Direito Trabalho

  • View
    3

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

resumo direito de trabalho

Transcript

Direito trabalho.

Macete direito trabalho Requisito da relao de emprego:OPuFf NEga ter cON-SUmidoLcool

PF-PessoaFsicaNE-NoEventualidadeON-ONerosidadeSU-SUbordinaoALAlteridade ouOu Tem outra.... Vamos tomar um SHOP?!SubordinaoHabitualidadeOnerosidadePessoalidadeArt 644 so rgo da justia do trabalho.1. TST2. TRT3. Juzes de direito.

VarasJurisdio exercida por um juiz singular.TRT.Tribunal competente no julgamento de recursos ordinrios conta decises das varas, agravos de instrumentos, aes originarias(dissdios coletivos de sindicatos patronais ou de trabalhadores, mandatos de segurana, aes rescisrias do TRT ou das varas.So 24 TRTs no pais. Os juzes so nomeados pelo presidente da republica, e o n varia conforme o n processos a necessidade da regio, os TRT enviam a lista trplice para presidente escolher. Os TRT devem ter no mnimo 7 juzes, e os que possuem mais de 25 podem constituir rgo especial, com min11 e Max 25 membros. Os TRT que possuem 8 juzes devem ter presidente e vice. Em TRT maiores h o corregedor e vice.TST.Tem a funo de uniformizar a jurisprudncia trabalhista, julgando os recursos de revista,recursos ordinrios e agravo de instrumento contra decises de TRTs e dissdios coletivos de categorias organizadas em nvel nacional, mandados de segurana,embargos opostos e suas decises e aes rescisrias.E composto por 27 juzes, com idade entre 35 a 65 anos, nomeados pelo presidente com aprovao de maioria absoluta do senado. Sendo 1/5 destes advogados com 10 anos de carreira efetiva e tambm membros do ministrio publico do trabalho com 10 anos de carreira. Os demais juzes do TRT indicados pelo TST.rgos auxiliares.Secretaria: as varas possuem uma secretaria, que recebe as peties, faz autuaes e demais servios, determinados pelo juiz presidente.algumas competncias so: registro de decises, manuteno de protocolo de entrada e sada dos processos e demais papeis, informaes as partes interessadas etc.Oficiais de justia: fazem citaes nas execues, mas podem ser tambm notificar testemunhas, traz-las a juzo,ou fazer citaes nos processos de conhecimento onde haja problemas com endereamento,eles tem 9 dias para o cumprimento do mandado.Distribuidor: havendo mais de uma vara na localidade haver distribuidor, onde feita a distribuio de processos, podem fornecer certido ou recibos de distribuio, no tribunal a distribuio, que visa distribuir o mesmo n de processos para cada juiz.Contadoria: faz os clculos de juros e correes monetrias, e outras atividades determinadas pelo juiz.Competncia.Conceito: jurisdio atribuda a cada juiz dentro de sua rea localidade, para emitir suas decises. A competncia dividida em relao a matria as pessoas lugar e funcional: Competncia em razo das pessoas: competncia em julgar as controvrsias entre trabalhadores e empregadores envolvidos diretamente. Abrange todo tipo de trabalhador CLT. Competncia em razo da matria: vem dizer se os tipos de questes podem ser apreciados pela justia do trabalho. Toda matria envolvendo qualquer tipo de trabalhador da justia do trabalho, no entanto deve ser observada a diferena entre relao de trabalho e de emprego, enquanto de trabalho gnero do qual emprego espcie.Toda relao de emprego uma relao de trabalho. Mas, nem toda relao de trabalho de emprego, como nos casos dos funcionrios pblicos. Art 114 CF. Competncia em razo do lugar: competncia em razo do lugar ser determinada pela jurisdio, cada vara tem competncia para examinar as questes que esto sob sua jurisprudncia, quem determina esta competncia a lei que cria a vara. Esta competncia foi criada para facilitar a distribuio da ao pelo trabalhador evitando gastos com locomoo. Alguns pontos importantes: I. A ao deve ser posta no ultimo local da prestao de servios do empregado, ainda que tenha sido contratado em outra localidade ou no estrangeiro.II. Art 651 nos casos de viajantes comerciais, a competncia ser da vara em que a empresa tiver sede ou filial e o empregado seja subordinado a esta.III. Na falta desta ser competente a vara em que o empregado tenha domicilio, ou localidade mais prxima.IV. O brasileiro que For trabalhar no estrangeiro devera ajuizar sua ao na vara onde o empregador tenha sede no Brasil, ou tambm onde ele foi contratado antes de ir para o exterior.V. Caso a empresa no tenha sede no pais no ser possvel fazer a ao. competncia funcional: o poder dever do juiz na direo do processo, a funo desempenhada na justia do trabalho.Esto no art. 659 CLT, presidir audincia,executar suas prprias decises,dar posse ao secretario, despachar recursos,assinar folhas,apresentar relatrios de trabalho ao presidente do TRT, conceder medida liminar. Incompetncia da justia do trabalho:I. Acidente de trabalho, da justia comum.II. Previdncia social, questes que envolvem autarquia federal competncia da justia federal.III. Eleioes sindicais.IV. Reteno de contribuio previdenciria pelo empregador matria penal. Conflitos de competncia: ocorre quando dois ou mais juzes se do por competentes ou incompetentes art. 805. O conflito pode ser sucitado originado pelo juiz, partes, MP e podem ser:1.1.1. Duas VARAS da mesma regio, TRT julga.1.1.2. VARAS E JUZES trabalhista, TRT julga.1.1.3. Entre VARAS e JUZES de direito ou federais, TRT julga.1.1.4. Duas VARAS de regio diferente TST julga.1.1.5. Dois ou mais TRIBUNAIS, TST julga.1.1.6. TST e JUZES federais, TST julga.

Processo trabalhista.1) Partes: a) o autor reclamante, ru reclamado.b) Representao atribuio para agir em nome de algum, pode ser feita pelo sindicato ou advogado.c) assistencia ocorre quando h deficincia de vontade da parte, o assistente no parte do processo ele s auxilia.d) o menor ser representado por seus representante legais ou na falta deles, pelo procurador da justia trabalho, sindicato, MP ou curador em juzo.2) Ao: a expresso usada para definir a reclamao trabalhista dissdio. (1) Podem ser classificadas em numero de autores.a) Individuais: somente um autor no plo ativo.b) Pluriumas: h vrios autores no plo ativo.c) Coletivas: ser beneficiado um n indeterminado de pessoas.(2) Classificao quanto a providencia jurisdicional:(a) De conhecimento: assegurado apenas se o direito ou no devido, sem exigncias de cumprimento do que foi protelado.(b) Executrias: executado aquilo que foi averiguado na audincia de conhecimento, pretende-se que seja cumprida a obrigao imposta. So executadas os dissdios transitados em julgado, acordos no cumpridos, termos de ajuste de conduta, conciliao previa,crditos previdencirios de sentena.(c) Cautelares: visa assegurar que a sentena ser executada, atravs desta medida que feito o seqestro de bens para garantir a finalidade do processo;(d) Mandamentais: visa cumprimento da ordem pela autoridade.(3) Pressupostos para existir o processo:(a) Jurisdio: a vara que dirigida a ao deve ser competente para julgar o caso.(b) Pedido petio: a petio inicial deve conter a pretenso resistida (defendida), o pedido exposto e o mrito da questo.(c) Partes: pessoas que tem uma controvrsia e esperam que a justia resolva.(4) Pressupostos para validade do processo:(a) Competncia: a vara deve ser investida para poder solucionar conflito.(b) Inspeio: o juiz no pode ser amigo/inimigo intimo das partes, imparcial.(c) Inexistncia de coisa julgada: no pode ser julgado aquilo que foi decidido por outro juiz, ocorre quando o pedido e as partes forem as mesmas.(d) Inexistncia de litispendncia: no poder ingressar com a mesma ao duas vezes, se j houver uma ao idntica em andamento no poder ser distribuda.(e) Capacidade processual das partes: devero ser maior de 18 anos, ou menos assistido por responsvel ou procurador trabalho.(f) Regularidade da petio inicial: deve atender aos requisitos estabelecidos.(g) Regularidade da citao: se no feita corretamente pode ser anulada.3) Petio inicial:pode ser escrita ou verbal, quando verbal ser distribuda e o reclamante tem 5 dias para apresentar-se ao cartrio da secretaria para reduzir a termo. Requisitos para reclamao escrita so: (a) deve conter designao ao presidente da junta ou juiz a quem for dirigida, (b) qualificao do reclamante e reclamado, (c) breve exposio dos fatos que resulte o dissdio,(d) o pedido a data e assinatura do reclamante ou seu representante. (e) Deve ser feito em duas vias;(f) Conter clculos dos valores pretendidos;(g) As provas so apresentadas na audincia;(h) Pedir citao inicial da outra parte, que automtica e deve ser despachada pela vara e enviada independente do juiz em 48hs.4) Procedimentos: Comum subdivide em procedimento ordinrio sumario e sumarssimo:(a) ordinario: o mais usual para dissdios maiores que 40 sm, as audincias neste procedimento so:(i) conciliao: comparecem as partes advogados e juiz, aberta a audincia o juiz prope conciliao, havendo acordo e lavrado termo e assinado, no havendo acordo o ru tem 20 min para apresentar sua defesa escrita, e o autor tem 10 min p/ impugna-la, e ambos ficam intimados para audincia de instruao.(ii) Instruo: devem comparecer as partes sob pena de confisso dos fatos, prestado o depoimento e so ouvidas as tesmunhas, no fim da instruo so feitas as razoes finais com 10 min cada parte, em seguida o juiz prope novamente acordo, no havendo ele marca audincia de julgamento.(iii) Julgamento: na pratica no acontece, na verdade um prazo que tem o juiz para publicar a sentena, e a partir desta data corre prazo para recurso.(b) Sumario: muito rara, o valor da causa no deve passar de 2 salrios mnimos, e se for sob matria constitucional no cabe recurso, deve conter resumo dos depoimentos.(c) Sumarssimo: um processo mais rpido, e exclui pessoas de direito publico como adm direta autarquias fundaes, s cabem a dissdios individuais simples e plurimas , de valor maior que 2 sm e menor que 40 sm. Sua apreciao deve ocorrer em no Maximo 15 dias, e devera ser instrudo e julgado em audincia nica.(d) Especial: inqurito policial para apurar falta grave, dissdio coletivo serve p/ solucionar conflitos coletivos , ao de cumprimento, a sente