trabalho de cinesiologia 1(1)

  • View
    335

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

3

1 - INTRODUOO tronco ou dorso a parte central do corpo de vrios animais (incluindo o ser humano), de onde se projetam a cabea e os membros (superiores e inferiores ou, nos quadrpedes, anteriores e posteriores). O dorso corresponde regio posterior do tronco e se estende desde a nuca at o cccix. a parte do corpo humano que contm mais msculos. A musculatura do dorso reveste posteriormente a coluna vertebral e as costelas e essas formam seu esqueleto sseo, onde estaro fixados os diversos msculos dessa regio. O tronco faz parte do esqueleto axial.

4

2 - TRONCO E COLUNA VERTEBRAL EM CONJUNTOA coluna vertebral embrionria consiste de 33 vrtebras, que esto separadas em cinco tipos diferentes, dependendo da regio do corpo na qual se encontram. As primeiras 7 so vrtebras cervicais, seguidas por 12 torcicas, 5 lombares, 5 sacrais e 4 coccgeas. As vrtebras sacras soldam-se entre si, constituindo um nico osso sacro, assim como as coccgeas, que formam o cccix. A pelve a base da coluna onde os membros inferiores se articulam. Superiormente, articula-se com o osso occipital e inferiormente, com o Ilaco. A coluna um complexo que apresenta seis graus de liberdade, realizando os movimentos de: Flexo, extenso, inclinao lateral direita, inclinao lateral esquerda, rotao direita, rotao esquerda. Os tecidos Moles (msculos, ligamentos, cpsulas, tendes, discos) so eles que do a flexibilidade para coluna vertebral. A coluna o eixo central do corpo.

5

2.1 - Curvaturas da Coluna VertebralQuando examinada de perfil, a coluna vertebral do recm-nascido tem uma nica curvatura, de convexidade posterior.Quando a criana comea a levantar a cabea, desenvolve-se uma curvatura cervical de convexidade anterior. De maneira similar, uma curvatura lombar secundria desenvolve-se quando comea a andar. Se a curvatura lombar anterior excessiva, chamada de lordose. Se a curvatura torcica, posterior - que permanece como resqucio da primeira curvatura do recm-nascido - excessiva, chamada cifose (corcunda). A coluna vertebral normalmente reta, sem qualquer curvatura lateral. Se existe uma curvatura lateral, fala-se em escoliose. A curvatura cervical acentuada quando a cabea est ereta. A curvatura torcica permanente qualquer que seja a posio. A curvatura lombar geralmente mais acentuada em mulheres. A curvatura sacral permanente e diferente em homens e mulheres sendo menos curvo nas ltimas aumentando o tamanho da abertura da pelve.

2.2 - Funes da Coluna VertebralA coluna vertebral o principal eixo de suporte do corpo, provendo fixao para a cabea, para o trax e para a cintura plvica. Embora seja a principal estrutura de suporte, sua construo tal que permite que o tronco tenha aprecivel flexibilidade. Alm disso, a coluna vertebral protege a medula espinal enquanto dispe de aberturas entre vrtebras adjacentes para a passagem de nervos espinais.

6

2.3 - Diferenas entre as vrtebrasA vrtebra tipicamente composta por um corpo vertebral, um arco vertebral contendo um forame vertebral por onde passa a medula espinhal e sete processos vertebrais (espinhosos transversos e articulares). As vrtebras cervicais so menores formando o esqueleto sseo do pescoo. Possui o forame transverso oval ou forame do processo transverso. Em C7 esses forames so menores ou inexistentes. Por eles passam as artrias vertebrais. As vrtebras cervicais possuem as caractersticas de vrtebras cervicais tpicas com exceo e C1 e C2. C1 ou Atlas um osso em forma de anel e sustenta o crnio. Seus processos articulares articulam-se com os cndilos occipitais. O atlas no possui processo espinhoso, nem corpo. C2 ou Axis a mais forte vrtebra cervical. Possui duas superfcies planas de articulao onde gira o Atlas. Sua principal caracterstica um dente projetado para cima a partir do corpo. As vrtebras torcicas diferem das demais por possuir faces costais para articulao com as costelas. H uma ou mais faces em cada lado do corpo. Nos processos transversos h faces para articulao com os tubrculos costais. Seus processos espinhosos so longos e delgados. As vrtebras de T4 a T8 so tpicas. De T1 a T4 existem algumas caractersticas de vrtebras cervicais. E as vrtebras de T9 a T12 possuem tubrculos semelhantes s vrtebras lombares. As vrtebras lombares tm processos espinhosos visveis com a flexo da coluna. Possuem corpos macios e ausncia de fveas costais. Seus corpos tm forma de rim e seus forames vertebrais variam de ovais a triangulares. A maior de todas as vrtebras, L5 a responsvel pelo ngulo lombossacral.

7

3 - ARTICULAES DA COLUNA VERTEBRAL3.1 - Articulaes dos corpos vertebrais (intercorpovertebral)As articulaes intercorpovertebral so articulaes cartilaginosas secundrias (snfises) para suportar o peso do corpo. As superfcies articulares das vrtebras, recobertas por cartilagem, so conectadas por um disco intervertebral fibrocartilaginoso e por ligamentos. Discos intervertebrais proporcionam fixao mais forte entre os corpos das vrtebras. Os corpos vertebrais so unidos tambm por ligamentos longitudinais. Na regio torcica os discos so mais delgados enquanto nas regies cervical e lombar so mais espessos na frente. Esse espessamento tem relao com a curvatura de cada regio.

3.2 - Articulaes entre os arcos vertebrais (zigoapofisrias)As articulaes zigoapofisrias so articulaes sinoviais que ocorrentes entre os processos articulares inferiores de uma vrtebra superior e os articulares superiores de uma vrtebra inferior. So articulaes planas. So circundadas por uma cpsula articular frouxa que se fixa s bordas articulares dos processos. As cpsulas fibrosas so mais longas e frouxas na regio cervical do que nas torcica e lombar, o que proporciona maior movimento de flexo na primeira regio. Essas articulaes permitem movimentos de deslizamento. Controlam extenso, flexo e rotao das vrtebras cervicais e lombares adjacentes.

3.3 - Articulaes entre o Crnio e o Atlas (atlanto-occipitais)As articulaes atlanto-occipitais so as articulaes entre C1 e os cndilos occipitais que permitem movimento de flexo e extenso do pescoo. So articulaes sinoviais do tipo condilide, revestidas por cpsulas articulares frouxas. O crnio e C1 contatam-se tambm atravs das membranas atlanto-occipitais anteriores e posteriores (dos arcos de C1 at as bordas do forame magno). Essa membrana evita hiperflexo ou hiperextenso do pescoo.

3.4 - Articulaes entre o Atlas e o xis (atlanto-axiais)As articulaes atlanto-axiais so articulaes sinoviais entre C1 e C2 sendo duas laterais e uma mediana. Permitem movimentos de rotao. Durante esse movimento o dente de C2 mantido em um anel formado pelo arco anterior do atlas e o ligamento transverso. A articulao do dente de C2 com C1 uma articulao trocide.

8

4. LIGAMENTOS DA COLUNA VERTEBRALLigamento longitudinal anterior uma faixa fibrosa larga e forte que recobre as faces anteriores dos corpos vertebrais e discos intervertebrais. mais espesso em nvel dos discos intervertebrais e vai de C1 at o sacro. Mantm a estabilidade das articulaes intercorpovertebrais e evita a hiperextenso da coluna vertebral. Limita a extenso ou lordose excessiva das regies cervical e lombar. Ligamento longitudinal posterior uma faixa mais estreita e mais fraca que o ligamento longitudinal anterior. Est na face posterior dos corpos vertebrais, dentro do canal vertebral. mais largo nas regies torcica e lombar. Fixa-se aos discos intervertebrais e s bordas posteriores dos corpos vertebrais estendendo-se de C2 at o sacro. Evita a hiperflexo da coluna vertebral e a protruso posterior do ncleo pulposo do disco. Limita a flexo, refora o anel fibroso posteriormente. Ambos os ligamentos estendem-se desde a segunda vrtebra cervical at o sacro. Os arcos vertebrais esto conectados por quatro grupos de ligamentos. Ligamentos supra-espinal conecta-se as pontas do processos espinhosos; na regio cervical, desde a 7 vrtebra cervical at a protuberncia occipital externa, este ligamento se continua como ligamento da nuca. Limita a flexo. Ligamentos interespinhais conectam processos espinhosos adjacentes desde sua raiz at a ponta de cada processo. Limita a flexo. Ligamento amarelo corre entre as lminas de vrtebras adjacentes Limita a flexo. Ligamentos intertransversrios conectam os processos transversos de vrtebras adjacentes. Limita a flexo lateral contralateral. Cpsula das articulaes dos processos articulares: Fortalece e suporta a articulao dos processos articulares.

9

5 - PESCOOO pescoo estende-se da cabea aos ombros e trax. Seu limite superior ao longo das margens inferiores da mandbula e das partes sseas na face posterior do crnio. A parte posterior do pescoo mais alta do que da anterior e liga as vsceras cervicais s aberturas posteriores das cavidades nasal e oral. O limite do pescoo estende-se da parte superior do esterno, ao longo da clavcula, indo ao acrmio adjacente que uma projeo ssea da escpula. Posteriormente o limite inferior do pescoo menos bem definido, mas pode-se ter uma idia aproximada traando-se uma linha entre o acrmio e o processo espinhoso da vrtebra C7 (7 vrtebra cervical), que proeminente e facilmente palpvel. A margem inferior do pescoo encerra a base do pescoo. O pescoo tem quatro compartimentos principais, que so encerrados por um colar masculofascial externo. O compartimento vertebral contm as vrtebras cervicais e os msculos posturais associados.

10 5.1 - Posicionamento da cabeaO pescoo sustenta e posiciona a cabea. importante observar que ele possibilita a um individuo posicionar os componentes do sistema sensorial na cabea, relacionando-os aos estmulos ambientais, sem movimentar o corpo inteiro.

5.2 - Componentes* Vrtebras cervicais As sete vrtebras cervicais formam a estrutura ssea do pescoo. As vrtebras cervicais so caracterizadas por: Corpos pequenos; Processos espinhosos bfidos; Processos transversos que contem um forame (forame transverso). Em conjunto, os foram