A nova extensão rural no Brasil

Embed Size (px)

Text of A nova extensão rural no Brasil

SERVIO PBLICO FEDERAL MINISTRIO DA EDUCAO INSTITUTO FEDERAL DO PAR CAMPUS CATANHAL

Disciplina: Extenso Rural

Prof: Maria Grings Batista

SERVIO PBLICO FEDERAL MINISTRIO DA EDUCAO INSTITUTO FEDERAL DO PAR CAMPUS CATANHAL

Tema da Aula: A Nova Extenso Rural no Brasil: Desafios e Novos Paradigmas

Assistncia Tcnica e Extenso Rural - ATER: servio de educao no formal, de carter continuado, no meio rural, que promove processos de gesto, produo, beneficiamento e comercializao das atividades e dos servios agropecurios e no agropecurios, inclusive das atividades agroextrativistas, florestais e artesanais;

Reviso : Linha do tempo da ATER no Brasil

Porque Nova ATER?

O que no a Nova ATER? Considerando que a extenso rural foi durante muito tempo uma tarefa desempenhada quase que exclusivamente por organizaes governamentais, com um enfoque metodolgico difusionista e uma opo tcnica baseada no que chamado de pacote da revoluo verde, o Programa de ATER busca romper com esta realidade. Ele afirma a sua identidade com a viso renovada da extenso rural (INCRA, 2008)

O que no a NovaATER?Na realidade, se trata de um enfoque de interveno rural difusionista reducionista homogeneizador que, desde meados do sculo XX, auxiliou a implantao do modelo de agricultura de tipo Revoluo Verde (CAPORAL & COSTABEBER, 2000).

Nova ATER Extenso Rural Agroecolgica Para Caporal e Costabeber (2000) Nova Extenso Rural se refere a uma Extenso Rural Agroecolgica: que constitui-se num esforo de interveno planejada para o estabelecimento de estratgias de desenvolvimento rural sustentvel, com nfase na participao popular, na agricultura familiar e nos princpios da Agroecologia como orientao para a promoo de estilos de agricultura scioambiental e economicamente sustentveis.

Nova ATER: Extenso ou Comunicao?Paulo Freire (1992) faz uma crtica ao termo extenso, que traz a idia de estender, levar algo a algum, levar o conhecimento a quem no o possui. Para o autor a relao entre tcnico e agricultor deve ser um processo de construo dialgica de conhecimento um processo educativo libertador, que valorize os saberes e conhecimentos locais.

Momento de TransioPROJETO LUMIAR (1997 2000) comea a romper com os modelos antigos no mbito das polticas pblicas.

Novos elementos: Descentralizao; Terceirizao e; Maior controle social.

Pinto (2000) - Momento de descentralizao da Ater:1) O fracasso do modelo governamental de Ater; 2) O contexto de polticas neoliberais; 3) Mudanas no sentido de uma relao de parceria com a sociedade civil, possvel atravs do fortalecimento dos movimentos sociais e das

A Nova Extenso Rural no Brasil no que se refere s polticas pblicas 2003: Grande mobilizao nacional para construo da Poltica Nacional de Assistncia Tcnica e Extenso Rural (PNATER); Fortalecimento dos rgos estaduais de extenso rural; Maior abertura para entidades de direito privado; Assessoria tcnica, Social e Ambiental (ATES) Pblico: Assentados de Reforma Agrria; Assistncia Tcnica e Extenso Rural (ATER) Pblico: Produtores familiares no assentados.

Transio AgroecolgicaNesse contexto, e pensando nas bases tericas para a Nova Extenso Rural, a transio agroecolgica se refere a um processo gradual de mudana, atravs do tempo, nas formas de manejo dos agroecossistemas, tendo-se como meta a passagem de um modelo agroqumico de produo (que pode ser mais ou menos intensivo no uso de inputs industriais) outro modelo ou estilos de agricultura que incorporem princpios, mtodos e tecnologias com base ecolgica.

A Nova Extenso Rural no Brasil Programa Nacional de ATER:Objetivo de levar o servio para as diversas categorias de agricultores (agricultores familiares, assentados, quilombolas, pescadores artesanais, povos indgenas e outros) de forma gratuita e com a qualidade necessria para promover o desenvolvimento da agricultura familiar no pas, visando contribuir para a promoo do desenvolvimento rural sustentvel, atravs de uma abordagem multidisciplinar e interdisciplinar, estimulando a adoo de enfoques metodolgicos participativos e de um paradigma tecnolgico baseado nos princpios da agroecologia. (INCRA, 2004)

A Nova Extenso Rural no Brasil Programa de ATES (criada em 2003):Assessorar tcnica, social e ambientalmente as famlias assentadas nos Projetos de Reforma Agrria e Projetos de Assentamento reconhecidos pelo Incra, tornando-os unidades de produo estruturadas, inseridas de forma competitiva no processo de produo, voltadas para o mercado,

Poltica de ATES (criada em 2003):

A Nova Extenso Rural no Brasil

O trabalho da assistncia tcnica deve assumir como princpios, a promoo da igualdade entre trabalhadoras e trabalhadores rurais assentadas (os), a utilizao de mtodos participativos, a adoo dos conceitos da agroecologia, cooperao e economia

Concepes da Assessoria Tcnica, Social e Ambiental Carter educativo Gerao e apropriao coletiva de conhecimentos Construo de processos de desenvolvimento sustentvel Adaptao de tecnologias Metodologias participativas Enfoque pedaggico construtivista e humanista A partir do conhecimento local Paradigmas da agroecologia

Instncias de Coordenao e Superviso

Estrutura de coordenao, gesto, execuo e participao social: INCRA Diretoria de Desenvolvimento de Projetos de Assentamento - DD Superintendncias Regionais - SR

Instncias de Participao Social O Frum Nacional de ATES O Frum Estadual de ATES Instancia de execuo tcnica Equipes de Articulao Ncleos Operacionais - NO

FASES DE OPERACIONALIZAO

Novas questes Desenvolvimento Sustentvel: Transio Agroecolgica; Valorizao do saber local; Saf`s; Pesquisa, Certificao e Comercializao de produtos orgnicos; Gerao de tecnologia para reduo de queimadas; Grupos de pesquisa em

Novas questes Participao: Metodologias participativas Pesquisa e extenso comeam a aparecer no mais dissociadas: Pesquisa-ao, Pesquisa desenvolvimento, Pesquisa participativa; Dilogo Desenvolvimento local;

Novas questes Descentralizao: ONGs; Prestadoras de Servios; Cooperativas de Tcnicos;

Desafios Processo de transio, onde vrios modelos de extenso coexistem; Momento de debate muitas discusses; Necessidade de formao de novos quadros profissionais; Reestruturao de instituies de pesquisa, ensino e extenso;

Desafios Pesquisa feita na regio Norte, mostra ainda a maior abrangncia das instituies pblicas de extenso rural, atravs da disponibilizao de crdito agrcola, o que leva a utilizao de mtodos de transferncia de tecnologia; Mtodos mais participativos

ConclusesSe conclui que um novo estilo de desenvolvimento rural, determinado pelo imperativo scio ambiental, exige uma prxis social diferenciada por parte dos agentes envolvidos e, portanto, uma Nova Extenso Rural, praticada com base em um novo profissionalismo. Ademais, esse processo de mudana constitui-se em um novo desafio para as

BIBLIOGRAFIA FREIRE, P. Extenso ou Comunicao? Rio de Janeiro-RJ: Paz e Terra; 1977. PINTO, R. M. S. Tendncias atuais no campo institucional da ATER: situao da regio de Marab [mimeo]. 2000. 22 p. CAPORAL, F. R. & COSTABEBER J. A. Agroecologia e Desenvolvimento rural sustentvel: perspectivas para uma nova extenso rural. Porto alegre, 2000. INCRA. ATES, assessoria tcnica, social e ambiental: Manual operacional, 2008.