Historia objeto sustentavel

  • View
    49

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Historia objeto sustentavel

  • FUNDAO DE ASSISTNCIA E EDUCAO FAESA

    FACULDADES INTEGRADAS ESPRITO-SANTENSES

    CURSO SUPERIOR DE DESIGN COM HABILITAO EM DESIGN DE INTERIORES

    DESIGN SUSTENTVEL ROLHA DE

    CORTIA COMO REVESTIMENTO

    DECORATIVO

    VITRIA

    2011

  • SARA ANDRADE

    DESIGN SUSTENTVEL - ROLHA DE

    CORTIA COMO REVESTIMENTO

    DECORATIVO

    VITRIA

    2011

    Trabalho Acadmico do Curso de Ensino

    Superior de Design com Habilitao em Design

    de Interiores apresentado s Faculdades

    Integradas Espirito-Santenses, como parte das

    exigncias da disciplina de Histria do Design

    sob orientao da professora Tnia Maria

    Crivilim.

  • Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma(Lavoisier,

    Antoine Laurent).

  • Caractersticas A cortia a casca do sobreiro (Quercus Suber L),uma rvore nobre com caractersticas

    muito especiais;

    Cresce nas regies mediterrnicas como Espanha, Itlia, Frana, Marrocos, Arglia e

    Portugal;

    uma rvore de grande longevidade e com uma enorme capacidade de regenerao;

    leve;

    impermevel a lquidos e a gases;

    elstica e compressvel;

    excelente isolante trmico e acstico;

    combusto lenta;

    muito resistncia ao atrito

  • Histria No ano 3000 a.C, a cortia j era utilizada na China, no Egito, na Babilnia e na Prsia para

    fabricao de aparelhos destinados pesca;

    uma nfora* datada do sculo I a.C e encontrada em Efeso**: no s estava vedada com

    uma rolha de cortia como ainda continha vinho;

    no sculo I, o conhecido naturalista romano Plnio faz uma nova e extensa referncia ao

    sobreiro na sua clebre Histria Natural;

    em Pompia, a cidade romana destruda pela brutal irrupo do Vesvio, foram encontradas

    nforas de vinhos vedadas com cortia;

    *nforas so vasos antigos de origem grega de forma geralmente ovide e possuidoras de duas alas. Confeccionados em barro ou terracota, com duas asas simtricas,

    geralmente terminado em sua parte inferior por uma ponta ou um p estreito, e que servia sobre tudo para o transporte e armazenamento de gneros de consumo, tal

    como a Salmoura. Era usada pelos gregos e romanos para conter sobretudo lquidos, especialmente o vinho. Servia tambm para conter azeite, frutos secos, mel,

    derivados do vinho, cereais ou mesmo gua.

    **feso foi uma cidade greco-romana da Antiguidade situada na costa ocidental da sia Menor, prxima atual Selcuk, provncia de Esmirna, na Turquia. Durante o

    perodo romano, foi por muitos anos a segunda maior cidade do Imprio Romano apenas atrs de Roma, a capital do imprio.

  • durante as Descobertas, os construtores das naus e caravelas portuguesas que partiram

    descoberta de novos mundos, utilizavam a madeira de sobreiro no construo das partes mais

    expostas s intempries;

    No sculo XVIII, em Frana, o monge beneditino francs Dom Pierre Prignon, tesoureiro da

    Abadia de Hautvillers usou a cortia para vedar a garrafa do seu famoso champanhe Dom

    Prignon;

    Durante o sculo XIX, no Reino Unido patenteada a primeira mquina de fabricao de

    rolhas,

    durante a Segunda Guerra Mundial, este material passa a ser utilizado em mltiplos

    equipamentos militares;

  • Produo

    So precisos 25 anos at que um tronco de sobreiro comece a produzir cortia e a ser rentvel;

    s no terceiro descortiamento e nos seguintes, que se obtm a cortia com as propriedades adequadas

    para a produo de rolhas de qualidade;

    Aps o descortiamento, as pranchas de cortia permanecem expostas ao ar livre, ao sol e chuva.

    Durante este perodo de repouso d-se a maturao da matria-prima e a cortia estabiliza-se;

    A cozedura o processo de imerso das pranchas de cortia em gua limpa e a ferver. Aqui ficam durante

    pelo menos uma hora;

    depois da estabilizao da cortia, feito o procede de seleo das pranchas;

    as pranchas de cortia so cortadas em tiras com uma largura ligeiramente superior ao comprimento da

    rolha a fabricar;

    procede-se lavagem das rolhas que pode ser feita utilizando gua oxigenada ou cido paractico. Este

    banho serve para limpar e desinfectar as rolhas.

  • Caractersticas do produto painel feito com aglomerado de cortia expandido, decorado com fatias de rolha com espessuras diversas,

    causando assim um efeito ptico;

    placas com dimenses: 600 x 900x 5mm

    superficie: verniz a base de gua incolor, acabamento fosco, cor natural

    fixao: parafusos ou colado com cola de contato sem toluol

    manuteno: pano mido ou aspirador de p

    vantagens: a estrutura de cortia favorece a diminuio de rudos, tima propriedade de isolamento trmico

    natural.

  • Outras aplicaes

  • Devido a m utilizao dos recursos naturais, a escassez de matria-prima para

    confeco de mveis, objetos, roupas esto ficando cada vez mais

    comprometidas, e a procura de materiais que supram estas necessidades so

    constantes. Temos a rolha cortia como uma amiga da natureza, pois ela um

    material 100% natural, reciclvel e biodegradvel, que pode ser usada para

    confeco de moveis, pode ser triturada e ser aplicada em outras finalidades,

    basta ter criatividade.

    CONCLUSO

  • REFERNCIAS

    1. http://karlakrause.blogspot.com/2011/01/arte-com-rolha.html

    2. http://super.abril.com.br/cotidiano/como-surgiu-619316.shtml

    3. http://super.abril.com.br/superarquivo/2004/conteudo_327201.shtml

    4. http://mundoestranho.abril.com.br/materia/por-que-algumas-rolhas-para-vinho-nao-sao-mais-de-cortica

    5. http://mundoestranho.abril.com.br/materia/por-que-nas-adegas-as-garrafas-de-vinho-sao-guardadas-na-

    horizontal

    6. http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/5257

    7. http://www.apcor.pt/artigo/235.htm

    8. http://vinhoeblues.blogspot.com/2010/07/rolha.html

    9. http://blog.soliarte.com.br/2010/02/15/cortica-no-fundos-das-pecas-de-madeira/

    10. http://algarveflorestal.blogspot.com/2010/01/floresta-do-futuro.html

    11. http://biofuturehouse.blogspot.com/2010_06_20_archive.html