Cinesiologia Completo

Embed Size (px)

Text of Cinesiologia Completo

TRABALHO DE CINESIOLOGIA

Fisioterapia Alunos: Rafael Martins Lucas Diniz Thalita Cerioni Jssica Oliveira Gabriela Scaion Arusha Dantas

SUMRIO

INTRODUO........................................................................3

OMBRO...................................................................................4

COTOVELO E ANTEBRAO.................................................11

PUNHO E MO.......................................................................16

QUADRIL.................................................................................29

JOELHO...................................................................................34

TORNOZELO............................................................................38

P..............................................................................................42

CONCLUSO............................................................................47

REFERNCIAS.........................................................................48

2

INTRODUOA cinesiologia a cincia que tem como objetivo a anlise dos movimentos. De forma mais especfica, estuda os movimentos do corpo humano. O nome Cinesiologia vem do grego knesis = movimento + logos = tratado, estudo. A cinesiologia estuda o corpo humano e a sua maneira de movimentar-se, e os fisioterapeutas que muitas vezes estudam a cinesiologia para entender os msculos e ligamentos e como esses se movimentam. A finalidade da Cinesiologia compreender as foras que atuam sobre um objeto ou o corpo humano e manipular estas foras em procedimentos de tratamento tais que o desempenho humano possa ser melhorado e leso adicional possa ser prevenida. Embora os humanos tenham sempre sido capazes de ver e sentir as suas posturas e movimentos, as foras que afetam os movimentos (gravidade, tenso muscular, resistncia externa e atrito) nunca so vistas e raramente so sentidas. Conhecer onde essas foras atuam, em relao a posies e movimentos do corpo no espao, fundamental para a capacidade de produzir movimento humano e modific-lo. Neste trabalho, vamos abordar um contexto com foco nas estruturas onde se aplica a cinesiologia, descrevendo as estruturas envolvidas para gerao de movimento e explicando os principais complexos articulares e musculatura envolvida nos respectivos complexos.

3

OMBROO ombro possui grande mobilidade, sendo assim, pouca estabilidade. uma articulao do tipo esferide, possuindo movimento nos trs planos; sagital, frontal e transverso. Fazem parte dessa articulao os ossos mero, escpula, esterno, clavcula, quatro articulaes a esternoclavicular, acrmioclavicular, glenoumeral e a escapulatorcica, os ligamentos que do estabilidade e os msculos envolvidos com o complexo do ombro.(LIPPERT, 2003; HAMILL & KNETZEN, 2008).

OSTEOLOGIA meroVista anterior: Tubrculo Maior, Cabea Umeral, Sulco Intertubercular, Tubrculo Menor e Tuberosidade Deltidea. Vista posterior: Cabea umeral, Tubrculo Maior e Tuberosidade deltidea.

ClavculaCorpo Clavicular, Extremidade Acromial e Extremidade Esternal.

EscpulaVista anterior: Acrmio, Processo Coracide, Cavidade Glenide, Borda Lateral, ngulo Superior, Borda Medial, Fossa Subescapular e ngulo Inferior. Vista Posterior: Processo Coracide, Acrmio, Fossa Supraespinhal, Espinha da Escpula, Fossa Infraespinhal, Borda Lateral e Borda Medial. Vista da Borda Lateral: Acrmio, Processo Coracide, Cavidade Glenide, Face posterior, Face Anterior e Borda Lateral.

EsternoIncisura Clavicular, Incisura Jugular, Manbrio Esternal, Corpo Esternal e Processo Xifide. Estes quatro ossos formam o complexo articular do ombro.

COMPLEXO ARTICULAR DO OMBRO de grande mobilidade e possui 3 graus de liberdade, (Eixo Transverso, Eixo Antero-Posterior e Eixo Vertical), triaxial.

Cintura EscapularAs articulaes da cintura escapular so muito instveis o que permite um amplo movimento os quais podemos citar: Flexo; Extenso; Abduo; Aduo; Rotao Interna e Externa; Abduo horizontal e Aduo Horizontal.

4

A regio do ombro um complexo de 20 msculos, 3 articulaes sseas, e 2 articulaes funcionais que permitem uma maior mobilidade entre todas as regies encontradas no corpo humano. O complexo do ombro no apenas proporciona uma ampla variao para a colocao das mos como tambm executa importantes funes de estabilizao para o uso da mo, levantar e empurrar, elevao do corpo, inspirao e expirao foradas e at mesmo sustentao de peso como andar de muletas ou "plantar bananeira". Elevadores: Trapzio superior / Levantador da escpula / Rombides / Peitoral Maior. Depressores: Trapzio mdio / Trapzio inferior / Subclvio. Abdutores: Serrtil anterior / Peitoral Menor. Adutores: Levantador da escpula / Rombides / Trapzio Mdio / Latssimo do Dorso. Rotadores Medias: Levantador da escpula / Rombides / Latssimo do Dorso. Rotadores Laterais: Trapzio / Serrtil anterior / Peitoral Maior.

ARTROLOGIA Articulao AcrmioclavicularA articulao AC une a escpula clavcula. uma articulao sinovial plana com 3 de liberdade de movimento, realizando deslizamentos em consonncia com a movimentao da articulao glenoumeral. Ela tem uma cpsula e dois ligamentos principais; um disco pode ou no estar presente. A funo primria da AC manter a relao entre a clavcula e a escpula nos estgios iniciais de elevao do membro superior e permitir escpula mais rotao no trax nos estgios finais de elevao. Elevao da extremidade superior refere-se combinao de movimento escapular, clavicular e umeral que ocorre quando o brao levantado para frente ou para o lado (flexo, abduo e todos movimentos entre esses).

GlenoumeralCabea umeral convexa e cavidade glenide cncava. A articulao GU uma articulao sinovial esferide com 3 de liberdade. Ela tem uma cpsula e diversos ligamentos e bursas. A articulao formada pela grande cabea do mero e pela pequena fossa glenide. Como a fossa glenide da escpula o segmento proximal da articulao GU, qualquer movimento da escpula (e de suas unies interdependentes EC e AC) pode afetar a funo da GU. O lbio glenoidal um anel formado por fibrocartilagem que circunda a cavidade glenide com a funo de aprofundar dando maior espao articular e estabilizao. A cpsula est presente na margem da cavidade glenide e colo anatmico do mero, constituda externamente por membrana fibrosa e internamente por membrana sinovial. Com o brao em posio neutra ao lado do corpo, a parte superior da cpsula fica esticada e a parte inferior fica relaxada na abduo acontece o oposto a cpsula fixa a articulao glenoumeral reforada por ligamentos. O ligamento coracoumeral refora a parte superior da cpsula articular. Os ligamentos glenoumerais reforam a cpsula anteriormente e pelo msculo subescapular, este sendo o principal estabilizador dinmico da articulao glenoumeral. Lateralmente a cabea do mero rodeada por duas camadas musculares uma profunda e a outra superficial. A camada profunda constituda pelo *manguito rotador (supra-espinhoso,

5

infra-espinhoso, redondo menor e subescapular), alm do tendo da poro longa do bceps braquial, que envolvem a cpsula. Na articulao glenoumeral a parte cncava representada pela cavidade glenide, enquanto a convexa pela cabea do mero, somente uma pequena parte desta fica em contato com a cavidade glenide, favorecendo grandes amplitudes de movimento e instabilidade. * Manguito Rotador: um grupo de msculos e seus tendes que age para estabilizar o ombro

Articulao EsternoclavicularA articulao esternoclavicular a que conecta o membro superior ao esqueleto axial, especificamente a extremidade esternal com o manbrio do esterno. uma articulao tipo selar com trs graus de liberdade, existe um disco entre as duas superfcies sseas e a cpsula mais espessa anteriormente que posteriormente. O disco separa o esterno da clavcula e aumenta a estabilidade, os ligamentos dessa articulao so: o esternoclavicular anterior e esternoclavicular posterior que suportam a articulao anteriormente, o costoclavicular e o interclavicular, que limitam a elevao e o abaixamento excessivo respectivamente. Essa articulao possui os movimentos de elevao, depresso, protrao, retrao e rotao. A elevao da articulao esternoclavicular de aproximadamente 55, a maior parte do movimento ocorrendo nos primeiros 90 de elevao do brao, a depresso de aproximadamente 5. Esta articulao localiza se no sentido medial da clavcula com a parte convexa na direo superior para inferior e cncava na direo anterior para posterior.

Articulao Escapulo-TorcicaArticulao: superfcie anterior da escpula e superfcie posterior do trax. H dois espaos para deslizamento; 1 Escapulo - Serrtico; Delimitado pelos mm subescapular e serrtil anterior. 2 Espao Traco; Delimitado pelo mm serrtil anterior e parede torcica. * Movimento de deslocamento lateral da escpula: Aduo da escpula: clavcula vai para trs (abertura do ngulo escpula/clavcula). Abduo da escpula: clavcula vai para frente (fechamento do ngulo escpula/clavcula). Excurso total abduo/aduo da escpula 15cm * Movimento de translao vertical da escpula: Elevao da escpula: extremidade lateral da clavcula se eleva. Depresso da escpula: Extremidade lateral da clavcula se abaixa. * Movimento de bscula da escpula: Bscula Medial da Escpula: Aproximao do ngulo inferior da escpula da coluna vertebral. Bscula Lateral da Escpula: Afastamento do ngulo inferior da escpula da coluna vertebral. Excurso total da bscula medial/lateral da escpula: 60.

Articulao SubdeltideFace superior da cabea do mero e face inferior do arco coracoacromial, separadas pelas bolsas subdeltidea e subacromial. Arco steo-ligamentar so estruturas localizadas acima da bolsa subdeltidea (acrmio,

6

ligamento coracoacromial e processo coracide). Previne a luxao da cabea do mero.

AMPLITUDE DE MOVIMENTO / ORIGEM E INSERO Flexo de Ombro180 - Combinao dos movimentos do