INTELIGENCIA EMOCIONAL E PRODUTIVIDADE - .pesquisa propoe 0 estudo da Inteligencia Emocional como

  • View
    231

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of INTELIGENCIA EMOCIONAL E PRODUTIVIDADE - .pesquisa propoe 0 estudo da Inteligencia Emocional como

  • ELII~TEDO ROCIO COSTACURTA QUADROS

    INTELIGENCIA EMOCIONAL E PRODUTIVIDADE

    Monografia apresentada aoCurso de Especializar;80 emPedagogia Terapeutica, Centrode Pos - Gradua9ao, Pesquisae Extensao da Universidade Tuiutido Parana.

    Orientadora : ProfessoraMARLI DOCKHORN LEMKE

    I\

    CURITIBA1998

  • SUMARIO

    RESUMO ...

    1 INTRODUCAO

    1. 1 OBJETIVOS ..

    1.2 JUSTIFICATIVA ..

    1.3 DEFINICAO DO PROBLEMA. ..

    1. 4 QUESTOES NORTEADORAS ...

    1. 5 METODOLOGIA. ..

    2 DESENVOVIMENTO .

    2. 1 PSICOPEDAGOGIA .

    2. 2 APRENDIZAGEM ..

    2. 2.1 Conceito de Aprendizagem ..

    .. VI

    .. 1

    . 2

    ..3

    .. .4

    .. 5

    .. 6

    .....8

    .. 8

    . 9

    .. 9

    3. CORRENTES TEORICAS E REPERCURSAO NA APRENDIZAGEM........l0

    3.1 CONCEPCAo INATISTA... ...10

    3.2 CONCEPCAO AMBIENTALlSTA ..

    3.3 CONCEPCAO INTERACIONISTA ..

    3.3.1 Jean piaget.. .

    3.3.2 Vigotski ..

    4 DESENVOLVIMENTO CEREBRAL ..

    4.1 EVOLUCAo ..

    4.2 BASES TEORICAS ....

    ...10

    .. 11

    . 12

    .... 13

    ...15

    ..15

    .. 19

    iv

  • 4.2.1 Dualidade Cerebral 20

    4.2.2 Dominancia Cerebral 21

    4.2.3 Hemisferios Cerebrais 22

    5 FUNDAMENTOS CONCEITUAIS DA INTELIGENCIA 26

    5.1 CONCEITOS ... . 26

    5.2 TI POS 27

    6 INTELIGENCIA EMOCIONAL 30

    6.1 CONCEITO 30

    6.2 EMOCAo 31

    6.3 NATUREZA DA INTELIGENCIA EMOCIONAL. . 32

    6.4 CARACTERisTICAS DA INTELIGENCIA EMOCIONAL 32

    6.5 COMPONENTES INTELIGENCIA EMOCIONAL...... 34

    6.5.1 Habilidade Intrapessoal..

    6.5.2 Habilidade Interpesssoal ..

    ......34

    . 38

    7 EDUCAC;:AO EMOCIONAL 43

    7.10 ABC DA INTELIGENCIA EMOCIONAL............ 44

    7.2 ESTRATEGIAS DO EDUCADOR. . ..45

    7.3 EFEITOS DA EDUCACAo EMOCIONAL ..46

    7.4 EDUCACAo EMOCIONAL E DESEMPENHO .47

    8 CONCLUSAO 50

    ANEXOS ..

    REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS 57

    . 54

  • RESUMO

    A presente pesquisa traz em sua apresenta~ao conteudo sabre a heran~

    cultural que leva a sociedade a valoriz898o da razao e a menosprezar a emoc;ao

    Reporta-se aos noves fumos que a economia mundial vern provocando na

    sociedadee na cultura, trazendo a necessidade emergente de novas estrategias

    para veneer neste mercado cada vez mais competitiv~ e seletivo. Desta forma a

    pesquisa propoe 0 estudo da Inteligencia Emocional como uma estrahgia de

    desempenho e produtividade. Para tanto propoe em urn primeiro momento como

    forma de embasamento urn breve estudo das bases tearias segundo alguns autores

    de representatividade frente ao processo de desenvolvimento humane e

    aprendizagem. Imprescindfvel considerou-se apresentar uma pesquisa sabre a

    desenvolvimento cerebral para que se pudesse analisar a origem dos sentimentos e

    sua interferemcia positiva nos processo de aprendizagem quando forem canalizados

    com maestri a,

    As bases te6ricas sobre a Dualidade Cerebral demonstram que ha defini9aO

    de hemisferios Cerebrais e que estes tem fun90es e caracteristicas diferenles

    conforme a area de predominancia nos individuos I estas interfaces sao

    enriqueceras quando bem direcionadas.

    Os fundamentos conceituais e as varios tipos de inteligencias foram

    apresentados sendo incluso, com destaque a inteligemcia emocional e seus

    componentes. Pretendeu-se demonstrar que a Educac;ao Emocional nao e uma

    vi

  • capacidade inata, mas que suas habilidades podem ser desenvolvidas como uma

    estrategia a ser utilizada. a favor do desempenho eficaz.

    Atraves deste estudo foi posslvel verificar que somente a valorizacyaodo

    capital intelectual nao e 0 diferencial a colocar as pessoas em situa

  • 1 INTRODUyAO

    Treina-S8 na familia, na eseela e no trabalho para valorizar-se a intelecto e

    desvalorizar as emogoes, para aeabar com a paixao e para usar a faZaO e nao para

    descobrir 0 que 0 corpo esta sentindo, para ser inteligente e nunca emotivo.

    Aprende-se a nao confiar nas emog,oes, a nao ser fraco, fora de controle. Existe urna

    tendencla a moldar -S8 a auto-imagem inteira em torna do intelecto.

    A sociedade refof9CI que sar objetivo e racional e a maneira de progredir e

    que a emotividade e aceila so mente em contextos apropriados - E refofgado a

    valoriz8g8o da cabeya e desvalorizac;ao do coracy8o.

    o iluminismo marcou profundamente a supremacia da razeo., e a influenciado mecanicismo que toi 0 responsilvel em separar os componentes - Razao e

    Emo~ao

    A humanidade apostou no racionalismo como metodo de estrutura

  • desconhecer os valores fundamentais de familia de cidadania, isso tude reflete uma

    cultura que s6 apostou no intelecto relegando 0 lado emocional. Torna-se emergente

    o fortalecendo do individuo enquanto pessoa - ou seja a passagem de uma

    sociedade de sobrevivencia para uma de realizatyao pessoal, onde 0

    reconhecimento, crescimento e a aceitac;ao ganham mais importancia.

    A partir destes pressupostos esta pesquisa pretende apresentar os indicadores

    de importancia da Educa~ao Emocional como Estrategia de Desempenho

    Eficaz.

    Estas competencias baseiam-se largamente, na inteligencia Emocional, e a

    partir desses pressupostos esta pesquisa pretende:

    1.1 OBJETIVOS

    Ampliar 0 conhecimento e analisar as principais contribui~es tecnicas da

    Competencia Emocional;

    Fornecer subsidios para 0 enfrentamento de novo paradigma, ou seja que

    a Educa

  • Pesquisar, investigar e analisar, considerando as contribuir;oes te6ricas

    relevantes, 0 padrao de relacionamento existente entre 0 processo de

    aprendizagem e emoc;oesefetivas.

    1.2 JUSTIFICATIVA

    As rapidas mudan~as desencadeadas pela alta tecnologia e a abertura dos

    mercados sao uma constante na vida das pessoas e das organizar;oes .As

    necessidades dos individuos estao mudando constantemente, e tern se tornado

    muito diffcH para os educadores compreenderem e resolverem diretamente os

    problemas mais serios nas diferentes areas. A mudanr;a nas organizar;oes devem

    incluir a melhoria dos servir;os, qualidade, crescimento e retorno sobre 0

    investimento, e estas sempre orientadas pela visao de futuro. A lideranr;a do futuro ea capacidade de gerenciar mudanr;as.

    Se a mudanr;a e inevitavel, deve-se fortalecer as organizar;6es para que

    possam adaptar-se facilmente as modificar;oes necessarias.

    Essa nova organizar;ao precisa de estruturas e processos com facilidade de

    reestrutura

  • Propoem-se nesta pesquisa que no campo da competitividade os individuos

    devem ser orientadas para as constantes mudanyas e consequentemente, para as

    constantes adaptaes.

    Defende-se a ideia de que estas competencias baseiam-se largamente, na

    Inteligemcia Emocional e nao apenas em especializayao tecnica e experiencia.

    1.3 DEFINICiiO DO PROBLEMA

    Uma situayao que chama a atenyao da sociedade e que 0 desenvolvirnento

    emocional vern sendo negligenciado atraves dos tempos. As familias vern

    enfatizando muito regras de comportamento e conduta social aceitavel. A

    humanidade apostou no racionalismo como forma de estruturagao de padroes de

    comportamento. Nas etapas de desenvolvimento humano a preocupagao quase que

    total esta centralizada na parte intelectual. Na realidade, esta abordagem rellete os

    subsidios da nossa era tecnol6gica.

    Neste contexto questiona-se: porque pessoas normalmente desenvolvidas

    intelectualmente apresentam dificuldades e nao aprendem embora a situagao de

    escolaridade seja normal?

    Constata-se que do numero de criangas que ingressam nas esco[as nem todas

    apresentam 0 rendimenlo esperado, nao aproveitam as experiencias e ao longo dos

    anos vao somando defazagens, fracassos insucessos que gradativamente vao

  • afastando da vida escolar ou terminam a escolaridade de forma precaria e com

    grande atraso Esta realidade apresentada, alem de trazer prejuizos para a

    sociedade ou seja a vaga escolar e ocupada pelo mesmo individuos por tempo

    demasiadamente excessiv~, aumenta na gerac;ao de individuos de baixa

    competencia sem condi90es de ingressar no mercado de trabalho estimulando 0

    sub emprego. Uma outra caracteristica muito comum e bastante penosa para 0

    individuo e que 0 mesma vai percebendo que nao consegue superar suas

    dificuldades e em decarrencia nao mantem uma auto estima saudavel

    1.4 QUESTOES NORTEADORAS

    Atraves de Seminarios e Cursos, a lnteligencia Emocional vem sendo

    abordada, como um dos fatores determinantes de desempenho produtivo e de

    qualidade.

    Urn grande desafio e vantagem para as escolas e profissionais da edUC89aO

    consiste em desenvolver e utilizar adequadamente, esse recurso potencial de seus

    alunos Sera mais um modismo? Ou realmente seu desenvolvimento se traduz em

    diferencial competitivo:

    Que causas levarn dirigentes de organiza90es a nao reconhecerem a

    importancia do investimento na Educa980 Emocional como fator

    determinante nos processos de aprendizagem ?

  • Quais as causas que levam as organiza90es a valorizarem somente 0

    capital intelectual de seus aprendizes como diferencial competitiv~?

    A demanda par pessoas altamente competentes em suas atividades

    continuam sendo a busca prioritaria das empresas?

    Ate que ponto as escolas ja se conscientizaram que 0 universo do ser

    humano e 0 das relaes emocionais?

    As Escolas percebem as consequencias negativas das rela90es

    conflitantes tais como fru