Visao Subnormal

  • View
    4.035

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Conheça um pouco sobre a visão subnormal...

Text of Visao Subnormal

  • 1. Viso subnormal
    Conhecendo para respeitar e cooperar

2. O que a viso subnormal?
Viso subnormal ou baixa viso um comprometimento da funo visual que impossibilita uma viso til para os afazeres habituais, mesmo aps tratamento e/ou correo dos erros refrativos comuns como uso de culos, lentes de contato ou implante de lentes intra-oculares. Diminuio da capacidade visual, seja em funo da acuidade/campo visual, e/ou da sensibilidade de contraste.
3. Considera-se como viso subnormal a pessoa que apresenta 20% ou menos do que chamamos viso normal.Este problema pode ser acompanhado de uma alterao do campo visual, ou seja, a pessoa pode enxergar como se estivesse vendo por dentro de um tubo(ausncia ou diminuio da viso perifrica) ou com uma mancha escura na parte central da viso quando a pessoa tenta fix-la em um objeto(ausncia ou diminuio da viso).
4. A baixa viso ou viso subnormal no deve ser confundida com a cegueira, pois seus portadores possuem uma viso que pode eventualmente ser melhorada por meio do uso de tcnicas e auxlios especiais que, aliados ao treinamento adequado, possibilitam que executem inmeras e diversas atividades, com notvel contribuio sua qualidade de vida.
5. Segundo a Sociedade Brasileira de Viso Subnormal, 70 a 80% das crianas diagnosticadas como cegas possuem alguma viso til. Em pases em desenvolvimento a prevalncia de cegueira infantil de 1 a 1,5 para cada mil crianas. A prevalncia de viso subnormal trs vezes maior (estimativa da Organizao Mundial de Sade - OMS).
6. Quais podem ser as causas?
No adulto, as causas mais comuns da viso subnormal so: a coriorretinite macular, a degenerao macular senil, a retinose pigmentar, toxiplasmose, as atrofias do nervo tico, a alta miopia, a retinopatia diabtica e o glaucoma.
Nas crianas, so causas comuns a desnutrio, a coriorretinite macular, a catarata congnita, o glaucoma congnito e a atrofia tica, que tambm podem levar cegueira.
7. importante salientar que, apesar de ser mais freqente em idosos, a viso subnormal pode acontecer em qualquer idade.
8. O deficiente visual na escola
O educando com viso subnormal tem resduo visual que permite a leitura de textos impressos a tinta, mas s com o emprego de recursos didticos e equipamentos especiais para sua educao.
9. O ingresso dos alunos com viso subnormal, em Braslia, acontece normalmente, com a matrcula do portador de deficincia da viso, a famlia apresenta o diagnstico do mdico atravs de relatrio, o CEEDV (Centro de ensino especial de deficientes visuais) faz uma avaliao funcional da viso do educando e encaminha o aluno para a sala de recursos, sendo que esta sensibiliza a turma, professores e toda a escola para receber o novo colega.
10. O professor identificando o aluno com viso subnormal
Como reconhecer?
Observe o comportamento visual apresentado pelo aluno durante as aulas
Questione o aluno sobre alguns sintomas que podem estar atrapalhando a sua concentrao e a execuo de tarefas escolares
Encaminhe o aluno para o grupo de apoio pedaggico da escola para conversarem com a famlia
Lembre-se que o professor no realiza diagnsticos, ento no esquea que preciso ser discreto na hora de fazer estas observaes pois s um mdico pode definir se realmente o educando tem uma deficincia visual
11. Na Secretaria de Estado de Educao do DF, existe um espao chamado Sala de Recursos que se responsabiliza pelo suporte e acompanhamento pedaggico do aluno com viso subnormal e cegueira, cada regional de ensino possui uma sala que base para atender as escolas de uma determinada regio.
12. O Guar (DF) tem o Centro de Ensino Fundamental 04 como referncia para atender as escolas dessa cidade, trabalham com deficientes visuais subnormais e totais.
A sala de recursos do CEF 04 est atendendo, hoje, vinte alunos com viso subnormal sendo que a maior preocupao em adquirir dispositivos tecnolgicos para ajudar os alunos.
13. Apesar das dificuldades em obter aparelhos tecnolgicos mais avanados(copie, cole e conhea alguns:http://www.assistiva.org.br), o apoio ao deficiente visual constante, com um ndice muito bom de sucesso.Veja o depoimento de um dos vinte alunos atendidos no CEF 04:
14. Fui bem acolhido e recebido por todos da escola quando cheguei,descobri novas formas de aprender...eu tinha baixa viso mas no sabia us-la, estava desmotivado pois na outra escola fui perguntar para o professor se era pra escrever um texto (no conseguia ler o comando escrito no quadro) e ele se irritou...fiquei chateado.
15. S enxergava com dois culos (um pra perto e outro pra longe), aqui os professores me desafiaram a tentar usar a pouca viso que eu tinha...
Eu renasci aqui... (Pedro Henrique)
OBS: Hoje ele no enxerga mais...ele j est aprovado e com boas notas
16. Voc vai ver a seguir alguns materiais(xadrez,dama, mapas,alfabeto,folha pautada,figuras geomtricas coloridas...)que fazem parte do acervo do CEF 04,muitos foram confeccionados pelos professores e outros comprados pela equipe de profissionais competentes, dedicados e atenciosos da sala de recursos.
17. 18. 19. 20. Rgua lupae culos com lupa nas lentes
21. 22. Calculadora com voz
23. 24. 25. Precisamos aprender mais para ajudar melhor...
Vdeo do Provista:
http://www.youtube.com/watch?v=2QCsoqgZCQQ
26. ...sonho que se sonha junto realidade...
(Raul Seixas)
27. Bibliografia
bonotto,DLgia Beatriz. Viso Subnormal,25/11/209,
Texto:Textos Interessantes da ADEVA(associao de deficientes visuais e amigos)< www.adeva.org.br>
28. Nome do Aluno: Beatriz dos Santos Souza
Turma:DF03ITA
Mediador/a: Alex SandersBogado de Lima
Atividade: SEMINRIO INCLUSO E TECNOLOGIAS ASSISTIVAS(VISO SUBNORMAL)