Click here to load reader

Perfil Eja

  • View
    9

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Um material ótimo para pesquisa sobre a modalidade Educação de Jovens e adultos - EJA contém um relatório deta lhado sobre o perfil do alunado dessa modalidade de ensino.

Text of Perfil Eja

  • Coleo Uma nova EJA para So Paulo

    CADERNO 3:TRAANDO O PERFIL DE ALUNOS E PROFESSORES DA EJA.

    Este caderno foi elaborado pela Secretaria Municipal de Educao, Diviso deOrientao Tcnica da Educao de Jovens e Adultos DOT-EJA com a assessoriapedaggica da ONG Ao Educativa.

    COORDENAO EDITORIALLourdes de Ftima Paschoaletto PossaniJoana Alves da Silva

    TEXTOVera Masago Ribeiro

    COLABORAOCoordenao da pesquisa: Silvana MussalimConstruo dos instrumentos de pesquisa e elaborao do caderno: Cludia Vvio,Mayra Moura, Silvana MussalimAmostragem e trabalho de campo: Fernando Valentim, Mayra Moura e Hayde MariaLobo DiasElaborao de relatrio tcnico da pesquisa: Isabel de Almeida (Feusp), Maria Amliado Rosrio Santoro Franco (Unisantos) e Angela Maria Martins (FCC e Unisantos).

    REVISO DE TEXTOSolange Martins

    REVISO DE CONTEDOComisso Editorial da DOT-G

    DIAGRAMAO E ARTESelma Bertachini Pacheco

    DIREITOS AUTORAISSME Secretaria Municipal de Educao de So Paulo

    CO.DOT/EJASA. 007/04

  • 1

    APRESENTAO

    O terceiro caderno da Coleo Uma Nova EJA para So Paulo, Traando operfil de alunos e professores da EJA, traz uma sntese da pesquisa realizada duranteo movimento da Reorganizao e Reorientao Curricular da Educao de Jovens eAdultos (RRCEJA) na cidade de So Paulo.

    Esta pesquisa teve por objetivo fornecer dados para as equipes tcnicas da SecretariaMunicipal de Educao (SME), propiciando ter uma viso abrangente da Educao deJovens e Adultos (EJA) na Rede Municipal de Ensino de So Paulo (RME). Estes dadosindicam suas principais conquistas, problemas e elementos para a escolha de prioridadesde interveno nesta modalidade de ensino.

    Os profissionais que atuam na EJA j possuem conhecimentos sobre seus educandose sobre as escolas onde atuam, conhecimentos estes baseados na experincia pessoal enas trocas entre colegas, alm de pesquisas realizadas na prpria escola. Entretanto, aSME considerou importante contar com indicadores que pudessem ampliar esteconhecimento sobre a EJA que temos, visando transform-la.

    Lembramos que este caderno exige mais do que uma leitura individual por parte doseducadores; pressupe uma reflexo coletiva para que se possa fazer a relao com arealidade local e, ainda, que toda a interveno pedaggica carece de consensos entreeducandos e educadores, tanto sobre as estratgias e s opes poltico-pedaggicasque podem ser viabilizadas na Educao de Jovens e Adultos.

    DOT-EJAJulho de 2004

  • 2

  • 3

    S U M R I O

    5

    11

    16

    23

    7

    PG.

    7

    16

    19

    27

    25

    33

    INTRODUO

    O PERFIL DE EDUCANDOS E PROFESSORES

    Quem so os educandos

    Quem so os professores

    O AMBIENTE EDUCATIVO

    Virtudes e problemas

    Ambiente humano

    Ambiente fsico

    Os tempos da EJA

    PRTICA PEDAGGICA E CONTEDOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM

    Organizao do processo de ensino-aprendizagem

    Contedos de ensino-aprendizagem

    FORMAO CONTINUADA DOS PROFESSORES

    30

    27

  • 4

  • 5

    EEEEEEm 2003, o movimento de Reorientao e Reorganizao Curricular da Educao de Jovens e Adul-

    tos inclui nas atividades programadas a elaborao de uma pesquisa para traar o perfil de educandos eprofessores que atuam na RME/SP.

    A principal justificativa foi a de que um movimento que se quer consistente e emancipador precisaestar conectado s necessidades e interesses daqueles que tomam parte da EJA, alm de estar baseado emalgumas informaes essenciais:

    perfil sociodemogrfico dos educandos, suas necessidades e expectativas de aprendizagem;condies de trabalho e expectativas dos professores;situao do contexto educativo e das prticas pedaggicas que se quer aperfeioar.

    Para cumprir esse objetivo, foram elaborados instrumentos de pesquisa um questionrio para oseducandos e outro para os professores para coletar informaes sobre o perfil sociodemogrfico e asopinies de cada um sobre o contexto e as prticas pedaggicas da EJA. Por limitao dos recursos dispo-nveis, no participaram desta pesquisa os demais educadores envolvidos com a EJA (equipes tcnicas efuncionrios). A amostra de professores tambm precisou ser reduzida, dando-se prioridade aos educandos.No total, foram entrevistados 905 educandos e 212 professores.

    As amostras foram construdas com critrios estatsticos, a fim de representar o conjunto da rede.Para definir a amostra de educandos, levou-se em considerao a quantidade total de educandos porregio da cidade para calcular quantos seriam entrevistados em cada regio, buscando uma distribuioproporcional. Nas vrias regies foram sorteadas escolas (no total 90) e, em cada uma delas, sorteadasturmas e educandos a serem submetidos entrevista. A margem de erro adotada para a amostra deeducandos foi de 3% com intervalo de confiana de 95%.

    Esses so conceitos estatsticos que querem dizer o seguinte: os resultados relativos ao conjunto doseducandos podem variar em 3 pontos percentuais para cima ou para baixo; esta , portanto, a margem deerro da pesquisa. O intervalo de confiana de 95% significa que, se a pesquisa se repetisse com cem dife-rentes amostras de educandos do mesmo tamanho, os resultados seriam os mesmos em 95 das vezes.

    Para a amostra de professores, foram utilizados iguais procedimentos de sorteio nas 90 escolas,garantindo a proporo na distribuio de docentes por regio. Entretanto, como a amostra de professo-res foi menor, a margem de erro maior, 5%; isso quer dizer que os resultados podem variar em 5 pontospercentuais para cima ou para baixo.

    Mesmo com essa variao em relao ao conjunto dos professores, os resultados obtidos com pro-fessores e educandos do uma boa viso do perfil e das principais tendncias nas opinies desses doissegmentos.

    Nos questionrios foram utilizadas perguntas fechadas, em que o entrevistado escolhe uma entrediversas alternativas predefinidas, e perguntas abertas, s quais o entrevistado responde espontaneamen-te. As respostas espontneas foram categorizadas posteriormente, de modo que possibilitassem uma pers-pectiva de conjunto sobre os temas mencionados.

    H tambm perguntas com resposta nica (por exemplo, qual a sua idade, qual o horrio de entradade sua preferncia, qual a melhor forma de organizar o ensino etc.). Nesses casos, os percentuais dadosa cada resposta devem sempre somar 100%. Igualmente existem perguntas que possibilitam mltiplasrespostas (por exemplo, cite os trs maiores problemas de sua escola, que tipos de revista voc costuma ler

    INTRODUO

  • 6

    etc.). Em tais casos, a soma dos percentuais pode exceder os 100%, pois um mesmo entrevistado d maisde uma resposta. Nas tabelas apresentadas neste caderno, procuramos dar indicaes sobre esses aspec-tos, para facilitar a leitura e interpretao dos dados.

    Nenhuma pesquisa consegue reproduzir fielmente, sem nenhum tipo de desvio, a realidade como ela. Pode haver desvios no modo como as perguntas so feitas e na maneira de os entrevistados responderem.Mesmo assim, a pesquisa quantitativa, que permite sintetizar e comparar dados sobre um grande nmero depessoas, pode ajudar-nos a ter uma viso abrangente dos fatos, muitas vezes nos fazendo rever o sensocomum. Dados como esses so fundamentais para orientar as polticas pblicas e possibilitar odimensionamento de cada realidade local em funo do conjunto. Para isso, no entanto, preciso que osdados sejam analisados e discutidos tanto pelos rgos centrais da SME como pelas comunidades escolares.

  • 7

    O PERFIL DE EDUCANDOS E PROFESSORES

    QUEM SO OS EDUCANDOS

    A diversidade uma das principais marcas do corpo discente da EJA: diferentes idades, diferentes experincias devida, diferentes bagagens culturais. Por outro lado, algumas experincias e expectativas so comuns maioria:impossibilidade ou dificuldade de realizar os estudos na idade regular, necessidades relacionadas ao trabalho,expectativas de aprendizagem e desenvolvimento pessoal. Os dados coletados com os educandos da EJA-SME/SP confirmam essas caractersticas.

    Jovens e adultosA EJA-SME/SP atende educandos de diferentes faixas etrias; 43% podem ser considerados jovens

    (at 25 anos) e os demais, adultos. O grfico 1 mostra a distribuio etria dos educandos com mais detalhes.

    A seguir, so apresentadas algumas caractersticas dos adolescentes, jovens e adultos que freqen-tam a EJA na Rede Municipal de So Paulo.

    Grfico 1

  • 8

    Podemos constatar, portanto, que existem diferenas entre os jovens e os adultos, mas tambm semelhanas.Como era de se esperar, h mais jovens solteiros e sem filhos menores de idade, embora seja fato que uma parte dosjovens j tem, como os adultos, responsabilidades familiares. Entre os jovens, maior o percentual daqueles quenasceram na Grande So Paulo, mas h um contingente grande de jovens que vieram do Nordeste. Outro pontoimportante em comum: em todas as faixas etrias a maioria constituda por trabalhadores, e uma grande parteenfrenta o problema do desemprego. Observem que o desemprego atinge principalmente os mais jovens.

    Finalmente, pode-se verificar ainda que h maior proporo de adolescentes e jovens cursando osegundo ciclo.

    Gnero, raa e religioAlm das diferenas quanto idade, temos outros aspectos que compem a diversidade dos educandos

    da EJA.No conjunto dos educandos, 55% so mulheres e 45% homens. interessante o fato de a maioria,

    entre os jovens, ser de rapazes. Provavelmente isso acontece porque os meninos esto sendo excludos doensino regular mais cedo do que as meninas, como indicam as estatsticas educacionais brasileiras. Assim,na EJA, esto predominando homens mais jovens e mulheres mais velhas (Grfico 2). Coerentemente,temos mais mulheres casadas, separadas ou vivas (55%) e que tm filhos menores de idade (54%). Amaior parte tambm trabalha fora de casa (43%) ou est