Projeto aprovado pibid

  • View
    104

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Projeto aprovado pibid

  • CAPES - Coordenao de Aperfeioamento de Pessoal de Nvel Superior

    Pibid 2013Programa Institucional de Bolsa de Iniciao Docncia

    Este documento vlido como comprovante de inscrio.

    Proposta - Edital n 61/2013

    Nmero da proposta 128349ID Projeto Pibid 2013 - UNEAL

    Instituio de Ensino Superior

    Nome UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL/UNEALCdigo INEP 5242CNPJ 02.436.870/0001-33Categoria administrativa Pblica EstadualIGC/Ano 2/2011Endereco Rodovia BR 316 - Km 87,5, ns/n, Bebedouro, CEP 57.500-000, Santana do

    Ipanema/ALTelefone (82) 3621-2247, (82) 3621-2247Email gabinete@uneal.edu.br

    Programas Participantes

    Sigla Nome do programaLIFE Laboratrio Interdisciplinar de Formao de EducadoresPIBID Programa Institucional de Bolsa de Iniciao Docencia

    Coordenador Institucional

    Nome MARIA JOSE DE BRITO ARAUJOCPF 068.444.054-72Currculo lattes http://lattes.cnpq.br/7855500197820951Endereo Roteiro, n29, Santa Esmeralda, CEP 57.312-040, Arapiraca/ALEmail mjbaraujo@yahoo.com.brTelefone (82) 3522-1282, (82) 8810-2242

    Projeto Institucional

    Qual o contexto educacional da regio onde o projeto ser desenvolvido?

    Articulao entre a Universidade e Escolas de Educao Bsica: mltiplos olharesterico-metodolgicos na formao docente a proposta da Universidade Estadual de Alagoas - Uneal emparceria com o Pibid/Capes e escolas pblicas, visando a interlocuo no processo de iniciao adocncia.

    A Uneal, com sede na cidade de Arapiraca, agrega seis campi nas diversas mesorregies do Estado: agreste,serto e leste alagoano. Segundo dados da SEPLAN (2011), Alagoas, formada por 102 municpios, apresentaum total de 2.311.410 pessoas alfabetizadas por grupo de idade, o que varia entre cinco a mais de 60 anos.

    1 / 56

  • CAPES - Coordenao de Aperfeioamento de Pessoal de Nvel Superior

    Pibid 2013Programa Institucional de Bolsa de Iniciao Docncia

    Este documento vlido como comprovante de inscrio.

    Nesse contexto, percebe-se a distoro alarmante, tendo em vista o total geral da populao em 2010.Segundo os dados do IBGE, de 3.120.499 habitantes.

    Quando se trata de educao de um povo, espera-se que todos tenham acesso, e que sejam cumpridos osditames da Constituio Federal de 1988 e da Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional n9.394/1996 (LDBEN). Alagoas, apesar dos esforos, ainda se encontra margem, a exemplo de ser o estadocom maior ndice de analfabetismo e o ndice de Desenvolvimento da Educao Bsica (IDEB), abaixo damdia nacional. Fazendo uma retrospectiva histrica, o ensino cresceu expressivamente nos anos de 1970somente no ensino primrio- perodo de escolaridade que vai da 1 a 4 srie. A partir da Lei5.692/1971, e com a redefinio da composio demogrfica de Alagoas, houve uma demanda, cada vezmaior, por escolarizao, sobretudo nas quatro primeiras sries do que se convencionou chamar primeirosegmento do ento 1 grau.

    Nessa direo, a LDBEN (1996) traa novas diretrizes e, no artigo 35, trata do padro mnimo de ensinoe ampliao das responsabilidades dos entes federados. O contexto educacional da regio, tendo em vistao IDEB 2011, incluindo as redes municipais, federal e privada, apresenta os seguintes indicadores: 3,8 e2,9 respectivamente nos dois ciclos do ensino fundamental. O ensino mdio teve pontuao de 2,9. Essesdados estatsticos apontam o estado de Alagoas no ranking do pior IDEB do Brasil.

    As escolas, por meio da gesto democrtica, esto presentes nas comunidades e ambas percebem aimportncia da participao nos programas que visam melhoria da educao. Nesse cenrio, o Pibidse destaca como forte aliado para a valorizao da formao docente e melhoria do processo de ensinoaprendizagem.

    A Uneal, por ser pioneira na formao de professores no interior de Alagoas, tem como meta prioritria,propor estratgias que possam melhorar o ndice do IDEB. Com a participao no Pibid, a universidadevisa realizar aes que contribuam para uma formao docente reflexiva, melhorando, assim, a qualidadeda educao do Estado.

    Quais as aes/estratgias para insero dos bolsistas nas escolas?

    As aes aqui propostas, alm de aprofundarem questes pertinentes ao ensino desenvolvido naUniversidade, produziro conhecimentos relacionados educao e em rea do prprio interesse, bemcomo propiciaro a aquisio de ferramentas tericas e metodolgicas capazes de contribuir para umaformao substancial dos alunos inscritos no projeto. Nos dizeres de Amorim; Martins; Camelo (2012), as licenciaturas apresentam algumas lacunas no que serefere construo da identidade docente, entretanto, dispe de Diretrizes Nacionais que norteiam aformao do professor, favorecendo a prtica pedaggica, dando suporte para o aluno adquirirexperincias, conviver com o ambiente escolar, refletir sobre a prtica docente, de modo que a formaoinicial ultrapasse o foco conteudista. Assim, as estratgias devem ser pensadas no sentido de corroborarna construo dessa identidade docente. Melo (2012) afirma que a construo da identidade no sedesenvolve apenas nos cursos de formao, mas, sobretudo na complexidade das relaes e interaesque vo se estabelecendo. Dessa maneira as aes/estratgicas perpassam pelas seguintes questes:

    1. Inserir os bolsistas no cotidiano escolar, utilizando como estratgia seminrio de acolhimento acercada filosofia e insero do PIBID na educao bsica;

    2. Conhecer a escola nos aspectos: fsico, estrutural, social, servios prestados, comunidade atendida eoutros;

    3. Formar grupos de estudos por subprojetos, permitindo aos interlocutores (coordenadores, supervisores ealunos) discutirem temticas relacionadas a cada rea, bem como o planejamento de outras possibilidadespedaggicas que favoream a melhoria da qualidade educacional da escola pblica.

    4. Manter um fluxo contnuo de inter-relao com as escolas pblicas inseridas nesse programa,

    2 / 56

  • CAPES - Coordenao de Aperfeioamento de Pessoal de Nvel Superior

    Pibid 2013Programa Institucional de Bolsa de Iniciao Docncia

    Este documento vlido como comprovante de inscrio.

    objetivando socializar, discutir, propor metodologias de carter interdisciplinar que possam contribuirpara a ascenso do respectivo projeto e subprojetos, com vista a atender as expectativas dos atoressociais envolvidos;

    5. Promover aes que viabilizem uma interao entre o ensino e as prticas voltadas ao meio ambiente,tica e diversidade;

    6. Publicizar os resultados em revistas, anais, livros e meio eletrnico, para estimular os bolsistas naparticipao em eventos das diversas reas contempladas nos subprojetos.No que se referem aos subprojetos, outras aes especficas sero realizadas:Subprojetos do Campus ILetras Francs: Implementao da lngua e da cultura francesa nas escolas parceiras, envolvendo aelaborao de jogos didticos, msicas, teatro, poesia e dramatizaes, para que os alunos adquiramconhecimentos que facilitem estudos posteriores.

    Letras Ingls: Formao inicial e continuada de professores de ingls, a partir de novas abordagenspara uma educao lingustica crtica, atravs de sequncias didticas experimentais, com foco noletramento crtico, organizao e registro de dados.

    Letras Literatura: Desenvolvimento de estratgias argumentativas com base nos gneros discursivos denatureza oral e escrita, utilizando crculos de leitura com a indicao de livros, produes textuais,possibilitando a construo de leitores e produtores de textos.

    Matemtica: Construo de metodologias voltadas para a prtica docente, por meio de resoluo deproblemas, contribuindo para uma melhor compreenso de conceitos e contedos matemticos.

    Geografia: Ampliao da percepo espacial, com a apresentao de metodologias que facilitem aalfabetizao cartogrfica a partir da incluso digital, construo de jogos, gincanascartogrficas, produo de vdeos, exposio coletiva dos materiais, oficinas, cursos, levando oaluno a refletir criticamente sua espacialidade.

    Pedagogia: Insero de novos paradigmas na formao de professores da educao infantil e anosiniciais do ensino fundamental, a partir das reflexes sobre as especificidades metodolgicas noatendimento s pessoas com deficincia, como tambm no estmulo docncia, atravs da construoe utilizao de recursos didticos especficos ao atendimento a essas pessoas.

    Histria: Acompanhamento da prtica pedaggica em Histria, com a elaborao de material didticopedaggico, assegurando a diversidade, o contexto local, condies de vida e de trabalho nas escolasparceiras, ainda como ao estratgica, a organizao de bibliotecas virtuais que favoream maior emelhor dinamicidade s atividades escolares e a aprendizagem dos envolvidos.

    Qumica: Estmulo para a docncia na Educao Bsica, atravs de prticas inovadoras e criativas,familiarizando-se com a proposta pedaggica. Inclui-se tambm, prticas com experimentos simples eproduo de kits de materiais qumicos, show de qumica nas escolas, produo de jogos didticos,feira de qumica, olimpadas, gincanas interclasses, utilizao de laboratrios virtuais, edio deum livro, entre outras aes.

    Biologia: Prticas inovadoras em Biologia, enfatizando o uso das Tecnologias da Informao eComunicao (TIC), na sala de aula, experimentos, oficinas pedaggicas e visitas tcnicas s escolas.Subprojetos Campus IIPedagogia: Mobilizao da comunidade acadmica no sentido de garantir um entendimento do papel do Pibidcomo elemento fomentador do senso critico, do esprito investigativo e da criatividade dos alunos

    3 / 56

  • CAPES - Coordenao de Aperfeioamento de Pessoal de Nvel Superior

    Pibid 2013Programa Institucional de Bolsa de Iniciao Docncia

    Este documento vlido como comprovante de inscrio.

    bolsistas.

    Cincias Biolgicas: Reflexo sobre a importncia de prticas metodolgicas diferenciadas,possibilitando a ressignificao das atividades, bem como a promoo de novas situaes de ensinoaprendizagem e consequentemente de novas prticas avaliativas.

    Subprojetos Campus IIILe