Espirito Santo no seculo XX

Embed Size (px)

DESCRIPTION

NOMES: Luiz Fernando Brendo Ramos Filipe Santarosa Jessica Jacob Rafael Lima Waleska Jhonatan Oliveira Lucas TeixeiraTURMA: 2M2

Text of Espirito Santo no seculo XX

  • 1. Esprito Santo no Sculo XX Vitria - ES 2011

2. O governo Jones dos Santos Neves( 1950-1954)

  • Foi o interventor no Estado no governo de Getlio Vargas, no perodo de 1943/45, depois eleito senador de 45 a 50 e governador de 1951/55.
  • Ele transformou a economia do estado de uma economia totalmente agrcola e inserindo-o no processo industrial.
  • Mas faltava mo-de-obra especializada e em razo disso, ele criou a Universidade do Esprito Santo, para operar o desenvolvimento industrial.
  • Foi em seu governo que se instituiu o Plano de Valorizao Econmica do Estado.

3. O Plano de Valorizao Econmica no ES

  • Acreditando que o Esprito Santo no poderia ficar dependendo do caf, pretendeu estruturar as bases de um processo industrial.
  • Absorveu quase metade da receita estadual e concentrou-se em outras reas .
  • Aparelhamento e ampliao do Porto de Vitria, Construo da ponte sobre o rio Doce, Ampliao das vias rodovirias, Incio da pavimentao asfltica no ES.

4. A Questo do Contestado

  • No incio do sculo XX correntes migratrias buscavam o Norte do ES, vinham principalmente da Bahia e de MG. Com o aumento dos interesses estaduais, tanto de MG e ES e de empresas madeireiras a regio ficou cada dia mais tensa e disputada, e assim ganhou o nome de contestado.
  • Praas da fora pblica mineira foram despachados para a fronteira a fim de assistir um possvel combate pelo territrio contestado. O conflito foi criado porque cada um dos estados-membros queria essa terra, e a disputa durou vrios anos, Mantenpolis era uma zona contestada.

5. Reflexos do golpe Militar de 64 no ES

  • O golpe militar de 64 no ES foi um movimento que se destacando a alterao no papel de "poder moderador" historicamente exercido pelo estamento militar na poltica brasileira.
  • O regime era um regime autoritrio, centralizador e burocrtico. Esse perodo ficou marcado por cassaes, perseguies, torturas e morte de opositores.
  • Foi um movimento que casou bastante fobia e ao mesmo tempo alivio quando pessoas acusadas de subversivas que eram presas aps o golpe militar.

6. A Guerrilha do Capara

  • Foi primeira guerrilha contra a ditadura militar no Brasil. Dois anos depois do golpe de 1964, apoiados por Leonel Brizola, tentaram estabelecer um foco na serra do Capara, na divisa entre ES e MG.
  • Uma tentativa de recriar, no Brasil, uma Sierra Maestra, uma guerrilha como a cubana, que a partir de um pequeno grupo bem articulado promoveu uma revoluo.
  • Descoberto pelosservios de inteligncia da ditadura, o movimento foi rechaado em abril de 1967, por um grupo daPolcia Militar de Minas Gerais.

7. Os Governos Binicos

  • Chirstiano Dias Lopes Filhodesde seu discurso de posse ficou clara a sua posio de governador aliado das foras polticas que comandavam o pas no Regime Militar.
  • Editou a poltica de incentivos fiscais e financiamento pblico a longa prazo e, para tanto, foram criados: FUNRES, GERES, BANDES, BANESTES.
  • Arthur Carlos Gerhardt Santos(1971-74). No seu governo foi incrementado o I Plano Nacional de desenvolvimento (1972-74) que atraiu capitais nacionais, privados e estatais, bem como multinacionais.

8. Os grandes projetos industriais

  • No final da dcada de 1960, comeara a ser viabilizada a instalao de projetos industriais no Esprito Santo, principalmente nos setores siderrgico e paraqumico.
  • Esses setores receberam especial destaque nas prioridades do Plano Nacional de Desenvolvimento - I PND - que visava, dentre outras coisas, tirar proveito econmico do espao brasileiro.
  • A poltica do Governo Estadual de divulgao das vantagens locais do Esprito Santo juntamente com os PNs abriram possibilidades de implementar os Grandes Projetos Industriais no Estado.

9. Os Governos de:-lcio lvares

  • Foideputado federalpeloES, governador do estado senador, ministro de Indstria e Comrcio, no governo deItamar Franco eministro da Defesa, no governo deFernando Henrique Cardoso.
  • Em 2006 elegeu-se Deputado Estadual pelo DEM, reeleito em 2010 para mais um mandato de Deputado Estadual. Foi Presidente da Assemblia Legislativa do Estado do ES entre 2009 a 2011.

10. -Gerson Camata

  • Tornou-se conhecido como radialista de algumas emissoras em Vitria, se elegeu vereador emVitriaem1966,deputado estadualem1970edeputado federalem1974e1978.
  • Foi eleito governador do Esprito Santo em1982, com o apoio de uma dissidncia doPDS resultante de uma srie de deseres havidas entre as foras polticas situacionistas no estado ao longo dos anos.

11. -Albuno Azeredo

  • Dividindo suas atividades empresariais com a poltica, integrou oMDBe tambm oPMDBfoi nomeado Secretrio de Planejamento pelo governadorMax Maurocujos irmos eram scios de Azeredo em sua empresa.
  • Rompida a convivncia poltica entre o governadorcapixabae os Camata no incio dos anos noventa tanto Max Mauro quanto Albuno Azeredo ingressaram noPDTe nisso Azeredo foi eleito governador do Esprito Santo.

12. -Jos Incio

  • Jos Incio: Foivereador,deputado estadual,senador egovernadordo Esprito Santo (1999-2002) peloPSDB partido o qual ajudou a fundar.
  • A proposta durante, nas quais concorreu ao governo do ES em 1998, foi fazer uma ruptura com a poltica vigente conduzida pelo ento governadorVitor Buaiz(1995 - 1998), doPartido dos Trabalhadores. A dvida pblica estadual no ano em que Jos Igncio assumiu o poder era de 832 milhes de reais.

13. NOMES: Luiz Fernando Brendo Ramos Filipe Santarosa Jessica Jacob Rafael Lima WaleskaJhonatan Oliveira Lucas Teixeira TURMA: 2M2