As engrenagens da salvação (charles haddon spurgeon)

Embed Size (px)

Text of As engrenagens da salvação (charles haddon spurgeon)

  • 1. As Engrenagens da SalvaoC. H. Spurgeon

2. "Como, pois, invocaro aquele em quem no creram? e comocrero naquele de quem no ouviram? e como ouviro, se no hquem pregue? E como pregaro se no forem enviados? como estescrito: Quo formosos os ps dos que anunciam o evangelho depaz, dos que trazem alegres novas de boas coisas!"Cuidem por favor, queridos amigos, que no versculo 13, temos ocaminho da salvao posto diante de ns nos termos mais simples:"Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor, ser salvo."Recordo bem quando vivi com esse versculo durante muitos meses. Euansiava a salvao; no conseguia enxergar que poderia haver algumcaminho de esperana para mim; cheguei a pensar que eu devia serdeixado de fora, que eu era demasiado pecador, ou que estavademasiado endurecido, ou que era demasiado isto ou aquilo, de talmaneira que outros poderiam ser salvos, mas que eu no poderia.Mas quando li este versculo, fiz o que lhes peo que faam agora:apeguei-me a ele; parecia como uma corda lanada a um indivduo queestava afundando. Agarrei-me a ela, e se converteu em minha bia desalvao. "Todo aquele que invocar o nome do Senhor ser salvo." "Ah!", -pensei- "eu invoco esse bendito nome, eu invocarei esse glorioso nome;ainda que perea, no cessarei nunca de invocar esse sagrado nome."Invocar o nome de Deus, confiar em Deus, apelar conseguentemente aDeus e reconhecer a Deus, isto o que salva a alma.Mas devo conduzi-los a analisar estas palavras com um pouco mais dedetalhes. Aqui temos, primeiramente, uma palavra muito ampla, emuma grande escala: "Todo aquele que invocar o nome do Senhor sersalvo." "Todo aquele." Me interei que, quando uma pessoa est fazendoseu testamento, se deseja deixar todas suas posses outra pessoa,digamos, sua esposa, basta que o expresse em termos gerais, e isso 3As Engrenagens daSalvaoN2327Sermo pregado na noite de Domingo 18 de Agosto, 1889Por Charles Haddon SpurgeonNo Tabernculo Metropolitano, Newington, Londres.E tambm lido no Domingo 24 de Setembro de 1893.Romanos 10:14,15W W W . P R O J E T O S P U R G E O N . C O M . B R 3. mais que suficiente; recomendvel que no se meta em detalheselaborando uma lista do que est deixando, porque possivelmente lheescapar incluir algo.Agora, Deus expressa Sua vontade de maneira muito clara e no entraem detalhes, mas simplesmente diz: "Todo aquele." Isso inclui o homemnegro, e o vermelho, e o amarelo e o branco. Inclui o homem rico, e ohomem pobre e at o homem que no homem. Isso inclui a todaclasse de pessoas, tambm quelas que no pertencem a nenhumaclasse, ou, a todas as classes juntas."Todo aquele." Isso inclui a mim, estou seguro; mas estou igualmenteconvencido que te inclui a voc, a voc que ests sentado junto aocorredor e que nunca tinha vindo aqui; a voc que bastantedesconhecido em Londres; a voc que um estranho e um estrangeiro,quem quer que seja. melhor express-lo assim, sem meter-me emdetalhes, porque de outra maneira algum poderia no ser mencionado.Constantemente tenho pensado que se tivesse lido na Escritura que "seCharles Haddon Spurgeon invocar o nome do Senhor, ser salvo," noteria nem a metade da segurana sobre a salvao como tenho agora,porque teria concludo que talvez houvesse algum mais com essenome, e muito provavelmente h, e eu teria dito: "certamente no serefere a mim".Mas quando o Senhor diz: "todo aquele", eu no posso ficar de foradesse crculo. Trata-se de uma grande rede que emaranha a todos oshomens em suas malhas. "Todo aquele." Se eu invoco o nome doSenhor, se voc invoca o nome do Senhor, se o homem que jazmoribundo em seu quarto invoca o nome do Senhor, seremos salvos.Quo ampla essa palavra "Todo aquele"!E logo, continuao, que palavra to fcil de entender temos aqui!"Todo aquele que invocar o nome do Senhor." Qualquer pessoa podeinvocar o nome do Senhor. Todo mundo entende em que consiste dizer:"Ol!" Por acaso no usaram esta saudao vrias vezes? E quandoestiveram em ansiedade e perigo, no gritaram: "socorro, socorro,socorro"? Muito bem, quem pode clamar assim, que clame a Deus, queinvoque Sua ajuda, que pea Sua misericrdia, que implore Suapiedade. Quem o fizer crendo, como mostraremos, confiando que Deuso ouvir, ser salvo. Assim que no nos encontramos diante de umadificuldade que requeira um doutor em teologia para explic-la; averdade expressa primordialmente em palavras quase monossilbicas:"Todo aquele que invocar o nome do Senhor, ser salvo." algo muitoevidente. Oh, que pudessem v-lo, e comearem a invocar o nome doSenhor mediante uma fervente orao!Mas tambm temos outro adjetivo: uma palavra segura: "Todo aqueleque invocar o nome do Senhor, ser salvo." No h nenhum "se" aqui;4W W W . P R O J E T O S P U R G E O N . C O M . B R 4. nenhum "pode ser" aqui; apenas um glorioso "ser". Nossos propsitos enossas promessas so coisas muito pobres e insignificantes; mas o"ser" de Deus firme como os montes eternos. "Todo aquele queinvocar o nome do Senhor, ser salvo", to certamente como h umDeus. O Senhor no cometeu nenhum erro; Ele no revogar Suadeclarao porque mudou Sua forma de pensar. "Todo aquele queinvocar o nome do Senhor, ser salvo." Oh, que muitos invoquem Seunome hoje, e encontrem salvao imediata, que lhes durar ao longo detoda a vida e por toda a eternidade, j que o "ser salvo" cobre um longopercurso, incluindo tudo ao longo dos tempos eternos que esto por vir.Agora, vejam, amigos, que aqui temos um remdio maravilhoso para aenfermidade do pecado, muito simples e muito abundante; mas oproblema faz-lo chegar ao povo que o necessita. Vou falar desse temacom uma linguagem muito simples, pois quero ser muito prtico, e peoao Esprito Santo que faa que todo meu sermo o seja.Em nosso texto h quatro necessidades sobre as quais Paulo coloca suainsistncia. Orar a Deus, invocando Seu nome, salvar ao homem; mas,primeiro, no se pode orar verdadeiramente sem f: "Como, pois,invocaro aquele em quem no creram?" Mas, e segundo lugar, no hf sem ouvir: "E como crero naquele de quem no ouviram?" Emterceiro lugar, no se pode ouvir sem um pregador: "E como ouviro seno h quem pregue?" E em quarto lugar, e por ltimo, no h pregaoefetiva sem ser enviados: "e como pregaro se no forem enviados?"I. Primeiro, ento, NO H ORAO CORRETA SEM F, do quepodemos deduzir que: devemos crer. Posto que devemos orar, e somentemediante a orao poderemos encontrar salvao, e no h orao semf, que o Senhor nos ajude a crer, pois como oraremos retamente amenos que tenhamos f?Parece-me que temos aqui, nesta noite, algumas pessoas quecomearam a orar, que comearam a argumentar com Deus. Eu espero,queridos amigos, e mais, me sinto seguro disso, que se essa orao sincera, h uma medida de f nela, pois, pediriam a Deus que ossalvasse se no cressem que necessitam ser salvos? H uma medida def nisso. Pediriam a Deus que os salve seno cressem que houvesse umcaminho de salvao pelo qual ele pode salv-los? H uma medida de fse crem nisso.Parece-me que vocs crem que h um Salvador. H uma medida de fnisso; e, eu espero, que haja uma medida de f salvfica, tambm, secrem que, apesar de todos seus pecados e de toda suapecaminosidade, um Salvador foi providenciado, que pode salvarperpetuamente aqueles que atravs Dele se aproximam de Deus. Podeser que no tenham muita f; mas devem ter alguma f se realmenteesto pedindo a Deus de todo corao, e suplicando-lhe que os salve.5W W W . P R O J E T O S P U R G E O N . C O M . B R 5. Penso, tambm, que devem ter um pouco de f em que o Salvador ossalvar. Vocs tm estado pedindo que o faa. Teriam expressado essedesejo, e teriam se aproximado Dele em orao sobre isso, a menos quehouvesse algum tipo de sedimento de f em seu corao? Queroexplicar-lhes isto muito delicadamente, de forma muito simples.Recordem que a f no medida pela quantidade, mas pela qualidade.Um homem de slida f mais feliz, mas no mais verdadeiramentesalvo que um homem de fraca f, enquanto tenha um mnimo de f.Ainda que a f de vocs seja muito fraca, o Senhor lhes dir: "Tua f tesalvou, vai em paz." A f que se aproxima por trs de Cristo, e toca aborda de seu manto, uma f salvfica; e eu creio que isso o que estofazendo quando dizem: "Senhor Jesus, salva-me."Se esta uma orao real, e no simulada; se brota de seu corao,h ai, de qualquer maneira, uma matiz, uma sombra, se no a cor realda f j existente em suas almas. Como poderiam invocar Aquele emquem no creram? Pediramos ajuda a algum se no acreditssemosque essa pessoa gostaria ou poderia ajudar-nos? No; o simples fato deinvocar a ajuda de algum demonstra que temos algum grau deconfiana nessa pessoa, em que pode e quer nos ajudar. Bem, se pelomenos cr nisso, concernente a Cristo, e se voc apia-se Nele, crendoque ser salvo, ainda que eu quisesse que tivesse mais f, essa pequenaf lhe transportar ao cu.Voc cr tambm que Cristo pode te ouvir e certo que Ele lhe escuta.Ah, no teria estado s em seu quarto esta tarde, clamando pormisericrdia, se houvesse pensado que ningum lhe podia escutar! Osseres racionais no vo e pedem ao vento. Voc cr que Cristo podeouvir-lhe, e tem um pouco de f em que o escuta de fato, pelo qualestou verdadeiramente agradecido.Penso que posso acrescentar que vocs esto confiando de maneiramensurvel em Cristo. Certamente, no esto confiando em ningummais. O fato de que frequentemente pedem a Ele misericrdia, o perdodo pecado, a regenerao de sua natureza, demonstra que vocs tm,em algum grau, ao menos, alguma fraca medida de f Nele.Agora, permitam-me exort-los, enquanto se mantenham orando, quemisturem mais f s suas oraes. Em todas as tuas ofertas dealimentos temperars com sal, e com todas tuas oraes oferecers f.Quando pedires qualquer coisa a Deus, cr, e recebers. Quando apelespara Sua misericrdia, cr na misericrdia. Quando estejas suplicandoSua ajuda, cr na ajuda, pois h muito poder na f. "Seja-vos feitoconforme a vossa f.Todos vocs sabem, com segurana, o que crer. Vocs dizem: "voupara casa orar." No, no, no; creiam, e orem tanto como queiram, euma orao crente os salvar. "Todo aquele que invocar o nome do6W W W . P