of 26 /26
Guia de sequências didáticas de ciências para o 7º ano REINALDO DO ESPÍRITO SANTO CAMILO NILÓPOLIS – RJ 2014

Guia de sequências didáticas 2014 - portal.ifrj.edu.br³s... · o 7º ano REINALDO DO ... do município do Rio de Janeiro desde 2010. O presente guia de sequências didáticas foi

Embed Size (px)

Text of Guia de sequências didáticas 2014 - portal.ifrj.edu.br³s... · o 7º ano REINALDO DO ... do...

  • Guia de sequncias

    didticas de cincias para

    o 7 ano

    REINALDO DO ESPRITO SANTO CAMILO

    NILPOLIS RJ 2014

  • 2

    SOBRE O AUTOR E A OBRA

    Reinaldo Do Esprito Santo Camilo graduado em cincias biolgicas e professor

    regente de cincias no ensino fundamental, desde 1991. Exerce a funo em escolas pblicas

    do municpio do Rio de Janeiro desde 2010.

    O presente guia de sequncias didticas foi elaborado durante o curso de Mestrado

    Profissional como parte das investigaes pedaggicas do Programa de Ps-Graduao Stricto

    Sensu em Ensino de Cincias do Campus de Nilpolis do Instituto Federal de Educao,

    Cincia e Tecnologia do Rio de Janeiro como parte dos requisitos para obteno do ttulo de

    Mestre em Ensino de Cincias. Sob a orientao do Prof. Dr. Luiz Edmundo Vargas de

    Aguiar. Destina-se contribuir com o trabalho docente na rea de cincias. Utilizando uma

    abordagem baseada em linguagem de fico cientfica. Dado ao fato de estar associada a

    dissertao que se intitulou: Fico Cientfica em sala de aula: Investigao participativa do

    uso da Linguagem de Fico Cientfica como Instrumento Pedaggico.

  • 3

    Manual de sequncias didticas

    7 ano cincias

    Objetivos Gerais:

    No mundo contemporneo marcado por rpidas transformaes sociais em que a

    presena da cincia e da tecnologia no cotidiano assume um papel cada vez mais significativo,

    o ensino de cincias deve contribuir para que o estudante possa assumir a sua cidadania com

    mais propriedade, melhorando a qualidade de vida pessoal e coletiva. Desenvolver a

    competncia de leitura e escrita por meio de diferentes linguagens. Desenvolver a observao,

    a capacidade de descrever e interpretar dados coletados em atividades prticas, o rigor e o

    esprito cientfico. Alm de promover o esprito crtico com relao ao papel da cincia. Assim, essencial que o ensino seja realizado em atividades variadas que promovam o aprendizado da maioria, evitando que as fragilidades e carncias se tornem obstculo intransponvel para alguns. Para o terceiro ciclo, so especialmente interessantes atividades que envolvam participao oral, como debates, dramatizaes, entrevistas e exposies espontneas ou preparadas, atividades em grupo voltadas para a experimentao, observao e reflexo. Entre estas atividades, aquelas de natureza ldica, gestual e coletiva, ao lado das de desenho, cumprem tambm a funo de minimizar a ruptura at mesmo afetiva do regime de professor de turma. (PCN's, 1998 pag. 57).

    Este manual se prope a exercer a funo de ferramenta pedaggica complementar,

    na abordagem dos contedos propostos pelo currculo do ensino fundamental. Como uma

    ferramenta colaboradora da atividade docente importante estabelecer que as atividades

    possam ser desmembradas, tornado possvel adequar o tempo disponvel com a proposta do

    professor em sala. Ao apresentar o tema pela primeira vez aos alunos pode se utilizar

    apenas o filme ou texto, deixando a atividade ldica (de desenho ou outra) para o final do

    captulo ou sugesto de trabalho para o bimestre. Acredito que desta forma a ferramenta se

    articule com o planejamento individual de cada regente. A maioria dos filmes e textos

    referidos neste guia, esta indicada com um link para acesso na internet. O propsito disto

    descomplicar o processo criativo do plano de aula alm de abrir fronteiras para um

    planejamento mais dinmico, expandindo o espao de sala para o cyberspao.

    Antes de iniciar qualquer uma das atividades propostas neste manual, tenha em

    mente a necessidade de organizar o espao para transmisso do vdeo. As atividades de texto

    podem ser passada como extraclasse, mas o ideal que seja feita em grupo na sala de aula

    com orientao do professor. Ao iniciar a atividade de desenho, verifique ou providencie

    papel, lpis e lpis de cor em quantidade suficiente para que a atividade possa ser realizada

    pelo mximo de alunos possvel.

  • 4

    Por ser uma proposta ldica interessante que seja espontnea. Para isso proponha a

    atividade como uma brincadeira e deixe claro que a participao voluntria e prazerosa e

    que no haver qualquer julgamento quanto qualidade do desenho.

    A possibilidade de alunos que no desejem participar inicialmente pode ser

    contornada com a criao de grupo ou grupos de apoio que possam colorir, desenvolver

    argumentos ou detalhes que enriqueam a estria. A participao secundria no trabalho

    interessante, desde que fiquem bem definidos os papis de cada integrante e que no haja

    componente ocioso.

    Nota importante sobre os links:

    Todos os links citados neste manual so funcionais e devem ser vistos como

    ferramentas para facilitar o trabalho de planejamento de aula. A partir dos mesmos possvel

    acessar a pgina dos filmes ou textos, isso deve diminuir a necessidade de equipamento como

    DVD, no entanto necessrio que se possua uma conexo com a internet.

  • 5

    SUMRIO

    A organizao dos seres vivos ...............................................................................................6

    Em busca de matria e energia ..............................................................................................9

    Os seres vivos se reproduzem e evoluem .............................................................................11

    A origem da vida ..................................................................................................................12

    Os vrus e a sade .................................................................................................................13

    As bactrias ..........................................................................................................................14

    Os fungos .............................................................................................................................16

    Os invertebrados ..................................................................................................................17

    Os insetos..................................................................................................................................18

    Os vermes..................................................................................................................................20

    Os vertebrados ......................................................................................................................21

    O reino animal...........................................................................................................................22

    Os vegetais................................................................................................................................23

    Bibliografia dos filmes usados..................................................................................................25

    Referncias dos textos usados...................................................................................................26

  • 6

    A organizao dos seres vivos

    Objetivo geral: Ao apresentar este item do contedo importante frisar que uma viso geral

    do mundo habitvel, ou seja, uma viso ecolgica ampliada o foco do estudo. O aluno deve

    ser capaz de reconhecer a interdependncia da vida e seu ambiente fsico.

    Objetivos especficos: Apontar a clula como a unidade fundamental da vida.

    Contextualizao do tema com conhecimentos prvios dos alunos. Dissertar sobre a origem

    do termo clula.

    Durao total: 4 aulas de 45min. Sendo 2 aulas para exibio do filme e comentrios e 2

    aulas para as atividades de leitura e desenho.

    Contedo programtico: organizao dos seres vivos, nveis de organizao de molcula

    populao, introduo a citologia, partes de uma clula tpica.

    Filme motivador : Evoluo (filme na integra dublado em portugus, disponvel em

    http://www.mixturefilmes.net/2012/05/assistir-evolucao-dublado-online-filme.html. Trechos

    do filme disponveis em: www.youtube.com)

    Sinopse do filme: Evoluo (Evolution) um filme estadunidense, do ano de 2001, do gnero

    fico cientfica e comdia, dirigido por Ivan Reitman.

    Um meteorito vindo do espao, carregando organismos extraterrestres, cai no deserto

    do Arizona, nos Estados Unidos. Os organismos rapidamente se adaptam ao novo ambiente,

    multiplicando-se e evoluindo e logo tornando-se uma ameaa real a toda a humanidade.

    Para combat-los enviado o exrcito americano e uma equipe de cientistas liderada

    pela Dra. Allison Reed (Julianne Moore), que precisar lidar ainda com os cientistas Ira Kane

    (David Duchovny) e Harry Block (Orlando Jones), os autores da descoberta acerca dos

    aliengenas.

    Texto para debate : A Guerra dos Mundos por H. G. Wells

    Livro Um: A Vinda dos marcianos Captulo Um: A Vspera da Guerra.

    Mas quem morar nestes mundos se eles sejam habitados?... Ns ou eles so Deuses do Mundo?... E como todas as coisas so feitas para homem? Kepler (citou

  • 7

    em A Anatomia de Melancolia)

    Ningum teria acreditado nos ltimos anos do dcimo nono sculo que este mundo

    estava sendo assistido sutilmente e de perto atravs de inteligncias maiores que do homem e

    ainda to mortal quanto ele prprio; que como os homens se atarefaram sobre as

    preocupaes vrias deles/delas que eles foram examinados e foram estudados, talvez quase

    to estreitamente quanto um homem com um microscpio poderia examinar as criaturas

    passageiras que enxameiam e multiplicam em uma gota de gua. Com homens de

    desvanecimento infinitos fez para l e para c em cima deste globo sobre os pequenos

    negcios deles/delas, sereno na garantia deles/delas do imprio deles/delas em cima de

    assunto. possvel que o infusoria debaixo do microscpio faam o mesmo. Ningum deu um

    pensamento para os mundos mais velhos de espao como fontes de perigo humano, ou

    pensamento deles s rejeitar a ideia de vida neles como impossvel ou improvvel. curioso

    para recordar alguns dos hbitos mentais desses dias passados. No mximo homens terrestres

    imaginados poderia haver outros homens no Marte, talvez inferior a eles e pronto a dar boas-

    vindas um empreendimento missionrio. Ainda pelo golfo de espao, mentes que so a nossas

    mentes como nosso so a esses das bestas que perecem, intelectos vasto e fresco e insensvel,

    considerou esta terra com olhos invejosos, e lentamente e seguramente puxou os planos

    deles/delas contra ns. E cedo no vigsimo sculo veio a grande desiluso.

    O planeta Marte, eu preciso incansavelmente lembrar o leitor, revolve sobre o Sol a

    uma distncia maior do que 145 milhes de quilmetros, e a luz que o aquece, recebida do Sol

    apenas a metade do que a recebido por este mundo. Deve ser, se a hiptese da nebulosa tem

    alguma verdade, mais velho que nosso mundo; e longo, antes do que esta terra, deixou de ser

    vulcnico e vida em sua superfcie deve ter comeado seu curso. O fato que tem atmosfera

    escassa, menos que um stimo do volume da terra, deve ter apressadamente esfriando a

    temperatura na a qual vida poderia comear. Tendo ar e gua e tudo aquilo necessrio para o

    apoio de existncia animada.

    Ainda to vo o homem, e assim encobriu pela vaidade dele que nenhum escritor,

    at o mesmo fim do dcimo nono sculo, expressou qualquer ideia que vida inteligente

    poderia ter desenvolvido l longe, ou realmente nada, alm de seu nvel terrestre.

    ...

    Atividade ldica de desenho em quadrinhos: os estudantes devem ser estimulados a fazer

  • 8

    uma atividade de interpretao da compreenso sobre a histria vista ou lida, atravs de uma

    sequncia de quadrinhos para recontar a histria.

    Avaliao: por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

    prvios e as provocaes levantadas no vdeo e texto. Deste modo so relevantes as imagens

    que se relacionam com os objetivos.

  • 9

    Em busca de matria e energia

    Objetivo geral: Este captulo busca relacionar a fluxo de energia vital para a cadeia alimentar

    e relaes ecolgicas.

    Objetivos especficos: Apontar a funo dos alimentos para o ciclo da vida; Definir

    fotossntese; Diferenciar seres autotrficos de seres; heterotrficos; Conceituar cadeia

    alimentar.

    Durao: 3 aulas de 45min. Sendo 1 aula para exibio do filme e comentrios e 2 aulas para

    as atividades de leitura e desenho.

    Contedo programtico: Conceituao de energia, introduo de fotossntese e respirao,

    conceituao de nvel trfico, fluxo de energia nos nveis trficos, introduo ecologia.

    Nota: O texto deve ser lido pelo professor com antecedncia para o caso de palavras ou

    significados distorcidos. importante que o texto impresso seja entregue para cada aluno ou

    grupo de alunos que lero em voz alta, para enfatizar a compreenso e retirar qualquer dvida

    sobre o significado de palavras pouco usadas no vocabulrio dos alunos.

    Para tornar a atividade mais atraente ao aluno, pode ser feita uma leitura dramatizada.

    Filme motivador:Fluxo de energia entre seres vivos (Energia) acesso em youtube:

    https://www.youtube.com/watch?v=HE-Vaj_jpEk

    Sinopse do filme:Vdeo produzido pela UNICAMP/ Laboratrio de Tecnologia Educacional,

    com apoio do FNDE/MEC, apresenta os conceitos de nveis trficos e fluxo de energia

    utilizando imagens e msica como argumentos para prender a ateno do aluno enquanto os

    conceitos so expressos. importante apontar a questo dos dogmas ecolgicos transmitidos

    e predominncia da ideia de energia biolgica.

    Texto: Eu rob de Issac Asimov capitulo 2: O rob brincalho (pag. 29, 31 e 32 )

    Enquanto falava, desparafusou a placa do peito do rob mais prximo e inseriu a esfera de

    duas polegadas de dimetro que continha a minscula centelha de energia atmica que dava

    vida aos robs. Houve alguma dificuldade para instal-la, mas Powell acabou conseguindo e

    tornou a colocar a placa do peito, trabalhando laboriosamente. Os controles de rdio dos

    modelos mais modernos eram desconhecidos dez anos antes. A seguir, passou a trabalhar nos

  • 10

    outros cinco robs.(...)

    Energia barata; a mais barata do Sistema Solar: energia do Sol. E, como sabe, em

    Mercrio a fora do Sol uma coisa. Por esse motivo, a Estao Mineira foi instalada no

    lado iluminado, ao invs de s-lo na face escura, ou sombra de uma montanha. Na realidade,

    ela no passa de um gigantesco conversor de calor. O calor transformado em eletricidade,

    luz, trabalho mecnico e tudo o mais; de tal forma, a luz do sol fornece toda a energia e, num

    processo simultneo, serve para refrigerar a Estao.

    Atividade ldica de desenho em quadrinhos sobre a histria vista ou lida: os estudantes

    devem ser estimulados a fazer uma atividade de interpretao da compreenso sobre a histria

    vista ou lida, atravs de uma sequncia de quadrinhos para recontar a histria.

    Avaliao: por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

    prvios e as provocaes levantadas no vdeo e texto. Deste modo so relevantes as imagens

    que se relacionam com os objetivos.

  • 11

    Os seres vivos se reproduzem e evoluem

    Objetivo geral: Neste item da sequncia busca se relacionar a reproduo com o sucesso

    evolutivo da espcie.

    Objetivos especficos: Diferenciar reproduo sexuada da assexuada; Relacionara

    hereditariedade e evoluo dos seres vivos; Definir seleo natural; Aplicar o conceito da

    seleo natural resistncia desenvolvida por bactrias e insetos aos produtos qumicos

    produzidos pelo homem para combat-los.

    Durao: 2 aulas de 45 min. Sendo 1 aula para o vdeo e comentrios e 1 aula para atividade

    de desenho.

    Contedo programtico: caractersticas gerais dos seres vivos, conceituao e tipos de

    reproduo, conceituao de evoluo e seleo natural, efeitos da tecnologia na ecologia.

    Filme motivador : Wallace e Gromit: A batalha dos vegetais

    Ttulo Original: Wallace and Gromit: The Curse of Were-rabit

    Estdio/Distrib.:Dream Works animation SKG.(84 min.) 2006 classificao livre.

    Sinopse do filme: Longa metragem de animao, classificado como comdia.

    Wallace, um inventor e seu fiel escudeiro, Grumit esto empenhados em proteger os vegetais

    premiados da regio e para isso so capazes de desenvolver dispositivos mecnicos para

    conter o aumento da populao de coelhos, no entanto nem tudo d certo. O surgimento de

    um monstro ir alterar a vida da pacfica comunidade e criar tenses competitivas.

    Atividade ldica de desenho em quadrinhos sobre a histria vista ou lida: os estudantes

    devem ser estimulados a fazer uma atividade de interpretao da compreenso sobre o

    contedo do vdeo, atravs de uma sequncia de quadrinhos, neste caso criando uma histria

    fictcia, mas factvel.

    Avaliao: por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

  • 12

    prvios e as provocaes levantadas no vdeo. Deste modo so relevantes as imagens que se

    relacionam com os objetivos.

    A origem da vida

    Objetivo Geral: Apresentar o tema evoluo dentro da perspectiva do senso crtico.

    Objetivos especficos: Contestar a ideia de gerao espontnea; Apontar a importncia do

    experimento de Pasteur; Representar por quadrinhos a histria da origem da vida.

    Durao: 3 aulas de 45min Sendo 2 aulas para o texto e 1 aula para atividade de desenho.

    Contedo: teoria da origem da vida no planeta terra, teorias evolucionistas, abiognese e

    biognese.

    Filme motivador : Discovery channel Teoria da Evoluo acessvel em youtube:

    https://www.youtube.com/watch?v=eDxgW354wFw

    Sinopse do vdeo: Desde o incio, a teoria da evoluo apresenta controvrsias entre grupos.

    Neste programa a construo histrica do pensamento evolucionista traada, destacando os

    pesquisadores que a formularam e defenderam, bem como suas interaes com outras reas

    do pensamento e filosofias. Na sequncia apresenta um debate entre evolucionistas e

    criacionistas que pontuam as bases de cada teoria e suas constataes, como fsseis e

    especulaes artsticas.

    Embora o vdeo no seja sobre fico cientfica, fica claro que na viso criacionista, a

    evoluo no passa de fico.

    Nota: O vdeo apresenta um debate especulativo. Por causa disso interessante que o

    professor veja com antecedncia o vdeo para orientar o debate que certamente surgira. O

    professor como mediador deve apaziguar os possveis arrobos religiosos que o vdeo suscita.

    Atividade ldica de desenho em quadrinhos sobre a histria vista: os estudantes devem

  • 13

    ser estimulados a fazer uma atividade de interpretao da histria, atravs de uma sequncia

    de quadrinhos com a inteno de recontar a histria ou denotar sua opinio.

    Avaliao: por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

    prvios e as provocaes levantadas no vdeo. Deste modo so relevantes as imagens que se

    relacionam com os objetivos.

    Os vrus e a sade

    Objetivo geral: Gerar um marco de discusso e reflexo sobre a importncia do

    conhecimento relacionado aos vrus, a sade e a sociedade.

    Objetivos especficos: Caracterizar os vrus. Apontar as defesas naturais do nosso corpo para

    combater os vrus; Diferenciar vacina de soro.

    Durao: 2 aulas de 45 min.

    Contedo: caractersticas dos vrus, viroses e vacina.

    Filme: Eu sou a lenda. Ttulo Original: I Am Legend (100 minutos)

    Pas de Origem: EUA

    Gnero: Drama

    Ano de Lanamento: 2007

    Estdio/Distrib.: Warner Home Vdeo

    Direo: Francis Lawrence

    Acessvel em: http://www.supercineonline.com/assistir-eu-sou-a-lenda-dublado-online.html

    Sinopse do filme: Um terrvel vrus incurvel, criado pelo homem, dizimou a populao de

    Nova York. Robert Neville (Will Smith) um cientista brilhante que, sem saber como, tornou-

  • 14

    se imune ao vrus. H 3 anos ele percorre a cidade enviando mensagens de rdio, na esperana

    de encontrar algum sobrevivente. Robert sempre acompanhado por vtimas mutantes do

    vrus, que aguardam o momento certo para atac-lo. Paralelamente ele realiza testes com seu

    prprio sangue, buscando encontrar um meio de reverter os efeitos do vrus

    Atividade ldica de desenho em quadrinhos do texto: os estudantes devem ser estimulados

    a fazer uma atividade de interpretao da compreenso sobre a histria vista ou lida, atravs

    de uma sequncia de quadrinhos para recontar a histria.

    Avaliao: por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

    prvios e as provocaes levantadas pelo texto. Deste modo so relevantes as imagens que se

    relacionam com os objetivos especficos.

    As bactrias

    Objetivo geral: Neste item a proposta apresentar o organismo bactria como um ser vivo

    competitivo, seu sucesso reprodutivo e a ameaa que representa quando associado a uma

    doena.

    Objetivo especfico: Caracterizar o grupo das bactrias. Destacar algumas caractersticas

    marcantes do grupo.

    Durao: 2 aulas de 45min. Sendo 1 aula para apresentao e discusso do vdeo e 1 para

    leitura e atividade de desenho.

    Contedo: caractersticas biolgicas das bactrias, com nfase nos aspectos microscpicos e

    reprodutividade.

  • 15

    Filme motivador: Gripe (the sneeze) acessvel em youtube:

    https://www.youtube.com/watch?v=ssYvrtwFb8M

    Sinopse do filme: o vdeo mostra a transmisso e rpida reproduo de um micrbio. O

    interessante deste vdeo que existe um erro grosseiro entre o ttulo e o organismo mostrado.

    Isso demonstra a noo do senso comum e possibilita discusses. O vdeo tem durao de 5

    min.

    Texto: Histrias para sala de aula: Uma bactria chamada Z (no prelo)

    por Reinaldo Camilo

    Em uma lata de lixo da esquina da rua do Afonso, mora uma colnia de bactrias do

    tipo cocos, da espcie Zogat. Colnia de bactrias uma grande famlia de seres unicelulares,

    onde todos trabalham para o bem comum, ou seja, ajudam se umas as outra dividindo

    tarefas. O grupo Zogat se especializou em decompor matria morta e causar infeces em

    pessoas. Nesta semana como no apareceu ningum para infectar decidiram devoram um rato.

    Na semana passada surgiu na colnia uma bactria diferente, a quem deram o nome de Z.

    Essa nova bactria tima na decomposio de matria morta, mais no consegue causar

    doenas em seres humanos. As mais antigas bactrias da colnia acreditam que ele seja um

    mutante, por isso Z foi expulso do grupo.

    Como Z timo em reproduo, j se formou uma nova colnia: a colnia do Z, que j

    ameaa a colnia original. A famlia do Z est de olho no esgoto da calada, pensando em se

    mudar. A lixeira ficou pequena...

    Atividade ldica de desenho em quadrinhos do filme ou do texto: os estudantes devem ser

    estimulados a fazer uma atividade de interpretao da compreenso sobre a histria vista ou

    lida, atravs de uma sequncia de quadrinhos para recontar a histria.No caso da histria

    interessante sugerir extrapolaes ou continuaes criadas pelos alunos.

    Avaliao: por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

    prvios e as provocaes levantadas no vdeo. Deste modo so relevantes as imagens que se

    relacionam com os objetivos.

  • 16

    Fungos

    Objetivo geral: Caracterizar o grupo fungo com um ser vivo que esta entre os micrbios e os

    metazorios.

    Objetivos especficos: Caracterizao biolgica e ecolgica do grupo dos fungos.

    Durao: 2 aulas de 45min. Sendo 1 aula para apresentao e discusso do texto e 1 para

    leitura e atividade de desenho.

    Contedo: Conceituao bsica do reino fungi, caractersticas importantes do grupo.

    Procedimental: A leitura do texto pelos alunos deve ser prvia a aula a fim de que surjam

    especulaes da possibilidade da fico e quais informaes so realidade cientfica.

    Texto: Histrias para sala de aula: O dia em que os fungos chegaro a Marte (no prelo)

    por Reinaldo Camilo.

    O Sol amanhece em uma linda plancie vermelha do planeta Marte. O cu

    tipicamente rosado. A composio atmosfrica aliengena se caracteriza por haver muito gs

    carbnico e quase nenhum oxignio. O solo tpico do planeta extremamente seco, no h

    fontes ou barragens de gua, na superfcie. A temperatura mdia no vero marciano de -

    10C. claro que tudo isso prejudicial vida dos seres vivos conhecidos no planeta Terra, a

    no ser para alguns tipos de bactrias.

    No planeta Terra os fungos competem a nvel ecolgico com as bactrias,

    disputando alimentos e gua. Como sabemos, tanto bactrias como fungos podem viver em

    ambientes sem oxignio. Se pelo menos houvesse gua em Marte, a disputa poderia continua

    l tambm.

    O cientista__________________ , chefe do departamento de Desenvolvimento

    Ambiental Extraterrestre Avanado ( DAEA), desenvolveu uma nova espcie de fungo capaz

    de armazenar gua e suportar as condies climticas de Marte. Ele acredita que

    decompositores podem criar condies favorveis para uma possvel colonizao de seres

    produtores, neste caso fungos associados s bactrias que fazem fotossntese (como o lquen).

    Essa uma das teorias da evoluo ambiental do nosso prprio planeta.

  • 17

    Na prxima semana, sero plantadas as primeiras amostras, na grande depresso

    marciana. Todos esperam ansiosos pelo futuro(...).

    Atividade ldica de desenho em quadrinhos do filme ou do texto:os estudantes devem ser

    estimulados a fazer uma atividade de interpretao da compreenso sobre a histria vista ou

    lida, atravs de uma sequncia de quadrinhos.

    Avaliao: Observar a capacidade de transferir para o desenho as informaes discutidas em

    aula.

    Invertebrados

    Objetivo geral: Provocar uma reflexo sobre a importncia ecolgica da fauna invertebrada

    marinha.

    Objetivos especficos: Caracterizar o grupo de invertebrados por suas caractersticas gerais.

    Durao:2 aulas de 45mim: sendo 1 para o vdeo e 1 para o texto.

    Contedo: Animais marinhos invertebrados: porferos, cnidrios

    Procedimental: Apresentar o vdeo e em seguida propor a leitura do texto. Como o texto do

    livro um romance de aventura ficcional, pode ser criada uma atividade de leitura extraclasse.

    Item motivador: vdeo documentrio marinho Profundezas - Vida Submarina [Discovery

    Science] acessvel em:http://www.youtube.com/watch?v=UHk92ZFVoyI

    ou Vida Selvagem - A Magia do Grande Oceano, Os 7 Continentes acessvel em:

    http://www.youtube.com/watch?v=4v_B24L9288

    Sinopse: Nos dois vdeos a temtica bastante semelhante. Os autores enfatizam a

  • 18

    importncia ecolgica da vida marinha para o equilbrio ambiental.

    Texto: 20 mil lguas submarinas por Jlio Verne. ( Primeira parte; Captulo:15 pag.: 95)

    Fomos avanando por uma vasta plancie que parecia no ter limites. Eu afastava com

    a mo as cortinas lquidas, que se tornavam a fechar atrs de mim, e o vestgio dos meus

    passos logo desaparecia sob a presso da gua. Em breve algumas silhuetas de objetos, que eu

    mal distinguia distncia, foram tomando forma.Eram ento dez horas da manh. Os raios

    solares batiam na superfcie das guas formando um ngulo bastante oblquo. Ao contato da

    sua.luz, decomposta pela refrao como atravs de um prisma, flores,rochedos, plantas,

    conchas, plipos, matizavam-se com as sete cores do espectro solar. Era algo maravilhoso,

    uma festa para os olhos. Eu sentia verdadeira mgoa por esmagar sob os ps os belos

    espcimes de moluscos que juncavam o solo. Os pentes concntricos, os martelos, as

    doncias, verdadeiras conchas saltitantes, os troques, os capacetes-vermelhos, os estrombos

    asa-de-anjo, as afilas, e tantos outros exemplares daquele mar inesgotvel. Mas era preciso

    avanar.

    ...

    Atividade ldica:os estudantes devem ser estimulados a fazer uma atividade de interpretao

    da compreenso sobre a histria vista ou lida, atravs de uma sequncia de quadrinhos.

    Avaliao:por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

    prvios e as provocaes levantadas no vdeo. Deste modo so relevantes as imagens que se

    relacionam com os objetivos.

    Insetos

    Objetivo geral: Questionar as relaes ecolgicas

    Objetivos especficos: Caracterizar o grupo de invertebrados por suas caractersticas gerais.

  • 19

    Durao:2 aulas de 45mim.

    Contedo: Ordens de insetos; importncia ecolgica dos insetos.

    Procedimental: Apresentar o vdeo e abrir uma mesa de discusses sobre os temas que

    surgirem a partir dos questionamentos dos alunos,

    Item motivador: Vida de Inseto (A Bug's Life, 1998)

    Direo: John Lasseter

    Roteiro: John Lasseter, Andrew Stanton

    Gnero: Animao/Aventura/Comdia

    Origem: Estados Unidos

    Durao: 96 minutos

    Disponvel em: http://www.filmesonlinegratis.me/vida-de-inseto-dublado/ e tambm em:

    http://www.youtube.com/playlist?list=PL4E3F2BB1FCE773A5

    Sinopse: Nesta histria de fico, o mundo dos insetos, as formigas so manipuladas pelos

    gafanhotos, que todos os anos exigem uma quantia de comida. Se as formigas no cumprirem

    essa exigncia, os gafanhotos ameaam atacar o formigueiro. Mas, em um certo ano, houve

    um problema com a oferenda. quando Flik, uma formiga cansada de ser oprimida, sai em

    busca de outros insetos dispostos a ajudar o formigueiro a combater os gafanhotos.

    Atividade ldica: os estudantes devem ser estimulados a fazer uma atividade de interpretao

    da compreenso sobre a histria vista ou lida, atravs de uma sequncia de quadrinhos.

    Avaliao: por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

    prvios e as provocaes levantadas no vdeo. Deste modo so relevantes as imagens que se

    relacionam com os objetivos.

  • 20

    Vermes

    Objetivo geral: Provocar questionamentos sobre a sade.

    Objetivos especficos: Caracterizar o grupo por suas caractersticas gerais. Compreender a

    importncia para a sade. Reconhecer os ciclos dos principais vermes parasitas.

    Durao: 2 aulas de 45mim.

    Contedo: Filos Anellida, platelminto e nematdea.

    Procedimental: O vdeo por si s suficientemente forte para estimular discusses e

    provveis questionamentos sobre a sade, devido ao tom de terror e fico da proposta.

    Item motivador:vdeo parasitas assassinos agentes duplos. Acessvel em

    www.youtube.com

    Sinopse: srie criada pelo canal Discovery sobre parasitas mortais e sua dupla atividade no

    organismo humano.

    Nota:A srie tem o tom dramtico e uma narrativa ficcional que se assemelha com um

    documentrio. Os vdeos disponveis no youtube existem propagandas de outros programas

    do canal, mais podem ser filtrados pelo professor com uma edio dos vdeos.

    Atividade ldica: os estudantes devem ser estimulados a fazer uma atividade de interpretao

    da compreenso sobre a histria vista, atravs de uma sequncia de quadrinhos.

    Avaliao: por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

    prvios e as provocaes levantadas no vdeo. Deste modo so relevantes as imagens que se

    relacionam com os objetivos.

  • 21

    Vertebrados

    Objetivo geral: Estimular a curiosidade e empatia para com os animais.

    Objetivos especficos: Caracterizar as principais classes de vertebrados por suas

    caractersticas gerais.

    Durao: Varivel. Fica a critrio do professor decidir se utilizar um ou mais vdeos.

    Contedo: Classes peixe; anfbio; rptil, ave e mamfero.

    Procedimental: Embora no sejam vdeos de fico cientfica, propriamente dita, exibem

    uma linguagem ficcional e um animismo caractersticos de fico. Isso os torna interessantes

    para abordar questes de sociedade e meio ambiente.

    Item motivador: Srie de vdeos do brasileiro Richard Rasmussen Selvagem ao Extremo.

    Srie de 4 programas. Acessvel em: http://www.youtube.com/watch?v=VXsc-Szpsqk

    Sinopse: Richard Rasmussen o apresentador do quadro "Selvagem ao Extremo", que vai ao

    ar aos domingos na Record, um apaixonado por bichos das mais variadas espcies. Esteve

    por anos envolvido com a fauna at que surgiu a oportunidade de apresentar um programa

    onde pode mostrar, ao pblico, a beleza dos mais interessantes animais. Essa procura de

    animais uma garantia de adrenalina e Richard sempre encontra-se em incrveis aventuras

    pelo Brasil e pelo mundo.

    Atividade ldica: os estudantes devem ser estimulados a fazer uma atividade de interpretao

    da compreenso sobre a histria vista ou lida, atravs de uma sequncia de quadrinhos.

    Avaliao:por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

    prvios e as provocaes levantadas no vdeo. Deste modo so relevantes as imagens que se

    relacionam com os objetivos.

  • 22

    O reino animal

    Objetivo geral: Estimular recordao dos temas abordados em itens anteriores; criar

    momentos descontrados de questionamento sobre peculiaridades biolgicas dos animais.

    Objetivos especficos: Revisar caractersticas dos vrios grupos do reino animal.

    Durao:3 aulas de 45min. Sendo 2 aulas para leitura e dramatizao do texto e 1 aula para

    criao dos quadrinhos.

    Contedo: apresenta os principais grupos, alguns filos, classes e ordens de animais; Reviso

    das caractersticas mais importantes de cada grupo do reino animal.

    Nota: O texto uma adaptao teatral de Everton Bonfim do livro: Voc um animal,

    Viskovitz de Alessandro Boffa. Por ter sido produzida para encenao, a leitura dramatizada

    em grupo possibilita vrias interaes professor aluno e aluno aluno.

    Texto: adaptao de Everton Bonfim para Teatro de Garagem em Londrina-PR, do livro:

    Voc um animal, Viskovitz de Alessandro Boffa. Trechos do livro original disponveis na

    internet:

    http://danielaversieux.blogspot.com.br/2011/10/voce-e-um-animal-viskovitz.html, tambm

    em: http://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=11037

    O texto teatral esta disponvel em:

    http://teatrodegaragem.com/repertorio/viskovitz/

    Atividade ldica de representao teatral do texto.

    Nota: no sendo possvel desenvolver a representao em espao teatral, recomenda se

    utilizar leitura dramatizada para atingir o objetivo.

    Avaliao: Desenvolver em desenho um cenrio onde a dramatizao do texto possa ocorrer,

    enfatizar as relaes entre os seres sem conceituar previamente como relaes ecolgicas. A

    ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos prvios e as provocaes

    levantadas no texto. Deste modo so relevantes as imagens que se relacionam com os

    objetivos.

  • 23

    Vegetais

    Objetivo geral: Abordar o panorama evolutivo adaptativo dos vegetais no planeta.

    Objetivos especficos: Caracterizar o grupo por suas caractersticas gerais. Destacar a

    fotossntese e fisiologia vegetal como fatores adaptativos. Reconhecer a importncia do grupo

    vegetal para ecologia do planeta.

    Durao: 2 aulas de 45mim.

    Contedo: Filos vegetais: de algas a angiospermas.

    Procedimental: O vdeo permite uma viso do ponto de vista das plantas, deste modo os

    questionamentos surgem espontaneamente, no sendo necessrio provocar uma discusso

    reflexiva.

    Item motivador: vdeo documentrio: A vida das plantas, disponvel em

    http://www.youtube.com/watch?v=o0CSQ4PIbqA

    Sinopse: Documentrio sobre a evoluo e conquista da superfcie terrestre. Apresenta sua

    importncia com uma linguagem ficcional interessante para discusses referentes a vida no

    planeta.

    Texto: NASA vai plantar vegetais no espao a partir de dezembro (traduo: Reinaldo

    Camilo)

    Da Redao12 de setembro de 2013 - 13h

    Chamado de VEGGIE, programa usaria lmpadas LED para crescer ps de alface

    mesmo sem gravidade. Agncia quer diminuir custos com envio de comida para o espao.

    Pela primeira vez na histria, a NASA planeja comear a plantar sua prpria comida

    no espao, segundo informaes do The Verge e da Modern Farmer. De acordo com os sites, a

    Agncia planeja iniciar a plantao em dezembro deste ano.

    Chamado de VEGGIE (de Vegetable Production System), o sistema teria capacidade

    para acomodar seis plantas de alface. Os vegetais cresceriam sob lmpadas LED rosa e

  • 24

    estariam prontos para consumo em um ms.

    Obstculos:

    Apesar de a falta de gravidade ser um obstculo, a NASA realizou vrios testes para

    realizar a plantao nessas condies e est confiante que isso no vai impedir o crescimento

    dos alimentos.

    A maior preocupao, no entanto, o possvel desenvolvimento de micrbios no

    espao durante o crescimento dos vegetais. Por isso, os alimentos passaro por vrios testes

    antes de serem consumidos pelos astronautas.

    Objetivos:

    Como aponta o The Verge, o programa poderia ser um primeiro passo para o sonho

    antigo de uma unidade auto-sustentvel no espao. Mas inicialmente a Agncia Espacial dos

    EUA est mais preocupada com os 10 mil dlares gastos por cada 450 gramas de comida

    enviada ao espao.

    - See more at:

    http://www.eventosnowdigital.com.br/idgnow2/internet/2013/09/12/nasa-vai-plantar-vegetais-

    no-espaco-a-partir-de-dezembro#sthash.gi3s81Yf.dpuf

    acessado: 16/11/13; 8:58h

    Atividade ldica: os estudantes devem ser estimulados a fazer uma atividade de interpretao

    da compreenso sobre a histria vista ou lida, atravs de uma sequncia de quadrinhos.

    Avaliao:por ser uma atividade ldica, o foco avaliador no se estabelece na exatido do

    registro nem no rigor cientfico. A ideia central estabelecer conexes entre os conhecimentos

    prvios e as provocaes levantadas no vdeo. Deste modo so relevantes as imagens que se

    relacionam com os objetivos.

  • 25

    BIBLIOGRAFIA DE FILMES USADOS

    Filme: Evoluo. Disponvel em: http://www.mixturefilmes.net/2012/05/assistir-evolucao-dublado-online-filme.html. Filme: Fluxo de energia entre seres vivos. disponvel em: https://www.youtube.com/watch?v=HE-Vaj_jpEk Filme: Wallace e Gromit: A batalha dos vegetais. Dream Works animation SKG.(84 min.) 2006 classificao livre. Filme:Discovery channel Teoria da Evoluo acessvel em youtube: https://www.youtube.com/watch?v=eDxgW354wFw Filme: Eu sou a lenda. Ttulo Original: I Am Legend (100 minutos). Drama. 2007. Warner Home Vdeo. Filme: Gripe (the sneeze) acessvel em youtube: https://www.youtube.com/watch?v=ssYvrtwFb8M Filme: Profundezas - Vida Submarina [Discovery Science] acessvel em: http://www.youtube.com/watch?v=UHk92ZFVoyI Filme: Vida Selvagem - A Magia do Grande Oceano, Os 7 Continentes acessvel em: http://www.youtube.com/watch?v=4v_B24L9288 Filme: Vida de Inseto (A Bug's Life, 1998). Animao/Aventura/Comdia 96 minutos. Filme: Parasitas assassinos agentes duplos. Acessvel em www.youtube.com Filme: Richard Rasmussen Selvagem ao Extremo. Srie de 4 programas. Acessvel em: http://www.youtube.com/watch?v=VXsc-Szpsqk Filme: A vida das plantas, disponvel em: http://www.youtube.com/watch?v=o0CSQ4PIbqA Filme: Teoria da Evoluo -Discovery channel, acessvel em youtube: https://www.youtube.com/watch?v=eDxgW354wFw

  • 26

    REFERNCIAS DE TEXTOS USADOS ASIMOV, I. Eu rob,capitulo 2: O rob brincalho. Ediouro; Rio de Janeiro, 2004. BOFFA, A. Voc um animal, Viskovitz. Traduo de Eduardo Brando. Companhia das Letras, 1999. Trechos disponveis em: http://danielaversieux.blogspot.com.br/2011/10/voce-e-um-animal-viskovitz.html, tambm em: http://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=11037 BRASI. Secretaria de Educao Fundamental. Parmetros curriculares nacionais : Cincias Naturais / Secretaria de Educao Fundamental. . Braslia : MEC / SEF, 1998. CAMILO, R. E.S. Uma bactria chamada Z in: Histrias para sala de aula. (no prelo). ______________. O dia em que os fungos chegaro a Marte in: Histrias para sala de aula: (no prelo). BRANDOM, R. NASA is farming lettuce in space. TheVerge.com September 10, 2013; 11: 16 am. Disponvel em: http://www.theverge.com/2013/9/10/4715094/nasa-is-farming-lettuce-on-international-space-station RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educao. Orientaes Curriculares. reas Especficas: Cincias. Rio de Janeiro, 2010. VERNE, J. 20 mil lguas submarinas. Editora e Livraria Hemus. Curitiba-PR, 2003. WELLS, H. G. A Guerra dos Mundos. Livro Um: A Vinda dos marcianos Captulo Um: A Vspera da Guerra.Traduo de Thelma Mdici Nobrega. Rio de Janeiro; Objetiva, 2007.