of 45/45
1 Especializa Especializaç ão em ão em Engenharia de Estruturas Engenharia de Estruturas Projeto em Alvenaria Estrutural Projeto em Alvenaria Estrutural Suzana Campana Peleteiro Suzana Campana Peleteiro Formada em Engenharia Civil pela UFES Formada em Engenharia Civil pela UFES Mestrado e Doutorado em Engenharia de Mestrado e Doutorado em Engenharia de Estruturas pela EESC Estruturas pela EESC – USP USP Diretora da PROJETEC Engenharia de Diretora da PROJETEC Engenharia de Estruturas Estruturas Mini curr Mini currí culo da professora: culo da professora:

Alvenaria Estrutural - Parte 1

  • View
    249

  • Download
    12

Embed Size (px)

DESCRIPTION

aula 1 alvenaria estrutural

Text of Alvenaria Estrutural - Parte 1

  • 1EspecializaEspecializao em o em Engenharia de EstruturasEngenharia de Estruturas

    Projeto em Alvenaria EstruturalProjeto em Alvenaria Estrutural

    Suzana Campana PeleteiroSuzana Campana Peleteiro

    Formada em Engenharia Civil pela UFESFormada em Engenharia Civil pela UFES

    Mestrado e Doutorado em Engenharia de Mestrado e Doutorado em Engenharia de Estruturas pela EESC Estruturas pela EESC USPUSP

    Diretora da PROJETEC Engenharia de Diretora da PROJETEC Engenharia de EstruturasEstruturas

    Mini currMini currculo da professora:culo da professora:

  • 2Gerais: Analisar e dimensionar estruturas Gerais: Analisar e dimensionar estruturas em alvenaria estrutural.em alvenaria estrutural.

    Objetivos:Objetivos:

    EspecEspecficos:ficos:ConcepConcepo geral dos projetos em alvenaria. o geral dos projetos em alvenaria.

    AAes e esfores e esforos solicitantes.os solicitantes.

    MMtodo de ctodo de clculo: compresso, flexo simples e lculo: compresso, flexo simples e composta, cisalhamento. composta, cisalhamento.

    Projeto de edifProjeto de edifcios.cios.

    Livros:Projeto de Edifcios de Alvenaria EstruturalMarcio A. Ramalho & Mrcio R. S. CorraEditora Pini

    Dissertaes:CONTRIBUIES AO PROJETO ESTRUTURAL DE EDIFCIOS EM ALVENARIAKristiane Mattar Accetti 1998

    FLEXO E FLEXO-COMPRESSO EM ELEMENTOS DE ALVENARIA ESTRUTURALMauricio Martinelli Joaquim 1999

    ANLISE DE EDIFCIOS DE ALVENARIA ESTRUTURAL SUJEITOS S AES DO VENTOIlka Maria da Silva 1996

    Referncias BibliogrReferncias Bibliogrficas:ficas:

  • 3Normas:ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS (1989). NBR 10837 - Clculo de alvenaria estrutural de blocos vazados de concreto. Rio de Janeiro.

    ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS (1982). NBR 7186 - Bloco vazado de concreto simples para alvenaria com funo estrutural. Rio de Janeiro.

    ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS (1985).NBR 8798 - Execuo e controle de obras em alvenaria estrutural de blocos vazados de concreto. Rio de Janeiro.

    Referncias BibliogrReferncias Bibliogrficas:ficas:

    IntroduIntroduoo

    Alvenaria Alvenaria Sistema construtivo racionalizado, Sistema construtivo racionalizado, de custo inferior a maioria das alternativas de de custo inferior a maioria das alternativas de mesma qualidade e consolidado em muitas obras, mesma qualidade e consolidado em muitas obras, algumas prontas a cerca de 30 anos.algumas prontas a cerca de 30 anos.

    No sistema construtivo com alvenaria estrutural, No sistema construtivo com alvenaria estrutural, as paredes no tero mais somente as funas paredes no tero mais somente as funes de es de vedavedao. Elas sero a estrutura da edificao. Elas sero a estrutura da edificao. As o. As lajes se aplajes se apiam diretamente sobre elas, sem vigas iam diretamente sobre elas, sem vigas ou pilares.ou pilares.

  • 4ConceituaConceituaoo

    Processo construtivo com grande POTENCIAL Processo construtivo com grande POTENCIAL DE RACIONALIZADE RACIONALIZAOO

    Simplicidade de ORGANIZASimplicidade de ORGANIZAO e execuO e execuo do o do ProcessoProcesso

    RacionalizaRacionalizao construtiva o construtiva aplicaaplicao mais o mais eficiente dos recursos em todas as atividades eficiente dos recursos em todas as atividades desenvolvidas para a construdesenvolvidas para a construo do edifo do edifcio.cio.

    HistHistricoricoEntre as mais antigas formas de construEntre as mais antigas formas de construo o empregadas pelo homemempregadas pelo homem..

    AntigAntigidade idade HabitaHabitaes, monumentos e es, monumentos e templos religiosos.templos religiosos.

    Pirmide de QuePirmide de Queps ps 2 2 milhes de blocos de milhes de blocos de pedra.pedra.

  • 5HistHistricorico

    Na Idade MNa Idade Mdia foram dia foram construconstrudas pontes, das pontes,

    castelos e catedrais, jcastelos e catedrais, jcom a utilizacom a utilizao o

    empemprica dos arcos de rica dos arcos de pedra. Paredes de 2,0 a pedra. Paredes de 2,0 a

    2,5 m de espessura.2,5 m de espessura.

    HistHistricorico

    Na Idade Moderna, em Na Idade Moderna, em 1890 foi constru1890 foi construdo em do em

    Chicago o EdifChicago o Edifcio cio MonadnockMonadnock de 16 de 16

    andares com andares com paredes de paredes de 1,83 m1,83 m

  • 6HistHistricorico

    So projetadas empiricamenteSo projetadas empiricamente

    -- TTcnicas passadas de geracnicas passadas de gerao para gerao para geraoo

    -- AvanAvanos com base na experincia anterioros com base na experincia anterior

    -- Isto ocorre atIsto ocorre at os dias atuaisos dias atuais

    HistHistricorico

    Desenvolvimento industrial Desenvolvimento industrial aparecimento do aparecimento do aao como material de construo como material de construo e o surgimento o e o surgimento do concreto armado em grande escalado concreto armado em grande escala

    Alvenaria Alvenaria deixou de ser o principal material, deixou de ser o principal material, substitusubstituda pela versatilidade, esbeltez, da pela versatilidade, esbeltez, possibilidade de maiores vos e liberdade possibilidade de maiores vos e liberdade arquitetnica que tanto o aarquitetnica que tanto o ao como o concreto o como o concreto proporcionam. (1900proporcionam. (1900--1960)1960)

  • 7HistHistricorico

    DDcada de 50 cada de 50 nnovo impulso.ovo impulso.Europa o ressurgimento da alvenaria estrutural Europa o ressurgimento da alvenaria estrutural agora com novos materiais , aproveitando todas as agora com novos materiais , aproveitando todas as suas possibilidades de ser uma estrutura de suas possibilidades de ser uma estrutura de suporte e tambsuporte e tambm de fechamento , com as m de fechamento , com as conseqconseqentes entes reduredues de custo da obra finales de custo da obra final. .

    HistHistricoricoEuropa Europa alvenaria no armadaalvenaria no armadaEstados Unidos Estados Unidos para a para a alvenaria armadaalvenaria armadaDesta Desta poca so caracterpoca so caractersticos um prsticos um prdio de 13 dio de 13 andares na Suandares na Sua com paredes internas de 15 cm a com paredes internas de 15 cm e externas de 37,5 cm (1951).e externas de 37,5 cm (1951).

    VVrios edifrios edifcios de atcios de at 18 andares com paredes 18 andares com paredes de 15 cm em toda a Europa, sempre com a de 15 cm em toda a Europa, sempre com a alvenaria no armada. alvenaria no armada.

  • 8HistHistricoricoA partir dos anos 60 ocorre a disseminaA partir dos anos 60 ocorre a disseminao da o da alvenaria estrutural:alvenaria estrutural:

    -- IntensificaIntensificao das pesquisas na o das pesquisas na rea;rea;

    -- CriaCriao de teorias fundamentadas em extensas o de teorias fundamentadas em extensas bases experimentais;bases experimentais;

    -- EsforEsforos de engenheiros e projetistas em grandes os de engenheiros e projetistas em grandes realizarealizaes em alvenaria;es em alvenaria;

    -- Progressos na fabricaProgressos na fabricao de materiais;o de materiais;

    -- Progressos nas tProgressos nas tcnicas de execucnicas de execuo.o.

    HistHistricorico

    AtAt hoje os edifhoje os edifcios de alvenaria tanto na cios de alvenaria tanto na Europa como nos Estados Unidos variam de Europa como nos Estados Unidos variam de 12 a 12 a 22 pavimentos22 pavimentos. O limite te. O limite terico para o sistema rico para o sistema estest entre 30 e 40 pavimentos, dependendo muito entre 30 e 40 pavimentos, dependendo muito do materialdo material

    Se o Se o MonadnockMonadnock fosse erguido hoje ele possuiria fosse erguido hoje ele possuiria paredes de 30 cm na sua base.paredes de 30 cm na sua base.

  • 9HistHistrico no Brasilrico no Brasil

    1972 1972 Central Central Parque da LAPA (12 Parque da LAPA (12

    Pavimentos) Pavimentos) Tecnologia EUATecnologia EUA

    1966 1966 -- foi introduzidafoi introduzida

    --Central Central PqPq da Lapada Lapa

    -- EdifEdifcios de 4 cios de 4 pavpav

    HistHistrico no Brasilrico no Brasil

    Por muitos anos a alvenaria estrutural foi pouco Por muitos anos a alvenaria estrutural foi pouco utilizada utilizada preconceito, maior dompreconceito, maior domnio da nio da tecnologia do concreto armado por parte de tecnologia do concreto armado por parte de construtores e projetistas e pouca divulgaconstrutores e projetistas e pouca divulgao do o do assunto nas universidades durante o processo de assunto nas universidades durante o processo de formaformao do profissional. o do profissional.

  • 10

    HistHistricoricoNo inNo incio dos anos 80 a alvenaria estrutural cio dos anos 80 a alvenaria estrutural disseminada com a construdisseminada com a construo dos conjuntos o dos conjuntos habitacionaishabitacionais

    -- Reconhecida como processo construtivo bastante Reconhecida como processo construtivo bastante eficiente e racional;eficiente e racional;

    -- Existe ainda uma grande lacuna, principalmente Existe ainda uma grande lacuna, principalmente na tna tcnica de construcnica de construo;o;

    -- Patologias so comuns;Patologias so comuns;

    -- tida como processo para tida como processo para baixa rendabaixa renda..

    HistHistrico no Brasilrico no Brasil

    1990 1990 crescente conscientizacrescente conscientizao de que o de que poderpoderamos aperfeiamos aperfeioar a alvenaria estrutural, oar a alvenaria estrutural, buscando conseguir um perfeito resultado final para buscando conseguir um perfeito resultado final para a obra com a tradicional a obra com a tradicional redureduo de custoso de custos que este que este sistema alcansistema alcana. a.

    EncolEncol, com as consultorias da , com as consultorias da TecsofTecsof (So Carlos) e (So Carlos) e WendlerWendler Projetos (Campinas) na Projetos (Campinas) na rea de estruturas, rea de estruturas, resultou um mresultou um mtodo construtivo em alvenaria no todo construtivo em alvenaria no armada para atarmada para at 08 pavimentos, depois estendido at08 pavimentos, depois estendido at10 pavimentos10 pavimentos . .

  • 11

    HistHistrico no Brasilrico no Brasil

    Estado AtualEstado Atual

    PrPrdios usuais ( o tradicional H ), podemos observar dios usuais ( o tradicional H ), podemos observar alguns limites malguns limites mdios :dios :

    -- alvenaria no armada com paredes amarradas : alvenaria no armada com paredes amarradas : 8 8 pavpav-- alvenaria estrutural com alvenaria estrutural com FbkFbk de 8 Mpa : de 8 Mpa : 10 10 pavpav-- alvenaria estrutural com alvenaria estrutural com FbkFbk de 12 Mpa : de 12 Mpa : 13 13 pavpav-- alvenaria estrutural com alvenaria estrutural com FbkFbk de 15 Mpa : de 15 Mpa : 18 18 pavpav-- limite do aparecimento de tenses de tralimite do aparecimento de tenses de trao : o : 11 a 12 11 a 12 pavimentospavimentos-- limite com paredes de blocos com 14 cm : limite com paredes de blocos com 14 cm : 17 a 20 17 a 20 pavimentospavimentos

  • 12

    Principais vantagensPrincipais vantagens

    ECONOMIAECONOMIA -- Os nOs nmeros so muito varimeros so muito variveis, mas veis, mas ficam entre 15 e 20 % do custo da estrutura da obra.ficam entre 15 e 20 % do custo da estrutura da obra.

    Fatores que levam a esta economia:Fatores que levam a esta economia:

    99 redureduo das formas,o das formas,99 redureduo do no do nmero de especialidades de momero de especialidades de mo--dede--obra,obra,99 redureduo dos revestimentos,o dos revestimentos,99 redureduo da armao da armao,o,99 redureduo de desperdo de desperdcios.cios.

    Principais VantagensPrincipais VantagensRAPIDEZRAPIDEZ -- A obra de alvenaria A obra de alvenaria mais rmais rpida, limpa e pida, limpa e segura segura

    RACIONALIZARACIONALIZAOO -- O sistema construtivo induz a O sistema construtivo induz a racionalizaracionalizao de uma so de uma srie de outras atividades como rie de outras atividades como por exemplo as instalapor exemplo as instalaes eles eltricas e hidrtricas e hidrulicas ulicas

    Menor diversidade de materiaisMenor diversidade de materiais

    Facilidade de controleFacilidade de controle

    EliminaEliminao de interfernciaso de interferncias

  • 13

    Principais VantagensPrincipais VantagensFacilidade de integraFacilidade de integrao com outros subsistemas:o com outros subsistemas:

    -- Lajes prLajes pr--moldadasmoldadas

    -- Vergas prVergas pr--moldadasmoldadas

    Facilidade de organizaFacilidade de organizao do Processo de o do Processo de ProduProduoo

    Principais DesvantagensPrincipais DesvantagensImpede a execuImpede a execuo de reformas que alterem a o de reformas que alterem a disposidisposio das paredes estruturais.o das paredes estruturais.

    A concepA concepo estrutural pode acabar condicionando o estrutural pode acabar condicionando o projeto arquitetnico.o projeto arquitetnico.

    A alvenaria no admite improvisaA alvenaria no admite improvisaes do tipo:es do tipo:

    depois tira na massadepois tira na massa

    Faz e quebraFaz e quebra

    na obra a gente v o que fazna obra a gente v o que faz

  • 14

    Principais DesvantagensPrincipais Desvantagens

    Para se conseguir as vantagens Para se conseguir as vantagens necessnecessrio que se rio que se encare de forma sistmica:encare de forma sistmica:

    -- PROJETO bem estudado e elaborado;PROJETO bem estudado e elaborado;

    -- MATERIAIS com qualidade assegurada;MATERIAIS com qualidade assegurada;

    -- MoMo--dede--obra TREINADA e supervisionada;obra TREINADA e supervisionada;

    -- Obra organizada e PLANEJADA.Obra organizada e PLANEJADA.

    Principais CuidadosPrincipais Cuidados

    TreinamentoTreinamento da mo de obra e cuidados extras de da mo de obra e cuidados extras de fiscalizafiscalizao. A alvenaria estrutural exige uma o. A alvenaria estrutural exige uma execuexecuo bem mais cuidadosa.o bem mais cuidadosa.

    InteraInterao entre os projetistas ( arquitetura, estrutura o entre os projetistas ( arquitetura, estrutura e instalae instalaes ).es ).

    Para atingirmos uma maior economia devemos Para atingirmos uma maior economia devemos coordenar os projetoscoordenar os projetos desde o seu indesde o seu incio cio

  • 15

    Principais Parmetros a Serem Principais Parmetros a Serem Considerados para AdoConsiderados para Adoo do Sistemao do Sistema

    Casos usuais Casos usuais acracrscimo de custo para a produscimo de custo para a produo o da AE compensa com folga a economia que se da AE compensa com folga a economia que se obtobtm com a retirada dos pilares e vigas.m com a retirada dos pilares e vigas.

    NecessNecessrio observar alguns detalhes importantes rio observar alguns detalhes importantes para que a situapara que a situao no se inverta.o no se inverta.

    Principais Parmetros a Serem Principais Parmetros a Serem Considerados para AdoConsiderados para Adoo do Sistemao do Sistema

    a)a)Altura da EdificaAltura da Edificaoo-- Resistncia dos blocosResistncia dos blocos

    -- Aumento significativo do nAumento significativo do nmero de grautes mero de grautes (esfor(esforos horizontais)os horizontais)

    b) Arranjo Arquitetnicob) Arranjo Arquitetnico-- Densidade de paredes (0,5 a 0,7 m de paredes Densidade de paredes (0,5 a 0,7 m de paredes

    estruturais por mestruturais por m22))

    c) Tipo de usoc) Tipo de uso

  • 16

    DefiniDefinies Preliminareses Preliminares

    Alvenaria No Armada (NBR:10837)Alvenaria No Armada (NBR:10837)

    aquela construaquela construda com blocos vazados de da com blocos vazados de concreto, assentados com argamassa, e que contconcreto, assentados com argamassa, e que contm m armaduras com finalidade construtiva ou de armaduras com finalidade construtiva ou de amarraamarrao, no sendo esta o, no sendo esta ltima considerada na ltima considerada na absorabsoro dos esforo dos esforos calculadosos calculados. .

    DefiniDefinies Preliminareses Preliminares

    Alvenaria Armada (NBR:10837)Alvenaria Armada (NBR:10837)

    aquela construaquela construda com blocos vazados de da com blocos vazados de concreto, assentados com argamassa, na qual certas concreto, assentados com argamassa, na qual certas cavidades so preenchidas continuamente com cavidades so preenchidas continuamente com graute, contendo armaduras envolvidas o suficiente graute, contendo armaduras envolvidas o suficiente para absorver os esforpara absorver os esforos calculados, alos calculados, alm daquelas m daquelas armaduras com finalidade construtiva ou de armaduras com finalidade construtiva ou de amarraamarraoo..

  • 17

    DefiniDefinies Preliminareses Preliminares

    Alvenaria Parcialmente Armada (NBR:10837)Alvenaria Parcialmente Armada (NBR:10837)

    aquela em que algumas paredes so construaquela em que algumas paredes so construdas das segundo as recomendasegundo as recomendaes da alvenaria armada, es da alvenaria armada, com blocos vazados de concreto, assentados com com blocos vazados de concreto, assentados com argamassa, e que contargamassa, e que contm armaduras localizadas em m armaduras localizadas em algumas cavidades so preenchidas com graute, algumas cavidades so preenchidas com graute, para resistir aos esforpara resistir aos esforos calculados, alos calculados, alm daquelas m daquelas armaduras com finalidade construtiva ou de armaduras com finalidade construtiva ou de amarraamarraoo..

    DefiniDefinies Preliminareses Preliminares

    RecomendaRecomenda--se se o uso da alvenaria noo uso da alvenaria no--armada armada sempre que posssempre que possvel, pois no se tm sismos no vel, pois no se tm sismos no papas, tomando o cuidado de no apenas absorver a s, tomando o cuidado de no apenas absorver a traditradio americana .o americana .

    consenso entre construtores que um edifconsenso entre construtores que um edifcio em cio em alvenaria estrutural noalvenaria estrutural no--armada pode ficar mais armada pode ficar mais econmico que o mesmo executado em estrutura econmico que o mesmo executado em estrutura convencional.convencional.

  • 18

    DefiniDefinies Preliminareses Preliminares

    A armaA armao de paredes o de paredes sempre necesssempre necessria quando ria quando as tenses de traas tenses de trao superam os valores o superam os valores admissadmissveis indicados na ABNTveis indicados na ABNT (NBR:10837), (NBR:10837), que so relativamente baixos.que so relativamente baixos.

    Em geral, as armaduras so utilizadas nos prEm geral, as armaduras so utilizadas nos prdios dios mais elevados, onde as amais elevados, onde as aes horizontais es horizontais provenientes do vento e do desaprumo so mais provenientes do vento e do desaprumo so mais significativas significativas

    Componentes da AlvenariaComponentes da Alvenaria

    Bloco, argamassa, Bloco, argamassa, grautegraute e armadura.e armadura.

    bkF 4,5MPaBlocoBloco

    Argamassa Argamassa solidarizar os blocos, transmitir e solidarizar os blocos, transmitir e uniformizar as tenses, absorver pequenas uniformizar as tenses, absorver pequenas deformadeformaes e prevenir a entrada de vento e es e prevenir a entrada de vento e gua gua nas edificanas edificaeses..

  • 19

    Componentes da AlvenariaComponentes da Alvenaria

    GrauteGraute concreto com agregados de pequena concreto com agregados de pequena dimenso e relativamente fludimenso e relativamente fludo.do.

    Aumentar a Aumentar a rea da serea da seo transversal dos blocos o transversal dos blocos ou promover a ou promover a solidarizasolidarizaoo entre a armadura e os entre a armadura e os blocosblocos..

    Conjunto: bloco + Conjunto: bloco + grautegraute + armadura + armadura trabalham monoliticamente (CA)trabalham monoliticamente (CA)

    Armadura = CA (envolvidas por Armadura = CA (envolvidas por grautegraute))

    Conceitos BConceitos Bsicossicos

    Unidade (bloco) Unidade (bloco) o componente bo componente bsico da sico da alvenaria.alvenaria.

    Trs dimenses Trs dimenses comprimento/largura/alturacomprimento/largura/altura

    Comprimento e largura Comprimento e largura mmdulo horizontal ou dulo horizontal ou em plantaem planta

    Altura Altura mmdulo vertical (elevadulo vertical (elevaes)es)

  • 20

    Conceitos BConceitos Bsicossicos

    Comprimento e a largura mComprimento e a largura mltiplos ltiplos amarraamarrao o simplificada.simplificada.

    Modular = acertar suas dimenses em planta e Modular = acertar suas dimenses em planta e tambtambm o pm o p--direito da edificadireito da edificao, em funo, em funo das o das dimenses das unidades, de modo a no dimenses das unidades, de modo a no necessitar, ou pelo menos se reduzir necessitar, ou pelo menos se reduzir drasticamente, cortes ou ajustes necessdrasticamente, cortes ou ajustes necessrios a rios a execuexecuo das paredes.o das paredes.

    ModulaModulao o ImportnciaImportncia

    Procedimento fundamental Procedimento fundamental Economia e Economia e racionalizaracionalizao.o.

    Dimenses no moduladas Dimenses no moduladas blocos no devem blocos no devem ser cortados ser cortados enchimentos resultantes levaro a enchimentos resultantes levaro a um custo maior e uma racionalidade menor para a um custo maior e uma racionalidade menor para a obra em questo.obra em questo.

    Maior custo Maior custo momo--dede--obra para a execuobra para a execuo dos o dos enchimentos e no prenchimentos e no prprio dimensionamento das prio dimensionamento das paredes (isoladas).paredes (isoladas).

  • 21

    ModulaModulao o ImportnciaImportncia

    Obra em AE que se pretenda RACIONALIZADAObra em AE que se pretenda RACIONALIZADA

    Todas as suas dimenses devem ser moduladas.Todas as suas dimenses devem ser moduladas.

    Ajustes atAjustes at podem ser realizados, mas em podem ser realizados, mas em pouqupouqussimos pontos e apenas sob condissimos pontos e apenas sob condies es muito particulares.muito particulares.

    ModulaModulao o Tipo de BlocoTipo de Bloco

    CaracterCaractersticas dos materiais e produtos existentes sticas dos materiais e produtos existentes no mercado onde serno mercado onde ser construconstrudo o edifdo o edifcio.cio.

    Existem os blocos cermicos, os Existem os blocos cermicos, os blocos de blocos de concretoconcreto, os blocos , os blocos sslicolico--calccalcreosreos , os blocos de , os blocos de concreto celular, com as mais variadas dimenses concreto celular, com as mais variadas dimenses e resistncias. e resistncias.

    No Brasil No Brasil Blocos de concreto/cermicoBlocos de concreto/cermicoNorma de cNorma de clculo e execulculo e execuo o ConcretoConcretoCermico Cermico BS 5628/78 (mais leves)BS 5628/78 (mais leves)

  • 22

    ModulaModulao o Tipo de ModulaTipo de Modulaoo

    ModulaModulao M20o M20

    ModulaModulao o Tipo de ModulaTipo de Modulaoo

    ModulaModulao M15o M15

  • 23

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

    Amarrar duas ou mais paredes que se encontremAmarrar duas ou mais paredes que se encontrem

    Garantir a transmisso de aGarantir a transmisso de aes de uma parede es de uma parede para outra, o que alivia uma parede mais para outra, o que alivia uma parede mais carregada e acrescenta tenses numa menos carregada e acrescenta tenses numa menos carregada.carregada.

    UniformizaUniformizao o Economia (resistncia dos blocos)Economia (resistncia dos blocos)

    PrevenPreveno do colapso progressivo o do colapso progressivo caminhos caminhos alternativos para transferncia de foralternativos para transferncia de forasas

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

    AmarraAmarrao diretao direta

  • 24

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

    AmarraAmarrao por seqo por seqncia de fiadasncia de fiadas

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

    AmarraAmarrao por bloco e meio (44 ou 54)o por bloco e meio (44 ou 54)

  • 25

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

    A seqA seqncia de fiadas foi elaborada de tal forma que ncia de fiadas foi elaborada de tal forma que uma junta a prumo no persista em um mesmo uma junta a prumo no persista em um mesmo alinhamento vertical por mais de trs fiadas alinhamento vertical por mais de trs fiadas consecutivas. consecutivas.

    SeqSeqncia de fiadas ncia de fiadas 4 fiadas diferentes (trabalho 4 fiadas diferentes (trabalho no projeto e na obra). no projeto e na obra).

    Bloco e meio Bloco e meio 2 fiadas diferentes 2 fiadas diferentes ligaligaes mais es mais eficientes (desvantagem = peso). Nem sempre os eficientes (desvantagem = peso). Nem sempre os fabricantes fornecem esse tipo de bloco.fabricantes fornecem esse tipo de bloco.

    SeqSeqncia de fiadas ncia de fiadas 1a fiada 1a fiada

  • 26

    SeqSeqncia de fiadas ncia de fiadas 2a fiada 2a fiada

    Bloco e meio Bloco e meio 1a fiada 1a fiada

  • 27

    Bloco e meio Bloco e meio 2a fiada 2a fiada

    Em determinadas ocasies no se consegue fazer Em determinadas ocasies no se consegue fazer a modulaa modulao com todas as paredes amarradas, o com todas as paredes amarradas, ocasionando com isto algumas juntas a prumo ocasionando com isto algumas juntas a prumo (JP) devido (JP) devido s dimenses da arquitetura no s dimenses da arquitetura no serem compatserem compatveis com a modulaveis com a modulao. o.

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

    Nestes casos, a ABNTNestes casos, a ABNT (NBR:10837) recomenda (NBR:10837) recomenda a amarraa amarrao indireta para as paredes (barras o indireta para as paredes (barras metmetlicas).licas).

  • 28

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

  • 29

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

    Junta a prumo Junta a prumo unio de paredes estruturais com unio de paredes estruturais com paredes noparedes no--estruturais.estruturais.

    DisposiDisposio no mo no mnimo a cada trs fiadas, de nimo a cada trs fiadas, de armaduras horizontais na argamassa nos locais de armaduras horizontais na argamassa nos locais de unio das paredes, com o objetivo de se evitarem unio das paredes, com o objetivo de se evitarem fissuras nessas regies. Existe tambfissuras nessas regies. Existe tambm a opm a opo de se o de se utilizarem telas metutilizarem telas metlicas na junta de assentamento, licas na junta de assentamento, que so mais eficientes.que so mais eficientes.

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

    Segundo a ABNTSegundo a ABNT (NBR:10837), item 5.4.3.1.3, o (NBR:10837), item 5.4.3.1.3, o dimetro desta armadura no deve exceder a metade dimetro desta armadura no deve exceder a metade da espessura da camada de argamassa (1,0da espessura da camada de argamassa (1,0 cm) na cm) na qual a barra estqual a barra est colocada, ou seja, dimetro mcolocada, ou seja, dimetro mximo ximo 55 mm.mm.

  • 30

    ModulaModulao o AmarraAmarrao de Paredeso de Paredes

    ModulaModulao o Sem AmarraSem Amarrao de Paredeso de Paredes

    Ml

    tiplo

    de

    20 c

    m

    Ml

    tiplo

    de

    20 c

    m +

    5 c

    m

    Ml

    tiplo

    de

    20 c

    m +

    10

    cm

    Bloco de 14 x 39 cm

    FIG 1 - POSIO RELATIVA DOS BLOCOS NOS CANTOS DAS PAREDES

  • 31

    ModulaModulao o Tipo de ModulaTipo de ModulaooExemploExemplo

    ModulaModulao o Tipo de ModulaTipo de ModulaooM15M15

  • 32

    ModulaModulao o Tipo de ModulaTipo de ModulaooM20M20

    ModulaModulao Verticalo Vertical

  • 33

    ModulaModulao o SimetriaSimetria

    EdifEdifcios de planta simcios de planta simtrica trica mmodulaodula--se metade do se metade do pavimento e rebatepavimento e rebate--se no outro lado, ajustando os se no outro lado, ajustando os pontos de encontro das duas partes. pontos de encontro das duas partes.

    EdifEdifcios de 4 apartamentos por andar cios de 4 apartamentos por andar podepode--se fazer se fazer a modulaa modulao de apenas um deles e rebateo de apenas um deles e rebate--ll duas vezes duas vezes para obter os demais, fazendo pequenos ajustes nas para obter os demais, fazendo pequenos ajustes nas regies de escada, elevadores e hall. regies de escada, elevadores e hall.

    ModulaModulao o SimetriaSimetriaParede central do pavimentoParede central do pavimento

  • 34

    Cordes de ArgamassaCordes de Argamassa

    Segundo a ABNTSegundo a ABNT (NBR:8798), a argamassa deve ser (NBR:8798), a argamassa deve ser aplicada em todas as paredes do bloco para formaaplicada em todas as paredes do bloco para formao o da junta horizontal, e em dois cordes verticais nos da junta horizontal, e em dois cordes verticais nos bordos de uma das extremidades do bloco para bordos de uma das extremidades do bloco para formaformao da junta vertical. o da junta vertical.

    O no preenchimento dos septos transversais das O no preenchimento dos septos transversais das juntas de assentamento implica na redujuntas de assentamento implica na reduo da o da resistncia resistncia compresso e ao cisalhamento da compresso e ao cisalhamento da alvenaria.alvenaria.

    Cordes de ArgamassaCordes de Argamassa

    DeveDeve--se ressaltar o fato da reduse ressaltar o fato da reduo de resistncia e de o de resistncia e de eficincia advinda deste procedimento e de que os eficincia advinda deste procedimento e de que os prismas, neste caso, devem ser executados nas prismas, neste caso, devem ser executados nas mesmas condimesmas condies da parede. es da parede.

    Tenses admissTenses admissveis veis compresso devero ser compresso devero ser minorados em 25% minorados em 25% -- TECMOLDTECMOLD (1997)(1997)

  • 35

    Cordes de ArgamassaCordes de Argamassa

    Vantagens:Vantagens:

    ReduReduo do tempo de execuo do tempo de execuo da obrao da obra

    ReduReduo no consumo dos materiaiso no consumo dos materiais

    ReduReduo da fissurao da fissurao provocada por deformao provocada por deformaes es intrintrnsecas (retransecas (retrao, deformao, deformao to trmica,..)rmica,..)

    Juntas verticais Juntas verticais no preenchimento gera vantagens no preenchimento gera vantagens e desvantagens.e desvantagens.

    Cordes de ArgamassaCordes de Argamassa

    Desvantagens:Desvantagens:

    Falhas durante o revestimento da paredeFalhas durante o revestimento da parede

    Os resultados dos ensaios com os prismas deram Os resultados dos ensaios com os prismas deram valores de resistncia ao cisalhamento em torno de valores de resistncia ao cisalhamento em torno de 20% menores20% menores

    FissuraFissurao nas paredes sob a laje de coberturao nas paredes sob a laje de cobertura

  • 36

    Cordes de ArgamassaCordes de Argamassa

    Portanto, baseado no que foi exposto, recomendaPortanto, baseado no que foi exposto, recomenda--se se preencher, sempre que for necesspreencher, sempre que for necessrio em funrio em funo da o da resistncia da parede, as juntas verticais e os septos resistncia da parede, as juntas verticais e os septos transversais das juntas horizontais de argamassa, transversais das juntas horizontais de argamassa, quando do assentamento dos blocos estruturais quando do assentamento dos blocos estruturais

    Passagem das tubulaPassagem das tubulaeses

    As instalaAs instalaes eles eltricas, de telefone, de TV e de tricas, de telefone, de TV e de interfone passam, em sua maioria, dentro dos vazados interfone passam, em sua maioria, dentro dos vazados verticais dos blocos estruturais e pelas lajes.verticais dos blocos estruturais e pelas lajes.

    essencial, em termos de racionalizaessencial, em termos de racionalizao construtiva, o construtiva, que estas instalaque estas instalaes no exijam o rasgamento das es no exijam o rasgamento das paredes paredes -- FRANCOFRANCO etet alal (1991). (1991).

    Um procedimento simples e seguro Um procedimento simples e seguro descontar as descontar as partes da parede por onde passam os cortes verticais. partes da parede por onde passam os cortes verticais. RecomendaRecomenda--se tambse tambm evitar os cortes horizontais e m evitar os cortes horizontais e diagonais sempre.diagonais sempre.

  • 37

    Passagem das tubulaPassagem das tubulaeses

    Problema de passagem das tubulaProblema de passagem das tubulaes em alvenaria es em alvenaria estrutural so as instalaestrutural so as instalaes es hidrohidro--sanitsanitriasrias dimetros maiores e problemas de vazamento ou dimetros maiores e problemas de vazamento ou qualquer outro que requeira manutenqualquer outro que requeira manuteno. o.

    importante salientar que eventuais necessidades de importante salientar que eventuais necessidades de cortes para manutencortes para manuteno em caso de vazamento podero em caso de vazamento poderatingir a integridade das paredes e alterar sua funatingir a integridade das paredes e alterar sua funo o estrutural. estrutural.

    Passagem das tubulaPassagem das tubulaeses

    Projeto das instalaProjeto das instalaes es hidrohidro--sanitsanitriasrias deve prever o deve prever o embutimentoembutimento da forma mais racionalizada possda forma mais racionalizada possvel vel solusolues para sua localizaes para sua localizao: paredes noo: paredes no--estruturais, estruturais, shaftsshafts hidrhidrulicos, enchimentos, ulicos, enchimentos, sancassancas, forros , forros falsos, etc. falsos, etc.

    Paredes noParedes no--estruturais estruturais no faro parte da no faro parte da estrutura do edifestrutura do edifcio. Nestas paredes cio. Nestas paredes permitida a permitida a execuexecuo de rasgos para o o de rasgos para o embutimentoembutimento das das tubulatubulaes. (desvantagens).es. (desvantagens).

  • 38

    Passagem das tubulaPassagem das tubulaeses

    ShaftsShafts hidrhidrulicos ulicos

    Shaft

    Passagem das tubulaPassagem das tubulaesesEnchimento Enchimento

  • 39

    Passagem das tubulaPassagem das tubulaeses

    SancaSanca

    Passagem das tubulaPassagem das tubulaeses

    A escolha da melhor soluA escolha da melhor soluo para a passagem das o para a passagem das instalainstalaes es hidrohidro--sanitsanitriasrias constitui uma deciso constitui uma deciso de cada projeto, em funde cada projeto, em funo das condicionantes e o das condicionantes e fatores intervenientes gerais de cada fatores intervenientes gerais de cada empreendimento.empreendimento.

  • 40

    Elementos prElementos pr--moldados moldados -- LajesLajes

    Lajes prLajes pr--moldadas com capa de concreto moldadas com capa de concreto capa de capa de concreto, moldada no local, fica com a concreto, moldada no local, fica com a responsabilidade de efetuar a transferncia do responsabilidade de efetuar a transferncia do cisalhamento da laje para as paredes.cisalhamento da laje para as paredes.

    AAo do vento significativa o do vento significativa conveniente utilizar conveniente utilizar lajes macilajes macias, rigidez transversal suficiente para as, rigidez transversal suficiente para garantir o seu funcionamento como diafragma, ou garantir o seu funcionamento como diafragma, ou seja, transferir os esforseja, transferir os esforos horizontais atuantes na os horizontais atuantes na construconstruo o s paredes s paredes portantesportantes..

    Elementos prElementos pr--moldados moldados -- EscadasEscadasEscadas podem ser moldadas inEscadas podem ser moldadas in--loco ou prloco ou pr--moldadasmoldadas

  • 41

    Elementos prElementos pr--moldados moldados -- EscadasEscadas

    Elementos prElementos pr--moldados moldados -- EscadasEscadas

  • 42

    Elementos prElementos pr--moldados moldados Vergas Vergas

    Segundo a Segundo a ABNTABNT (NBR:10837), (NBR:10837), denominadenomina--se verga o se verga o

    elemento estrutural elemento estrutural colocado sobre vos de colocado sobre vos de aberturas no maiores aberturas no maiores que 1,20que 1,20 m, a fim de m, a fim de

    transmitir cargas transmitir cargas verticais para as paredes verticais para as paredes

    adjacentes aos vos.adjacentes aos vos.

    Elementos prElementos pr--moldados moldados Vergas Vergas

  • 43

    Cintas Cintas

    As cintas so fiadas compostas por blocos canaleta As cintas so fiadas compostas por blocos canaleta preenchidos com graute e armadura. preenchidos com graute e armadura.

    FunFuno das cintas o das cintas dar travamento ao prdar travamento ao prdio como dio como um todo, transmitir a reaum todo, transmitir a reao da laje o da laje alvenaria, alvenaria, uniformizandouniformizando--a, e combater efeitos provocados por a, e combater efeitos provocados por variavariaes volumes volumtricas (retratricas (retrao, variao, variao de o de temperatura e efeitos higrosctemperatura e efeitos higroscpicos).picos).

    IndicaIndica--se se abaixo da laje em todas as paredes e a abaixo da laje em todas as paredes e a meia altura, em especial nas paredes externas, por meia altura, em especial nas paredes externas, por estarem expostas estarem expostas s intemps intempries.ries.

    Cintas Cintas

    As cintas em geral no so As cintas em geral no so calculadas, admitindocalculadas, admitindo--as as

    de altura igual a um bloco de altura igual a um bloco canaleta e armadura canaleta e armadura

    construtiva, que pode ser, construtiva, que pode ser, por exemplo, por exemplo,

    11 10,010,0 mmmm corrido ou corrido ou 22 8,08,0 mmmm corridos.. corridos..

    armadura

    armadura

  • 44

    Cintas Cintas

    Cintas Cintas

  • 45

    IteraIterao de Projetoso de Projetos

    O projeto de alvenaria pressupe a integraO projeto de alvenaria pressupe a integrao perfeita o perfeita entre todos os projetos que passam a forma um sentre todos os projetos que passam a forma um sprojeto sob a coordenaprojeto sob a coordenao preferencial do arquiteto.o preferencial do arquiteto.