Click here to load reader

Gestao estrategica de_processos_no_setor_publico_conagesp

  • View
    2.042

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Como produzir e entregar mais e melhores resultados para melhoria da qualidade de vida das pessoas? Como “fazer mais com menos” e melhor aplicar os recursos públicos? Estes são alguns dos desafios que se colocam para os gestores públicos.Esta apresentação, realizada no II Conagesp, aborda fatores críticos para implantação de planos de desenvolvimento em governos estaduais e municipais. Usando como exemplo o caso de Minas Gerais, o documento mostra como passar da estratégia à implantação, através da organização de uma carteira de projetos e da aplicação da gestão estratégica de processos.O trabalho com o governo de Minas Gerais foi realizado pela Macroplan em parceria com a Enjourney. A apresentação também foi elaborada e apresentada pelas duas consultorias.

Text of Gestao estrategica de_processos_no_setor_publico_conagesp

  • 1. Agenda1 DESDOBRAMENTO DA ESTRATGIA EM PROCESSOS2 CONCEITOS E FUNDAMENTOS EM GESTO DE PROCESSOS GESTO ESTRATGICA DE PROCESSOS NO GOVERNO DE MINAS GERAIS:3 METODOLOGIA E RESULTADOS Capacitao Inventrio de Processos Priorizao dos Processos Estratgicos ] Elaborao dos Planos de Ao Gesto de Processos no Dia a Dia4 COMENTRIOS FINAIS
  • 2. DA ESTRATGIA AOS PROCESSOS
  • 3. Dois desafios se colocam para osgestores 1. COMO PRODUZIR E ENTREGAR MAIS E MELHORES RESULTADOS PARA MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DAS PESSOAS? 2. COMO FAZER MAIS COM MENOS E MELHOR APLICAR OS RECURSOS PBLICOS ? 4
  • 4. Relao entre despesa e desempenho nasredes pblicas estaduais de ensino bsico(2007) 1,0 MG RS PR 0,9 SC MS 0,8 SP QUALIDADE DO ENSINO ES 0,7 MT GO 0,6 RJ 0,5 AM RO AC RR 0,4 PB BA TO CE 0,3 PA MA PI SE AP 0,2 PE RN 0,1 AL 0,0 0,0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1,0 DESPESA POR ALUNOFonte: O gasto pblico no Brasil: entenda a qualidade dos gastos pblicos do Brasil Jlio Francisco Gregory Brunet,Clayton Brito Borges e Ana Maria de Aveline Bert Campus 2012 5
  • 5. Eficcia na funo Sade nas Unidadesda Federao (2007) 1,0 0,9 0,8 GO 0,7 MG ES DF SC RN RESULTADO PR SP 0,6 PB PA SE RO MT AC 0,5 BA CE AL TO RS MA PI RJ AM MS AP RR 0,4 PE 0,3 0,2 0,1 0,0 0,0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1,0 INSUMOFonte: O gasto pblico no Brasil: entenda a qualidade dos gastos pblicos do Brasil Jlio Francisco Gregory Brunet,Clayton Brito Borges e Ana Maria de Aveline Bert Campus 2012 6
  • 6. Eficcia na funo Sade nas Unidadesem alguns pases selecionados 1,0 Itlia 0,9 Frana Espanha Dinamarca 0,8 Sucia Canad Alemanha Portugal 0,7 Reino Unido DESEMPENHO Chile Grcia Estados Unidos 0,6 0,5 Mxico 0,4 Brasil 0,3 Argentina 0,2 Peru ndia 0,1 0,0 0,0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1,0 DESPESAS COM SADEFonte: O gasto pblico no Brasil: entenda a qualidade dos gastos pblicos do Brasil Jlio Francisco Gregory Brunet,Clayton Brito Borges e Ana Maria de Aveline Bert Campus 2012 7
  • 7. Muitos so os problemas enfrentados ... EXPECTATIVAS DA1. Pulverizao de esforos, com baixo rendimento SOCIEDADE2. Presso das urgncias: imediatismo e improvisao como estilo DESCOMPASSO predominante de trabalho ENTRE A OFERTA E A DEMANDA3. Baixa coeso e senso de propsito4. Descontinuidade de recursos INSATISFAO5. Excesso de restries e atrasos na execuo de aes CAPACIDADE DE ENTREGA6. Baixa capacidade de realizao de investimentos estruturantes7. Sobreposio de funes ANO 1 ANO N
  • 8. Fatores crticos de sucessoExperincia Macroplan VISO DE LONGO PRAZO. PLANEJAMENTO DE LONGO PRAZO QUE DEFINA CLARAMENTE OS OBJETIVOS A SEREM ALCANADOS E SUAS METAS ESTRATGIA DUAL. FORMULAR E IMPLANTAR UMA ESTRATGIA INOVADORA QUE ASSOCIE A POLTICA DE AJUSTAMENTO ESTRUTURAL DAS FINANAS PBLICAS COM A EXPANSO E MELHORIA DA PRODUO DE BENS E SERVIOS PBLICOS GERENCIAMENTO INTENSIVO. GERENTES EMPREENDEDORES E CAPACITADOS JUNTAMENTE COM UM SISTEMA DE INFORMAES GERENCIAIS EM TEMPO REAL QUE PERMITA A TOMADA DE DECISO TALENTOS GERENCIAIS. PROFISSIONAIS DISPONVEIS E DESIGNADOS PARA CONDUZIR AS AES PRIORITRIAS DO GOVERNO
  • 9. Fatores crticos e lies aprendidas com aimplantao de Planos de Desenvolvimento CAPACIDADE DE INVESTIMENTO E MOBILIZAO DE RECURSOS. PROJETOS ESTRUTURANTES QUE MOBILIZAM RECURSOS DE UMA REDE DE PARCEIROS PBLICOS E PRIVADOS. LIDERANAS ENGAJADAS. GOVERNANTES ENVOLVIDOS PESSOALMENTE NA COBRANA DA EXECUO DAS PRIORIDADES E MOTIVAO DAS EQUIPES ENGAJAMENTO DA SOCIEDADE. PRECISO ESTABELECER UMA AGENDA DE COMUNICAO E ENVOLVIMENTO EFETIVO DA SOCIEDADE, COM FOCO NA EXECUO DAS PRIORIDADES MELHORIA DE PROCESSOS ESTRATGICOS. MELHORIA DO DESEMPENHO DE PROCESSOS CRTICOS COM IMPACTO DIRETO NA QUALIDADE DE VIDA DA POPULAO.
  • 10. Da estratgia implantao UMA RESPOSTA A TRS PERGUNTAS ESTRATGIAS, PROJETOS