Click here to load reader

Teatro - Sintese Historica

  • View
    2.149

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Teatro - Sintese Historica

Teatro Define o ato de interpretar, principalmente a palavra, criar personagens e vivenciar a obra potica. Nasceu com o prprio homem e seus anseios. Surge na Grcia antiga: Theatron e incorporado no latin: Theatrum. Indica o edifcio, o espao ou construes ao ar livre para a encenao de espetculos, Como afirmou Nelson de Arajo na Histria do Teatro, todas as tentativas de definio do teatro convergem para um ponto comum, onde so eliminadas as dificuldades do terreno, quando ao ar livre, ou acstica, visando a comunho do pblico com um espetculo vivo. Vale dizer que por excelncia uma arte em comunidade e de comunidade. As primeiras manifestaes cnicas eram predominantemente religiosas do ponto de vista de sua imagem histrica, mas tambm e, tal como cerimnia, o ato era portador de mensagens sociais, como exigimos hoje, vinte e cinco sculos depois. Teatro de Arena E foi tambm o ano em que surgiria o Teatro de Arena, uma antiga aspirao de Jos Renato Pcora. O espao pequeno, com capacidade para 150 pessoas e muito prximo dos atores, exigia de cada intrprete, uma criao interiorizada. Surge "Marido Magro Mulher Chata" de Augusto Boal, foi a pea que marcou a abertura do inovador espao. Vrios espetculos foram montados como: "S o Fara tem Alma" e "Chapetuba Futebol Clube" de Oduvaldo Vianna Filho. Tudo isso para se chegar ao grande momento. A montagem de "Eles no usam Black-Tie" de Gianfrancesco Guarnieri. No elenco: Llia Abramo, Eugnio Kusnet, Gianfrancesco Guarnieri, Riva Nimitz, Celeste Lima, Francisco de Assis, Milton Gonalves, Henrique Csar, Flvio Migliaccio, Xando Batista e Nelson Xavier. Llia Abramo interpretando Mariana, recebeu todos os prmios em So Paulo e Rio de Janeiro. O sucesso de crtica e pblico graas a receptividade de "Eles no usam Black-Tie", aliviou o Teatro de Arena de uma situao difcil que vinha atravessando. E foi naquele espao mgico que foram encenados anos mais tarde grandes musicais como: "Arena Canta Zumbi" e "Arena Canta Tiradentes". Depois de 45 anos continua em p, com o espao aberto a grupos de todo o Brasil, graas a dinmica administrao da FUNART.

O Teatro no Brasil

Pe. Jos de Anchieta Beatificado pelo papa Joo Paulo II, em 22 de junho de 1980, Padre Jos de Anchieta, o apstolo do Brasil, fundador do nosso teatro, contava apenas 19 anos quando deixou Lisboa. Em misso de Companhia de Jesus, chegou Bahia no dia 8 de junho de 1553, na comitiva de 2 governador-geral Duarte de Costa. Embora muito jovem, era considerado um dos mais cultos da congregao, da ter sido enviado ao novo continente, descoberto h apenas 47 anos. Poeta dos mais admirados em Coimbra e escritor e autor de mistrios, utilizava-se do latim, portugus, espanhol e tupi. Nasceu em 1534 em Tenerife, uma das ilhas Canrias, tendo ingressado ainda garoto na Companhia de Jesus, da sua profunda formao religiosa e cultura. Escrevia cartas, contos, sermes e poemas religioso e textos dramticos. Expressava-se na linguagem popular e erudita. Quando permaneceu como refm dos ndios tamoios, escreveu o famoso poema, "De Beata Virgine dei Matre Maria" que continha 5902 versos. Como dramaturgo, Anchieta deixou originais modelos: "Na Festa de So Loureno", "Pregao Universal", "A Santa Ins", "Na Vila da Vitria". "Mistrio de Jesus" e "O Rico Avarento e o Lzaro Pobre", esta ltima encenada em Pernambuco em 1575. As primeiras platias que assitiam as apresentaes dos jesuitas, sempre abordando obras de Anchieta e por ele mesmo dirigidas eram formadas por tribos, atradas pelo acontecimento, europeus, e mal feitores de toda casta, para c enviados em degrdo. Familias j formadas aqui e nobres, faziam-se presentes, como tambm figures pertencentes administrao, quer como funcionrios ou chefes.

Esttua do Pe. Jos de Anchieta

Entre os intrpretes das obras teatrais, era comum figurarem ndios catequizados como: Guiaxara. Aimbire e Saravana que, foram personagens de relevo do clebre auto: "Mistrio de Jesus". Ao lado do Pe. Manoel da Nbrega. No dia 25 de janeiro de 1554, O Pe. Jos de Anchieta tomou parte atuante na fundao de So Paulo e com justos fundamentos, considerado "Fundador de So Paulo", j que defendeu Piratininga do ataque dos Tamoios, durante a realizao da primeira missa celebrada no planalto. Vibrante como poucos, 13 anos depois, em 1567, teve importante desempenho na expluso dos franceses do Rio de Janeiro. Com produo incessante, em 1595, foi publicada em Coimbra, a sua Arte de Gramtica da Lngua Mais Usada na Costa do Brasil". No dia 9 de junho de 1597, em Reritiba no Espirito Santo (hoje Anchieta) falece o Venervel jesuita. Dos seus 63 anos de existncia, 45 foram vividos na Companhia de Jesus; 3 em Portugal e 25 no Brasil.

Nossa Dramaturgia Com o desaparecimento do Pe. Jos de Anchieta em 1597, e a constante preocupao dos portugueses com as invases ao cobiado novo continente, o incio da escravatura e o nascimento dos latifundirios, poucas manifestaes literrias e artsticas ocorreram no sculo XVII. A no ser a poesia do baiano Gregrio de Matos e a obra teatral de Manoel Botelho de Almeida, tambm baiano, e considerado o primeiro brasileiro a escrever para teatro. S no incio do sculo XVIII, ou seja em 1705, nasceria Antnio Jos da Silva o Judeu, um dos precurssores do teatro brasileiro Chegaram at ns: "A vida de D. Quixote", "Encantos de Media" e "O Anfitrio". No incio do sculo XIX que se revela a gneses dramtica com as obras de Gonalves de Magalhes nascido em 1811 e que escreveu: "Antnio Jos ou o Poeta e a Inquisio" e "Olgiato". Com Luiz Carlos Martins Pena, nascido no Rio de Janeiro a 5 de novembro de 1815 e, tendo falecido em Lisboa a 7 de dezembro de 1848, com apenas 33 anos, vtima da tuberculose, que surge a comdia de costumes. Entre inmeras escritas entre 21 e 31 anos, citamos: "O Juiz de Paz na Roa", "O

Judas em Sbado da Aleluia", "O cigano", "Irmo das Almas", "Cime de um Pedestre", "Os Dous ou o Ingls Maquinista" e "O Novio", esta ltima estreada no Rio em 1843 e nos ltimos anos a obra teve trs verses. Uma com Bibi Ferreira, interpretando o protagonista; montagem do Teatro de Arena e recentemente do grupo TAPA. Tipicamente brasileiro. Ainda no sculo XIX e por ordem cronolgicas tivemos os seguintes dramaturgo: Joaquim Manoel de Macedo, 1820-1882; Gonalves Dias, 1823-1864; QorpoSanto, 1833-1883; Frana Junior, 1838-1890 e Artur Azevedo, nascido em 7 de julho de 1855. considerado o pai da burleta, gnero tipicamente brasileiro, j que graas aos seus textos, nasceria a revista musical em nosso pas, ainda hoje em pleno vigor na Argentina. Embora tenha vivido somente at os 43 anos, sua obra muito extensa. Entre as mais conhecidas: "Capital Federal", dirigida por Flvio Rangel e grande elenco, encabeado por Etty Frazer, Chico Martins, Suely Franco e Eliana kwasinski. Temos ainda "Uma Vspera de Reis". "O badejo", "Almanjarra" e "Mambembe", j encenada por Fernanda Montenegro e o Teatro dos Sete. Deve-se a Artur Azevedo a Construo do Teatro Municipal do Rio, inaugurado no dia 14 de julho de 1909, com a presena do prefeito Nilo Peanha que, na ocasio descerrou uma placa: Teatro Municipal Artur Azevedo. O dramaturgo falecera um ano antes na sua querida So Luiz do Maranho. Gasto Tojeiro Seguindo a ordem cronolgica de nascimentos, temos agora: Gasto Magalhes Tojeiro que viveu entre 1880 e 1965. Simboliza bem o espirito, o clima da transio do sculo. Escreveu mais de cem peas e, uma delas sucesso de Walmor Chagas e Lilian Lemmertz: "Onde Canta o Sabi". o patrono da Sociedade Ltero-Dramtica, pioneira na apresentao de leituras pblicas h sete anos. Nascido em 1892, Oduvaldo Viana foi um dos mais dinmicos e criativos de sua poca. Alm de ter escrito textos como: "Feitio", "Cano de Felicidade", "Manhs de Sol", "Amor", "Castagnero" e "O Vendedor de Iluso". Homem verstil, dirigiu Vicente Celestino e Gilda de Abreu no filme, "Bonequinha de Seda" e foi o pioneiro em rdionovelas na dcada de 40. Faleceu no Rio de Janeiro em 1972.

Silveira Sampaio que nasceu em 1914 e faleceu muito cedo em 1964, foi o primeiro one-man-show do Brasil e responsvel pelo gnero Talk-show, tendo agora um seguidor que o J Soares. Autor de uma dramaturgia muito original, atuou em quase todos seus espetculos. Talento cmico, sempre teve plateias cativas. "A Inconvenincia de ser Esposa", "Da Necessidade de ser Polgamo" e "A Garoniere de meu Marido", fazem parte da "Trilogia, do Heroi Grotesco". "S o Fara tem Alma"fez sucesso no Teatro de Arena. Fase Moderna Embora o teatro, a dramaturgia no fizessem parte das manifestaes da "Semana de 22", foi Mrio de Andrade, poeta, folclorista e contista, um dos que primeiro usaram em suas obras a lngua nacional, libertando as formas literrias brasileiras, das regras gramaticais da lngua de portugal. Quanto ao grande ator Joo Caetano, nascido no Rio de Janeiro em 1808, foi um dos pioneiros na criao de uma dramaturgia e, de uma arte de representar, autenticamente nacionais. O ano de 1948, foi muito importante para a cena brasileira. Enquanto no Rio de Janeiro Pascoal Carlos Magno, fundador do Teatro do Estudante do Brasil, estreava "Hamlet", com Cacilda Becker e Srgio Cardoso, aqui em So Paulo era inaugurado o Teatro Brasileiro de Comdia, no dia 11 de outubro com o monlogo "A Voz humana" de Gean Cocteau, interpretado por Henriette Morineau num espetculo que era complementado com "A Mulher do Prximo" de Abilio Pereira de Almeida. Era o incio da nova fase do teatro brasileiro em nosso pas. A inaugurao do TBC surgiu graas as iniciativas de Franco Zampari, Francisco Matarazzo Sobrinho e Paulo lvaro Assuno. Assim como a fundao da Companhia Cinematogrfica Vera Cruz. O primeiro filme a ser produzido foi "Caiara", com direo de Tom Payne tendo no elenco Eliane Lage e Ruth de Souza nos principais papis. Dinamismo Com a inaugurao do Teatro Brasileiro de Comdia em So Paulo e o Teatro de Estudantes no Rio, seguidas depois pelos "Os Comediantes", a dramaturgia e encenaes no Brasil adquirem novo impulso e surgem espetculos de impacto, principa