A espada e a espátula nº 1 (charles haddon spurgeon)

  • View
    170

  • Download
    7

Embed Size (px)

Text of A espada e a espátula nº 1 (charles haddon spurgeon)

  • 1. Projeto Spurgeon A Espada e a Espatla Maro de 20121

2. Projeto Spurgeon A Espada e a Espatla Maro de 20122IndiceEditorial 3Armando Marcos necessria total compreenso 4C.H.SpurgeonQual a utilidade da apologtica? 6William CraigSaberia Eu? 9J.C.RyleEntre o Tesmo Aberto e o Tesmo Obtuso 11Mary SchultzeO Que Significa Ser Soldado de Cristo? 15tila CalumbyFora com o Spurgeonismo 17C.H.SpurgeonEsts Salvo? Do que? 20Josep RosselloAvivamento segundo Spurgeon 23Allan RomanO Dom de Deus gratuito ao homem 29 Martinho LuteroESPECIAL: Cristo e as Setas de Belzebu 30C.H.SpurgeonA Espada e a Esptula uma publicao mensal de Projeto Spurgeon proclamando a CRISTO Crucificado; inspirada na original The Sword of the Trowel, fundada por Spurgeon desde 1865. Todos os direitos reservados: uso livre desse material.Email: contato@projetospurgeon.com.brwww.projetospurgeon.com.br 3. Projeto Spurgeon A Espada e a Espatla Maro de 20123EditorialArmando MarcosEm Dezembro de 1864, Charles Spurgeon lanou o primeiro volume de sua revista mensal, a The Sword and the Trowel, que ele intitulou dessa forma baseado em Neemias 4:17:18; a ideia de Spurgeon era usar a edio para relatar as atividades de seu ministrio, combater o pecado e edificar os irmos: essa revista mensal refletiu muito a obra de Spurgeon, tanto que diversos textos s foram publicados nessa revista, e em 1887 ele teve um desempenho vital, pois foi por meio dela que Spurgeon desenrolou a controvrsia do Declnio, da qual ele combateu a descrena contra a inspirao bblica e combateu a falta de zelo dos cristos reformados batistas.Inspirados nessa revista, que at hoje editada, hoje como revista da Metropolitan Tabernacle, ns do Projeto Spurgeon proclamando a CRISTO crucificado, nos propomos a lanar uma simples edio em lngua portugus, em PDF de textos selecionados do Projeto, de futuros sermes, de frases especiais, indicaes, bem como selees dos melhores textos possveis da blogosfera crist: nosso intuito com essa revista, incentivar a leitura desses autores, bem como informar e edificar os cristos em temas variados, e at mesmo a converso de pecadores para Cristo.So Paulo, Maro de 2012 4. Projeto Spurgeon A Espada e a Espatla Maro de 20124 necessria total compreenso?C.H.Spurgeon Por formao criteriosa ns somos, sem dvida, livrados de muitas dvidas e dificuldades o qual um sistema de teologia ruim iria certamente encorajar. O Homem que slido na f, e que entende as mais eminentes e sublimes doutrinas da Revelao Divina, ter fontes de consolao as quais os menos instrudos no podem conhecer. Mas ns sempre acreditamos, e estamos sempre preparados para confessar, que h muitas doutrinas que apesar de excessivamente preciosas, no so essenciais. Ns acreditamos que uma pessoa pode estar em estado de divina graa e ainda no as receber. Por exemplo Deus probe que ns considerssemos a crena na doutrina da eleio como um teste absoluto da salvao do homem sem dvidas h muitos preciosos filhos de Deus que no foram capazes de aceitar essa preciosa verdade de Deus. Claro, a doutrina essencial ao grande plano de Graa, como base do propsito eterno de Deus mas ela no , todavia, necessariamente a raiz da f na recepo do pecador ao evangelho. E, talvez, eu possa colocar a doutrina da perseverana dos santos na mesma lista. H muitos que, sem dvida, iro perseverar at o fim, mas no podem aceitar a possibilidade de estarem garantidos disso.Eles esto to ocupados com os pensamentos de suas provaes, que eles no vm a amadurecer o conhecimento de sua completa salvao. Eles so seguramente mantidos enquanto eles no 5. Projeto Spurgeon A Espada e a Espatla Maro de 20125confiam em sua garantia, assim como h milhares de eleitos que no acreditam na eleio. Enquanto a doutrina calvinista to preciosa para ns ns nos sentimos prontos a morrer em sua defesa ainda que ela no configure um teste do estado espiritual do homem. Ns desejaramos que todos os nossos Irmos e Irmos concordassem conosco, mas um homem pode ser quase cego, e ainda assim ele pode viver. Um homem com viso fraca e imperfeita pode ser capaz de entrar no Reino dos Cus de fato melhor entra l tendo um s olho, que tendo os dois olhos e sendo ortodoxo na doutrina ser lanado no fogo do inferno.Sermo A Raiz da Questo, n 505 do Tabernculo Metropolitan Pulpit, em breve no Projeto 6. Projeto Spurgeon A Espada e a Espatla Maro de 20126Qual a utilidade da apologtica? William Lane Craig Qual a utilidade da apologtica? O valor da apologtica vai muito alm do evangelismo dirio das pessoas. Quero apontar trs fins aos quais a apologtica se mostrar til. Moldar a cultura A apologtica til e ouso dizer at indispensvel para que o evangelho seja eficazmente ouvido. Em geral vivemos em uma cultura ocidental ps-crist cujo ambiente secularizado torna difcil sequer falar do Evangelho. A cultura secular acredita que acreditar em Deus est em p de igualdade com acreditar em duendes, tendo uma falsa ideia de que aquele que segue a razo invariavelmente se tornar ateu ou agnstico. E consideraes culturais so importantes porque o Evangelho nunca ouvido isoladamente; mas sempre ouvido em relao ao contexto cultural em que a pessoa vive. Ento, em uma cultura onde o cristianismo no mnimo uma opo vivel, h maior facilidade de testemunhar do Evangelho. nisso que a apologtica pode ser til. Fortalecer os crentes As emoes nos levam at certo ponto na vida crist, mas depois disto precisamos de algo mais substancial; e a apologtica ajuda a ter parte deste algo mais substancial. Inclusive apologtica pode ajudar (apesar de no poder impedir totalmente) pessoas de se desviarem. Contando uma experincia pessoal, um homem chegou para mim e me agradeceu porque um debate meu que ele viu foi o meio atravs do qual Deus impediu que ele se desviasse. Precisamos nos alertar para necessidade da apologtica em nossas famlias. Nossos jovens so atacados intensamente com a 7. Projeto Spurgeon A Espada e a Espatla Maro de 20127cosmoviso naturalista e relativista e se seus pais no estiverem intelectualmente engajados e tiverem bons argumentos em prol do tesmo cristo, estaremos no perigo iminente de perder nossa juventude. No suficiente ler histrias da Bblia para nossos filhos. Eles precisam de doutrina e apologtica. Evangelizar descrentes Apologtica um grande incentivo para o evangelismo, pois nada inspira mais confiana do que saber que temos boas razes para crer o que cremos e boas respostas para as perguntas dos descrentes. Os prprios apstolos quando pregavam aos judeus apelavam comprimento de profecias, aos milagres e ressurreio de Jesus. Contudo, quando diante de um pblico gentlico, eles recorriam s obras da criao como evidncia do Criador e, depois, s testemunhas oculares, afirmando que Deus se revelou atravs de Cristo e o ressuscitou. Estes so trs motivos que apresento porque apologtica benfica e portanto, deveria fazer parte de nossas igrejas, de nossas famlias e de nossas vidas.FONTE: texto William Lane Craig Quem precisa de Apologtica? resumo de Vincius Musselman para o blog Voltemos ao Evangelho na cobertura da primeira plenria do 8 Congresso Vida Nova de Teologia.Acesse em http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/03/william-lane- craig-quem-precisa-de-apologetica/Quais recursos voc tem dentro de si? Absolutamente nenhum. O que voc sem Deus? Pura necessidade.Pr. Josemar Bessa 8. Projeto Spurgeon A Espada e a Espatla Maro de 20128 9. Projeto Spurgeon A Espada e a Espatla Maro de 20129Saberia Eu? J.C.Ryle Saberia eu o grau e a grandeza do amor de Deus Pai para com um mundo pecador? Onde poderia observar isso de forma mais clara? Deveria olhar para o Seu glorioso sol, brilhando diariamente para o ingrato e malvado? Deveria eu olhar para a semente e sua colheita, retornando regularmente numa sequncia anual? Oh, no! No consigo encontrar maior prova de amor do que essa! Eu olho para a cruz de Cristo: e vejo nela no a causa do amor do Pai, mas sua consequncia. Ali eu vejo que Deus tanto amou esse mundo pecaminoso, que deu o Seu nico, primognito, Filho deu-o para sofrer e morrer para que qualquer pessoa que nEle cresse, no perecesse, mas tivesse a vida eterna. Eu sei que o Pai nos ama, porque por ns, Ele no negou se Filho, seu nico Filho. Ah, leitor, algumas vezes imagino que Deus o Pai muito grande e santo para se importar com criaturas to miserveis e corruptas como ns: mas no posso, no devo me atrever a pensar isso quando olho para o sofrimento de Cristo no Calvrio.Saberia eu o quanto o pecado depravado e abominvel na viso de Deus? Onde posso ver isso de forma mais evidente? Deveria eu voltar histria do dilvio e ler como o pecado afogou o mundo? Deveria eu ir praia do Mar Morto e descobrir qual pecado provocou Sodoma e Gomorra? Deveria eu voltar aos judeus sem rumo, e ver como o pecado os espalhou pela face da terra? No: posso encontrar uma prova ainda mais clara: eu olho para o que aconteceu no Calvrio. L eu vejo que o pecado to obscuro e condenvel que nada, a no ser o sangue do Filho de Deus, poderia lav-lo; l eu vejo que o pecado me separou tanto do meu santo Criador, que nem mesmo os anjos 10. Projeto Spurgeon A Espada e a Espatla Maro de 201210no cu poderiam fazer a paz entre ns: nada poderia nos reconciliar, apenas a morte de Cristo. Ah, se eu escutasse a conversa miservel do homem orgulhoso, poderia imaginar, talvez, que o pecado no fosse to pecaminoso; mas no posso pensar to pouco sobre ele, quando olho para o Calvrio.Saberia eu a plenitude e a perfeio da salvao que Deus providenciou aos pecadores? Onde posso v-la mais distintamente? Devo eu ir s declaraes gerais na Bblia sobre a misericrdia de Deus? Devo descansar na usual verdade de que Deus um Deus de amor? Oh, no! Eu olharei para a crucificao no Calvrio. No encontro outra evidncia como essa: no encontro conforto para uma conscincia aflita e um corao atribulado como a viso de Jesus morrendo por mim na cruz maldita. L eu vejo que um pagamento completo foi feito por todos os meus pecados horrveis