnico geral. Ao exame: consciente e taquicrdico, com PA = 110x60mmHg. Foi realizado o eletrocardiograma a seguir:

Qual a conduta mais adequada para o caso?

A) Massagem do seio carotdeo e, na ausncia de resposta, adenosina 6mg IV em bolus.

B) Cardioverso eltrica sincronizada.

C) Amiodarona intravenosa.

D) Controle da frequncia ventricular com diltiazem e prescrio de cido acetilsaliclico 325mg/d.

E) Estudo eletrofisiolgico em carter de urgncia.

CONHECIMENTOS ESPECFICOS

PROVA24_CLINICAMEDICA_CE_MAI18 7

Questo 26

Um homem de 75 anos, diabtico e hipertenso, com quadro de dor precordial em opresso associada a nuseas, com durao aproximada de 25-30 minutos ocorrida h 6 horas, chega ao servio de emergncia sem dor. Ao exame, est em bom estado geral, corado, FC = 80bpm, PA = 145x84mmHg e murmrio presente sem rudos adventcios, com 2 bulhas rtmicas normofonticas, sem sopros. Realizou eletrocardiograma, que no mostrou alteraes significativas, e dosagem de troponina e CK-MB com 9 horas aps o incio da dor, com resultado dentro da normalidade. A hiptese diagnstica e a conduta mais adequada so, respectivamente:

A) Dor torcica a esclarecer; alta hospitalar com investigao ambulatorial precoce por meio de exames no invasivos, como cintilografia de perfuso miocrdica ou ecocardiograma sob estresse.

B) Angina instvel; medidas para sndrome coronariana aguda sem supradesnivelamento do segmento ST, internao emUTI/UCO e cateterismo cardaco.

C) Dor torcica a esclarecer; teste ergomtrico como exame no invasivo antes das primeiras 12 horas e cintilografia de perfuso miocrdica ou ecocardiograma sob estresse antes da alta hospitalar para definir a conduta.

D) Angina instvel; iniciar medidas para sndrome coronariana aguda sem supradesnivelamento do segmento ST, internao em enfermaria e cintilografia de perfuso miocrdica ou ecocardiograma sob estresse para melhor estratificao do risco cardiovascular.

E) Angina estvel; investigao precoce por meio de cintilografia de perfuso miocrdica ou ecocardiograma sob estresse.

Questo 27

Um homem de 62 anos, hipertenso, dislipidmico e tabagista, apresenta angina estvel, classe funcional I, h 2 anos e 10 meses. No ltimo ms, os episdios de dor vm ocorrendo em situaes que demandam esforos menores, como pequenas caminhadas e atividade sexual. Faz uso regular de cido acetilsaliclico, atorvastatina, anlodipino, mononitrato de isossorbida, clortalidona, atenolol e losartana. O exame fsico e o eletrocardiograma de repouso no apresentam alteraes significativas, mas PA = 122x72mmHg e FC = 58bpm. Teste ergomtrico realizado h 1 semana detecta, no 2 minuto, angina e infradesnivelamento do segmento ST de 3mm, de padro horizontal, em 3 derivaes, o que motivou a interrupo do teste. A conduta mais apropriada para esse paciente :

A) Aumentar cido acetilsaliclico par